COMER E BEBER 2013

O melhor boteco: Pavão Azul

Por: Rachel Sterman, fotos Fernando Frazão - Atualizado em

Foto: Fernando Frazão
(Foto: Redação Veja rio)

ataniscas de bacalhau são bolinhos sem a batata para ofuscar a presença do peixe. Na receita de família das irmãs portuguesas Bete e Vera Afonso, o salgado (R$ 8,00, quatro unidades) também é a mais saborosa explicação para as habituais filas na porta do negócio que as duas tocam em Copacabana. A cozinha deste reduto simples, premiado com a eleição de melhor boteco da cidade, tem outros atrativos. Preparado meticulosamente com vinte unidades do crustáceo, o risoto de camarão (R$ 30,00) dá para duas pessoas. O mesmo ingrediente pode rechear o escondidinho (R$ 11,00) e o pastel (R$ 1,80 a unidade). "Nossa comida tem gosto de feita em casa", diz Vera. Depois que as irmãs reassumiram o comando da casa, em 2001, o movimento aumentou a ponto de levar à abertura de uma filial. Por opção das donas, ela fica estrategicamente do outro lado da rua. Tanto o Pavão quanto o Pavãozinho, como é chamado o segundo endereço, ganharam status de atração turística. "Tenho recebido até russos e indianos", conta Vera. Locais e estrangeiros costumam esperar lugar já bebericando a cerveja sempre gelada das marcas Original, Bohemia, Brahma Extra (R$ 7,50 a garrafa) ou Serramalte (R$ 8,50).

bares-boteco-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Rua Hilário de Gouveia, 71, lojas A e B, Copacabana, ☎ 2236-2381, ? Siqueira Campos (36 lugares). 12h/0h. Cd: todos; Rua Barata Ribeiro, 348, loja B, Copacabana, ☎ 2236-2381, ? Siqueira Campos (40 lugares). 16h/0h (fecha seg.). Cd: todos. Aberto em 1957.

Fonte: VEJA RIO