Roteiro

Conheça quais são os principais shows da semana

A americana Sharon Jones faz duas apresentações no Rio: uma no Vivo Rio e outra no Bourbon Festival Paraty

Por: Pedro Moraes - Atualizado em

MO
(Foto: Divulgação)
  • A diva do batidão carioca e suas vertentes e o funkeiro unem forças no baile batizado como A Bela e o Fera.
    Saiba mais
  • A cantora lança o primeiro DVD, que traz seu nome e teve direção artística de Roberta Sá. No repertório, autorais, como Cabra-Cega, dividem espaço com versões, a exemplo de Velha Roupa Colorida, canção de Belchior, que ganhou pegada pop-funk. Participam da noite João Cavalcanti e Federico Puppi.
    Saiba mais
  • O músico baiano comemora seu aniversário no reduto de rock e blues em Vargem Grande, com show do recém-lançado A Fúria do Mar. Canções como Dora, homenagem à filha, nascida em 2014, figuram ao lado de clássicos de sua carreira. A cantora Manu Cordeiro abre a noite.
    Saiba mais
  • Craque veterano do samba-rock, o cantor comanda o baile ao som de Menina Carolina e Praia e Sol.
    Saiba mais
  • De volta ao repertório de Frank Sinatra, a diva entoa standards do intérprete conhecido como “A Voz”. Com uma orquestra de dezoito músicos, clássicos como My Way e I’ve Got You Under My Skin dividem espaço com canções de Tom Jobim, também eternizadas pelo cantor americano. 12 anos. Teatro Serrador (350 lugares). Rua Senador Dantas, 13, Centro, ☎ 2220-5033, Metrô Cinelândia.  Sexta (1º) e sábado (2), 19h30. R$ 100,00. Bilheteria: 14h/22h (ter. a qui); a partir das 14h (sex. e sáb.). Até 30 de julho.
    Saiba mais
  • Na turnê de lançamento do CD e DVD Me Leve sem Destino, o a banda surgida nos anos 80 desfila sucessos como Vento Ventania, Impossível e Janaína.
    Saiba mais
  • Entre sexta (20) e domingo (22), trinta horas de música vão ecoar pelas históricas ruas de pedra de Paraty. Bem-sucedida parceria da prefeitura local com o clube noturno paulistano Bourbon Street, o festival chega à oitava edição com dezoito atrações espalhadas por três palcos ao ar livre, além de artistas de rua, workshops e exposições. Tudo de graça. No espaço principal, na Praça da Matriz, o violonista e guitarrista brasileiro Romero Lubambo e a cantora americana Dianne Reeves abrem os trabalhos na sexta (20), às 21 horas. A dupla sela uma parceria de vinte anos indo do blues a standards do jazz. Outro destaque, o trio americano The Bad Plus, que despontou com inspiradas versões jazzísticas de hits do rock e do pop, divide a plateia com o saxofonista Joshua Redman no sábado (21), às 18h30, no palco em frente à Igreja Santa Rita, e no dia seguinte, no Palco Matriz, às 21 horas. A programação traz ainda o encontro do baterista californiano Anthony King com os cantores de R&B Tony Lindsay e Ms. Monet, uma noite com o pianista, compositor e arranjador Eumir Deodato e show do cantor e guitarrista de Nova Orleans Walter “Wolfman” Washington, ao lado do grupo The Roadmasters. Palco Matriz (Praça da Matriz, s/nº, Centro). Sexta (20), sábado (21) e domingo (22), a partir das 21h. Palco Santa Rita (Largo da Santa Rita, s/nº, Centro). Sábado (21) e domingo (22), a partir das 15h30. Palco Blues (Praça da Matriz, Quadra Esportiva, Centro). Sábado (21) e domingo (22), a partir das 16h. Confira a programação completa
    Saiba mais
  • Baiana radicada no Rio desde a década de 70, a cantora Daúde distinguiu-se pela voz potente e pela capacidade de surpreender no repertório. Esses atributos reaparecem no seu quinto disco, Código Daúde, o primeiro lançado em doze anos, base para a apresentação de segunda (25), no Theatro Net Rio. Entre as faixas do álbum surgem, transformadas por novos arranjos, Babalu (sucesso de Ângela Maria), Como Dois Animais, de Alceu Valença, e o delicioso samba Falso Amor Sincero, de Nelson Sargento. Os dois, aliás, vão participar do show em Copacabana.
    Saiba mais
  • Formado há 35 anos pelos violonistas Fernando Melo e Luiz Bueno, o duo interpreta obras como Dindi e Samba Triste.
    Saiba mais
  • Regravado por músicos das mais diversas vertentes, de Nando Reis e Edgard Scandurra a Joanna e Vanessa da Mata, o cantor, compositor e pianista celebra quarenta anos de carreira em show intimista. Músicas de seu último trabalho, Condição Humana (2013), disputam lugar com sucessos como Cheia de Charme, Meu Mundo e Nada Mais e Planeta Água. Corra que há poucos ingressos disponíveis.
    Saiba mais
  • Na turnê Os Anjos Cantam, a dupla defende, entre outros hits, Não Tem Comparação e Maneira Errada.
    Saiba mais
  • Guitarrista de Erasmo Carlos e ex-integrante da banda Filhos da Judith, o músico mostra criações do disco Primal.
    Saiba mais
  • Lançado no ano passado, o CD e DVD ao vivo Mart’nália em Samba reuniu obras de compositores que sempre influenciaram a cantora. O registro, feito no Imperator, contou com a direção de seu pai, Martinho da Vila. No Rival, Mart’nália mostra o novo show, que inclui um pot-pourri de sambas eternizados por Dona Ivone Lara, incluindo Mas Quem Disse que Eu Te Esqueço, Acreditar e Sorriso Negro. Completam o clima de festa Maracangalha, de Dorival Caymmi, Quem Te Viu, Quem Te Vê, de Chico Buarque, e Madalena do Jucú, do próprio Martinho.
    Saiba mais
  • O visual ousado, muita atitude na hora de cantar e videoclipes que reúnem essas duas características fazem um irônico contraste com o nome artístico da estrela dinamarquesa MØ. Nascida Karen Marie Ørsted, a jovem de 26 anos se apresenta com um acrônimo de seu sobrenome que, em seu idioma, também significa “virgem” ou “donzela”. Seu som, um eletro-pop com influências de soul, punk e rhythm and blues, rende comparações com o de cantoras tão distintas quanto a inglesa Siouxsie Sioux, da banda Siouxsie & The Banshees, e a americana Janet Jackson. A bordo de No Mythologies to Follow, o álbum de estreia (2014), ela conquistou importantes prêmios em seu país e vem ganhando plateias mundo afora. No sábado (30), defende no palco da Gamboa hits já estabelecidos de seu repertório, como Walk This Way e Waste of Time.
    Saiba mais
  • Com um álbum de inéditas recém-saído do forno — Jardim-Pomar, gravado de forma independente entre São Paulo e Seattle —, o ex-titã despede-se da turnê No Recreio, com a qual percorreu o país por um ano. Acompanhado apenas por seu violão, o músico solta a voz em sucessos como Segundo Sol, Relicário e All Star, e deve dar uma prévia das novas canções. Quem abre os trabalhos é a cantora mineira Roberta Campos, autora de diversas músicas emplacadas em trilhas de novela. De Janeiro a Janeiro, composição gravada pelo dono da noite, faz parte do repertório. Metropolitan. Avenida Ayrton Senna, 3000 (Shopping Via Parque), Barra. Sexta (25) e sábado (26), 22h30. R$ 100,00 (poltrona) a R$ 200,00 (camarote).
    Saiba mais
  • Cantora e percussionista de trabalho singular, entre a tradição e o pop, Raquel lança o CD Mineral, com participação de Márcia de Castro.
    Saiba mais
  • Autor de trilhas de novelas da TV Globo, o maestro comanda sua orquestra no espetáculo Segundas com Beatles.
    Saiba mais
  • À frente da banda Brasov, a atriz mostra seus dotes como cantora. No repertório pop, vai de Madonna a Criolo, passando por Lorde e Gloria Gaynor.
    Saiba mais
  • Simone Mazzer
    Saiba mais
  • Até o fim dos anos 90, a cantora americana conciliava o trabalho artístico com o expediente diário como carcereira no complexo penitenciário de Rikers Island, em Nova York. O primeiro disco, de 2002, ela lançou aos 46 anos. Essa revelação tardia da soul music superou obstáculos variados, como o câncer que a fez passar por cirurgias em 2014 e em janeiro deste ano, e espanta os males soltando a voz com energia inigualável. Acompanhada por duas backing vocals e pelos oito instrumentistas do grupo The Dap-Kings, com ela desde o início, Sharon Jones volta ao Brasil, após uma visita feita em 2011. No Vivo Rio, na sexta (29), e no Bourbon Festival Paraty, no sábado (30), ela mostra as faixas de seu sexto disco, Give the People what They Want. O repertório ainda costuma trazer a imbatível 100 Days, 100 Nights, faixa-título de seu terceiro disco, e surpresas decididas na hora — entre as opções, uma balançante versão do clássico I Heard It Through the Grapevine. “Uma novidade que posso garantir em primeira mão é que vamos mostrar uma parte do álbum-solo dos Dap-Kings, que deve sair em junho. Uns vinte minutos do show serão deles”, avisa a estrela (leia a íntegra aqui).
    Saiba mais
  • A banda comemora onze anos com sucessos como O Sol e a Peneira e O Anjo Mais Velho.
    Saiba mais
  • Com repertório criado a partir do CD Vira–Lata na Via Lactea, o eterno tropicalista apresenta canções como A Quantas Anda Você? e Retrato na Praça da Sé.
    Saiba mais
  • À frente de sua inseparável banda Muleke, o bamba mostra faixas do disco Ser Humano (2015), além de clássicos do naipe de Coração em Desalinho, Verdade e Deixa a Vida Me Levar. Metropolitan. Avenida Ayrton Senna, 3000 (Shopping Via Parque), Barra. Sábado (10), 22h30. R$ 100,00 (poltrona e mesa lateral) a R$ 250,00 (camarote).
    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO