Roteiro da semana

Teatro

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

ESTREIAS

O JARDIM, de Leonardo Moreira. Indicado em três categorias na edição paulista do Prêmio Shell (autor, direção e cenário), o drama montado pela Cia. Hiato, de São Paulo, aborda questões relativas a diferentes situações de ruptura e à doença de Alzheimer. A ação acontece em três épocas distintas. Na primeira, passada na década de 30, o casal interpretado por Thiago Amaral e Fernanda Stefanski resolve se separar logo após realizar o sonho da casa própria. Na seguinte, já no fim dos anos 70, duas irmãs (vividas por Luciana Paes e Maria Amélia Farah) internam o pai (o ator Edison Simão) em um asilo. Por fim, em 2011, uma mulher e a empregada (Aline Filócomo e Paula Picarelli, respectivamente) registram em um vídeo os cômodos da residência onde outros integrantes da família viveram, antes de partir, e desfiam suas memórias. Direção do autor (90min). 14 anos. Caixa Cultural ? Teatro de Arena (226 lugares). Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Quinta a domingo, 19h30. R$ 12,00. Bilheteria: 10h/20h (qui. a dom.). Até 13 de novembro. Estreia prometida para sexta (28).

MÃO NA LUVA, de Oduvaldo Vianna Filho. Um dos mais célebres textos de Vianinha (1936-1974), esse drama ganha remontagem dentro do projeto que prevê encenações de três textos de autores brasileiros fora das salas de teatro convencionais. Começou com Navalha na Carne, de Plínio Marcos, apresentada em um quarto do extinto Hotel Paris, e será concluído com Um Grito Parado no Ar, de Gianfrancesco Guarnieri, em local a ser definido. No caso desta peça, o Atelier 52, pertencente ao artista plástico Daniel Senise, abrigará a trama em que a atriz Marta Paret representará a pintora frustrada Silvia, que, após nove anos de casamento, se separa do jornalista Lúcio Paulo, interpretado pelo ator Isaac Bernat. Durante a conversa definitiva, a ação é fragmentada em flashbacks, nos quais o homem e a mulher viajam entre o passado e o presente, tentando encontrar uma razão para o rompimento. Direção de Rubens Camelo (68min). 14 anos. Atelier 52 (48 lugares). Rua Silvio Romero, 52, Lapa, ☎ 9281-9340 (informações). Quinta, 21h e sexta, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 20h (qui.) e a partir das 18h (sex.). Até 16 de dezembro. Estreia prometida para quinta (27).

4 FACES DO AMOR, de Eduardo Bakr. Neste musical com pegada de comédia romântica e embalado por quinze composições do repertório de Ivan Lins são abordadas quatro possibilidades de relacionamento amoroso. As atrizes Adriana Quadros e Gottsha e os atores Cristiano Gualda e Mauricio Baduh se desdobram para dar vida aos personagens Duda e Cacau. No decorrer da trama eles se alternam nos papéis de Eduardo, Eduarda, Claudio e Claudia, cujos apelidos Duda e Cacau são adotados tanto no masculino quanto no feminino. No desenrolar da narrativa, o quarteto passa por aventuras e desventuras, tem crises de ciúme e se depara com armadilhas do destino, além de protagonizar situações inusitadas. Direção de Tadeu Aguiar (90min). 16 anos. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Segunda e terça, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (seg. e ter.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 21 de janeiro de 2012. Estreia prometida para segunda (24).

TRILOGIA CARIOCA ? LAMARTINE BABO, de Antunes Filho. Terceiro espetáculo da trilogia, este musical dramático encenado pelo Grupo Macunaíma ? Centro de Pesquisa Teatral (CPT) celebra o talento do compositor carioca Lamartine Babo (1904-1963). No palco, os atores Adriano Bolshi, Domingas Person, Flávia Strongolli, Ivo Leme, Leonardo Santiago, Marcos de Andrade, Natalie Pascoal, Patrícia Rita, Ricardo Venturin, Rodrigo Mercadante e Sady Medeiros dão vida à trama que se passa durante um ensaio das canções de Lamartine (entre elas, O Teu Cabelo Não Nega e Joujoux e Balangandãs), quando a banda recebe a misteriosa visita de um senhor e sua sobrinha. Direção do autor (60min). 12 anos. Caixa Cultural ? Teatro Nelson Rodrigues (388 lugares). Avenida República do Chile, 230, Centro, ☎ 2262-8152. ? Carioca. → Terça (25) a quinta (27), 20h; domingo, 18h. R$ 24,00. Bilheteria: 13h/21h (ter. a sex.); 15h/21h (sáb., dom. e feriados).

REESTREIAS

MINHA MÃE É UMA PEÇA, de Paulo Gustavo. Monólogo cômico. Nesta comédia vista por mais de 1 milhão de pessoas, o próprio autor encarna a divertida Dona Hermínia, aposentada afogada em problemas domésticos. Direção de João Fonseca (70min). 15 anos. Estreou em 5/5/2006. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Azul (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sábado, 19h; domingo, 18h. R$ 70,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 3,00 por quatro horas). Até 18 de dezembro. Reestreia prometida para sábado (29).

✪✪✪ NÓS NA FITA, de Leandro Hassum e Marcius Melhem. Famosos pela participação no programa de TV Os Caras de Pau, os atores arrancam gargalhadas do público neste bem construído show de gags. Auxiliados apenas por dois bancos e dois microfones, os humoristas desfiam pequenos dramas cotidianos ligados a casamento, família, futebol, mancadas e comportamentos inoportunos. Direção de Alexandre Régis (110min). 16 anos. Estreou em 20/4/2004. Vivo Rio (2?000 lugares). Avenida Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo, ☎ 2272-2900. Quarta (26), 21h. R$ 50,00 a R$ 100,00. Bilheteria: 12h/21h (seg. a qua.). Cc: M e V. Cd.: R e V. Estac. c/manobr. (R$ 12,00 antecipado e R$ 15,00 na hora). IR. www.vivorio.com.br.

ÚLTIMA SEMANA

✪✪ ADOREI O QUE VOCÊ FEZ, de Carole Greep, com tradução de Clara Carvalho. A comédia com Marcia Cabrita, Marcos Breda, Luiz Guilherme e Naura Schneider fez duas temporadas em São Paulo e atraiu mais de 30?000 pessoas. Recheado de ironia, o espetáculo conta a história de dois casais de amigos que estão para se ver pela primeira vez após um longo período. Um dos pares, formado por Marie (Márcia) e Pedro (Breda), é sofisticado e bem-sucedido financeiramente. Já Carlos (Gui­lherme) e Carol (Naura) levam uma vida mais modesta e com menos preocupações consumistas. O reencontro inspira momentos de sarcasmo e atritos. Direção de Alexandre Rei­necke (90min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Teatro Fashion Mall ? Sala 2 (296 lugares). Estrada da Gávea, 899, 2º piso, São Conrado, ☎ 3322-2495. → Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui. e sex.) e R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 8,00 por duas horas). Até domingo (30).

BASEADO NA RUA DE TRÁS, de Mateus Tiburi. Primeira montagem da Outra Cia. de Teatro ? formada por integrantes da extinta Cia. Laranja Eletrônica ?, a tragicomédia contemporânea é inspirada em textos de Kafka, Brecht, Nelson Rodrigues e Stuart Hall. O autor Tiburi se junta aos atores Carolina Ferman, Nara Parolini e Thiago Ristow para contar a história do personagem "H", que chega a uma cidade estranha e, num esforço kafkiano, tenta se enquadrar. A cidade tem suas próprias regras e o protagonista se perde numa espécie de labirinto, buscando seu lugar naquela estranha sociedade. Direção de Gustavo Damasceno (75min). 16 anos. Estreou em 30/9/2011. Solar de Botafogo ? Espaço II (30 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, ☎ 2543-5411. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (30).

UN CAMINO (SOLO), de Walter Daguerre. Monólogo dramático com Samantha Gilbert, abordando sentimentos que podem atingir os viajantes solitários. O texto surgiu da junção de registros feitos pelo autor e pela atriz em diários, blogues, fotografias e vídeos, durante viagens que Daguerre e Samantha realizaram pela Europa em diferentes ocasiões no ano de 2009. Ele estava em Portugal a trabalho e aproveitou para circular pelas cidades do Porto, Madri, Paris e Berlim. Só que criou um personagem que se vestia de vermelho dos pés à cabeça, batizado de El Andarillo, e gravou em vídeo para mostrar as reações das pessoas por onde passava. Ela ficou um ano tentando a vida no Velho Mundo e percorreu o mítico Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha. Direção do autor (80min). 14 anos. Estreou em 1º/9/2011. Teatro Gláucio Gill (104 lugares). Praça Car­deal Arcoverde, s/n°, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Sexta e sábado, 19h; domingo, 21h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sex. a dom.). Até domingo (30).

✪✪✪ DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS, de Jorge Amado, com adaptação de Pedro Vasconcelos e Marcelo Faria. Comédia. Carol Castro encarna a jovem viúva que se casa com o sisudo médico Teodoro (Duda Ribeiro) e passa, então, a se dividir entre o amor comportado do atual marido e a paixão fogosa do falecido Vadinho (Marcelo Faria), um boêmio de mão-cheia que se recusa a deixar este mundo. Entrosados, os três atores temperam as principais composições com maestria. Dona Flor destaca-se mais pelo conjunto do que por brilhos individuais. E diverte um bocado. Direção de Pedro Vasconcelos (120min). 16 anos. Estreou em 15/2/2008. Teatro João Caetano (1?222 lugares). Praça Tiradentes, s/nº, Centro, ☎ 2332-9257. Sexta, 20h; sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 20,00 (sex.) e R$ 30,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: 14h/18h (ter. a qui.); a partir das 14h (sex. a dom.). IC. Até domingo (30).

