ROTEIRO DA SEMANA

Teatro

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

ESTREIAS

BASEADO NA RUA DE TRÁS, de Mateus Tiburi. Primeira montagem da Outra Cia. de Teatro ? formada por ex-integrantes da extinta Cia. Laranja Eletrônica ?, a tragicomédia contemporânea é inspirada em textos de Kafka, Brecht, Nelson Rodrigues e Stuart Hall. O autor Tiburi se junta aos atores Carolina Ferman, Nara Parolini e Thiago Ristow para contar a história do personagem ?H?, que chega em uma cidade estranha e, num esforço kafkiano, tenta se enquadrar. A cidade tem suas próprias regras e o protagonista se perde numa espécie de labirinto, buscando seu lugar naquela estranha sociedade. Direção de Gustavo Damasceno (75min). 16 anos. Solar de Botafogo ? Espaço II (30 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, ☎ 2543-5411. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 30 de outubro. Estreia prometida para sexta (30).

UN CAMINO (SOLO), de Walter Daguerre. Monólogo dramático com Samantha Gilbert, aborda sentimentos característicos de viajantes solitários, como a inadequação. O texto surgiu da junção de registros feitos por ambos, autor e atriz, em diários, blogues, fotografias e vídeos realizados durante viagens que Daguerre e Samantha fizeram pela Europa em diferentes ocasiões no ano de 2009. Ele estava em Portugal a trabalho e aproveitou para circular pelas cidades do Porto, Madri, Paris e Berlim. Só que criou um personagem que se vestia de vermelho dos pés à cabeça, batizado de El Andarillo, e gravou em vídeo as reações das pessoas por onde passava. Ela passou um ano tentando a vida no continente europeu e percorreu o conhecido Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha. Direção do autor (80min). 14 anos. Teatro Gláucio Gill (104 lugares). Praça Car­deal Arcoverde, s/n°, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Sexta e sábado, 19h; domingo, 21h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sex. a dom.). Até 30 de outubro. Estreia prometida para sábado (1º).

O QUE VOCÊ GOSTARIA QUE FICASSE, de Miguel Thiré. O drama experimental que transita entre o happening e a encenação é baseado no livro O Mundo sem Nós, de Alan Weisman. No palco, o elenco ? formado por Cynthia Reis, Eduardo Cravo, Jarbas Albuquerque, Raquel Alvarenga e Suzana Nascimento ? encena a trama em formato de retrospectiva às avessas, em que é possível acompanhar, passo a passo, um processo de desaparecimento gradual de qualquer resquício de nossa existência. A ideia é levantar a seguinte questão: ?se pudéssemos depositar algo do humano numa cápsula que resistisse ao tempo, que pudesse ser reexperimentado por outros seres no futuro, o que você gostaria que ficasse??. Direção do autor (90min). 14 anos. Teatro Glauce Rocha (40 lugares). Avenida Rio Branco, 179, Centro, ☎ 2220-0259. ? Carioca. Quarta (28) e quinta (29), 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 14h (qua. e qui.).

REESTREIAs

CASAR PRA QUÊ?, de Alessandro Anes. Comédia romântica. Alessandro Anes e Ana Teresa Welerson dão vida ao casal formado por Pedro Paulo e Ana Lúcia. Ele não dispensa um futebol com a galera, uma cerveja gelada e, claro, costuma falar mal da sogra. Ela adora ir ao shopping, falar horas com as amigas ao telefone e não perde um capítulo da novela. Apesar das diferenças, os dois não se largam e vivem em conflitos frequentes no casamento, levantando a questão do título do espetáculo. Direção de Anja Bittencourt (70min). 14 anos. Estreou em 6/1/2010. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Azul (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 60,00 (sex. e dom.) e R$ 70,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até 16 de outubro. Reestreia prometida para sexta (30).

OUTROS TEMPOS, de Harold Pinter. Drama. Primeira montagem carioca da peça que gira em torno das repercussões da visita de uma antiga amiga a um casal. A hóspede é Anna (Cristina Flores) e os anfitriões, Kate (Paula Braun) e seu marido, Deeley (Otto Jr.). Quando Anna chega, relembra a juventude que ela e Kate passaram juntas, um passado que Deeley não conhece e que o deixa curioso. Conforme flui a conversa, a situação vai saindo de controle após revelações sobre a ligação entre as duas. Direção e tradução de Pedro Freire (70min). 12 anos. Estreou em 1º/7/2011. Espaço Cultural Sérgio Porto (120 lugares). Rua Humaitá, 163, Humaitá, ☎ 2535-3846. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 17h (sex. a dom.). Até 30 de outubro. Reestreia prometida para sexta (30).

POR POUCO, de Samuel Benchetrit, com tradução de Jacqueline Laurence. Comédia assinada pelo elogiado dramaturgo contemporâneo e cineasta francês sobre os idosos Paul e Jules. Eles se rebelam contra a morte iminente e saem pelo mundo atrás de uma justificativa para tudo por que passaram. No palco, os atores Ilvio Amaral, Maurício Canguçu, Flávia Fernandes e Wolney Oliveira encenam a história dos dois protagonistas, que se conhecem no hospital onde estão internados e, ao receber a notícia de que lhes restam poucos dias de vida, resolvem fugir. Direção de Ary Coslov (90min). 10 anos. Estreou em 4/8/2011. Teatro Dulcina (429 lugares). Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro, ☎ 2240-4879. ? Cinelândia. → Sexta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: 14h/19h (ter. a dom.). Até 16 de outubro. Reestreia prometida para sexta (30).

