artes

Tesouros ignorados

Um roteiro pelos museus da cidade com obras de inegável valor artístico, mas pouco conhecidas

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

Embaladas pela curiosidade que o novo desperta, as boas mostras temporárias sempre são sucesso de público. No Museu Nacional de Belas Artes, a exposição interativa Rio: a Arte da Animação tem levado legiões de pais e filhos a observar esculturas e esboços do desenho animado produzido pelo diretor Carlos Saldanha. Muita gente, porém, deixa o prédio na Cinelândia sem se dar conta de que ele exibe também obras significativas da produção brasileira do século XIX, como a tela A Primeira Missa do Brasil, de Victor Meirelles, e pinturas relevantes da arte moderna. Uma delas é Le Manteau Rouge, de Tarsila do Amaral, que, cedida em março ao cerimonial do Palácio do Planalto, impressionou o presidente Barack Obama em sua visita a Brasília. Com a ajuda de especialistas, VEJA RIO listou nove trabalhos que são atrações permanentes ou integram mostras de longuíssima duração na cidade. Trata-se de um roteiro que fica à disposição do carioca, desmentindo o ditado "o que é bom dura pouco". Se você não conhece, vale uma visita. Os endereços e horários de funcionamento das instituições estão na seção Exposições, a partir da página 90.

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)
Le Manteau Rouge

Autora: Tarsila do Amaral

Data: 1923

Onde é exposto: Galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea do Museu Nacional de Belas Artes

Por que é importante: Foi feito pouco depois de uma recepção para Santos Dumont em Paris, quando a pintora ganhou elogios do inventor por usar um casaco vermelho

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)
Torso Helenístico

Autor: Desconhecido

Data: Século IV a.C.

Onde é exposto: Sala de jantar do Museu da Chácara do Céu

Por que é importante: Este raro exemplar de arte grega existente na nossa cidade é uma das peças avulsas integrantes da Coleção de Arte Europeia da casa, que foi seriamente desfalcada com o roubo das telas de Picasso, Matisse, Monet e Dali durante o Carnaval de 2006

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)
Colonos

Autor: Di Cavalcanti

Data: 1940

Onde é exposto: Galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea do Museu Nacional de Belas Artes

Por que é importante: Pintado em Paris, onde o artista viveu por cinco anos, é considerado uma de suas obras-primas. Mescla influências do expressionismo com as raízes tropicais do autor, notadamente nas figuras roliças

reprodução Ricardo Bhering
(Foto: Redação Veja rio)
Lagoa do Boqueirão

Autor: Leandro Joaquim

Data: Segunda metade do século XVIII

Onde é exposto: Circuito de Exposições de Longa Duração do Museu Histórico Nacional

por que é importante Integra um conjunto de telas encomendadas pelo vice-rei Luís de Vasconcelos para decorar os gazebos do Passeio Público. É uma das poucas imagens do período colonial

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)
Autorretrato Mulato

Autor: Lasar Segall

Data: 1935

Onde é exposto: Seção Genealogias do Contemporâneo do Museu de Arte Moderna

por que é importante Trata-se de uma das telas em que o pintor lituano se retrata como alguém natural do Brasil, com a reprodução de um mulato de lábios grossos

reprodução Paulinho Muniz
(Foto: Redação Veja rio)
Espaços Virtuais: Cantos

Autor: Cildo Meireles

Data: 1967

Onde é exposto: Coleção João Sattamini do Museu de Arte Contemporânea por que é importante Foi uma das primeiras instalações concebidas no Brasil (fim da década de 60)

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)
A Barca

Autor: Candido Portinari

Data: 1941

Onde é exposto: Setor de arte brasileira do Museu da Chácara do Céu por que é importante Este quadro de grandes dimensões sobressai na Coleção Castro Maya, guardiã de ótimo acervo do pintor

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)
Afresco de Pompeia

Autor: Desconhecido

Data: Século I

Onde é exposto: Coleção Greco-Romana do Museu Nacional

Por que é importante: Representação de um monstro marinho, este fragmento permaneceu intacto depois da destruição de Pompeia pelo vulcão Vesúvio. Foi dado à imperatriz Teresa Cristina, em 1855

reprodução Se?rgio Zalis
(Foto: Redação Veja rio)
Esquife de Gato

Autor: Desconhecido

Data: Entre os séculos IV a.C. e IV d.C.

Onde é exposto: Coleção Egípcia da Fundação Eva Klabin

Por que é importante: O sarcófago para felinos, feito entre os períodos Ptolomaico e Romano, é um dos testemunhos do relevante papel dos animais nos rituais religiosos do Egito

Fonte: VEJA RIO