música

Confira a lista dos principais shows da semana no Rio

Atrações vão desde os americanos do Bone Thugs-n-Harmony ao lançamento do novo disco do Samba do Trabalhador. Veja os destaques

Por: Rafael Cavalieri

Moacyr Luz
Moacyr Luz e o Samba do Trabalhador: novo CD na área (Foto: Maury Cattemol)
  • Batizada de A New Wave of American Heavy Metal Tour, a noite reunirá três bandas do estilo. Quem abre os trabalhos é o Republica, seguido pelo Noturnall, ambos atrações brasileiras. Encerram o festival os americanos do Adrenaline Mob. Liderado por Russell Allen, o grupo promove Men of Honor, seu mais recente disco.
    Saiba mais
  • Em formato voz e violão, a cantora estreia no Rio a turnê Solo. Sucessos autorais, como Garganta, dividem espaço com canções de Chico Buarque, Caetano Veloso e Djavan, entre outros.
    Saiba mais
  • Amigos de longa data e músicos com carreiras-solo estabelecidas, Zé Renato, Claudio Nucci, Ricardo Silveira, Marcos Ariel, Zé Nogueira, Jurim Moreira e João Batista voltam a se unir como banda para resgatar composições autorais, como Tupete, além das clássicas Jequié, de Moacir Santos e Aldir Blanc, e Ânima, de Zé Renato e Milton Nascimento.
    Saiba mais
  • De volta ao repertório de Frank Sinatra, a diva entoa standards do intérprete conhecido como “A Voz”. Com uma orquestra de dezoito músicos, clássicos como My Way e I’ve Got You Under My Skin dividem espaço com canções de Tom Jobim, também eternizadas pelo cantor americano. 12 anos. Teatro Serrador (350 lugares). Rua Senador Dantas, 13, Centro, ☎ 2220-5033, Metrô Cinelândia.  Sexta (1º) e sábado (2), 19h30. R$ 100,00. Bilheteria: 14h/22h (ter. a qui); a partir das 14h (sex. e sáb.). Até 30 de julho.
    Saiba mais
  • A trajetória é típica: amigos cresceram juntos na periferia e recorreram ao hip-hop para lidar com a dura realidade. Mas esqueça o tom raivoso que cospe rimas em velocidade insana. Krayzie Bone, Layzie Bone, Bizzy Bone, Wish Bone e Flesh-n-Bone, do Bone Thugs-n-Harmony, partiram para outra. Em cima das batidas, vocais com melodia forjaram a identidade do grupo, que visita o Rio pela primeira vez como atração principal do Hip-Hop Live Festival. Criado em 1991, e reunido novamente desde 2010 — entre 2001 e 2008, Flesh cumpriu oito anos de cadeia —, o quinteto promete mostrar na Fundição Progresso, na sexta (8), clássicos como Tha Crossroads, homenagem ao amigo e mentor Eazy-E (1963-1995), Foe tha Love of $ e 1st of Tha Month. Completam o programa os cariocas do 3030 e do Cacife Clandestino. Entre um show e outro, os DJs Saddam, Tucho e Bruno Vinelli se revezam nos pickups.
    Saiba mais
  • Celebrando 35 anos de carreira, o cantor dá início à turnê de lançamento do CD Byafra — Ao Vivo. No disco e ao vivo, ele relembra músicas como Helena, Leão Ferido e Sonho de Ícaro.
    Saiba mais
  • Ícone do rock nos anos 80, a banda fundada por Marcelo Nova (voz e guitarra) e Robério Santana (baixo) retoma os trabalhos, agora com o filho de Marcelo, Drake Nova (guitarra), além de Leandro Dalle (guitarra) e Célio Glouster (bateria). No repertório, petardos clássicos como Eu Não Matei Joana D’Arc, Só o Fim e Silvia.
    Saiba mais
  • Sucesso de público, a primeira edição do projeto Verão Musical no Castelinho chega ao fim com show do craque Edu Krieger. O cantor e compositor defende temas próprios como Ciranda do Mundo e Saber Ganhar.
    Saiba mais
  • À frente da Tropical Acoustic Band, Evandro Mesquita e Arnaldo Brandão, veteranos do rock nacional, interpretam clássicos dos anos 70 em versões acústicas. Estão no roteiro Pink Floyd, Bob Dylan, Bob Marley, The Who, Led Zeppelin e Otis Redding, entre outros. A turma repete a dose nos dias 25 e 1º de setembro. Solar de Botafogo (180 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, ☎ 2542-9458. Quinta (18), 22h. R$ 50,00 (lista amiga com 1 quilo de alimento não perecível) e R$ 80,00. Bilheteria: 15h/21h (ter. e qua.); a partir das 15h (qui.). www.solardebotafogo.com.br.
    Saiba mais
  • No turnê do disco Carpenters Avenue, a cantora revisita o grupo americano Carpenters. Only Yesterday e (They Long To Be) Close To You, gravada com Dionne Warwick, estão no repertório ao vivo. Vivo Rio (2 000 lugares). Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, ☎ 2272-2901. → Sexta (19), 22h30. R$ 120,00 (setor 3, balcão e frisa) a R$ 200,00 (camarote A e setor vip). Bilheteria: 10h/19h (seg. a qui.); a partir das 10h (sex.). Estac. c/manobr. (R$ 35,00). IR. www.vivorio.com.br.
    Saiba mais
  • Em 2005, quando criou a roda às segundas, Moacyr Luz pensava apenas em uma boa desculpa para beber com os amigos no tradicional dia de folga dos músicos. A brincadeira tornou-se um programa concorrido, hoje leva ao Clube Renascença uma multidão e deu frutos: 10 Anos & Outros Sambas, terceiro disco do Samba do Trabalhador, ganha lançamento na segunda (4). Ao lado de Gabriel Cavalcante (voz e cavaquinho), Luiz Augusto, Junior de Oliveira, Nilson Visual (percussão), Daniel Neves (violão de sete cordas), Alexandre Nunes (voz e cavaquinho), Álvaro Santos e Mingo Silva (voz e percussão), Moacyr defende inéditas do novo CD, a exemplo de A Reza do Samba, e composições próprias, como Samba de Fato.
    Saiba mais
  • Formado em 2008 pelo cantor, arranjador, compositor e regente Augusto Ordine, o grupo Ordinarius (uma brincadeira com o sobrenome do seu criador) tem seis integrantes que partilham o mesmo instrumento: a voz. É basicamente a capela, com arranjos vocais eventualmente enriquecidos por violão, cavaquinho e percussões variadas, que a turma defende um repertório eclético, de pop internacional a bossa nova, passando por rock, choro e samba. Atualmente integrado, além de Ordine, por Maíra Martins, Luiza Sales, André Miranda — estes no grupo desde a sua criação —, Letícia Carvalho e Marcelo Saboya, o grupo apresenta Rio de Choro, seu segundo disco. Como o nome sugere, a empreitada tem como base um repertório calcado em compositores ligados ao chorinho. Estão lá Noel Rosa (Tipo Zero), Jacob do Bandolim (Santa Morena) e Pixinguinha (Rosa). Mas há também espaço para faixas como Vide Gal, de Carlinhos Brown, em arranjos originais. No palco, Ordine e Miranda tocam cavaquinho e violão em algumas canções, e o sexteto tem a companhia do percussionista Matheus Xavier.
    Saiba mais
  • Em festejo a Santa Sara Kali, santa padroeira do povo cigano, o trio formado por Carol Panesi (violino, voz e trompete), Pedro Araújo (guitarra cigana) e Pedro Aune (baixo acústico) apresenta versões inusitadas para canções como Tico Tico no Fubá, de Zequinha de Abreu, e Assum Preto, de Luiz Gonzaga. Na sexta (8), Daniela Spielmann toca saxofone. No dia seguinte, a participação é do violinista Nicolas Krassik.
    Saiba mais
  • Sob a direção de Eduardo Dussek, a cantora visita, no espetáculo Dussek Veste Machete, o repertório do colega, acompanhada por Danilo Andrade (piano). No roteiro,  Cabelos Negros e Chocante, entre outras, dividem espaço com clássicos como Quizás, Quizás, Quizás e Back to Black. A noite, que terá participação do próprio músico, será registrada em DVD. Espaço Tom Jobim (420 lugares). Rua Jardim Botânico, 1008, ☎ 2274-7012. → Terça (20), 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 14h (ter.). IR.
    Saiba mais
  • Dedicado ao samba, o álbum Antes do Mundo Acabar reúne composições inéditas e algumas pérolas do gênero.
    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO