DIVERSÃO

Do tradicional ao multimídia

Com o acervo mais valioso da América Latina, o Masp, cravado na Avenida Paulista, normalmente é a primeira opção de museu para o turista que vem a São Paulo. Mas está longe de ser a única. Outras 132 instituições, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), espalham-se pela cidade. Há alternativas que vão desde o recente e multimídia Museu do Futebol, instalado no Estádio do Pacaembu, até a tradicional Pinacoteca, na Luz, um dos melhores lugares para conhecer a história recen

Por: Adriano Conter - Atualizado em

museus-masp.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL

No coração histórico da cidade, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) ocupa uma edificação de 1901 com 4 183 metros quadrados e cinco andares. Cinema, teatro, auditório, loja e cafeteria preenchem a arquitetura neoclássica, assim como grandes exposições (obras do escultor inglês Antony Gormley tomam o espaço até 15 de julho). Uma dica: agende uma visita monitorada ao prédio para conhecer detalhes da construção. Se a ideia é fazer o tour sozinho, comece pelo último andar e vá descendo. Rua Álvares Penteado, 112, centro, ☎ 3113-3651, ? Sé. Terça a domingo e feriados, 9h às 21h. Grátis. Estac. com serviço de van na Rua da Consolação, 228 (R$ 15,00 por cinco horas, de ter. a dom.).

ESTAÇÃO PINACOTECA

A instituição fica no antigo prédio do Departamento Estadual de Ordem Política e Social (o Deops). Seus salões amplos e de pé-direito alto mostram-se perfeitos para receber trabalhos de grandes dimensões - recentemente abrigou uma ótima mostra de Lygia Pape, com um painel imenso, que ocupava uma parede toda. No 3º andar há um espaço dedicado às artes gráficas, o Gabinete de Gravura Guita e José Mindlin. Ali estão representados 105 nomes, de Lasar Segall a Fayga Ostrower. O museu ainda guarda a bela Coleção Nemirovsky, um acervo de arte moderna com trabalhos de Volpi, Di Cavalcanti, Guignard, Vicente do Rego Monteiro e Ismael Nery. Largo General Osório, 66, Luz, ☎ 3335-4990, ? Luz. Terça a domingo e feriados, 10h às 18h. R$ 6,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Grátis aos sábados.

INSTITUTO TOMIE OHTAKE

Inaugurado em 2001, ocupa um prédio roxo e vermelho de traços futuristas em Pinheiros. Projetado por Ruy Ohtake, filho da artista que dá nome ao lugar, o edifício foi inicialmente pensado para abrigar somente as obras de Tomie, além de um complexo de escritórios. Com o tempo, passou a se empenhar na revelação de jovens artistas, dando espaço, em suas sete salas expositivas, a nomes da nova geração - o mais recente deles foi o da pintora Ana Prata. Não deixe de aproveitar o Santinho, restaurante de cozinha rápida da chef Morena Leite, que funciona ali. O Teatro Geo, a livraria Gaudi e a loja de objetos IT completam as atrações do Tomie Ohtake. Rua Coropés, 88, Pinheiros, ☎ 2245-1900. Estac. (R$ 15,00 a primeira hora). Terça a domingo e feriados, 11h às 20h. Grátis.

MAC

Até abril de 2013, quando comemora cinquenta anos, o Museu de Arte Contemporânea pretende transferir todas as mais de 10 000 peças de seu acervo para o prédio do antigo Detran, uma marcante construção de Oscar Niemeyer, recém-reformada, na região do Parque do Ibirapuera. No meio-tempo, duas unidades dividem a coleção: uma na Cidade Universitária e outra dentro do parque. Em ambas, mostras temporárias pinçam trabalhos da rica coleção, formada por telas de Picasso, Matisse, Miró, Kandinsky, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti e Volpi, entre outros. Atualmente, o museu do Ibirapuera exibe 150 peças na ótima montagem Modernismos no Brasil. Pavilhão da Bienal, 3º andar, Parque do Ibirapuera, portão 3, ☎ 5573-9932. Terça a domingo e feriados, 10h às 18h. Grátis.

MAM

Foi fundado em 1948 pelo empresário Ciccillo Matarazzo e transferido em 1968 para o prédio que ocupa hoje, também no Parque do Ibirapuera. Seu acervo conta com mais de 5 000 obras entre pinturas, esculturas, desenhos, vídeos e instalações. Possui também uma agradável área ao ar livre de 6 000 metros quadrados, projetada pelo paisagista Burle Marx, com esculturas de trinta artistas brasileiros. Nos últimos meses, o MAM investiu nas boas mostras de fotografia de German Lorca e Wolfgang Tillmans. Para o dia 14 está programada a abertura de uma retrospectiva do gravador carioca Oswaldo Goeldi. Parque do Ibirapuera, portão 3, ☎ 5085-1300. Terça a domingo e feriados, 10h às 18h. R$ 5,50. Grátis aos domingos para todos os visitantes; nos demais dias, apenas para menores de 10 anos e pessoas com mais de 65.

MASP

Quando a arquiteta Lina Bo Bardi projetou o prédio do Masp, que desde 1968 descansa sobre a Avenida Paulista, o maior cartão-postal da cidade, sonhava com crianças brincando em seu vão de 74 metros de altura. Assim, não deixe de aproveitar o espaço antes de entrar, seja na feira de antiguidades aos domingos, seja simplesmente para observar a hoje não tão aberta vista para o centro. No interior de seus 11 000 metros quadrados distribuídos em cinco pavimentos, fica o mais valioso e importante acervo da América Latina. Rafael, Goya, El Greco, Van Gogh e Anita Malfatti são apenas cinco dos admiráveis nomes da história da arte que fazem parte da coleção. No subsolo estão o restaurante Uni e a lojinha do Masp, com livros e catálogos. Anote na agenda: em julho, o Masp recebe a exposição de Caravaggio. