ROTEIRO DA SEMANA

Teatro

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

ESTREIAS

O CÉU ESTÁ VAZIO, de Julia Spadaccini. O universo dos emos (aqueles jovens que se vestem de preto, usam franja e são extremamente emotivos) e dos cosplayers (a turma que costuma se fantasiar de super-heróis japoneses) emoldura a comédia dramática sobre relações familiares. No palco é contada a história de Ivan (Paulo Giardini), um homem sem perspectivas nem grandes ambições. Casado com Laura (Ticiana Passos), ele mantém uma relação extraconjugal com Sandra (Thais Tedesco). Em casa, tem pouquíssimo diálogo com o filho adolescente Lui (Rael Barja), adepto do movimento emo. Para piorar, o chefe da família padece de problemas auditivos, sofre de síndrome de zumbido ? um ruído ininterrupto que soa dentro de seus ouvidos. Na terapia, conhece a jovem cosplayer Emilia (Priscila Steinman). A convivência com ela transforma a sua vida e melhora seu relacionamento com o filho. Direção de Jorge Caetano (80min). 12 anos. Caixa Cultural ? Teatro de Arena (226 lugares). Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Quinta a domingo, 19h30. R$ 20,00. Bilheteria: 10h/20h (qui. a dom.). Até 12 de fevereiro. Estreia prometida para sábado (28).

A VINGANÇA DO ESPELHO: A HISTÓRIA DE ZEZÉ MACEDO, de Flavio Marinho. Na comédia dramática, Betty Gofman interpreta a atriz Zezé Macedo (1916-1999). Sua trajetória artística é narrada em cena de forma não linear, sem ordem cronológica. O elenco, que também conta com Tadeu Mello, Mouhamed Harfouch, Marta Paret e Antonio Fragoso, interpreta a história de uma companhia de teatro que prepara uma montagem sobre a vida e a obra da artista, considerada a primeira-dama da chanchada. O texto aborda o passado de Zezé em Silva Jardim, a adolescência, a perda do filho, a passagem pelo teatro de revista, os filmes, as relações de amor e amizade, os bastidores da televisão e até a homenagem rendida por uma escola de samba. Direção de Amir Haddad (80min). 12 anos. Teatro Laura Alvim (245 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2015, ? General Osório. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: 16h/21h (ter. a sex.); a partir das 15h (sáb. e dom.). IC. Até 26 de fevereiro. Estreia prometida para quinta (26).

REESTREIA

✪✪✪✪ AMOR CONFESSO, de Claudia Ventura e Alexandre Dantas, com base em contos de Arthur Azevedo (1855-1908). Alguns textos do cronista e dramaturgo Arthur Azevedo, um dos pioneiros da comédia de costumes, servem de base para a montagem encenada por Claudia Ventura e Alexandre Dantas. Sem recursos de cenário (no palco ficam apenas uma cortina preta e dois manequins vestidos de noivos) ou de figurinos (os protagonistas estão semivestidos com trajes de casamento), a afinadíssima dupla encarna dois personagens prestes a se casar. Pouco antes da cerimônia, eles exploram oito contos de Azevedo para questionar se o matrimônio vale mesmo a pena. Acompanhados pelo pianista Roberto Bahal, os atores se revezam na irretocável e divertidíssima interpretação de personagens imersos em pequenas tramas cotidianas, recheadas de traição, mentiras e muito humor e ironia. Textos como Vingança, Sabina, Como o Diabo as Arma!, Toc Toc Toc e A Melhor Amiga ganham interpretação fiel ao original e revelam como o autor ainda se mostra bastante atual. Direção de Inez Viana (90min). 12 anos. Estreou em 11/11/2011. Centro Cultural do Poder Judiciário (antigo Palácio da Justiça) ? Sala Multiuso (60 lugares). Rua Dom Manuel, 29, Centro, ☎ 3133-3366. Segunda a quarta, 19h. Grátis. Bilheteria: a partir das 18h30 (segunda a quarta). Distribuição de senhas meia hora antes. Até 15 de fevereiro. Reestreia prometida para segunda (23). www. portaltj.tjrj.jus.br.

ÚLTIMA SEMANA

✪✪ A AURORA DA MINHA VIDA ? UM MUSICAL BRASILEIRO, de Naum Alves de Souza. Vencedor dos prêmios Molière e APCA de melhor autor em 1981 com este texto, o dramaturgo e diretor celebra as três décadas do espetáculo transformando-o em comédia musical. A adaptação adicionou trinta números à produção original, com letras inéditas de Naum e partituras criadas por Marcos Leite (1953-2002) e Roberto Gnattali. Apesar de enriquecerem a montagem, as canções deixaram a sessão demasiadamente longa. No palco, oito talentosos atores-cantores ? Ana Velloso, André Dias, Ester Elias, Helga Nemeczyk, José Mauro Brant, Thelmo Fernandes, Vera Novello e Victor Maia ? apresentam a trajetória de um grupo de estudantes de um colégio tradicional, do 1º ano à formatura no antigo ginásio (hoje, ensino fundamental). Direção do autor (105min). 12 anos. Estreou em 13/10/2011. Teatro Sesc Ginástico (513 lugares). Avenida Graça Aranha, 187, Centro, ☎ 2279-4027. → Quinta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 13h (qui. a dom.). Até domingo (29).

✪✪✪ BEATLES NUM CÉU DE DIAMANTES, de Charles Möeller e Claudio Botelho. Sucesso de público e vencedor do Prêmio Shell, o musical sem texto conta com poucos elementos cênicos ? apenas cadeiras, malas e guarda-chuvas ? e dez atores: Alessandra Verney, Analu Pimenta, André Loddi, Chris Pena, Jules Vandystadt, Kacau Gomes, Malu Rodrigues, Pedro Sol, Raul Veiga e Rodrigo Cirne. Acompanhados pelos músicos Delia Fischer (piano), Lui Coimbra (violoncelo) e Hammar (percussão), eles contam uma história entoando sucessos dos Beatles, a exemplo de Help, Lucy in the Sky with Diamonds e Let It Be. Direção dos autores (90min). 10 anos. Estreou em 4/3/2010. Teatro Clara Nunes (527 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 3º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9696. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.); R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 14h (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até domingo (29).

MÃO NA LUVA, de Oduvaldo Vianna Filho. Um dos mais célebres textos de Vianinha (1936-1974), o drama ganha remontagem dentro do projeto que prevê encenações de três textos de autores brasileiros fora das salas de teatro convencionais. Começou com Navalha na Carne, de Plínio Marcos, apresentada em um quarto do extinto Hotel Paris, e será concluído com Um Grito Parado no Ar, de Gianfrancesco Guarnieri, em local a ser definido. No caso desta peça, o Atelier 52, pertencente ao artista plástico Daniel Senise, abriga a trama em que a atriz Marta Paret representa a pintora frustrada Silvia, que, após nove anos de casamento, se separa do jornalista Lúcio Paulo, interpretado pelo ator Isaac Bernat. Durante a conversa definitiva, a ação é fragmentada em flashbacks, nos quais o homem e a mulher viajam entre o passado e o presente, tentando encontrar uma razão para o rompimento. Direção de Rubens Camelo (68min). 14 anos. Estreou em 27/10/2011. Atelier 52 (48 lugares). Rua Silvio Romero, 52, Lapa, ☎ 9281-9340 (informações). Segunda e terça, 21h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 20h (seg. e ter.). Até terça (24).

MEU AVESSO É MAIS VISÍVEL QUE UM POSTE, de Emanuel Aragão. Quinta montagem da Cia. das Inutilezas, fundada em 2007, o drama aborda as recordações e a difícil convivência dos integrantes de uma família. Em cena, Arthur Schmidt, Carolina Bianchi, Gabriel Pardal, Liliane Rovaris, Michel Blois, Rossini Viana Jr. e Thiare Maia representam dois irmãos, uma irmã, uma cunhada, a sua irmã e um agregado. Eles passam um fim de semana num sítio, recentemente vendido, encaixotando antigos pertences e revirando os baús da memória. Direção do autor (60min). 16 anos. Estreou em 5/1/2012. Espaço Sesc ? Mezanino (98 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2547-0156. → Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até domingo (29).

EM CARTAZ

✪✪✪ ABALOU BANGU 2 ? A FESTA, de Flavio Marinho. Continuação da comédia sobre o casal Maria Elvira e Maurício Otavio, que fez sucesso em 2003. Cristina Pereira e Paulo Goulart dão vida aos pais de família que se mudaram para Copacabana e estão prestes a comemorar quarenta anos de casados. Eles trocaram a tranquilidade de Bangu pelo agitado bairro da Zona Sul por insistência do filho Felipe, mas este se mudou para a Barra assim que se casou. No dia da tal festa no apartamento, os convidados dão desculpas esfarrapadas para não comparecer. Os únicos que honram o compromisso são os vizinhos gays Carlos (Renato Rabello, que substituiu Cláudio Galvan) e Sílvio (Luciano Borges). Direção do autor (90min). 12 anos. Estreou em 10/9/2011. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Azul (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 70,00 (sex. e dom.) e R$ 80,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até 26 de fevereiro.

AMORZINHO, UM CONTO DE TCHEKHOV, de Anton Tchekhov. O elenco formado por Lourival Prudêncio, Raquel Iantas e Sávio Moll sobe ao palco para interpretar os treze personagens que contam a história de Olenka, uma mulher para quem a vida só ganha sentido quando ela está amando alguém. A comédia dramática narra o longo período da vida da protagonista, seus dois casamentos e sua dupla viuvez, além de seu envolvimento amoroso com um terceiro homem. Direção de Orã Figueiredo (60min). 10 anos. Estreou em 4/8/2011. Teatro do Jockey (100 lugares). Rua Mario Ribeiro, 410, Gávea, ☎ 3114-1286. Sexta a domingo, 21h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Estac. grátis. Até 4 de março.

✪✪✪✪ ATO DE COMUNHÃO, de Lautaro Vilo, com tradução de Amir Harif. O monólogo dramático rendeu a seu intérprete, Gilberto Gawronski, a indicação ao Prêmio Shell 2011 de melhor ator. O texto do dramaturgo argentino é baseado na história real de um crime bárbaro, cometido na Alemanha, em 2001, por Armin Meiwes. O assassino ficou conhecido como O Canibal de Rotemburgo, após matar o engenheiro Bernd Jürgen Brandes. Amparado em recursos de internet e projeções de vídeo de Jorge Neto, o ator narra em primeira pessoa três momentos na vida de Meiwes: sua festa de aniversário de 8 anos, o funeral da mãe em sua juventude e, já adulto, o fatídico encontro marcado pela internet, com consequências bizarras. Recomenda-se prudência a pessoas impressionáveis, porque a narrativa contém situações de violência descritas detalhadamente. Direção de Gilberto Gawronski e Warley Goulart (55min). 18 anos. Estreou em 5/4/2011. Centro Cultural Parque das Ruínas (70 lugares). Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2252-1039. Sábado e domingo, 19h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 18h (sáb. e dom.). Até 5 de fevereiro.

ATRAVÉS, de Marcelo Aquino. Drama de suspense com Christiana Ubach, Gabriela Munhoz e Carlo Porto. No pequeno espaço, o trio encena a história dos amigos Alanis, Alice e Arthur. As duas dividem o apartamento, numa convivência que as leva a mergulhar no lado obscuro de suas almas. No meio desse jogo perigoso está Arthur. No desenrolar da trama, ele descobre que nem tudo o que via era o reflexo da realidade. Direção do autor (75min). 16 anos. Estreou em 16/1/2012. Espaço Cultural Barteliê (40 lugares). Rua Vinicius de Moraes, 190, apartamento 3, Ipanema, ☎ 2522-1141. Segunda e terça, 20h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 19h30 (seg. e ter.). Até 14 de fevereiro.

A BAILARINA, O ILUMINADOR E A PIANISTA MAQUIADA, de Diego de Angeli. Comédia da Cia. Galharufa, de Vitória. No espetáculo, os capixabas Higor Campagnaro (o iluminador), Tayana Dantas (parte da bailarina siamesa) e Thais Simonassi (a pianista maquiada) se juntam à carioca Úrsula Cabral (a outra parte da bailarina siamesa) para revelar com um toque de humor coisas difíceis de ser ditas. Na trama ambientada nos bastidores de um espetáculo adulto, quatro artistas bem-humorados se revelam enquanto se preparam para mais um dia de apresentação. Depois de uma explosão no teatro, uma transformação pessoal acontece a cada um e faz com que mortos e sobreviventes riam da própria desgraça. Direção do autor (80min). 12 anos. Estreou em 18/1/2012. Teatro Gláucio Gill (150 lugares). Praça Cardeal Arcoverde, s/n°, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Quarta e quinta, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 16h (qua. e qui.). Até 16 de fevereiro.

O BOM CANÁRIO, de Zach Helm. A comédia do roteirista e dramaturgo americano ganha tradução de Mauro Lima. No palco, Flávia Zillo, Joelson Medeiros, Érico Brás, Leandro Castilho, Marcos Acher, Roberto Lobo e Sara Freitas encenam a história de Jack, um romancista apaixonado pela esposa, Annie. Instável emocionalmente, a mulher, viciada em anfetaminas, faz com que ele se esforce diariamente para mantê-la viva. O escritor acaba passando para as páginas o seu drama pessoal e o livro torna-se um sucesso, repentinamente. Direção de Rafaella Amado e Leonardo Netto (100min). 16 anos. Estreou em 12/1/2012. Teatro Poeira (130 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Até 23 de fevereiro.