2 HISTÓRIAS, de Alex Cassal e Sérgio Sant?Anna. Dois monólogos dramáticos encenados por Felipe Rocha e por Alex Cassal, artistas fundadores do grupo Foguetes Maravilha. Rocha interpreta Uma História Nefanda, transposição para o palco da íntegra do texto Um Conto Nefando, do escritor Sérgio Sant?Anna, conhecido por suas obras de caráter experimental e transgressivo. Rocha assume as perspectivas de um filho e uma mãe em um embate avassalador. Cassal dá voz às memórias de um menino em Alcubierre. Parado em uma esquina, esperando para atravessar a rua, o garoto está prestes a ser atingido por uma bolha espaçotemporal que carregará sua vida até o dia presente. Ficção científica e tons biográficos se mesclam num texto que se utiliza de uma história em particular para tratar da vida de todos. Direção de Alex Cassal, Clara Kutner e Felipe Rocha (50min). 14 anos. Estreou em 5/4/2011.Teatro Glauce Rocha (278 lugares). Avenida Rio Branco, 179, Centro, ☎ 2220-0259, ? Carioca. Sexta e sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Até domingo (30).

✪✪ FILHA, MÃE, AVÓ E P. ? UMA ENTREVISTA, de Gabriela Leite. Socióloga e ex-prostituta, Gabriela tem sua biografia Filha, Mãe, Avó e P. ? lançada pela Editora Objetiva em 2009 ? adaptada ao palco por Márcia Zanelatto. Em cena, Alexia Dechamps e Pedro Osório apresentam o drama baseado em relatos verídicos que narram as aventuras, desventuras e experiências de uma mulher decidida. Ela enfrentou preconceitos e tornou-se ativista na luta pelos direitos das prostitutas. Direção de Guilherme Leme (60min). 14 anos. Estreou em 15/9/2011. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro III (80 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2007. Quarta a sexta e domingo, 19h30; sábado, 17h30 e 19h30. R$ 6,00. Bilheteria: a partir das 10h (qua. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. TT. Até domingo (30).

✪✪✪ FLÔR TAPUYA, de Alberto Deodato (1896-1978) e Danton Vampré (1892-1949), com música de Pixinguinha (1897-1973). Encenada pela primeira vez em 1920, a opereta ganha montagem da Cia. Maviosa, idealizada por Antonio Karnewale, José Maria Braga e Marcelo Vianna (neto de Pixinguinha). Acompanhados pelos músicos Gustavo Quintella (piano e acordeão), Luis Medina (flauta e sax), Adriano Furtado (violão de sete cordas) e Elly Werneck (bateria e percussão), Vianna e os atores-cantores Janaina Azevedo, Beth Lamas, Hugo Germano, Marcê Porena e Rodrigo Lima encenam a comédia de tipos musicada que lembra um Romeu e Julieta sertanejo. A galeria de personagens inclui o casal apaixonado Rosa e João Lucio e o astuto Garangau, um arlequim trapalhão bem parecido com o Pedro Malasarte descrito na literatura de cordel. Direção de Antonio Karnewale (100min, com intervalo). 14 anos. Estreou em 16/9/2011. Teatro Carlos Gomes (685 lugares). Praça Tiradentes, 19, Centro, ☎ 2232-8701. Quinta a sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 11h (qui. e sex.); a partir das 14h (sáb. e dom.). Até domingo (30).

✪✪✪ FLUTUAÇÕES, de Marcos Caetano Ribas. Fundado em 1971 por Marcos e Rachel Joffily Ribas, o premiado Grupo Contadores de Estórias já levou suas montagens sem texto a treze países e quinze estados brasileiros. Para celebrar quatro décadas de atividade, a companhia sediada em Paraty volta à cidade com este espetáculo de bonecos para adultos, inspirado nas xilografias japonesas chamadas ukiyo-e, usadas entre os séculos XVIII e XIX. Os manipuladores Rachel Ribas, Branca Borba, Diana Del Pinho, Carolina Franco e Kadu Santoro encenam a trama simples sobre o romance entre uma moça charmosa e um rapaz garboso em meio a situações do cotidiano. Direção de Marcos e Rachel Ribas (60min). 14 anos. Estreou em 7/10/2011. Teatro do Jockey (100 lugares). Rua Mario Ribeiro, 410, Gávea, ☎ 3114-1286. Sexta a domingo, 21h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Estac. grátis. Até domingo (30).

✪✪✪ NEM UM DIA SE PASSA SEM NOTÍCIAS SUAS, de Daniela Pereira de Carvalho. Ao lado do sobrinho, Pedro Garcia Netto, o ator Edson Celulari retorna ao palco na comédia dramática. A dupla interpreta os irmãos Joaquim, de 50 anos, e Juliano, o caçula, que se veem obrigados a sanar suas diferenças após a morte do pai. Os dois, que perderam a mãe anos antes, precisam esvaziar o antigo apartamento da família, desfazendo-se de móveis, objetos, coleção de discos e outras coisas. Enquanto eles reviram o baú de memórias, a revelação de um fato ocorrido há mais de duas décadas muda os rumos da história. Direção de Gilberto Gawronski (70min). 14 anos. Estreou em 9/9/2011. Teatro do Leblon ? Sala Tônia Carrero (200 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta, 18h; sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui.); R$ 60,00 (sex. a dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até domingo (30).

✪✪✪ NOVECENTOS , de Alessandro Baricco. Interpretado por Isio Ghelman, o monólogo dramático conta a história de um exímio pianista de 32 anos que jamais pisou em terra firme. Nessa fábula, cujo título é o sobrenome criado para o protagonista, um bebê recém-nascido é abandonado, em 1900, dentro de uma caixa de papelão sobre um piano de cauda do navio Virginian. O marinheiro que encontra o menino resolve adotá-lo e batizá-lo de Danny Boodmann Novecentos. Direção de Victor Garcia Peralta (60min). Livre. Estreou em 18/6/2011. Midrash Centro Cultural (50 lugares). Rua General Venâncio Flores, 184, Leblon, ☎ 2239-1800. → Sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 18h (sáb. e dom.). Até domingo (30).

OUTROS TEMPOS, , de Harold Pinter. Drama. Primeira montagem carioca da peça, que trata das repercussões da visita de uma antiga amiga a um casal. A hóspede é Anna (Cristina Flores) e os anfitriões, Kate (Paula Braun) e seu marido, Deeley (Otto Jr.). Quando Anna chega, relembra a juventude que ela e Kate passaram juntas, uma história nostálgica que Deeley não conhece e que o deixa curioso. Conforme flui a conversa e surgem revelações sobre a ligação entre as duas, a situação vai saindo de controle. Direção e tradução de Pedro Freire (70min). 12 anos. Estreou em 1º/7/2011. Espaço Cultural Sérgio Porto (120 lugares). Rua Visconde Silva, s/nº, Humaitá, ☎ 2535-3846. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 17h (sex. a dom.). Até domingo (30).

✪✪✪ THÉRÈSE RAQUIN, , de Émile Zola. Raramente montado no país, o drama encenado em 1880, com a atriz Lucinda Simões, e em 1948, com Maria Della Costa, ganha nova produção, com Gláucia Rodrigues no papel-título, celebrando duas décadas de fundação da Cia. Limite 151. Traduzido por Clara Carvalho, o livro homônimo de Émile Zola (1840-1902), que causou polêmica ao ser publicado, em 1867, por abordar o adultério, conta a história de Thérèse, casada com o fraco Camille (Rodolfo Mesquita) e que se interessa por Laurent (Lucci Ferreira), um amigo mais jovem do marido. Para eliminarem o único obstáculo ao caso, os amantes decidem matar o marido dela. Completam o elenco Suzana Faini, Élcio Romar (em substituição ao ator Rogério Fróes, que se recupera de um AVC), Edmundo Lippi e Janaína Prado. Direção de João Fonseca (60min). 14 anos. Estreou em 15/9/2011. Teatro Laura Alvim (245 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2015. ? General Osório. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00 (qui. e sex.) e R$ 40,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 16h (qui. e sex.); a partir das 15h (sáb. e dom.). IC. Até domingo (30).

TRILOGIA CARIOCA ? POLICARPO QUARESMA, de Antunes Filho. Há seis anos sem se apresentar no Rio, o célebre encenador paulistano chega à cidade com os 32 atores do Grupo Macunaíma ? Centro de Pesquisa Teatral (CPT) para ocupar o Teatro Nelson Rodrigues durante o mês de outubro com três espetáculos. Abre a programação a comédia Policarpo Quaresma, adaptada por Antunes Filho do romance Triste Fim de Policarpo Quaresma, escrito por Lima Barreto em 1911. A montagem emprega linguagens da commedia dell?arte, do circo, do teatro de revista e das operetas para narrar em três atos a vida de Quaresma, um anti-herói nacionalista. A temporada carioca inclui ainda Foi Carmen e Lamartine Babo. Direção do adaptador (110min). 12 anos. Estreou em 7/10/2011. Caixa Cultural ? Teatro Nelson Rodrigues (388 lugares). Avenida República do Chile, 230, Centro, ☎ 2262-8152. ? Carioca. → Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 24,00. Bilheteria: 13h/21h (ter. a sex.); 15h/21h (sáb., dom. e feriados). Até domingo (30).

EM CARTAZ

✪✪✪✪ A ALMA IMORAL, adaptação do livro homônimo do rabino Nilton Bonder. Clarice Niskier conquistou o troféu de melhor atriz no Prêmio Shell 2007 com este monólogo confessional. Visto por mais de 140?000 pessoas em cinco anos de carreira, o espetáculo, que já foi encenado em 23 cidades brasileiras, está de volta ao Rio. No palco, Clarice, nua quase todo o tempo, faz o papel de si mesma enquanto conversa com o público citando parábolas judaicas e passagens da Bíblia. Uma bela reflexão sobre a vida. Direção de Amir Had­dad (80min). 18 anos. Estreou em 21/7/2006. Teatro do Leblon ? Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui. e sex.) e R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 18 de dezembro. Teatro Dulcina (45 lugares). Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro, ☎ 2240-4879. ? Cinelândia. → Quarta, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: 14h/19h (ter. e qua.). Até quarta (26).

ASSASSINATO NO MOTEL ? UMA COMÉDIA POLICIAL, de Maria Valentim e Fernando Ceylão. O elenco formado por Márcio Kieling, Alex Nader, Jaqueline Macóeh, Nando Cunha, Priscila Assum, Rafael Infante, Tatiana Novais e pela coautora Maria Valentim encena esta comédia com pegada de film noir e suspense. Na trama, a atendente de uma sex­shop é morta dentro do motel Amor em Fúria. Dois investigadores excêntricos tentam solucionar o caso e, aos poucos, descobrem que todos os clientes do estabelecimento presentes na hora do crime têm ligação suspeita com a vítima. Direção de Fernando Ceylão (60min). 16 anos. Estreou em 7/9/2011. Teatro Café Pequeno (100 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, ☎ 2294-4480. Quarta e quinta, 21h30. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (qua. e qui.). TT. Até 24 de novembro.

A AURORA DA MINHA VIDA ? UM MUSICAL BRASILEIRO, de Naum Alves de Souza. Vencedor dos prêmios Molière e APCA de melhor autor em 1981 com esse texto, o dramaturgo e diretor celebra as três décadas do espetáculo transformando-o em comédia musical. A adaptação foi possível graças à recuperação das trinta letras inéditas de Naum e das partituras originais criadas por Marcos Leite e Roberto Gnattali. No palco, oito talentosos atores-cantores ? Ana Velloso, Andre Dias, Ester Elias, Helga Nemeczyk, José Mauro Brant, Thelmo Fernandes, Vera Novello e Victor Maia ? apresentam a trajetória de um grupo de estudantes de um colégio tradicional, do 1º ano à formatura no antigo ginásio (hoje, ensino fundamental). Direção do autor (120min). 12 anos. Estreou em 13/10/2011. Teatro Sesc Ginástico (513 lugares). Avenida Graça Aranha, 187, Centro, ☎ 2279-4027. → Quinta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 13h (qui. a dom.). Até 18 de dezembro.

✪✪✪ BEATLES NUM CÉU DE DIAMANTES, de Charles Möeller e Claudio Botelho. Sucesso de público e vencedor do Prêmio Shell, o musical volta misturando integrantes de diferentes temporadas. A produção segue os moldes das montagens anteriores, com poucos elementos cênicos ? apenas cadeiras, malas, giz e guarda-chuvas ? e dez atores: Alessandra Verney, Chris Penna, Fabrício Negri, Gottsha, Jonas Hammar, Jules Vandystadt, Marya Bravo, Pedro Sol, Rodrigo Cirne e Tatih Köehler. Acompanhados pelos músicos Delia Fischer (piano), Lui Coimbra (violoncelo) e Hammar (percussão), eles contam uma história sem texto, apenas entoando sucessos dos Beatles, a exemplo de Help, I Wanna Hold Your Hand, Lucy in the Sky with Diamonds e Let It Be. Direção dos autores (90min). 10 anos. Estreou em 4/3/2010. Teatro Clara Nunes (527 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 3º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9696. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.); R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 14h (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 18 de dezembro.

C?EST LA VIE, de Marcelo Rubens Paiva, com prólogo do roteirista Bráulio Mantovani. Comédia dramática baseada em relatos de atendentes do disque-denúncia colhidos em pesquisa feita pela atriz Ester Jablonski e Guilherme Siman. No palco, Ester dá vida à solitária professora de francês aposentada Olga. Conhecida pelos funcionários do DD como "Andorinha" ? apelido escolhido para não se identificar ?, ela cria histórias e liga todas as tardes para o serviço de informações sobre crimes. Paralelamente, o desempregado Homero (Adriano Garib) consegue trabalho como atendente e se interessa em conhecer Olga. Alertado pelo chefe do setor, Lúcio (Zemanuel Piñero), de que não poderia entrar em contato com os informantes, ele extrapola a fronteira das conversas telefônicas e vai se encontrar com a personagem. Direção de Gilberto Gawronski e Luis Fernando Philbert (80min). 12 anos. Estreou em 21/10/2011. Sesc Rio Casa da Gávea (80 lugares). Praça Santos Dumont, 116, Gávea, ☎ 2239-3511. Sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 30,00 (sex.) e R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 17h30 (sex. a dom.). Até 18 de dezembro.

A CONFISSÃO, de Stephen Belber. O texto do drama psicológico inspirou o longa Tape, dirigido por Richard Linklater em 2001, com Ethan Hawke, Robert Sean Leonard e Uma Thurman no elenco. Na versão teatral brasileira, encenada pelo também cineasta Walter Lima Jr., sobem ao palco Isabel Guerón, Silvio Guindane e Angelo Paes Leme. Eles dão vida aos amigos de colégio Vince, Jon e Amy, que se reencontram depois de dez anos de afastamento. Um assunto mal resolvido vem à tona, trazendo ressentimentos e acusações em meio à tensão sexual. Aos poucos, cada um é provocado a revelar segredos, deixando transparecer sua verdadeira natureza (80min). 14 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro Maria Clara Machado ? Planetário da Gávea (124 lugares). Rua Padre Leonel Franca, 240, Gávea, ☎ 2274-7722. Sexta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 6 de novembro.

DEUS É UM DJ, de Falk Richter. Montado em mais de vinte países, o drama mais famoso do autor alemão ganha tradução de Annette Ramershoven, em parceria com o diretor da montagem, Marcelo Rubens Paiva. Os atores Marcos Damigo e Maria Ribeiro encenam a história de um casal de jovens artistas contratado por uma galeria de arte para viver dentro de um cubo cercado de câmeras. Na casa-galeria, eles trabalham em um ousado projeto que mistura suas próprias histórias à arte que produzem como DJ e VJ (80min). 16 anos. Estreou em 14/10/2011. Oi Futuro Flamengo ? Cubo (40 lugares). Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Quinta a domingo, 20h. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 11h (qui. a dom.). Até 13 de novembro.

✪✪✪ DOIDAS E SANTAS, de Regiana Antonini, inspirada no livro homônimo de Martha Medeiros. Esta comédia romântica aborda a vida da psicanalista Beatriz (Cissa Guimarães), de seu marido, Orlando (Giusep­pe Oristânio), e da filha adolescente Marina (Josie Antello, que encarna ainda os papéis da tia Berenice e da avó Elda). Após vinte anos, o casamento acaba e a mulher, agora independente, se lança no mundo e engata um romance com um jovem. Depois de curtir adoidado, Beatriz é procurada por Orlando e muda seus planos. Direção de Ernesto Picco­lo (95min). 12 anos. Estreou em 1º/5/2010. Teatro Vannucci (450 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea, 3º piso (Shopping da Gávea), ☎ 2239-8545. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.), R$ 80,00 (sáb.) e R$ 70,00 (dom.). Bilheteria: a partir das 14h30 (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 18 de dezembro.

✪✪✪✪ EMILINHA E MARLENE ? AS RAINHAS DO RÁDIO, de Julio Fischer e Thereza Falcão. O musical conta a trajetória de sucessos, a partir de 1949, da cantora carioca Emilinha Borba (1923-2005) e da rival paulistana Marlene, de 87 anos, interpretadas pelas atrizes Vanessa Gerbelli e Solange Badin, respectivamente. Com mais de cinquenta canções executadas ao vivo, o espetáculo revisita os hits, as dificuldades e a vida pessoal das duas estrelas, que mantinham numerosos fãs-clubes. Completam o elenco Stella Maria Rodrigues, Ângela Rebello, Rosa Douat, Cristiano Gualda, Luiz Nicolau, Ettore Zuim, Mona Vilardo e Cilene Guedes, acompanhados dos músicos Affonso Neto (bateria), Clay Protásio (baixo), Jonas Corrêa (trombone), Eduardo Santana (trompete) e Gabriel Gabriel (saxofone). Direção cênica de Antonio de Bonis e direção musical de Marcelo Alonso Neves (150min, com intervalo). Livre. Estreou em 4/8/2011. Teatro Maison de France (352 lugares). Avenida Presidente Antônio Carlos, 58, Centro, ☎ 2544-2533. Quinta e sexta, 19h30; sábado, 20h30; domingo, 18h30. R$ 60,00 (qui. e sex.) e R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Estac. c/manobr. (R$ 10,00). Até 11 de dezembro.

✪✪✪ EU TE AMO, de Ar­naldo Jabor. Remontagem do drama adaptado no ano passado pelos cineastas Lírio Ferreira e Rosane Svartman. Desta vez, Alexandre Borges retorna aos palcos após nove anos de afastamento. Ele encena com Juliana Martins a versão tea­tral da obra lançada nas telas em 1981 e vertida para o palco seis anos depois. A dupla de atores interpreta o casal Paulo e Maria, que deseja se amar, mas, ao mesmo tempo, teme essa entrega recíproca. Uma curiosidade: a última peça de Borges foi Eu Sei que Vou Te Amar, também de Arnaldo Jabor, em que contracenou com sua mulher, Julia Lemmertz. Direção de Lírio Ferreira e Rosane Svartman (75min). 16 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (462 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.) e R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 27 de novembro.

✪✪✪ O FILHO ETERNO, de Cristóvão Tezza, com adaptação de Bruno Lara Resende. Indicado ao Prêmio Shell de Teatro em três categorias ? melhor ator (Charles Fricks), iluminação (Aurélio de Simoni) e direção de movimento (Marcia Rubin) ?, o monólogo dramático faz nova temporada no Teatro do Leblon. Na adaptação do livro em que Tezza relata corajosamente a convivência com o filho mais velho, Felipe, portador da síndrome de Down, o diretor Daniel Herz e Fricks repetem o feito do autor: combinam alguma crueza, lirismo e pungente sinceridade. Apoiado em cena apenas por uma cadeira, Fricks preserva o enredo distante da pieguice. Seu personagem divide com o público inseguranças, descobertas e pequenas conquistas. Trata-se de uma história dura, mas fiel ao original e de desfecho redentor (75min). 12 anos. Estreou em 3/6/2011. Teatro do Leblon ? Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Terça e quarta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (ter. e qua.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 14 de dezembro.

FRAGMENTOS, de Fernanda Félix e João Paulo Cuenca. Livremente inspirado no livro do francês Roland Barthes Fragmentos de um Discurso Amoroso, o drama é construído com a fusão de textos de Alessandra Colasanti, Bruna Beber, Felipe Bragança, Keli Freitas, Lucas Paraizo, Ramon Mello e Vitor Paiva, além das contribuições dos responsáveis pela dramaturgia: Fernanda e Cuenca. Os atores Bianca Joy Porte e Fabrício Belsoff sobem ao palco para encenar a história de um casal formado por duas pessoas absolutamente diferentes, mas que, no desejo de criar um universo comum, reinventa seu romance a cada dia. Direção dos autores (64min). 14 anos. Estreou em 8/10/2011. Oi Futuro Flamengo (84 lugares). Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Sexta e sábado, 19h30; domingo, 19h. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 11h (sex. a dom.). Até 13 de novembro.

JULIA, de August Strindberg. A diretora Christiane Jatahy adapta o clássico Senhorita Julia, escrito pelo dramaturgo sueco no século XIX. Como toque contemporâneo, acrescentou uma câmera de cinema, que projeta imagens e amplia o olhar do espectador sobre a narrativa. Julia Bernat e Rodrigo dos Santos interpretam os jovens Julia e Jean no drama sobre um amor impossível. Ela é uma moça de 17 anos, filha de um rico empresário, que se apaixona perdidamente pelo motorista da família. O espetáculo retrata uma única noite em que os dois personagens se espelham um no outro, provocando sentimentos de admiração e ódio. Direção da adaptadora (60min). 18 anos. Estreou em 21/10/2011. Espaço Sesc ? Mezanino (98 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2547-0156. → Quarta a sexta, 21h; sábado, 18h e 21h; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qua. a dom.). Até 13 de novembro.

MICROSCÓPERA CARIOCA, de Roberto Bürgel. Nova comédia musical do compositor indicado ao Prêmio Shell de 2010 pela trilha do espetáculo No Piano da Patroa. Acompanhados por Bürgel (piano), Batista Jr. (clarineta e clarone), Natália Terra (contrabaixo) e Roberto Kaufmann (percussão), os cantores líricos Carolina Faria (meio-soprano), Chiara Santoro (soprano), Daniel Soren (baixo-barítono) e Marcelo Sader (tenor) encenam a montagem formada por quatro histórias: O Desejo, a Paixão e a Tragédia, Os Desenganos, O Ciúme e A Comédia de Todos os Amores. Ambientadas no Rio nos anos de 1890, 1920, 1950 e 1980, respectivamente, as tramas foram livremente inspiradas em obras de Artur Azevedo (1855-1908), João do Rio (1881-1921), Nelson Rodrigues (1812-1980) e Mauro Rasi (1949-2003). Direção de Lena Horn (80min). 14 anos. Estreou em 7/10/2011. Teatro Sesi (350 lugares). Avenida Graça Aranha, 1, Centro, ☎ 2563-4163. → Quinta a domingo, 19h30. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 12h (qui. a dom.). TT. Até 27 de novembro.

OBITUÁRIO IDEAL, de Rodrigo Nogueira. Comédia dramática que aborda um casal na faixa dos 30 anos que, anestesiado pela banalização da violência no dia a dia e na mídia, se desprende de seus sentimentos mais genuínos. Ao lado de Maria Maya, Nogueira entra em cena para apresentar a trama sobre uma enfermeira e um professor de matemática que passam a frequentar enterros de desconhecidos só para chorar. Isso mesmo. Por meio do pranto, esses carpideiros conseguem entrar em contato com emoções há muito perdidas e assim começam a se redescobrir um ao outro. Direção de Rodrigo Nogueira e Thiare Maia, com supervisão de Bel Garcia e João Fonseca (70min). 12 anos. Estreou em 22/10/2011. Espaço Sesc ? Teatro de Arena (280 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até 6 de novembro.

✪✪✪✪ PALÁCIO DO FIM, de Judith Thompson. Leia em Veja Rio Recomenda (pág. 10). Direção de José Wilker (70min). 14 anos. Estreou em 13/10/2011. Teatro Poeira (130 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537- 8053. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 40,00 (qui. e sex.) e R$ 50,00 (sáb. e dom.). Bi­lhe­teria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Até 4 de dezembro.

AS POLACAS ? FLORES DO LODO, de João das Neves. Este drama relata a saga das jovens judias prostitutas do Leste Europeu que emigraram para cá no século XIX e ficaram conhecidas como polacas. A trama gira em torno de Esther e Celina, desde a juventude até a maturidade, abordando a dura convivência nos bordéis cariocas, a violência da polícia e dos cafetões, o preconceito social e a rejeição dos filhos, entre outras agruras. No elenco de treze atores estão nomes como Ivone Hoffman, Gillray Coutinho, Luciana Mitkiewicz e Wilson Rabelo. Direção do autor (105min). 16 anos. Estreou em 20/10/2011. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro I (175 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Quarta a domingo, 20h. R$ 6,00. Bilheteria: a partir das 10h (qua. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. TT. Até 18 de dezembro.

QUEDA LIVRE, de Nick Hornby. Adaptação realizada a seis mãos por Isabel Falcão, Isabel Mello e Luisa Arraes do romance Uma Longa Queda, escrito pelo inglês conhecido por seus romances deliciosamente pops. O drama ambientado em uma noite de Natal mostra quatro pessoas que se encontram por acaso no topo de um edifício com o mesmo objetivo: matar-se. A autora Luisa entra no palco com Bruno Padilha, Marina Vianna e Gustavo Falcão para encenar a ação que levanta reflexões sobre o tabu do suicídio e traça uma irônica radiografia de personagens e suas questões tipicamente urbanas. Direção de Bernardo Jablonski e Fabiana Valor (60min). 16 anos. Estreou em 21/10/2011. Espaço Sesc ? Sala Multiuso (80 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 13 de novembro.

✪✪✪ TIM MAIA ? VALE TUDO, O MUSICAL, de Nelson Motta. Adaptação da biografia Vale Tudo ? O Som e a Fúria de Tim Maia, realizada pelo autor do livro e pelo diretor do musical, João Fonseca. O papel-título é interpretado pelo jovem ator Tiago Abravanel, na produção que repassa a trajetória do artista dos 12 aos 55 anos. Completam o elenco Izabella Bicalho, Lilian Valeska, Pedro Lima, André Vieri, Bernardo La Roque, Reiner Tenente, Evelyn Castro, Pablo Ascoli, Anna Carbatti e Leticia Pedroza. No palco, são onze números executados ao vivo por uma banda com seis músicos ? Cássio (teclado), Leandro Vasques (baixo), Bezaleel (sax tenor), Marcelo Rezende (guitarra), Josias Franco (trompete) e Tiago Silva (bateria). Embalam a história do homenageado emocionantes interpretações para sucessos como Do Leme ao Pontal, Azul da Cor do Mar e Não Quero Dinheiro (180min, com intervalo). 14 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro Oi Casa Grande (926 lugares). Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon, ☎ 2511-0800. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 40,00 a R$ 100,00 (qui. e sex.); R$ 50,00 a R$ 120,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: 15h/20h (ter.); 15h/21h (qua. a sex.); 12h/21h30 (sáb.); 12h/19h (dom.). Cc: todos. Cd: todos. IC. Estac. no Shopping Leblon (R$ 8,00 por duas horas). Até 13 de novembro.

UÃNUÊI, de Graziella Moretto e Pedro Cardoso. Acompanhados ao piano por Dudu Trentin, Graziella e Pedro apresentam esta comédia de improviso. O espetáculo é dividido em duas sessões de, aproximadamente, meia hora. Na primeira, a dupla cria uma história com base em um tema sugerido pelo público. Na segunda parte, são os atores que propõem o enredo da ação. Direção dos autores (60min). 12 anos. Estreou em 17/9/2011. Teatro O Tablado (150 lugares). Avenida Lineu de Paula Machado, 795, Lagoa, ☎ 2239-0229. → Sábado e domingo, 20h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir de 15h (sáb. e dom.). IC. Até 6 de novembro. www.otablado.com.br.

ESPECIAL

ACONCHEGO CARIOCA Em sua terceira edição, a mostra de teatro reunirá de quinta (27) a 27 de novembro dezesseis companhias de dez estados para apresentar 21 espetáculos grátis. Abaixo, os destaques da primeira semana. ✪✪✪✪ ACORDA ZÉ! A COMADRE TÁ DE PÉ!, de Venício Fonseca. Comédia do Grupo Teatral Moitará, especialista em encenações com uso de máscaras. CARTAS DE RODEZ, de Antonin Artaud, com tradução de Lilian Escorel e adaptação de Ana Teixeira e Stephane Brod. Monólogo da Cia. Amok Teatro encenado por Stephane Brodt, baseado em cartas enviadas pelo dramaturgo francês Artaud ao seu psiquiatra, doutor Ferdière, no período em que esteve internado como louco no manicômio de Rodez, de 1943 a 1946. KABUL, de Ana Teixeira e Stephane Brodt. Outro drama da Cia. Amok Teatro, ambientado numa devastada cidade afegã de Cabul, onde quatro personagens buscam sentido para sua vida. Teatro Escola Sesc (100 lugares). Avenida Ayrton Senna, 5677, Jacarepaguá, ☎ 3214-7404. Acorda Zé! A Comadre Tá de Pé! (50min). 10 anos. Quinta (27), 18h30. Cartas de Rodez (55min). 12 anos. Sexta (28), 18h30. Kabul (80min). 14 anos. Sábado (30), 18h30. Grátis. Distribuição de senhas uma hora antes. www.teatroescolasesc.wordpress.com.

HUMOR

✪✪✪ COMO É QUE PODE?, de Gabriel Louchard e Mauricio Rizzo. No monólogo cômico, Louchard mescla quadros de stand-up comedy com números de mágica, apoiado por recursos de vídeo, efeitos de iluminação e aparelhos de ilusionismo. O espetáculo interativo inclui piadas com base no título do show, mostrando ao público reflexões sobre o que teria levado a seleção a perder todos os pênaltis na Copa América, entre outras questões. Direção de Leandro Hassum (60min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Vermelha (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sexta e sábado, 23h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até 17 de dezembro.

✪✪✪✪ Z.É. ? ZENAS EMPROVISADAS, de Fernando Caruso. Vencedora do Prêmio Shell em 2005, a sessão de improviso liderada por quatro atores e vista por mais de 120?000 pessoas chega à vigésima temporada. A cada apresentação o público assiste a um espetáculo único, dividido em três blocos. Com Fernando Caruso, Gregório Duvivier, Marcelo Adnet e Rafael Queiroga.

Para a sessão de terça (25), estão previstas as participações de Débora Lamm e Cico Caseira. Direção de Fernando Caruso (60min). 12 anos. Estreou em 2003. Vivo Rio (2?000 lugares). Avenida Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo, ☎ 2272-2900. Terça, 20h30. R$ 30,00 a R$ 100,00. Bilheteria: 12h/21h (seg. e ter.). Cc: M e V. Cd: R e V. Estac. c/manobr. (R$ 12,00 antecipado e R$ 15,00 na hora). IR. Até 21 de novembro. www.vivorio.com.br.

Fonte: VEJA RIO