Comer & Beber

O Oscar da boa mesa

Com festança no Cais do Porto, edição histórica de VEJA RIO premia os melhores restaurantes, bares, comidinhas e lojas de vinhos da cidade

Por: Felipe Carneiro - Atualizado em

A noite foi de regozijo e celebração. Na quinta (6), mais de 1?100 convidados prestigiaram o anúncio dos vencedores e a comemoração dos quinze anos do especial ?Comer & Beber?, o mais importante e cobiçado prêmio da gastronomia carioca. Entre os 43 agraciados nesta edição, o grande vencedor foi Felipe Bronze, aclamado pelo júri como o chef do ano. ?Só vou conseguir relaxar quando a adrenalina baixar?, disse o cozinheiro, ainda surpreso, ao deixar o palco onde também recebeu o título de melhor cozinha contemporânea pelas ousadas criações servidas no seu restaurante Oro, no Jardim Botânico.

O clima de festa, marcado pelas 4?000 taças de espumante espalhadas pelo salão, seguiu por toda a noite, enquanto personalidades como o apresentador Zeca Camargo, o comediante Fábio Porchat, o cantor Jorge Aragão e as atrizes Regina Duarte e Nívea Stelmann entregavam as placas douradas aos vitoriosos, na cerimônia apresentada com simpatia e elegância pela atriz Maria Fernanda Cândido.

Um dos momentos de maior emoção foi protagonizado pelo prefeito Eduardo Paes. Com um braço na tipoia, fruto de um acidente de bicicleta, ele passou o troféu de personalidade gastronômica do ano às mãos do português José Temporão, que há quase meio século comanda o tradicionalíssimo Mosteiro, no Centro. ?Uma vida dedicada à cozinha foi coroada hoje?, declarou Paes.

Dedicação e excelência também marcaram o anúncio do prêmio de restaurateur. Dono do Olympe, da CT Brasserie e da novata e bem-sucedida CT Boucherie, Claude Troisgros não pôde estar presente, mas mandou um substituto de primeiríssima linha. Quem recebeu o troféu em seu lugar foi uma celebridade internacional da alta cozinha: o francês Daniel Boulud, proprietário em Nova York de oito endereços, entre eles o que leva seu nome e ostenta três estrelas no Guia Michelin. ?É justamente porque ele se dedica tanto que merece o título. Fiz questão de vir representá-lo?, afirmou um efusivo Boulud.

Eleitos por um júri independente formado por críticos, especialistas e amantes da boa mesa, os nomes dos ganhadores foram mantidos em sigilo até a noite do evento. A história de cada um deles pode agora ser conferida na publicação, que traz a marca inédita de 1?000 estabelecimentos, além de contar com categorias novas, a exemplo de melhor brownie, pastel e loja de vinhos, entre outras. Na saída do Cais do Porto, onde o evento aconteceu, os convidados foram brindados com a edição em tamanho recorde de 426 páginas e uma novidade: pela primeira vez, ?Comer & Beber? terá uma versão para iPad. Afinal, a festa da gastronomia carioca não dura apenas uma noite, mas o ano inteiro.noite foi de regozijo e celebração.

Zeca Camargo

entrega o prêmio a

Felipe Bronze (à esq.),

Jorge Aragão com

Alaíde, do Chico & Alaíde (acima), e a mestra

de cerimônias Maria Fernanda Cândido:

noite marcada pela emoção dos vitoriosos

À esquerda,

Luiz Calainho

dá o título

de melhor cozinha italiana

a Alexandre Accioly, a Rogério Fasano e ao maître Atagerdes Alves, a trinca

do Gero; acima,

a tradicional

foto com os premiados, e,

à direita,

Pablo Vidal,

chef revelação do

ano: levantar a placa é a marca dos campeões

José Temporão, personalidade gastronômica: destaque

na festa que aconteceu no Armazém 2 do Cais do Porto

Nívea Stelmann ao lado de Kátia Barbosa, com as filhas Bianca e Giovana e a sócia Rosa Gonçalves, do Aconchego Carioca (acima): o público aplaudiu

A atriz Regina Duarte, com Sandra e Bárbara Tolpiakow, do Satyricon (à esq.), Fábio Porchat fazendo graça ao entregar o troféu de melhor empada a Alberto e Luis Alberto Abrantes,

do Talho Capixaba (acima), e a miss Brasil Priscila Machado: festa de elegância, humor e beleza

Fonte: VEJA RIO