SHOWS

CopaFest 2013

Movido pela proposta de celebrar, com alguma nostalgia, mas sem ranço saudosista, o melhor da música instrumental brasileira, o festival chega à sexta edição

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

Alonso Martinez/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Movido pela proposta de celebrar, com alguma nostalgia, mas sem ranço saudosista, o melhor da música instrumental brasileira, o festival chega à sexta edição. De quinta (31) a sábado (2), o elegante Salão Cristal do Copacabana Palace abriga apresentações de nomes consagrados e novas apostas. Na abertura, a vez é do Som Imaginário, grupo dos anos 70 que acompanhou Milton Nascimento em shows históricos. A atual formação, de volta à ativa em 2012, traz os fundadores Wagner Tiso (piano), Robertinho Silva (bateria), Tavito (violão) e Luiz Alves (baixo), o parceiro de primeira hora Nivaldo Ornelas (sopros) e o recém-chegado Victor Biglione (guitarra). Na sexta (1º), o pianista Tomás Improta homenageia Dorival Caymmi (1914-2008), com a participação da cantora Virgínia Rodrigues. A mesma noite ainda traz o grande trombonista Raul de Souza, 79 anos, à frente de um quinteto para defender repertório de pegada samba-funk. Max de Castro, no sábado (2), comanda o baile ao som de sucessos de seu pai, Wilson Simonal (1938-2000), e do maestro Erlon Chaves (1933-1974), a exemplo de Pigmaleão 70 e Eu Quero Mocotó. Cria da Lapa, o grupo instrumental Bondesom encerra os trabalhos em seguida. 16 anos.

Avenida Atlântica, 1702, Copacabana Palace (Salão Cristal), Copacabana, ☎ 2548-7070. Quinta (31) a sábado (2), a partir das 21h. R$ 80,00. www.copafest.com.br.

Novos talentos: o Duo Elo, de Cainã Cavalcante (piano) e Thiago Almeida (violão), abre a primeira noite depois de bater mais de 100 concorrentes em concurso promovido pela curadoria do CopaFest

Fonte: VEJA RIO