✪✪✪ O SAMBA CARIOCA DE WILSON BAPTISTA, de Rodrigo Alzuguir e Cláudia Ventura. O documentário musical sobre a vida e a obra do compositor Wilson Baptista (1913-1968) é a atração teatral deste mês no projeto 7 em Ponto. Trata-se de uma iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura criada há mais de um ano para proporcionar o acesso popular a espetáculos de qualidade, com ingressos a R$ 1,00. Acompanhados por cinco músicos, Alzuguir e Claudia sobem ao palco para reviver situações como as madrugadas criativas dos velhos tempos do Café Nice, na Cinelândia. Baptista defendia a teoria de que o samba não nasceu no morro, mas nos cafés, como diz sua canção Café Nice. No repertório estão mais de sessenta músicas que entremeiam esquetes encenados sobre personagens que povoaram a intimidade e as composições do sambista, a exemplo das mulheres Floripes, Marina e Jane (as oficiais), e tantas outras que foram tema para canções como Emília, Elza e Guiomar. Direção geral de Sidnei Cruz e direção musical de Roberto Gnattali (90min). 12 anos. Estreou em 23/7/2010. Teatro Carlos Gomes (685 lugares). Praça Tiradentes, 19, Centro, ☎ 2232-8701. Terça (27), 19h. R$ 1,00. Bilheteria: a partir das 18h (ter.).

✪✪✪ TIM MAIA ? VALE TUDO, O MUSICAL, de Nelson Motta. Adaptação da biografia Vale Tudo ? O Som e a Fúria de Tim Maia, realizada pelo autor do livro e pelo diretor do musical, João Fonseca. O papel-título é interpretado pelo jovem ator Tiago Abravanel na produção que repassa a trajetória do artista dos 12 aos 55 anos. Em diferentes épocas, ele atendia pelos nomes Sebastião Rodrigues Maia (1942-1998), Tião Marmiteiro e, finalmente, Tim Maia. Completam o elenco Izabella Bicalho, Lilian Valeska, Pedro Lima, André Vieri, Bernardo La Roque, Reiner Tenente, Evelyn Castro, Pablo Ascoli, Anna Carbatti e Leticia Pedroza. No palco, são onze números executados ao vivo por uma banda com seis músicos ? Cássio (teclado), Leandro Vasques (baixo), Bezaleel (sax tenor), Marcelo Rezende (guitarra), Josias Franco (trompete) e Tiago Silva (bateria). Embalam a história do homenageado emocionantes interpretações para sucessos como Do Leme ao Pontal, Azul da Cor do Mar e Não Quero Dinheiro (180min, com intervalo). 14 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro Oi Casa Grande (926 lugares). Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon. ☎ 2511-0800. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 40,00 a R$ 100,00 (qui. e sex.); R$ 50,00 a R$ 120,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: 15h/20h (ter.); 15h/21h (qua. a sex.); 12h/21h30 (sáb.); 12h/19h (dom.). Cc: todos. Cd: todos. IC. Estac. no Shopping Leblon (R$ 5,00 por uma hora). Até 13 de novembro. Reestreia prometida para sexta (30).

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪✪ ATO DE COMUNHÃO, de Lautaro Vilo, com tradução de Amir Harif. O monólogo dramático rendeu a seu intérprete, Gilberto Gawronski, a indicação ao Prêmio Shell 2011 de melhor ator. O texto do dramaturgo argentino é baseado na história real de um crime bárbaro, cometido na Alemanha, em 2001, por Armin Meiwes. O assassino ficou conhecido como ?O Canibal de Rotemburgo?, após matar o engenheiro de computação Bernd Jürgen Brandes, de 42 anos. Amparado em recursos de internet e projeções de vídeo de Jorge Neto, o ator narra em primeira pessoa três momentos na vida de Meiwes: sua festa de aniversário de 8 anos, a cerimônia fúnebre da mãe em sua juventude e, já adulto, o fatídico encontro marcado pela internet, com consequências bizarras. Recomenda-se prudência a pessoas impressionáveis, porque a narrativa contém situações de violência descritas detalhadamente. Direção de Gilberto Gawronski e Warley Goulart (55min). 18 anos. Estreou em 5/4/2011. Teatro Dulcina (45 lugares). Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro, ☎ 2240-4879. ? Cinelândia. → Quarta e quinta, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: 14h/19h (ter. a dom.). Até quinta (29).

BENT, de Martin Sherman, com tradução de Luiz Fernando Tofanelli. Depois de temporadas no Rio em 2005 e em 2008, com os mesmos Gustavo Rodrigues (Rudy) e Augusto Zacchi (Max) nos papéis principais, a montagem volta ao circuito. Bent é uma das muitas palavras pejorativas usadas na Europa para designar um homossexual. O drama se passa na Alemanha nazista, antes da II Guerra Mundial. Os homossexuais Max e Rudy são presos e enviados a um campo de concentração, condenados a trabalhos forçados. Rudy é morto durante a transferência e Max se liga a outro prisioneiro, Horst. Completam o elenco Augusto Garcia, Breno Pessurno, Miro Marques, Henrique Manoel Pinho, Vinicius Vommaro, Evandro Manchini. Direção de Luiz Furlanetto (60min). 16 anos. Estreou em 1º/9/2005. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Segunda e terça, 21h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 15h (seg. e ter.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até terça (27).

A CASA, de Diego de Angeli, Emanuel Aragão e João Marcelo Iglesias. Drama. A montagem da Pangéia Cia. de Teatro fecha a Trilogia do Espaço, iniciada em 2008 com Passagens e continuada no ano seguinte com Câmera. No conjunto da obra, que propõe reflexões sobre o comportamento do homem nos espaços que ocupa, a produção atual aborda como tema a família. Daniel Kristensen, Gabriel Salabert, Gabriela Carneiro da Cunha e Izadora Mosso Schettert se revezam nos papéis de pai, mãe e irmãos, encenando situações que questionam se a instituição familiar está mesmo falida e se a noção de privacidade de seus membros também se perdeu. Direção de Diego de Angeli (80min). 14 anos. Estreou em 23/9/2011. Teatro Glauce Rocha (278 lugares). Avenida Rio Branco, 179, Centro, ☎ 2220-0259, ? Carioca. Sexta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Até domingo (2).

EU TE AMO, de Ar­naldo Jabor. Remontagem do drama adaptado no ano passado pelos cineastas Lírio Ferreira e Rosane Svartman. Desta vez, Alexandre Borges retorna aos palcos após nove anos de afastamento para encenar com Juliana Martins a versão tea­tral da obra lançada nas telas em 1981 e vertida para o palco seis anos depois. A dupla de atores interpreta o casal Paulo e Maria, que deseja se amar, mas, ao mesmo tempo, teme essa entrega recíproca. Uma curiosidade: a última peça de Borges foi Eu Sei que Vou Te Amar, também de Jabor, encenada ao lado da mulher, Julia Lemmertz. Direção de Lírio Ferreira e Rosane Svartman (75min). 16 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (462 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.) e R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até domingo (2).

HOLOCLOWNSTO, de Marcela Rodrigues e Natalie Rodrigues. Novo espetáculo de clown da companhia teatral Troupp Pas d?Argent, leva seis palhaços ao palco. As autoras Marcela e Natalie se juntam a Carolina Garcês, Jorge Leite, Lilian Meireles e Orlando Caldeira para encenar a tragicomédia ambientada no Holocausto. Eles são seis prisioneiros que se conhecem no vagão de um trem com destino desconhecido. Lutando por comida e contra o frio, transformam o espaço num campo de batalha. A ideia é abordar o universo das guerras de forma poética, pelo olhar do clown, revelando conflitos externos e internos que mobilizam os seres humanos. Direção de Marcela Rodrigues (80min). 12 anos. Estreou em 16/9/2011. Espaço Sesc ? Mezanino (80 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2547-0156. → Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até domingo (2).

A PENA E A LEI, de Ariano Suassuna. Escrita em 1959 pelo autor paraibano, a tragicomédia musical celebra os quarenta anos do Movimento Armorial. Criada por Suassuna, a iniciativa buscava criar arte erudita com base na cultura popular nordestina, englobando música, dança, teatro, literatura de cordel e cinema. Acompanhado pelos instrumentistas Jéssica Siúscu (violino e rabeca) e Márcio Rangel (violoncelo), o elenco ? Alice Motta, Carlos Albuquerque, Enildo Dellatorre, Fabio Gozzi, Fabio Steinberger, Flávio Ferreira, Henrique Lancaster, Márcio Aguena, Nilson Quirino e Sandro Maciel ? encena a história que gira em torno da disputa dos homens pelas mulheres e pelos bens materiais. Durante a competição, uns enganam os outros em um vale-tudo no qual prevalece o conhecido jeitinho brasileiro. Direção de Jorge Ferreira Sorriso (85min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Teatro do Jockey (100 lugares). Rua Mario Ribeiro, 410, Gávea, ☎ 3114-1286. Sexta a domingo, 21h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Estac. grátis. Até domingo (2).

✪✪✪ NA ROTINA DOS BARES, de Marcos França. Interpretado por Antonio Pedro Borges, Édio Nunes, Sheila Matos, Letícia Medella e pelo próprio França, o musical pretende contar a história do Rio, voltando no tempo, de 1976 a 1930, da perspectiva das mesas de tradicionais botequins cariocas. Entre as 25 canções do repertório estão clássicos como Conversa de Botequim (Noel Rosa e Vadico), Memórias do Café Nice (Artúlio Reis e Monalisa) e Camisa Listrada (Assis Valente). O ponto de partida para a narrativa é o fechamento do primeiro Bar Lamas, em 1976, para a construção do metrô. São relembrados também episódios passados em lugares históricos, a exemplo do Cassino da Urca, da Casa Vilarino, do Cabaré Apolo, do Bar Veloso e do Beco das Garrafas, com personagens como Nássara, Carmen Miranda, Aracy de Almeida e Tom Jobim. Direção de Ana Paula Abreu (120min). 12 anos. Estreou em 3/9/2011. Teatro Sesc Ginástico (513 lugares). Avenida Graça Aranha, 187, Centro, ☎ 2279-4027. → Quinta a domingo, 19h. R$ 20,00 (qui., sex. e dom.) e R$ 30,00 (sábado). Bilheteria: a partir das 13h (qui. a dom.). Até domingo (2).

EM CARTAZ

ABALOU BANGU 2 ? A FESTA, de Flavio Marinho. Depois do sucesso da primeira versão, em 2003, com público superior a 100?000 espectadores, Marinho criou uma continuação da comédia sobre o casal Maria Elvira e Maurício Otavio. Cristina Pereira e Paulo Goulart dão vida aos pais de família que se mudaram para Copacabana e estão prestes a comemorar quarenta anos de casados. Eles trocaram a tranquilidade de Bangu pelo agitado bairro da Zona Sul por insistência do filho Felipe, mas este mudou-se para a Barra logo que se casou com Monique. No dia da tal festa no apartamento, o elevador do prédio quebra e os quarenta convidados dão desculpas esfarrapadas para não comparecer. Os únicos que honram o compromisso são os vizinhos gays Carlos (Cláudio Galvan) e Sílvio (Luciano Borges). Direção do autor (90min). 12 anos. Estreou em 10/9/2011. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9895. → Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui.), R$ 70,00 (sex. e dom.) e R$ 80,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 18 de dezembro.

✪✪✪✪ A ALMA IMORAL, adaptação do livro homônimo do rabino Nilton Bonder. Clarice Niskier conquistou o troféu de melhor atriz no Prêmio Shell 2007 com o monólogo confessional. Visto por mais de 140?000 pessoas em cinco anos de carreira, o espetáculo, que já foi encenado em 23 cidades brasileiras, está de volta ao Rio. No palco, Clarice, nua quase todo o tempo, faz o papel de si mesma enquanto conversa com o público citando parábolas judaicas e passagens da Bíblia. Uma bela aula sobre a vida. Direção de Amir Haddad (80min). 18 anos. Estreou em 21/7/2006. Teatro do Leblon ? Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui. e sex.) e R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Excepcionalmente, não haverá sessão na quinta (29). Até 18 de dezembro.

CARTAS DE MARIA JULIETA E CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE, de Pedro Drummond e Sura Berditchevsky. Com esse monólogo dramático inspirado na troca de correspondências entre o poeta Drummond (1902-1987) e sua filha escritora Maria Julieta Drummond de Andrade (1928-1987), Sura Berditchevsky celebra no palco seus quarenta anos de carreira. A estrutura dramática do espetáculo é baseada no romance inacabado de Maria Julieta, Topázio, em que ela aborda passagens da infância, detalhes da juventude e sua relação com objetos e o cotidiano. Direção da intérprete (60min). 12 anos. Estreou em 23/9/2011. Espaço Sesc ? Sala Multiuso (80 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Quinta a sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até 16 de outubro.

✪✪✪ A DANÇA DE FELICIANO, de Moacyr Góes. Escrita há dez anos, a comédia foi lapidada ao longo do tempo e agora marca a estreia de Góes como dramaturgo. Irmão do autor, Leon Góes interpreta o protagonista Feliciano, um nordestino comum de aproximadamente 40 anos. Casado com Laurinha (Janaína Moura), ele trabalha como bibliotecário, mas sonha em ver a única peça de teatro que escreveu ser encenada um dia. Em um bar, esbarra com artistas recentemente falecidos, a exemplo de Amy Winehouse. é o começo de uma jornada muito particular. O elenco, que também conta com Daniel Carneiro, Daniel Villas, Jade Petrucelli, Ricardo Damasceno, Rose Lima e Sérgio Kauffmann, encena o espetáculo na pista de dança da boate Fosfobox. Direção do autor (60min). 18 anos. Estreou em 11/8/2011. Fosfobox (40 lugares). Rua Siqueira Campos, 132, Copacabana. ☎ 2548-7498. ? Siqueira Campos. Quinta a sábado, 22h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 21h30 (qui. a sáb.). O ingresso permite a permanência na boate após a apresentação. Até 15 de outubro.

✪✪✪ DEPOIS DO FILME, de Aderbal Freire-Filho. Após uma década sem representar, Aderbal assina a direção e estrela o monólogo dramático que inaugura o Teatro Poei­rinha, das atrizes Andréa Beltrão e Marieta Severo. O espetáculo gira em torno de Ulisses, papel já vivido pelo ator no longa-metragem Juventude (de 2008, em coautoria com Domingos Oliveira e Paulo José), que, com o fim do filme, precisa se confrontar novamente com a vida real. No palco, o filme Juventude torna-se, na verdade, uma lembrança que ele confunde com outra realidade (70min). 14 anos. Estreou em 13/5/2011. Teatro Poeirinha (70 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 18,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Até 23 de outubro.

✪✪✪ DOIDAS E SANTAS, de Regiana Antonini, inspirada no livro homônimo de Martha Medeiros. Nesta comédia romântica, é contada a história da psicanalista Beatriz (Cissa Guimarães), de seu marido, Orlando (Giusep­pe Oristânio), e da filha adolescente Marina (Josie Antello, que encarna ainda os papéis da tia Berenice e da avó Elda). Após vinte anos, o casamento acaba, a mulher independente se lança à vida e engata um romance com um jovem. Depois de curtir adoidado, Beatriz é procurada por Orlando e muda seus planos. Direção de Ernesto Piccolo (95min). 12 anos. Estreou em 1º/5/2010. Teatro Vannucci (450 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea, 3º piso (Shopping da Gávea), ☎ 2239-8545. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.), R$ 80,00 (sáb.) e R$ 70,00 (dom.). Bilheteria: a partir das 14h30 (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 18 de dezembro.

