SHOWS

Ela é mesmo exagerada

A espalhafatosa cantora paraense Gaby Amarantos estreia no Circo Voador

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

Lailson Santos / Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Demorou quinze anos para Gabriela Amaral dos Santos, a garota do bairro de Jurunas, na periferia de Belém do Pará, ganhar o Brasil. Influenciada ? diz a própria ? num extremo por Clara Nunes, Ella Fitzgerald e Billie Holiday e no outro pelos românticos Francis Dalva e Reginaldo Rossi, ela começou a carreira ainda adolescente, cantando numa igreja de sua vizinhança. No ano passado, já na pele da apimentada Gaby Amarantos, estourou com versos como ?café coado na calcinha, só para te enfeitiçar?, de seu primeiro sucesso, Xirley, que contabilizou mais de 700?000 visualizações no YouTube. Com visual espalhafatoso e acessórios coruscantes, ela tornou-se a porta-voz do tecnobrega ao adicionar uma levada moderna a ritmos regionais. Sua alquimia sonora conquistou a admiração do crítico Nelson Motta e de algumas elogiadas colegas. Lançado em abril, seu disco de estreia, Treme, contou com a participação das cantoras Thalma de Freitas e Iara Rennó. ?Sou a favor da mistura, de trazer o popular para o universo do cult, de quebrar os preconceitos. Chega de frescura?, afirma.

Pela primeira vez em um grande palco carioca, Gaby apresenta faixas de seu primeiro trabalho, entre elas, Ex Mai Love, hit-chiclete da novela Cheias de Charme, Chuva, Galera da Laje e Bêbadoida. Dentro da miscelânea de seu repertório, promete entoar ainda versões bem pessoais para canções de Rita Lee, da banda new wave americana B-52?s e do grupo alemão Kraftwerk. Também aparecem no programa Fogo e Paixão, de Wando, e até Águas de Março, de Tom Jobim. Duas backing vocals e dançarinas, a quem chama de ?personal colegas?, dividem o palco com a cantora, em performances que lembram as personagens da novela das 7. Bombas de glitter, figurinos com luzes que piscam e grandes projeções no cenário completam o clima de extravagância. ?Não é um show qualquer! É superatitude, meio punk rock misturado ao brega e à MPB?, tenta definir a estrela. Sua banda é integrada por Adriano Souza (bateria), Benny Johnnny (percussão), Diego Pires (baixo), Gleidson Freitas (guitarra), Sandro Negrão (teclado e sampler), Félix Robatto (guitarra e produção musical), Camila Rochele e Gérssica Santos (backing vocals).

Gaby Amarantos. 18 anos. Circo Voador (2?000 pessoas). Arcos da Lapa, s/nº, Lapa, ☎ 2533-0354. Sexta (10), 0h. R$ 80,00. Bilheteria: 12h/19h (ter. a qui.); a partir das 12h (sex.). IC. www.circovoador.com.br.

Fonte: VEJA RIO