BREU, de Pedro Brício. Ambientado em uma casa de subúrbio carioca nos anos 70, durante a ditadura militar, o drama aborda a cegueira, física e metafórica. Na trama, as amigas Carmem (Kelzy Ecard), que é cega, e Aurora (Andréia Horta) encontram-se para fazer cachorros-quentes. No decorrer das tarefas, o episódio corriqueiro é transformado por relatos de medo e desconfiança, comuns naquele período de exceção política. Direção de Maria Silvia Siqueira Campos e Miwa Yanagizawa (90min). 12 anos. Estreou em 18/1/2012. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro III (80 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2007. Quarta a domingo, 19h30. R$ 6,00. Bilheteria: a partir das 9h (qua. a dom.). Até 11 de março.

CABARÉ LEBRÃO, de Rodrigo Murat. Ambientada no Leblon, a comédia dramática conta a história do casal Eusébio e Júlia Lebre, dos anos 40 aos dias atuais. Ao longo desse período, os protagonistas presenciaram as metamorfoses ocorridas naquele pedaço da cidade: as obras de urbanização no canal do Jardim de Alah, a destruição da Favela do Pinto, o surgimento do Baixo Leblon e a transformação de calçadas e areias do bairro em campo de atuação dos paparazzi. Toda a ação se passa na residência da família Lebre, que oferece saraus semanais a artistas, intelectuais e políticos. Nos intervalos da cantoria, os convidados discutem, entre outros assuntos, as repercussões do golpe de 1964 e da guerrilha do Araguaia. Direção de Paulo Reis (90min). 18 anos. Teatro Café Pequeno (100 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, ☎ 2294-4480. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sex. a dom.). TT. Até 12 de fevereiro.

CAIXA DE PHOSPHORUS, de Renata Mizrahi. Na comédia romântica, os atores Ivan Mendes e Daniela Carvalho interpretam Pedro e Cris, um casal confuso, vítima do excesso de informação e dos novos padrões de comportamento do mundo contemporâneo. Eles tentaram viver juntos, sem sucesso. Ficaram separados, mas não suportaram a distância mútua. Decidiram, então, inventar situações inusitadas para manter o relacionamento, após constatarem que definitivamente nasceram um para o outro. Direção de Susanna Kruger (70min). 12 anos. Estreou em 13/1/2012. Espaço Sesc ? Sala Multiuso (80 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 5 de fevereiro.

✪✪✪ COZINHA E DEPENDÊNCIAS, de Agnès Jaoui e Jean-Pierre Bacri, com tradução de Bárbara Duvivier e Bianca Byington. Sucesso na versão cinematográfica de Philippe Muyl (Cuisine et Dépendances, de 1992), esta comédia dramática gira em torno do reencontro de cinco amigos após uma década de distanciamento. Verdades e ressentimentos do passado surgem das conversas entre os anfi¬triões Martine (Bian¬ca Byington) e Jacques (Márcio Vito), o hóspede Georges (Flavio Pardal) e os convidados Charlotte (Silvia Buarque) e seu marido. Fred (Leandro Castilho), irmão de Martine, e sua noiva, Marylin, também comparecem. Direção de Bianca Byington e Leonardo Netto (80min). 14 anos. Estreou em 2/4/2011. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9895. → Segunda a quarta, 20h. R$ 40,00. Promoção: quem compra ingressos também para Um Dia Como os Outros, no mesmo teatro, paga R$ 60,00 pelas duas entradas. Bilheteria: a partir das 15h (seg. a qua.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 29 de fevereiro.

AS CRIADAS, de Jean Genet. Escrito pelo dramaturgo francês em 1946, o drama ganha releitura da Companhia O Cortejo. Em cena, as atrizes Ângela Câmara, Joana Cabral e Sabrina Fortes interpretam a trama que se passa à noite, durante a ausência da patroa, quando duas empregadas da casa e que são irmãs brincam de representar personagens que ilustram a vida delas. Uma faz o papel de madame e a outra dá vida à criada, mas não ela mesma, e sim de sua irmã. Dentro desse jogo elas demonstram a frustração que guardam em relação à condição em que vivem. Direção de Edson Zille (80min). 14 anos. Estreou em 14/1/2012. Teatro Gláucio Gill ? Café (30 lugares). Praça Cardeal Arcoverde, s/n°, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Sábado e domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 16h (sáb. e dom.). Até 12 de fevereiro.

CRIADOS EM CATIVEIRO, de Nicky Silver. O texto do americano ? o mesmo de Pterodátilos, sucesso de Marco Nanini em 2010 ? prossegue em temporada no Oi Futuro Flamengo. A comédia dramática mostra personagens em situações quase absurdas, em diálogos insólitos, sempre com o humor cáustico característico de Silver. Christiana Guinle interpreta Bernadette, uma perturbada que sonha em ser alcoólatra profissional e cisma em se achar gorda. Já o único contato humano de seu irmão gêmeo ? eles são fruto de um estupro ?, Frederico (Alcemar Vieira), um obcecado por serial killers, é por meio de correspondência com um assassino preso (Alonso Zerbinato). Entram na trama, ainda, Denise Manttuano, como uma psicóloga que tem como objetivo sua purificação perante Deus, depois de perder seu único paciente; o marido de Bernadette, Kip (Marcio Vito), um artista que, interceptado pelos pais, acabou se tornando dentista; e Roger (também interpretado por Alonso Zerbinato), um garoto de programa que se envolve com Frederico. Cada tipo ? todos eles de alguma maneira relacionados ? tem suas particularidades cuidadosamente reveladas ao longo da narrativa. Direção de Jefferson Miranda (180min). 18 anos. Oi Futuro Flamengo (60 lugares). Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Quinta a domingo, 19h30. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 11h (qui. a dom.). Até 12 de fevereiro.

A CRIPTA DE POE, adaptação de Lenerson Polonini para poemas e contos de Edgar Allan Poe (1809-1849). Inspirado no universo fantástico do escritor americano, o drama com pegada de terror é protagonizado pelo ator italiano Omero Affede, da Cia. Teatro Del Contagio, de Milão. Ele divide o palco com atores brasileiros da Companhia Nova de Teatro. Servem de base para a montagem multimídia ? com direito a projeções de vídeos fantasmagóricos nas paredes do Castelinho do Flamengo, construção com folclórica fama de endereço mal-assombrado ? as obras O Espectro, O Corvo, O Retrato Oval, Berenice, Ligeia e William Wilson. A produção conta com participação, em vídeo, do ator Paulo César Pereio, interpretando o ?Velho Poe?. Direção de Lenerson Polonini (90min). 14 anos. Estreou em 13/1/2012. Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho ? Castelinho do Flamengo (50 lugares). Praia do Flamengo, 158, Flamengo, ☎ 2205-0655. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. Grátis. Distribuição de senhas uma hora antes. Até 5 de fevereiro.