✪✪✪ DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS, de Jorge Amado, com adaptação de Pedro Vasconcelos e Marcelo Faria. Comédia. Carol Castro encarna Dona Flor, a jovem viúva que se casa com o sisudo médico Teodoro (Duda Ribeiro) e passa, então, a se dividir entre o amor comportado do atual marido e a paixão fogosa do falecido Vadinho (Marcelo Faria), um boêmio de mão-cheia que se recusa a deixar este mundo. Entrosados, os três atores temperam as principais composições com maestria. Dona Flor destaca-se mais pelo conjunto do que por brilhos individuais. E diverte um bocado. Direção de Pedro Vasconcelos (120min). 16 anos. Estreou em 15/2/2008. Teatro João Caetano (1?222 lugares). Praça Tiradentes, s/nº, Centro, ☎ 2332-9257. Sexta, 20h; sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 20,00 (sex.) e R$ 30,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: 14h/18h (ter. a qui.); a partir das 14h (sex. a dom.). IC. Até 9 de outubro.

✪✪✪✪ EMILINHA E MARLENE ? AS RAINHAS DO RÁDIO, de Julio Fischer e Thereza Falcão. O musical conta a trajetória de sucessos, a partir de 1949, da cantora carioca Emilinha Borba (1923-2005) e da rival paulistana Marlene, de 87 anos, interpretadas pelas atrizes Vanessa Gerbelli e Solange Badin, respectivamente. Com mais de cinquenta canções executadas ao vivo, o espetáculo revisita os sucessos, as dificuldades e a vida pessoal das duas artistas, que mantinham numerosos fãs-clubes. Completam o elenco Stella Maria Rodrigues, Ângela Rebello, Rosa Douat, Cristiano Gualda, Luiz Nicolau, Ettore Zuim, Mona Vilardo e Cilene Guedes, acompanhados pelos músicos Affonso Neto (bateria), Clay Protásio (baixo), Jonas Corrêa (trombone), Eduardo Santana (trumpete) e Gabriel Gabriel (saxofone). Direção cênica de Antonio de Bonis e direção musical de Marcelo Alonso Neves (150min, com intervalo). Livre. Estreou em 4/8/2011. Teatro Maison de France (352 lugares). Avenida Presidente Antônio Carlos, 58, Centro, ☎ 2544-2533. Quinta e sexta, 19h30; sábado, 20h30; domingo, 18h30. R$ 60,00 (qui. e sex.) e R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Estac. c/manobr. (R$ 10,00). Até 11 de dezembro.

FILHA, MÃE, AVÓ E P., de Gabriela Leite. Socióloga e ex-prostituta, Gabriela estreia como dramaturga na adaptação para o palco de sua biografia, lançada pela Editora Objetiva na Bienal do Livro de 2009. Em cena, Alexia Deschamps e Pedro Osório apresentam o drama baseado em relatos verídicos que narram as aventuras, desventuras e experiências de uma mulher decidida. Ela enfrentou preconceitos e tornou-se ativista na luta pelos direitos e pela dignidade das prostitutas. Direção de Guilherme Leme (60min). 14 anos. Estreou em 15/9/2011. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro III (80 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2007. Quarta a domingo, 19h30. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 10h (qua. a dom.). Até 30 de outubro.

✪✪✪ O FILHO ETERNO, de Cristóvão Tezza, com adaptação de Bruno Lara Resende. Indicado ao Prêmio Shell de Teatro em três categorias ? melhor ator (Charles Fricks), iluminação (Aurélio de Simoni) e direção de movimento (Marcia Rubin) ?, o monólogo dramático faz nova temporada no Teatro do Leblon. Na adaptação do livro em que Tezza relata corajosamente a convivência com o filho mais velho, Felipe, portador da síndrome de Down, o diretor Daniel Herz e Fricks repetem o feito do autor: combinam alguma crueza, lirismo e pungente sinceridade. Apoiado em cena apenas por uma cadeira, Fricks preserva a trama distante da pieguice. Seu personagem divide com o público inseguranças, descobertas e pequenas conquistas. Trata-se de uma história dura, mas fiel ao original, de desfecho redentor (75min). 12 anos. Estreou em 3/6/2011. Teatro do Leblon ? Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Terça e quarta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (ter. e qua.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 26 de outubro.

