SHOWS

Um francês arretado

Nicolas Krassik lança no Oi Futuro Ipanema Nordeste de Paris, seu quinto disco desde a mudança para o Rio, em 2001

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

Paprica Fotografia/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Radicado no Rio desde 2001, o violinista francês Nicolas Krassik adaptou-se como poucos: já acompanhou, tocando repertório brasileiro, artistas como Marisa Monte, Beth Carvalho e Gilberto Gil. Em projetos autorais, mergulha ainda mais fundo na música do país que o acolheu, como comprovam seus dois discos gravados à frente do grupo Cordestinos. O primeiro, de 2008, leva o nome do conjunto e o segundo, Nordeste de Paris, ganha lançamento na sexta (18) e no sábado (19) no Oi Futuro Ipanema. No álbum mais recente, Gil empresta a voz a uma releitura de sua Refazenda. Ao vivo, Krassik é acompanhado por Guto Wirtti (baixo), Marcos Moletta (rabeca), Carlos César e Chris Mourão (percussão). Recheada de sete temas compostos por Krassik, a apresentação é um passeio por estilos regionais, como xote, baião, xaxado e ciranda. Essa incursão por coisas nossas carrega toques da formação erudita do instrumentista, ex-aluno do conservatório de Aubervilliers, em sua terra natal, e o traquejo do jazz, gênero que dominou o começo de sua trajetória profissional. Entre as inéditas, prometem render no palco a gostosa faixa-título, Azul Elétrico, e Evelise. 14 anos.

Oi Futuro Ipanema (93 lugares). Rua Visconde de Pirajá, 54, Ipanema, ☎ 3201-3010. ? General Osório. Sexta (18) e sábado (19), 21h. R$ 20,00. Bilheteria: 15h/21h (ter. a qui.); a partir das 15h (sex.); a partir das 14h (sáb.). IR. www.oifuturo.org.br.

Fonte: VEJA RIO