✪✪ OS DATILÓGRAFOS, de Murray Schisgal. Consequências de trabalhos repetitivos e alienantes, que levam o ser humano a uma existência banal e sem sentido, são o tema da comédia do dramaturgo americano, um dos roteiristas do longa Tootsie. No palco, Paula Campos e Henrique Manoel Pinho representam os colegas de escritório Sílvia e Darson, cujas atribuições são cuidar da mala direta da empresa. Embora ela sonhe com um bom casamento e a conquista da estabilidade financeira e ele, que já tem família, cogite largar tudo e viajar pelo mundo, nem um nem outro conseguem se livrar das garras da burocracia. Direção de Celso Nunes (80min). 12 anos. Estreou em 6/1/2012. Solar de Botafogo (180 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, ☎ 2543-5411. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h30. R$ 40,00. Bilheteria: 15h/21h (ter. a qui.); a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Até 12 de fevereiro.

✪✪✪✪ DEUS DA CARNIFICINA, UMA COMÉDIA SEM JUÍZO, de Yasmina Reza, com tradução de Eloisa Ribeiro. Comédia. Deborah Evelyn, Paulo Betti, Julia Lemmertz e Orã Figueiredo encenam a versão brasileira desse bem-sucedido texto da dramaturga argelina radicada na França. No palco é apresentada a história de dois casais maduros que se encontram para resolver um incidente envolvendo seus filhos pequenos: um deles quebrou dois dentes do outro numa briga. Em dado momento, rompe-se o verniz social que faz a blindagem dos adultos contra a selvageria, e a polidez civilizada dá lugar a um campo de batalha. Direção de Emílio de Mello (75min). 14 anos. Estreou em 2/9/2010. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui.), R$ 60,00 (sex. e dom.) e R$ 70,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 25 de março.

✪✪✪ UM DIA COMO OS OUTROS, de Agnès Jaoui e Jean-Pierre Bacri, com tradução de Ângela Leite Lopes. A comédia dramática se passa no núcleo de uma família tradicional de classe média durante o aniversário da esposa de um dos filhos. Como faz todas as sextas, a submissa Yolanda (Bianca Byington) se reúne para jantar com a família do marido, o bem-sucedido executivo Philippe Mesnard (Flavio Pardal). O ponto de encontro é o bar do irmão mais velho, Henrique (Márcio Vito), cuja esposa, Arlette, está atrasada justo na noite de aniversário de Yolanda. A demora exaspera a mãe dos rapazes (Analu Prestes). Completam o elenco Silvia Buar¬que e Lean¬dro Castilho. Direção de Bianca Byington e Leo¬nardo Netto (90min). 14 anos. Estreou em 1º/4/2011. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9895. → Segunda a quarta, 21h30. R$ 40,00. Promoção: quem compra ingressos também para Cozinha e Dependências, no mesmo teatro, paga R$ 60,00 pelas duas entradas. Bilheteria: a partir das 15h (seg. a qua.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 29 de fevereiro.

✪✪ DISNEY KILLER, de Philip Ridley. Traduzido do original The Pitchfork Disney por Darson Ribeiro, o drama do celebrado dramaturgo e cineasta ganha a primeira montagem no Brasil. Na trama fantasmagórica com pitadas de surrealismo é contada a história dos gêmeos Presley e Haley Stray (Ribeiro e Samantha Dalsoglio), que sobrevivem à base de chocolate e soníferos e sofrem com pesadelos repletos de violência e luxúria. A tênue estabilidade da casa em ruínas, onde vivem os irmãos, é rompida pela chegada do demoníaco Cosmo Disney (Felipe Folgosi), protegido por seu capanga mascarado Pitchfork Cavalier (Alexandre Tigano). Instigante, mas verborrágico, o espetáculo ganharia muito com um texto mais enxuto. Direção de Darson Ribeiro (100min). 16 anos. Estreou em 6/1/2012. Espaço Cultural Sérgio Porto (100 lugares). Rua Visconde Silva, s/nº, Humaitá, ☎ 2535-3846. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 17h (sex. a dom.). Até 12 de fevereiro.

✪✪✪ DOIDAS E SANTAS, de Regiana Antonini, inspirada no livro homônimo de Martha Medeiros. Esta comédia romântica aborda a vida da psicanalista Beatriz (Cissa Guimarães), de seu marido, Orlando (Giusep¬pe Oristânio), e da filha adolescente, Marina (Josie Antello, que encarna ainda o papel da tia Berenice e o da avó Elda). Após vinte anos, o casamento acaba. A mulher, agora independente, se lança no mundo e engata um romance com um jovem. Depois de curtir adoidado, Beatriz é procurada por Orlando e muda seus planos. Direção de Ernesto Picco¬lo (95min). 12 anos. Estreou em 1º/5/2010. Teatro Vannucci (450 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea, 3º piso (Shopping da Gávea), ☎ 2239-8545. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.), R$ 80,00 (sáb.) e R$ 70,00 (dom.). Bilheteria: a partir das 14h30 (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 30 de abril.

DUPLO CRIMP ? O CAMPO E A CIDADE, de Martin Crimp. Escritos pelo dramaturgo inglês em 2000 e em 2008, respectivamente, os dramas de temáticas e estruturas semelhantes são encenados na mesma sessão, com um breve intervalo. Há também a possibilidade de assistir às peças separadamente, no sábado e no domingo. Ambas mostram a relação de um casal que sofre interferência de elementos externos. O programa começa com O Campo, em que Corinne (Flavia Pucci) e seu marido, o médico Richard (Adriano Saboya), se mudam da cidade para o interior com o objetivo de que ele se cure do vício em drogas. Certo dia o clínico volta para casa à noite trazendo uma jovem desacordada (Gabriela Carneiro da Cunha), provocando uma alteração na rotina conjugal. Depois vem A Cidade, trama em torno do par formado por Clair (Cris Larin) e Chris (Lucas Gouvêa). Clair envolve-se com um escritor famoso e uma moça vestida de enfermeira, Jenny (Nicole Cordery), que, num momento posterior, passa a fazer parte da vida deles de um modo misterioso. Os textos têm tradução de Daniele Avila e direção de Felipe Vidal (150min, com intervalo). 16 anos. Estreou em 20/11/2011. Teatro Gláucio Gill (140 lugares). Praça Cardeal Arcoverde, s/n°, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Sexta e segunda, 20h; sábado, 21h (O Campo); domingo, 21h (A Cidade). R$ 20,00 (sáb. e dom.) e R$ 30,00 (sex. e seg.). Bilheteria: a partir das 16h (sex. a seg.). Até 13 de fevereiro.

✪✪✪✪ EMILINHA E MARLENE ? AS RAINHAS DO RÁDIO, de Julio Fischer e Thereza Falcão. O musical conta a trajetória de sucessos, a partir de 1949, da cantora carioca Emilinha Borba (1923-2005) e da rival paulistana Marlene, de 87 anos, interpretadas pelas atrizes Vanessa Gerbelli e Solange Badin, respectivamente. Com mais de cinquenta canções executadas ao vivo, o espetáculo revisita os sucessos, as dificuldades e a vida pessoal das duas artistas, que mantinham numerosos fãs-clubes. Completam o elenco Stella Maria Rodrigues, Ângela Rebello, Rosa Douat, Cristiano Gualda, Luiz Nicolau, Ettore Zuim, Mona Vilardo e Cilene Guedes, acompanhados pelos músicos Affonso Neto (bateria), Clay Protásio (baixo), Jonas Corrêa (trombone), Eduardo Santana (trompete) e Gabriel Gabriel (saxofone). Direção cênica de Antonio de Bonis e direção musical de Marcelo Alonso Neves (150min, com intervalo). Livre. Estreou em 4/8/2011. Teatro Maison de France (352 lugares). Avenida Presidente Antônio Carlos, 58, Centro, ☎ 2544-2533. Quinta e sexta, 19h30; sábado, 20h30; domingo, 18h30. R$ 60,00 (qui. e sex.) e R$ 80,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Estac. c/manobr. (R$ 10,00). Até 11 de março.