FLÔR TAPUYA, de Alberto Deodato (1896-1978) e Danton Vampré (1892-1949), com música de Pixinguinha (1897-1973). Encenada pela primeira vez em 1920, a opereta ganha montagem da Cia. Maviosa, idealizada por Antonio Karnewale, José Maria Braga e Marcelo Vianna (neto de Pixinguinha). Acompanhados pelos músicos Gustavo Quintella (piano e acordeão), Luis Medina (flauta e sax), Adriano Furtado (violão de sete cordas) e Elly Werneck (bateria e percussão), Vianna e os atores-cantores Janaina Azevedo, Beth Lamas, Hugo Germano, Marcê Porena e Rodrigo Lima encenam a comédia de tipos musicada que lembra um Romeu e Julieta sertanejo. A galeria de personagens inclui o casal apaixonado Rosa e João Lucio e o astuto Garangau, um arlequim trapalhão bem parecido com o Pedro Malasarte da literatura de cordel. Direção de Antonio Karnewale (100min, com intervalo). 14 anos. Estreou em 16/9/2011. Teatro Carlos Gomes (685 lugares). Praça Tiradentes, 19, Centro, ☎ 2232-8701. Quinta a sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 11h (qui. e sex.); a partir das 14h (sáb. e dom.). Até 30 de outubro.

✪✪✪ O INCRÍVEL SEGREDO DA MULHER-MACACO, de Saulo Sisnando. Fundadores da Cia. Os Surtados, do sucesso Surto, Rodrigo Fagundes e Wendell Bendelack superam as expectativas mais otimistas com esta comédia de suspense. Mais madura em cena, e apoiada por um caprichado texto de besteirol de Sisnando, a dupla se desdobra em seis personagens na trama de mistério. Ambientada em Hollywood, a ação se passa na mansão da família Stanwyck Mac Graw, proprietária do decadente Halley Newton Metrocolor International Incorporated Studios. O sobrenome pomposo e a quilométrica razão social da produtora de cinema são pronunciados em inglês macarrônico e velozmente, garantindo as gargalhadas. A trama começa com o assassinato da mulher-macaco ? moça adotada pelos Stanwyck Mac Graw que só revela sua estranha metamorfose na idade adulta. O corpo é encontrado pela governanta Agatha e por um visitante, o senhor Lockwood, repórter disfarçado da revista Famous and Infamous Hollywood Gossip Magazine. A partir daí, são reconstituídos os hilariantes fatos que levaram ao desfecho trágico. Direção do autor (80min). 12 anos. Estreou em 6/8/2011. Teatro Candido Mendes (133 lugares). Rua Joana Angélica, 63, Ipanema, ☎ 2267-7295. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Até 9 de outubro.

✪✪✪ LABIRINTO, de José Joaquim de Campos Leão (1829-1883). Três textos do autor gaúcho, mais conhecido como Qorpo-Santo, compõem a comédia dramática concebida e dirigida por Moacir Chaves. A montagem é encenada por treze atores da Cia. de Teatro Alfândega, 88, entre eles Adriana Seiffert, Andy Gercker, Elisa Pinheiro, José Karini, Gabriel Delfino e Peter Boos. No palco são apresentadas histórias extraídas das peças As Relações Naturais, Hoje Sou Um, e Amanhã Outro e A Separação de Dois Esposos (90min). 14 anos. Estreou em 10/2/2011. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (462 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Terça e quarta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (ter. e qua.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 26 de outubro.

✪✪✪ NA SELVA DAS CIDADES, de Bertolt Brecht. Escrito em 1921, o oitavo drama de Bertolt Brecht (1898-1956) é considerado um de seus textos mais enigmáticos. No palco, Daniel Dantas, Inez Viana, Marcelo Olinto e Maria Luisa Mendonça estão à frente do elenco que encena a trama ambientada em Chicago, no ano de 1912, e que tem a ação centrada na violenta relação entre o comerciante malaio de madeira Schlink e o jovem George Garga, que se recusa a vender sua consciência, apesar de uma polpuda oferta. Direção de Aderbal Freire-Filho (140min). 16 anos. Estreou em 11/8/2011. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro I (175 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Quarta a domingo, 19h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 10h (qua. a dom.). Até 9 de outubro.

✪✪✪ NEM UM DIA SE PASSA SEM NOTÍCIAS SUAS, de Daniela Pereira de Carvalho. Ao lado do sobrinho, Pedro Garcia Netto, o ator Edson Celulari retorna ao palco na comédia dramática. A dupla interpreta os irmãos Joaquim, de 50 anos, e o caçula Juliano, que se encontram obrigados a sanar suas diferenças de convivência após a morte do pai. Os dois já tinham perdido a mãe anos antes e precisam esvaziar o antigo apartamento da família, desfazendo-se de móveis, objetos, coleção de discos e outras coisas. Enquanto reviram o baú de memórias, a revelação de um fato ocorrido havia mais de duas décadas muda os rumos da história. Direção de Gilberto Gawronski (70min). 14 anos. Estreou em 9/9/2011. Teatro do Leblon ? Sala Tônia Carrero (200 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta, 18h; sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui.); R$ 60,00 (sex. a dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 30 de outubro.

✪✪✪ NISE DA SILVEIRA ? SENHORA DAS IMAGENS, de Daniel Lobo. No monólogo dramático multimídia, em que se misturam teatro, música e dança, Mariana Terra representa a psiquiatra Nise da Silveira (1905-1999), que revolucionou o tratamento de distúrbios mentais substituindo as sessões de eletrochoque por atividades de pintura e modelagem. A ficha técnica da produção conta com colaboradores de peso como Ferreira Gullar (biógrafo de Nise) e o doutor em literatura Marco Lucchesi, na elaboração do texto. A coreografia é assinada pela bailarina Ana Botafogo e a trilha sonora original foi composta pelo pianista João Carlos Assis Brasil. Direção do autor (90min). 16 anos. Estreou em 11/2/2011. Centro Cultural Correios (200 lugares). Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Quinta a domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (qui. a dom.). Até 23 de outubro.

✪✪✪ NOVECENTOS, de Alessandro Baricco. Interpretado por Isio Ghelman, o monólogo dramático conta a história de um exímio pianista de 32 anos que jamais pisou em terra firme. Nesta fábula, cujo título é o sobrenome criado para o protagonista, um bebê recém-nascido é abandonado dentro de uma caixa de papelão, sobre um piano de cauda do navio Virginian ? em 1900. O marinheiro que encontra o menino resolve adotá-lo e batizá-lo de Danny Boodmann Novecentos. Direção de Victor Garcia Peralta (60min). Livre. Estreou em 18/6/2011. Midrash Centro Cultural (50 lugares). Rua General Venâncio Flores, 184, Leblon, ☎ 2239-1800. → Sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 18h (sáb. e dom.). Até 30 de outubro.

UM NÚMERO, de Caryl Churchill, com tradução de Pedro Neschling e Vitória Frate. Drama. O espetáculo da incensada dramaturga inglesa ? que estreou com sucesso em 2002 no Royal Court Theatre, em Londres, interpretado por Michael Gambon e Daniel Craig ? ganha montagem nacional com Pedro Paulo Rangel e Pedro Osório. O primeiro interpreta o duro Salter e o segundo se desdobra nos papéis de seu filho, Bernard, e de seus clones. É em torno do rapaz que a trama gira. Após um exame médico, o jovem descobre que não é o filho original. Ele pressiona Salter e ouve a confissão de que, realmente, seu primeiro rebento natural morreu em um acidente e, para suportar a perda, ele pedira aos clínicos que gerassem um novo garoto com base nos embriões armazenados em laboratório. O que ninguém sabia era que os especialistas em reprodução criaram outros bebês idênticos. Direção de Pedro Neschling (60min). 12 anos. Estreou em 23/9/2011. Espaço Sesc ? Teatro de Arena (280 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até 16 de outubro.

THÉRÈSE RAQUIN, de Émile Zola. Raramente montado no país, o drama encenado em 1880, com a atriz Lucinda Simões, e em 1948, com Maria Della Costa, ganha nova produção com Gláucia Rodrigues no papel-título, celebrando duas décadas de fundação da Cia. Limite 151. Traduzido por Clara Carvalho, o livro homônimo de Émile Zola (1840-1902), que causou polêmica ao ser publicado, em 1867, por abordar o adultério, conta a história de Thérèse, casada com o fraco e mais velho Camille (Rodolfo Mesquita) e que se interessa por Laurent (Lucci Ferreira), um amigo mais jovem do marido. Para eliminar o único obstáculo ao caso, os amantes decidem matar o marido. Completam o elenco Suzana Faini, Rogério Fróes, Edmundo Lippi e Janaína Prado. Direção de João Fonseca (60min). 14 anos. Estreou em 15/9/2011. Teatro Laura Alvim (245 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2015. ? General Osório. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00 (qui. e sex.) e R$ 40,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 16h (qui. e sex.); a partir das 15h (sáb. e dom.). IC. Até 30 de outubro.

✪✪✪ ROSA, de Martin Sher­man. Debora Olivieri está à frente do monólogo dramático escrito pelo americano Martin Sherman (autor da aclamada peça Bent, de 1979) e traduzido por Manuel Mendes Silva. A personagem-título é uma senhora judia octogenária que, durante o período de luto judaico conhecido como shivah, relembra a sua vida. O jorro de memórias começa em sua infância em Yultishka, pequena cidade ucraniana, e chega até os dias de hoje, em Miami Beach, já nos Estados Unidos, onde viria a se radicar. Direção de Ana Paz (80min). 12 anos. Estreou em 3/6/2011. Teatro do Leblon ? Sala Tônia Carrero (200 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Terça e quarta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (ter. e qua.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 12 de outubro.

SENHORA SOLIDÃO, de Leandro Muniz. Comédia dramática com Bia Guedes, Cláudio Amado, Cristina Fagundes e Luis Lobianco sobre o que as pessoas são capazes de fazer para enfrentar a solidão. No palco é desenvolvido um jogo cênico em que entram elementos como neuroses adquiridas por divergências familiares. Na tentativa de solucionar os problemas, passado e presente se confundem. Direção do autor (60min). 16 anos. Estreou em 9/9/2011. Teatro Maria Clara Machado ? Planetário da Gávea (124 lugares). Rua Padre Leonel Franca, 240, Gávea, ☎ 2274-7722. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 9 de outubro.

SENTIMENTO DO MUNDO, de Domingos Oliveira. O espetáculo integra a Trilogia Filosófica Cantante, de comédias encenadas em cada semana da temporada. Na primeira foi exibida a Parte 1, Da Sociedade e da Condição Humana, e, na segunda, Do Amor. De quinta (29) a sábado (1º), será a vez de Da Arte e da Transcendência. No elenco, além do próprio Domingos, estão Priscilla Rozenbaum, Ricardo Kosovski, Dedina Bernardelli, Letícia Carvalho, Wladmir Pinheiro, Lincoln Vargas e o músico Domenico Lancellotti. Após cada apresentação, os espectadores são convidados pelos atores a permanecer no hall do bar ou na varanda próximos ao teatro até as 22h, para trocar ideias e experiências sobre as questões levantadas. Direção cênica do autor e musical de Domenico Lancellotti (60min). 18 anos. Estreou em 15/4/2011. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9895. → Quinta a sábado, 19h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a sáb.). IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 8 de outubro.

✪✪✪ TRABALHOS DE AMORES QUA­SE PERDIDOS, de Pedro Brício. Jovens atores em ascensão no cinema, no teatro e na TV, Branca Messina, João Velho, Lucia Bronstein e Pedro Henrique Monteiro foram convidados pelo autor para encenar a comédia dramática que explora a crise dos 30 anos. A trama entrelaça histórias de um trio de amigos: um casal que, apesar de toda a afinidade sentimental do mundo, acaba se separando, e o amigo, o cáustico narrador que olha de fora. Direção do autor (90min). 16 anos. Estreou em 6/8/2011. Teatro Gláucio Gill (104 lugares). Praça Car­deal Arcoverde, s/n°, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Sábado e segunda, 21h; domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 16h (sáb. a seg.). Até 17 de outubro.

UÃNUÊI, de Graziella Moretto e Pedro Cardoso. Acompanhados ao piano por Dudu Trentin, Graziella e Pedro apresentam essa comédia de improviso. O espetáculo é divido em duas sessões de, aproximadamente, meia hora. Na primeira, a dupla cria uma história com base em um tema sugerido pelo público. Na segunda parte, são os atores que sugerem o enredo da trama, que também não conta com dramaturgia nem diálogos definidos. Direção dos autores (60min). 12 anos. Estreou em 17/9/2011. Teatro O Tablado (150 lugares). Avenida Lineu de Paula Machado, 795, Lagoa, ☎ 2239-0229. → Sábado e domingo, 20h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir de 15h (sáb. e dom.). IC. Até 6 de novembro. www.otablado.com.br

✪✪✪ VELHA É A MÃE!, de Fabio Porchat. Louise Cardoso comemora a marca de 40?000 espectadores em 180 apresentações após um ano e meio da trajetória desta comédia. No palco, ela encarna uma mulher de 70 anos com aparência de 50, conquistada graças a muitas plásticas, Botox e horas a fio na academia. Apesar do corpo enxuto, seu marido a troca por outra. A senhora será confortada pela filha Alice, uma solteirona de 39 anos (Ana Baird). Em meio a ataques de fúria, a mãe só se interessa por uma coisa: a idade de sua substituta. Direção de João Fonseca (70min). 12 anos. Estreou em 16/1/2010. Teatro Clara Nunes (527 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 3º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9696. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 70,00 (sex. e dom.); R$ 80,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 14h (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 30 de outubro.

✪✪✪ VOCÊ PRECISA SABER DE MIM, de Pedro Bricio, Jô Bilac, Rodrigo Nogueira, Vitor Paiva, Henrique Tavares e Emanuel Aragão. Comédia dramática. Na montagem em que o número de autores corresponde ao dobro do elenco, formado por Gisele Fróes, Luiza Mariani e Alexandre Nero, é contada a história de um homem que começa a reconstituir a história de sua família ao encontrar cartas deixadas por sua bisavó. Direção de Jef­ferson Miranda (110min). 14 anos. Estreou em 14/8/2011. Espaço Tom Jobim ? Galpão das Artes (70 lugares). Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico, ☎ 2274-7012. Sábado e domingo, 19h; segunda, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 14h (sáb. a seg.). IC. Estac. grátis. Até 3 de outubro.

HUMOR

✪✪✪ COMÉDIA EM PÉ, de Claudio Torres Gonzaga, Fábio Porchat, Fernando Caruso, Léo Lins e Paulo Carvalho. Munido apenas de microfone, o quinteto apresenta monólogos de humor com fatos do cotidiano. Direção dos autores (90min). 14 anos. Estreou em 10/1/2007. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Quarta e quinta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (qua. e qui.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 15 de dezembro.

✪✪✪ COMO É QUE PODE?, de Gabriel Louchard e Mauricio Rizzo. Leia em Veja Rio Recomenda (pág. 6). Direção de Leandro Hassum (60min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Vermelha (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sexta e sábado, 23h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até 29 de outubro.

LENTE DE AUMENTO, de Leandro Hassum. Monólogo de humor escrito e protagonizado por Hassum, o espetáculo lança um olhar divertido sobre situações cotidianas. Dividida em três partes, a montagem traz um convidado diferente a cada apresentação, que pode ser um mágico, um mímico ou uma banda. Direção de Daniela Ocampo (75min). 12 anos. Estreou em 6/10/2008. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h30. R$ 70,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 28 de dezembro.

SERGIO MALLANDRO SEM CENSURA, de Sergio Mallandro. No espetáculo-­solo, o humorista conta trechos de sua história profissional, desde a estreia na televisão como calouro de Silvio Santos, passando por participações nos programas de Xuxa e Chico Anysio e por suas atuações no cinema. Direção de Mary Leão (60min). 14 anos. Estreou em 8/1/2010. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sexta e sábado, 23h. R$ 70,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 17 de dezembro.

Fonte: VEJA RIO