SHOWS

Muito antes do download

Pioneiro da produção independente no Brasil, hoje radicado nos Estados Unidos, o pianista Antonio Adolfo toca na Miranda

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

Alex Sandro/Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Inspirado pela mãe, Yolanda Maurity, violinista do Theatro Municipal, o pianista começou cedo ? aos 16 anos, já tocava no Beco das Garrafas e criou o Trio 3-D, formado para o musical Pobre Menina Rica, de Vinicius de Moraes e Carlos Lyra. Com o violonista Lyra como convidado, Antonio Adolfo lança, na quinta (11), Fina Mistura, mais novo disco de seus cinquenta anos de carreira. Autor de composições históricas, a exemplo de BR-3 e Sá Marina (ambas com Tibério Gaspar), o músico também se notabilizou pelo pioneirismo. Em 1977, gravou o LP Feito em Casa, primeiro de uma série independente, iniciativa então inédita no Brasil. Radicado nos Estados Unidos há seis anos, onde tem uma filial de sua escola de música, Adolfo volta ao Rio para mostrar ao vivo as faixas do novo trabalho. Em arranjos que unem jazz a gêneros brasileiros, como baião, samba e bossa nova, entram no repertório Giant Steps, de John Coltrane, e Memories of Tomorrow, de Keith Jarret, além de três composições próprias: Floresta Azul, Balada e Misturando. Ele divide o palco com Mauro Senise (sax e flauta), Jorge Helder (baixo acústico), Leo Amuedo (guitarra), Rafael Barata (bateria) e a filha, a cantora Carol Saboya. 16 anos.

Miranda (200 lugares). Avenida Borges de Medeiros, 1424 (2º piso), Lagoa, ☎ 2239-0305. Quinta (11), 21h30. R$ 80,00 a R$ 120,00. Bilheteria: 12h/18h (dom. e seg.); 10h/21h (ter. e qua); a partir das 10h (qui.). IR. www.mirandabrasil.com.br.

Fonte: VEJA RIO