música

Confira os principais shows da semana na cidade

Atrações vão desde Christina Perri, passando pelo português Ant[onio Zambujo, os roqueiros do Judas Priest e o Trio Madeira Brasil

Por: Rafael Cavalieri

Christina Perri
Christina Perri: primeira vez no Rio (Foto: Yu Tsai)
  • Festival que costuma receber revelações da música brasileira e conta com curadoria do produtor musical e DJ Jorge Lz, o Levada abre os trabalhos em 2015 com Anelis Assumpção, filha de Itamar Assumpção (1949-2003), um dos cabeças da vanguarda paulista. Ao vivo, ela apresenta Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários, seu segundo disco, lançado no ano passado de maneira independente. Atenção a canções como Devaneios e Cê Tá com Tempo.
    Saiba mais
  • Após extensa turnê divulgando Quinto, além de diversas colaborações com outros artistas, entre eles os brasileiros Ivan Lins e Roberta Sá, o cantor e compositor português volta ao Rio para mostrar Rua da Emenda, seu novo disco. No show, alterna novidades com as mais badaladas Flagrante e Lambreta.
    Saiba mais
  • O cantor e musicoterapeuta testa pela primeira vez ao vivo as composições de seu trabalho de estreia, ainda em fase de p­­ré-produção. Batizado de O que Se Esconde por Trás da Vergonha, o disco trará composições autorais inspiradas em nomes como Marcelo Camelo e John Frusciante, o melódico ex-guitarrista dos Red Hot Chili Peppers.
    Saiba mais
  • Uma entre incontáveis candidatas a estrela no mundo da música, a cantora americana de 28 anos deu duas belas tacadas. Na primeira, ainda trabalhava como garçonete em Los Angeles quando compôs Jar of Hearts. Em 2010, a canção foi apresentada no programa de TV So You Think You Can Dance e estourou. No ano seguinte ela garantiu o cantinho vip no olimpo do pop: A Thousand Years entrou na trilha sonora de A Saga Crepúsculo: Amanhecer — Parte 1, episódio da série cinematográfica inspirada nos best-sellers de Stephenie Meyer. As duas músicas estão no repertório que Christina Perri defende na quarta (22), no Teatro Bradesco. A balada do romance vampiresco é o ponto alto do show, mas a plateia também vai ouvir Arms, hit de Lovestrong, seu primeiro disco, além de Burning Gold e The Words, ambas de Head of Heart, lançado no ano passado. Curiosidade: ao vivo, Christina tem cantado Sky Full of Stars, do Coldplay
    Saiba mais
  • O quarteto capixaba celebra 25 anos de hardcore com um passeio por seus oito álbuns. As bandas Menores Atos e Statues on Fire aquecem o público nas apresentações de abertura.
    Saiba mais
  • Bicampeão do Concurso de Marchinhas da Fundição Progresso e compositor gravado por nomes como Maria Rita, Ana Carolina, Roberta Sá e Teresa Cristina, Edu é a próxima atração do projeto Cantautores. Ele divide a noite com o Dio&Baco, duo formado em 2004 por Eugênio Dale e Suely Mesquita.
    Saiba mais
  • Coreana de nascimento, mas radicada no Brasil, Hee Kyung Na, ou simplesmente Heena, sobe ao palco para interpretar apenas compositores do Brasil. Acompanhada pelo trio Melhor de Três, formado por Felipe Poli (guitarra), Adriano Giffoni (baixo) e César Machado (baixo), ela empresta a voz a canções como Desafinado, Wave, Chega de Saudade e Insensatez.
    Saiba mais
  • Na véspera do feriado, o irreverente cantor agita a casa em Ipanema com um espetáculo de nome sugestivo: Samba Pop. A mistura é aplicada em músicas como Meu Erro, dos Paralamas do Sucesso, e Corazón Espinado, do guitarrista Carlos Santana, além de sambas da Estação Primeira de Mangueira, escola da qual Meirelles já foi presidente.
    Saiba mais
  • As roupas de couro pretas tornaram-se um uniforme do heavy metal. Outra inovação, o bumbo duplo na bateria foi copiado por bandas dos anos 80 (Metallica, entre outras) aos dias de hoje (Slipknot). Responsável por ditar moda, ao lado do Black Sabbath, o Judas Priest volta ao Brasil para participar do festival Monsters of Rock, em São Paulo, mas antes toca na quinta (23), no Vivo Rio. Liderado desde 1973, entre idas e vindas, pelo careca e excêntrico Rob Halford — Deus, para os fãs —, o grupo inglês, criado em 1969, reúne atualmente Glenn Tipton, Richie Faulkner (guitarras), Scott Travis (bateria) e Ian Hill (baixo), esse o único membro da formação original. A nova turnê divulga o álbum Redeemer of Souls, lançado no ano passado, mas no repertório não faltam clássicos como Victim of Changes, Breaking the Law e Metal Gods. Antes, sobem ao palco o Metal Mania, projeto do guitarrista Robertinho de Recife, e os veteranos alemães do Accept.
    Saiba mais
  • Nos palcos desde 1954, a cantora que, por interpretar em vários idiomas ganhou a alcunha de A Internacional, relembra sucessos de todos os tempos no projeto Na Era do Rádio.
    Saiba mais
  • Trata-se da primeira edição deste que, segundo brincadeiras da própria organização, é uma espécie de filhote do Leblon Jazz Festival, evento que acontece normalmente na Rua Dias Ferreira. A noite no bairro do Catete começa com Luana Karoo, que planeja para este ano o lançamento de seu primeiro disco e já conta com o single Franco Atirador. Na sequência, o paulistano Curumin exibe sua música popular eletrônica. Entre um show e outro, o som fica aos cuidados dos DJs Ambassador e Andrei Yurievitch.
    Saiba mais
  • A diva do jazz brasileiro, com mais de cinquenta anos de carreira, divide o palco com o pianista João Carlos Coutinho em um passeio por grandes nomes da bossa nova. Teatro Rival (400 lugares). Rua Álvaro Alvim, 33, Cinelândia, ☎ 2240-4469, ↕ Cinelândia. Terça (9), 21h. R$ 40,00 (lounge) a R$ 70,00 (mesa setor A). Bilheteria: 15h/19h (seg.); a partir das 15h (ter.).
    Saiba mais
  • Dono de opiniões fortes, e sempre disposto a emiti-las, Lobão costuma bradar seus pontos de vista no palco, nas redes sociais e em manifestações nas ruas. O espetáculo que o cantor e compositor apresenta na quarta (8), no Teatro Bradesco, tem nome sugestivo, Sem Filtro, e um curioso toque de delicadeza no tratamento reservado ao repertório musical. Acompanhado ao vivo apenas por seus violões, o roqueiro vai alternar histórias de vida com a interpretação de sucessos como Vida Louca Vida, Me Chama e Corações Psicodélicos. Além dos hits, a plateia vai ouvir canções de O Rigor e a Misericórdia, álbum ainda em fase de pré-produção. Para lançar o disco, Lobão recorreu a uma campanha on-line de arrecadação de recursos que, até o meio da semana passada, tinha chegado a pouco mais de R$ 24 000,00. A meta é alcançar os R$ 80 000,00 até o dia 25.
    Saiba mais
  • Lançando Aventureira, seu segundo disco, a cantora carioca sobe ao palco acompanhada por Gustavo Pereira (violão e bandolim), Marcelo Saboya (baixo), Lourenço Vasconcelos (vibrafone), Yuri Villar (flauta) e Tiago de Souza (bateria). No repertório, temas recém-chegados, como a fa­ixa-título, além de canções de Breve Leveza, o álbum de estreia, de 2012.
    Saiba mais
  • Trata-se da primeira edição do Encontro das Tribos, projeto totalmente dedicado aos fãs do reggae. As quatro atrações fazem shows separados, mas prometem surpresas ao longo da noite.
    Saiba mais
  • Ex-vocalista da banda Tom Bloch e filho de Luis Fernando Verissimo, Pedro montou um repertório eclético para a primeira de três apresentações no Solar de Botafogo. No setlist, canções da e­­x-banda, como O Amor (Zero Sobrevivente), além de covers  de Fala, dos Secos e Molhados, Sinnerman, de Nina Simone, e Vai no Cavalinho, dos Aviões do Forró.
    Saiba mais
  • As três bandas integram o projeto A Vez do Brasil. Abrem a noite os capixabas do Supercombo. Na sequência, o Stereophant, vencedor do concurso VOZPARATODOS, mostra músicas do disco de estreia, Correndo de Encontro a Tudo. Última atração, o Suricato defende canções do segundo disco, Sol-Te, além de Talvez e Trem.
    Saiba mais
  • Formado por Zé Paulo Becker (violão e viola caipira), Marcello Gonçalves (violão de sete cordas) e Ronaldo do Bandolim, o grupo de virtuoses dedicado ao choro é atração do projeto A.Nota. Na ocasião, lançam o DVD Ao Vivo em Copacabana, que marca os vinte anos de carreira do trio com temas de Jacob do Bandolim, Tom Jobim, Villa-Lobos e Radamés Gnatalli, entre outros.
    Saiba mais
  • Da fonte de cantores como Jack Johnson, Donavon Frankenreiter e Colbie Caillat, a intérprete e compositora carioca tira a inspiração para exibir seu repertório em clima de surf music.
    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO