DIVERSÃO

De volta à cena

Inauguração de teatro reforça a vocação artística do shopping dos antiquários

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

lazer.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A caminho de completar cinco décadas de existência, no próximo ano, o Shopping Cidade de Copacabana é uma síntese fiel do bairro. Esparramado pelas ruas Siqueira Campos e Figueiredo de Magalhães, duas das vias mais movimentadas da região, o complexo tem 270 lojas de variados ramos espalhadas por dois andares, numa democrática babel comercial e humana. No térreo, seu pedaço mais popular, há botecos pés-sujos, supermercado, casas de ferragens, salões de beleza, pequenos restaurantes e agências bancárias. Basta pegar a escada rolante ou subir pela rampa em elipse, porém, para o panorama mudar. O pavimento acima revela cerca de quarenta lojas de antiguidades, razão pela qual o lugar ficou conhecido como ?o shopping dos antiquários?. Some-se a elas uma leva de galerias de arte abertas recentemente, que deram um novo prestígio ao endereço.

Esse mix de estabelecimentos vai se diversificar ainda mais com a inauguração do Theatro NetRio, ex-Tereza Rachel, fechado ao público desde 2001. Com previsão de reabertura para a próxima sexta (6), data de estreia do musical Bibi, protagonizado por Bibi Ferreira, o novo palco da cidade passou por uma reforma que lhe deu outra configuração. A fachada, o foyer e a sala de espetáculos foram revestidos de tijolo aparente, enquanto os pisos ganharam madeira de demolição. Sua capacidade também deu um salto, passando de 650 para quase 800 lugares. ?Levei um ano e meio negociando o arrendamento da casa?, afirma o empresário e produtor Frederico Reder, à frente do projeto, que mira o espectador com algum poder aquisitivo, como deixa claro o preço do ingresso para o musical de estreia, na faixa de 100 a 150 reais.

Mas, para captar essa plateia mais sofisticada, a infraestrutura local precisa melhorar muito, pois o complexo carece de bons restaurantes, bares e cafeterias. Até agora, a benfeitoria chegou ao subsolo. Arrendada recentemente por uma rede de estacionamentos, a garagem, com 250 vagas, e que era uma imundície, vai passar por reforma e receberá nova iluminação. De concreto para atrair esse novo cliente destacam-se as galerias de arte, que descobriram a vocação do Shopping Cidade de Copacabana para esse setor. Inaugurada há cinco meses, a Graphos: Brasil tem agitado seus corredores com mostras muito concorridas. O mesmo acontece com a pioneira Artur Fidalgo, instalada há doze anos naquele endereço. ?Ao verem o movimento daqui, os colegas perguntam como fazem para se mudar?, conta o marchand que dá nome à casa. A alta do aluguel reflete a procura. Uma loja-padrão, de 28 metros quadrados, sai por 2?000 reais por mês, um aumento de 80% em relação aos contratos de locação mais antigos. Que outras boas atrações entrem logo em cartaz.

Fonte: VEJA RIO