✪✪✪ O FILHO ETERNO, de Cristóvão Tezza, com adaptação de Bruno Lara Resende. Indicado ao Prêmio Shell de Teatro em três categorias ? melhor ator (Charles Fricks), iluminação (Aurélio de Simoni) e direção de movimento (Marcia Rubin) ?, o monólogo dramático traz os corajosos relatos de Tezza, em seu livro homônimo, sobre a convivência com o filho mais velho, Felipe, portador da síndrome de Down. Apoiado em cena apenas por uma cadeira, Fricks preserva o enredo distante da pieguice. Seu personagem divide com o público inseguranças, descobertas e pequenas conquistas até o desfecho redentor. Direção de Daniel Herz (75min). 12 anos. Estreou em 3/6/2011. Teatro do Leblon ? Sala Tônia Carrero (200 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Sexta e sábado, 18h30; domingo, 20h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 25 de fevereiro.

✪✪✪ INBOX, de Clarice Falcão e Gregório Duvivier. Ambientado na internet, o drama aborda a relação virtual entre uma famosa escritora chamada Clara e um fã que, sob o pseudônimo John, passa a assediá-la obsessivamente usando mensagens de correio eletrônico. Ao lado da atriz Maria Eduar¬da, Gregório encena a trama sobre a evolução desse relacionamento ? a autora, fragilizada por uma crise conjugal e criativa, é levada a rever seu casamento e a vida profissional. Direção de Bel Garcia (60min). 12 anos. Estreou em 30/7/2011. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (462 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Terça e quarta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (ter. e qua.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 15 de fevereiro.

✪✪✪ O INCRÍVEL SEGREDO DA MULHER-MACACO, de Saulo Sisnando. Nova comédia da Cia. Os Surtados, a mesma trupe do sucesso Surto. No palco, os atores Wendell Bendelack e Rodrigo Fagundes interpretam seis personagens cheios de segredos e movidos por uma grande paixão pelo cinema. A trama de nonsense inclui uma heroína preocupada com os preparativos de seu casamento, um noivo milionário, uma cruel criada, um desconhecido em busca de abrigo, uma matriarca paralítica e uma atriz de cinema de identidade falsa. Direção do autor (80min). 12 anos. Estreou em 6/8/2011. Teatro Candido Mendes (133 lugares). Rua Joana Angélica, 63, Ipanema, ☎ 2267-7295. Sexta e sábado, 21h; domingo 20h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Até 15 de abril.

ISTO AQUI É ROCK?N?ROLL ? A LITTLE ROCK CONCERT, de Aloísio de Abreu. Neto do comediante Oscarito, o ator Carlos Lof¬fler estrela este musical de bolso na pele de C.Q. Lee, um lendário roqueiro brasileiro que retorna aos palcos. Em cena, ele revira o baú de memórias fictícias e conta casos escabrosos, ora picantes, ora cômicos, envolvendo grandes nomes do rock nacional e estrangeiro. A narração das histórias é entremeada com a execução de clássicos como Satisfaction, dos Rolling Stones, e I Wanna Be Sedated, dos Ramones, na versão em português escrita por Rita Lee, além de sucessos locais, a exemplo de Inútil, do Ultraje a Rigor, e Por que a Gente É Assim?, de Cazuza. Loffler é acompanhado pela backing vocal Kelly Ana e pela banda formada por Lula (guitarra), Rubey (baixo), Danilo (guitarra) e Daniel e Cassio (revezando-se na bateria). Direção cênica do autor e direção musical de Andrea Zeni (75min). 16 anos. Estreou em 11/1/2012. Teatro do Leblon ? Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Terça e quarta, 22h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (ter. e qua.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 29 de fevereiro.

✪✪✪✪ JUDY GARLAND ? O FIM DO ARCO-ÍRIS, de Peter Quilter, com versão de Claudio Botelho. O musical reconstitui a última turnê da atriz, seis meses antes de sua morte ? por overdose, aos 47 anos. Entre o quarto de hotel e o palco de uma boate, o cenário sóbrio de Rogério Falcão abriga fragilidades, crises de abstinência, brigas e surtos da diva, na interpretação irretocável de Claudia Netto. Ela divide o palco com apenas dois atores: Igor Rickli (o Berger de Hair), na pele de Mickey Deans, o último marido de Judy Garland, e Gracindo Júnior, como Anthony, um personagem ficcional, pianista da artista e seu mais íntimo amigo. Completam a formação em cena seis instrumentistas que a acompanham em emocionantes números musicais entoados no original, a exemplo de For Once in My Life e da clássica Over the Rainbow, reservada para o grand finale. Direção de Charles Möeller (120min, com intervalo). 14 anos. Teatro Fashion Mall ? Sala 1 (474 lugares). Estrada da Gávea, 899, 2º piso, São Conrado, ☎ 3322-2495. → Quinta, 18h; sexta, 21h30; sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 80,00 (qui. e sex.) e R$ 100,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 5,00 por duas horas). Até 12 de fevereiro.

AS MALVADAS ? TUDO SOBRE SHARON, SHEILA E SHIRLEY, de Alessandro Marson. Luciana Gonçalves, Flávia Guedes e Roberta Foster estrelam a comédia, respectivamente, como as irmãs Sharon, Sheila e Shirley, que moram juntas em um pequeno apartamento. Em um dia corriqueiro, o trio faz a faxina em casa e recebe um convite para uma grandiosa festa que acontecerá à noite. Detalhe: o convite é individual e, pelo envelope, não é possível saber qual das três é a destinatária. Sharon, a mais velha, é atriz de teatro infantil e tem certeza de que a missiva foi endereçada a ela. Sheila, a irmã do meio, já participou de vários testes para ser dançarina em programas de TV e está certa de que foi a convidada. Já a mais jovem, Shirley, sonha com uma impossível carreira de modelo e não tem dúvida nenhuma de que o convite é seu. Diante da situação, elas não medem esforços para tirar as adversárias do páreo. Direção do autor e de Viétia Zangrandi (75min). 14 anos. Estreou em 17/1/2012. Teatro Clara Nunes (527 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 3º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9696. Terça e quarta, 21h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 14h (ter. e qua.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 29 de fevereiro.

A MECÂNICA DAS BORBOLETAS, de Walter Daguerre. Ambientado em uma pequena cidade do Sul, o drama aborda os conflitos de uma família, concentrados em boa parte nos gêmeos Rômulo (Eriberto Leão) e Remo (Otto Jr.). O primeiro saiu de casa para realizar seus sonhos profissionais e nunca mais deu notícias. Quando volta, duas décadas depois, como um premiado escritor, descobre que o pai mecânico morreu e o irmão manteve a oficina funcionando para sustentar os familiares. Para piorar, é informado de que sua ex-namorada Lisa (Ana Kutner) se casou com Remo. No papel da mãe, a tarimbada Suzana Faini. Direção de Paulo de Moraes (90min). 12 anos. Estreou em 11/1/2012. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro I (175 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Quarta a domingo, 19h. R$ 6,00. Bilheteria: a partir das 10h (qua. a dom.). Até 4 de março.

MIL CARTAS DE BRINQUEDO, de Gedivan de Albuquerque. Livremente inspirado no texto de Franz Kafka Carta ao Pai, o dramaturgo desenvolveu esse monólogo. Em cena, Mathias Gomes interpreta um homem que fala de sua relação com o pai através de cartas que escreve, enquanto lembra fatos marcantes de sua vida. Direção do autor (55min). 14 anos. Estreou em 18/1/2012. Espaço Cultural Barteliê (40 lugares). Rua Vinicius de Moraes, 190, apartamento 3, Ipanema, ☎ 2522-1141. Quarta, 20h30. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 19h30 (qua.). Até 8 de fevereiro.

AS MIMOSAS DA PRAÇA TIRADENTES, de Gustavo Gasparani e Eduardo Rieche. Criado nos moldes de A Gaiola das Loucas, o musical cômico conta, com a participação de artistas transformistas, histórias da Praça Tiradentes sucedidas por mais de um século, mesclando vida boêmia com efervescência cultural. Pelo logradouro, que já foi chamado de Rossio Grande, Campo dos Ciganos, Campo do Polé e Praça da Constituição, flanaram nomes como Chiquinha Gonzaga, Bidu Sayão, Machado de Assis, dom Pedro I, José Bonifácio, Tiradentes, Oscarito, Grande Otelo, João Caetano, Pixinguinha, Custódio Mesquita e Ary Barroso, entre outros. Acompanhados pelos músicos Nando Duarte (violão e guitarra), Itamar Assiere (piano), Pedro Mangia (baixo), Carlos César (bateria) e Dado (sopros), os atores Cláudio Tovar, César Augusto, Gustavo Gasparani, Marya Bravo e Milton Filho, nomes tarimbados de outros musicais, interpretam as drags Lola, Samantha Overbook, Vanilla Cherry, Divina Rúbia e Catula de Montecarlo. Jonas Hammar dá vida ao malandro Miguelito Cigano. Direção de Gustavo Gasparani e Sergio Módena (110min). 12 anos. Estreou em 14/1/2012. Teatro Carlos Gomes (685 lugares). Praça Tiradentes, 19, Centro, ☎ 2232-8701. Quinta a domingo, 19h30. R$ 17,50 a R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 11h (qui. e sex.); a partir das 14h (sáb. e dom.). IC. Até 25 de março.

✪✪✪✪ A MULHER QUE ESCREVEU A BÍBLIA, de Moacyr Scliar, com adaptação de Thereza Falcão. Inez Viana conduz com brilho este monólogo cômico sobre uma mulher que, submetida à terapia de vidas passadas, descobre que foi a mais feia esposa do Rei Salomão. Em compensação, ela era a única capaz de ler e escrever. O trabalho da atriz foi reconhecido com o Prêmio Shell 2007, o Prêmio APTR 2008 (Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro) e o Prêmio Qualidade Brasil 2008, entre outros. Direção de Guilherme Piva (80min). 12 anos. Estreou em 16/11/2007. Midrash Centro Cultural (80 lugares). Rua General Venâncio Flores, 184, Leblon, ☎ 2239-2222. → Sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 17h (sáb. e dom.). Até 12 de fevereiro.

✪✪✪ MULHERES SONHARAM CAVALOS, de Daniel Veronese. Primeira montagem no Rio do premiado texto do dramaturgo argentino, o drama tem tradução da atriz e produtora teatral Letícia Isnard. Ela também sobe ao palco, juntamente com Ana Barroso, Elisa Pinheiro, Isaac Bernat, José Karini e Saulo Rodrigues, para encenar o enredo de três irmãos com suas respectivas esposas e os ressentimentos, desconfianças, segredos e desejos reprimidos em torno dessa família. O que desencadeia o conflito é o encerramento de um negócio familiar, a cargo de um dos irmãos. Logo que o fato é comunicado a todos, surgem revelações devastadoras que desestruturam completamente o clã e conduzem a um inesperado final. Direção de Ivan Sugahara (90min). 14 anos. Estreou em 5/11/2011. Teatro Poeirinha (60 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Até 26 de fevereiro.

✪✪✪ NÃO ME DIGA ADEUS, de Juliano Marciano. Indicado ao Prêmio Shell de melhor música e vencedor da 4ª edição do concurso Seleção Brasil em Cena, o espetáculo está em segunda temporada, após a estreia no Centro Cultural Banco do Brasil. No palco, João Euclides (interpretado por Nelson Yabeta e, na fase adulta, por Rafael Ferrão) conta sua melodramática história de amor por Luiza (Nina Reis). É ouvido pela Morte (Diego Araújo), em seu encalço depois de saber que ele pretende se suicidar. Sob direção de Gilberto Gawronski, que também assina o cenário kitsch, os atores defendem um espetáculo leve e muito bem-humorado, temperado por hits românticos da lavra de, entre outros, Leandro e Leonardo, sobre a tórrida paixão de João Euclides por Luiza. Direção de Gilberto Gawronski (70min). 14 anos. Estreou em 10/11/2011. Teatro Ziembinski (132 lugares), Rua Heitor Beltrão, s/nº, Tijuca, ☎ 3234-2003, ? São Francisco Xavier. → Sábado e domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 19h (sáb. e dom.). Até 12 de fevereiro.

✪✪✪ NOVECENTOS, de Alessandro Baricco. Interpretado por Isio Ghelman, o monólogo dramático conta a história de um exímio pianista de 32 anos que jamais pisou em terra firme. Nessa fábula, cujo título é o sobrenome criado para o protagonista, um bebê recém-nascido é abandonado dentro de uma caixa de papelão, sobre um piano de cauda do navio Virginian ? em 1900. O marinheiro que encontra o menino resolve adotá-lo e batizá-lo de Danny Boodmann Novecentos. Direção de Victor Garcia Peralta (60min). Livre. Estreou em 18/6/2011. Teatro do Leblon ? Sala Tônia Carrero (200 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui. e sex.); R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 26 de fevereiro.

