COMIDA

Ovos naturebas

Versões fit preparadas com chia, goji berry e até colágeno ganham as prateleiras

Por: Fabio Codeço - Atualizado em

Fotos Tomás rangel
(Foto: Redação Veja rio)

Páscoa e boa forma são palavrinhas que, a princípio, não combinam. Depois do consumo de quantidades enormes de chocolate, a efeméride costuma terminar sob o peso da culpa. Afinal, com tanto chocolate, o acréscimo na balança é inevitável. A duas semanas da data, porém, uma visita às lojas pode surpreender quem não quer correr o risco de jogar no lixo meses de malhação e dieta. A alimentação funcional, difundida por nutricionistas, marombeiros e naturebas, inspirou marcas e confeitarias a lançar ovos em versão fit. Com maior concentração de cacau, sem açúcar, glúten nem lactose, as receitas à venda na Beth Chocolates, na Carolina Sales Pâtisserie de Brigadeiros e na Envidia levam ainda aqueles alimentos milagrosos, como chia, goji berry e sementes de girassol, que trazem benefícios à saúde e ajudam na prevenção de doenças. "O cacau é um antioxidante poderoso, pois tem alta concentração de polifenóis e flavonoides. Aliado a outros alimentos, ele pode se tornar ainda mais saudável", atesta a nutricionista Patrícia Davidson, que indica a ingestão diária de 30 a 60 gramas de chocolate com no mínimo 50% de concentração do produto.

pascoa-02.jpg
(Foto: Veja Rio)

Clique na imagem acima para ampliá-la

Conceito baseado na individualidade bioquímica, que significa dizer que o que é bom para um pode não ser para outro, a nutrição funcional começou a ser estudada no Japão na década de 80. No Brasil, ela foi introduzida em 1999 por profissionais como Gabriel de Carvalho, fundador da Chocolife, indústria especializada no desenvolvimento de chocolates funcionais, cuja produção saltou de meia tonelada, em 2013, para 5 toneladas em 2014. Neste ano, a aposta da marca, vendida em casas de produtos naturais, como a Carioca Zen, no Humaitá, é a linha fit. Batizada de Beauty Care, ela promete melhorar a pele graças à adição de colágeno, que atua no seu enrijecimento. Se o sabor não chega aos pés do que têm os produtos convencionais, os benefícios são incomparáveis. "A cada 25 gramas, utilizamos 2,5 gramas de colágeno, uma quantidade que, consumida diariamente ao longo de trinta dias, pode resultar até no preenchimento de pequenas linhas de expressão", garante a engenheira de alimentos Virgínia Dias. Pelo visto, prazer à mesa e bem-es­tar podem, sim, andar juntos.

Fonte: VEJA RIO