SHOWS

Monobloco

Fundição Progresso volta a abrir as portas para os ensaios do bloco, que faz seu desfile na Avenida Rio Branco no domingo pós-Carnaval

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

MARIANA VIANNA/DIVULGAçÃO
(Foto: Redação Veja rio)

Criado em 2000 pelos integrantes da banda carioca Pedro Luís e a Parede ? C.A. Ferrari, Celso Alvim, Mário Moura e Sidon Silva, além do próprio Pedro ?, motivados por uma bem-sucedida oficina de percussão ministrada por eles em São Paulo, o bloco tornou-se uma das atrações mais populares na concorrida folia das ruas do Rio. Na sexta (14), a Fundição Progresso volta a abrir as portas para os ensaios da turma, que faz seu desfile na Avenida Rio Branco no domingo pós-Carnaval. No palco, Fábio Allman, Pedro Quental, Alexandre Momo e Renato Biguli se juntam a quatro dos fundadores. A exceção é Alvim: diretor de bateria, ele se posta diante dos 220 percussionistas egressos das aulas realizadas ao longo do ano passado. No programa, faixas do último disco do Monobloco, Arrastão da Alegria, como Nasci para Morrer de Amor (Arlindo Cruz, Maurição e Franco) e Um Dia de Domingo (Michael Sullivan e Paulo Massadas). Entre marchinhas, sambas, forrós e clássicos da MPB, cabe até uma homenagem ao centenário de Dorival Caymmi. 18 anos.

Fundição Progresso (3?000 pessoas). Rua dos Arcos, 24, Lapa, ☎ 3212-0800. → Sexta (14), 0h. R$ 60,00 (1º lote) a R$ 160,00 (na hora). Bilheteria: 12h/14h e 15h/20h (seg. a qui.); a partir das 12h (sex.). www.fundicaoprogresso.com.br.

Fonte: VEJA RIO