PALETÓ DE LAMÊ ? OS GRANDES SUCESSOS (DOS OUTROS), de Sergio Módena. Comédia musicada em que os atores e cantores Erika Riba e Robson Camilo traçam um perfil da década de 70 através de clássicos do brega. No repertório entram pérolas como Vou Tirar Você Desse Lugar (Odair José) e Sorria, Sorria (Evaldo Braga e Carmen Lúcia). Assim como na temporada anterior, estão previstas canjas de convidados como os integrantes do bloco Exalta Rei, Evandro Mesquita, Leo Jaime, Tânia Alves, Eugênio Dale, Zéu Britto, Rodrigo Faour, Cláudia Ventura e Suely Mesquita. Direção-geral do autor e de Gustavo Wabner, direção musical de Gabriel Mesquita (70min). Livre. Estreou em 5/1/2011. Sala Baden Powell (508 lugares). Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana, ☎ 2548-0421. Sexta a domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: 15h/18h (ter. a qui.); a partir das 15h (sex. a dom.). Até 12 de fevereiro.

A PROPÓSITO DE SENHORITA JÚLIA, de August Strindberg. Mais relevante obra do dramaturgo sueco Strindberg (1849-1912), o drama ganha remontagem com elementos da peça After Miss Julie, releitura do inglês Patrick Marber, que transpôs a ação do fim do século XIX para a década de 40. No espetáculo adaptado pelo escritor José Almino, a trama começa em um churrasco comemorativo da eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002. Alessandra Negrini e Armando Babaioff dão vida à protagonista Júlia e a Moacir. Ela é filha de um rico empresário e deputado e ele, o motorista do pai dela. O amor impossível e intenso não resiste ao abismo social que os separa, evoluindo para uma relação com sentimentos contraditórios e culminando em um fim trágico. Direção de Walter Lima Jr. (90min). 14 anos. Estreou em 13/1/2012. Caixa Cultural ? Teatro Nelson Rodrigues (388 lugares). Avenida República do Chile, 230, Centro, ☎ 2262-5483. ? Carioca. → Quinta a sábado, 20h; domingo, 19h30. R$ 20,00. Bilheteria: 13h/20h (ter. a sex.); 15h/20h (sáb. e dom.). Até 12 de fevereiro.

✪✪ 4 FACES DO AMOR, de Eduardo Bakr. Com quinze composições de Ivan Lins, o musical aborda quatro possibilidades de relacionamento amoroso. No elenco, Adriana Quadros, Gottsha, Cristiano Gualda e Mauricio Baduh se alternam nos papéis de Eduardo, Eduarda, Claudio e Claudia, cujos apelidos Duda e Cacau são adotados tanto no masculino quanto no feminino. Direção de Tadeu Aguiar (90min). 16 anos. Estreou em 24/10/2011. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), ☎ 2540-6004. Segunda e terça, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (seg. e ter.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até dia 31.

AS REGRAS DA ARTE DE BEM VIVER NA SOCIEDADE MODERNA, de Jean-Luc Lagarge. Monólogo cômico da última fase do dramaturgo francês Jean-Luc Lagarge (1956-1995), cuja obra contundente costumava abordar os conflitos humanos e familiares, além de relações difíceis. Nesse espetáculo, a atriz Lorena da Silva dá vida a uma senhora que passa orientações a respeito de como os indivíduos devem se comportar em situações sociais comuns, como nascimento, batismo, casamento, bodas de prata e funeral. A graça vem das regras absurdas que a protagonista transmite. Direção de Miguel Vellinho (60min). 10 anos. Estreou em 5/7/2011. Casa de Cultura Laura Alvim ? Espaço Rogério Cardoso (70 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2015, ? General Osório. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: 16h/21h (ter. a sex.); a partir das 15h (sáb. e dom.). IC. Até 4 de março.

✪✪✪ ROSA, de Martin Sher¬man. Debora Olivieri está à frente deste monólogo dramático escrito pelo americano Martin Sherman (autor da aclamada peça Bent, de 1979) e traduzido por Manuel Mendes Silva. A personagem-título é uma senhora judia octogenária que, durante o período de luto judaico conhecido como shivah, relembra a sua vida. O jorro de memórias começa em sua infância em Yultishka, pequena cidade ucraniana, e chega até os dias de hoje, em Miami Beach, já nos Estados Unidos, onde viria a se radicar. Direção de Ana Paz (80min). 12 anos. Estreou em 3/6/2011. Midrash Centro Cultural (80 lugares). Rua General Venâncio Flores, 184, Leblon, ☎ 2239-2222. → Quarta, 18h; quinta, 21h. R$ 30,00 (qua.) e R$ 40,00 (qui.). Bilheteria: a partir das 17h (qua. e qui.). Até 16 de fevereiro.

✪✪✪✪ SASSARICANDO ? E O RIO INVENTOU A MARCHINHA, de Rosa Maria Araújo e Sérgio Cabral. Fãs de marchinhas e profundos conhecedores desse gênero musical, o jornalista e a historiadora ouviram mais de 1 000 canções até chegar às 100 que compõem o espetáculo. Em sua sexta temporada desde a estreia, em 2007, o musical já foi visto por 210 000 pessoas em mais de 265 apresentações. A nova escalação do elenco conta com Eduardo Dussek, Juliana Diniz, Alfredo Del-Penho, Pedro Paulo Malta, remanescentes da formação original, além de Inez Viana, Beatriz Faria e, em aparições esporádicas, Pedro Miranda, que participaram de outras montagens. Com acompanhamento ao vivo, o sexteto vocal desfia pérolas como Marcha do Sapinho, As Pastorinhas e O Teu Cabelo Não Nega. Direção de Cláudio Botelho (120min, com intervalo). Livre. Estreou em 25/1/2007. Teatro do Leblon ? Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta, 21h; sexta e sábado, 18h; domingo, 17h. R$ 30,00 e R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 26 de fevereiro.

✪✪✪ TIM MAIA ? VALE TUDO, O MUSICAL, de Nelson Motta. Adaptação da biografia Vale Tudo ? O Som e a Fúria de Tim Maia, realizada pelo autor do livro e pelo diretor do musical, João Fonseca. O papel-título é interpretado pelo jovem ator Tiago Abravanel, na produção que repassa a trajetória do artista dos 12 aos 55 anos. No palco, onze números são executados ao vivo por uma banda com seis músicos. O repertório inclui emocionantes interpretações para sucessos como Do Leme ao Pontal, Azul da Cor do Mar e Não Quero Dinheiro. Completam o elenco Izabella Bicalho, Lilian Valeska, Pedro Lima, André Vieri, Bernardo La Roque, Reiner Tenente, Evelyn Castro, Pablo Ascoli, Anna Carbatti e Leticia Pedroza (180min, com intervalo). 14 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro João Caetano (1 222 lugares). Praça Tiradentes, s/nº, Centro, ☎ 2332-9257. Quinta a sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 50,00 e R$ 70,00 (qui. e sex.) e R$ 70,00 e R$ 90,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: 14h/18h (ter. e qua.); a partir das 14h (qui. a dom.). IC. Até 26 de fevereiro.

A VARANDA DE GOLDA, de William Gibson. No monólogo dramático, Rosane Gofman interpreta a primeira-ministra de Israel Golda Meir (1898-1978). A trama se passa durante a Guerra do Yom Kippur, em 1973, quando a líder política lutava para conseguir a ajuda dos Estados Unidos ? na ocasião, o apoio americano era a única esperança de sobrevivência do estado de Israel. Direção de Ary Coslov (70min). 14 anos. Estreou em 11/8/2011. Teatro Fashion Mall ? Sala 2 (296 lugares). Estrada da Gávea, 899, 2º piso, São Conrado, ☎ 3322-2495. → Quarta e quinta, 20h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 15h (qua. e qui.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 8,00 por duas horas). Até 2 de fevereiro.

VIDA É O QUÊ?, de Veronica Diaz. Ambientada em Copacabana, a comédia dramática aborda a solidão nas grandes cidades e tem como ponto de partida uma tentativa de suicídio. No palco, Ângela Câmara e Alexandre David interpretam os personagens Maurineide e Rikardo, que moram em edifícios vizinhos, ambos em apartamentos no 15º andar de cada prédio. Ela é uma moça vinda do interior e ele, um estagiário de engenharia. Os dois se aproximam quando a mulher tenta saltar da janela e o rapaz consegue demovê-la da ideia. Com estilos de vida distintos, os novos amigos acabam se entendendo no decorrer dos diálogos recheados de críticas à sociedade de consumo. Direção da autora, com supervisão de Enrique Diaz (60min). 14 anos. Estreou em 13/1/2012. Teatro Maria Clara Machado ? Planetário da Gávea (128 lugares). Rua Padre Leonel França, 240, Gávea, ☎ 2274-7722. Sexta a domingo, 21h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 12 de fevereiro.

✪✪✪ XANADU, de Douglas Carter Beane, com letras e músicas de Jeff Lynne e John Farrar e tradução de textos e canções de Artur Xexéo. Leia em Veja Rio Recomenda. Direção cênica de Miguel Falabella e Cininha de Paula e direção musical de Carlos Bauzys (100min, com intervalo). 12 anos. Estreou em 13/1/2012. Teatro Oi Casa Grande (926 lugares). Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon, ☎ 2511-0800. Quinta e sexta, 21h; sábado, 19h e 21h30; domingo, 19h. R$ 40,00 a 120,00 (qui. e sex.); R$ 60,00 a R$ 150,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: 15h/20h (ter.); 15h/21h (qua. a sex.); a partir das 12h (sáb. e dom.). Cc: todos. Cd: todos. IC. Estac. no Shopping Leblon (R$ 4,00 por duas horas). Até 26 de fevereiro.

HUMOR

✪✪✪ COMÉDIA EM PÉ, de Claudio Torres Gonzaga, Fernando Caruso, Paulo Carvalho e Vitor Sarro. Munido apenas de microfone, o quarteto apresenta monólogos de humor com fatos do cotidiano. Direção dos autores (90min). 14 anos. Estreou em 10/1/2007. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Quarta e quinta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (qua. e qui.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 23 de fevereiro.

✪✪✪ COMO É QUE PODE?, de Gabriel Louchard e Mauricio Rizzo. No monólogo cômico, Louchard mescla quadros de stand-up comedy com números de mágica, apoiado por recursos de vídeo, efeitos de iluminação e aparelhos de ilusionismo. Direção de Leandro Hassum (60min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Vermelha (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sexta e sábado, 23h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até 25 de fevereiro.

ERI PINTA, JOHNSON BORDA, de Eri Johnson. Comédia. Sozinho em cena, o ator relembra personagens de novelas, a exemplo do gay Lulu, de Barriga de Aluguel, faz imitações e interpreta tipos como o gaguinho desempregado, o casado revoltado, o namorado no início do relacionamento e o feioso da turma. Direção de Jairo Matos (70min). 12 anos. Estreou em 1°/1/2010. Teatro Fashion Mall ? Sala 2 (296 lugares). Estrada da Gávea, 899, 2º piso, São Conrado, ☎ 3322-2495. → Sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (sex. e sáb.) e R$ 70,00 (dom.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 8,00 por duas horas). Até 26 de fevereiro.

FORA DO NORMAL, de Fábio Porchat. Um dos integrantes do quinteto Comédia em Pé, o ator, diretor e roteirista apresenta o espetáculo-solo de humor focado em situações cotidianas e crítica política. Direção do autor (60min). 14 anos. Estreou em 15/1/2010. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Sexta e sábado, 23h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 25 de fevereiro. Reestreia prometida para sexta (13). Teatro Miguel Falabella (456 lugares). Avenida Dom Helder Câmara, 5332, 2º piso (NorteShop¬ping), Cachambi, ☎ 2595-8245. Sexta a domingo, 18h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). IC. Estac. R$ 4,50 (por quatro horas). Até 26 de fevereiro.

✪✪✪ HIPERATIVO, de Paulo Gustavo. Sozinho em cena neste monólogo de humor, o ator, que há cinco anos incorpora dona Hermínia em Minha Mãe É uma Peça, segue à risca a fórmula da stand-up comedy, sem o apoio de cenário ou figurinos. Agitado como sugere o título, ele desfia uma série de situações vividas por ele e amigos. Direção de Fernando Caruso (55min). 12 anos. Estreou em 15/10/2009. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sexta a domingo, 21h. R$ 70,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 12 de fevereiro.

✪✪✪ MINHA MÃE É UMA PEÇA, de Paulo Gustavo. Monólogo cômico. Nesta comédia, vista por mais de 1 milhão de pessoas, o próprio autor encarna a divertida Dona Hermínia, aposentada afogada em problemas domésticos. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sábado e domingo, 19h. R$ 70,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 12 de fevereiro.

NÃO EXISTE MULHER DIFÍCIL, de André Aguiar Marques, com adaptação de Lucio Mauro Filho. Sucesso na pele do delicado mordomo Crô, na novela Fina Estampa, na TV Globo, Marcelo Serrado interpreta um conquistador neste monólogo de humor, que está na segunda temporada. Enxertado com experiências pessoais do adaptador e do ator, o espetáculo tem números de piano ? aprendizado de Serrado para a montagem da peça Tom & Vinicius ? e pretende agradar a homens e mulheres, servindo como um manual de paquera. Direção de Otávio Müller (60min). 14 anos. Estreou em 14/8/2010. Teatro do Leblon ? Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (sex. e dom.) e R$ 70,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 25 de março.

SALVE JORGE, de Jorge Fernando. Em seu novo monólogo cômico, o ator, dramaturgo e diretor sobe ao palco para contar a história de um menino do subúrbio que, incentivado pela família, acreditou nos próprios sonhos e se transformou em um consagrado artista. Em cena, ele faz um apanhado de relatos de sua vida pessoal e profissional, incluindo episódios de bastidores no teatro, no cinema e na televisão. Direção do autor (90min). 12 anos. Estreou em 20/1/2012. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9895. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 80,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 29 de abril.

Fonte: VEJA RIO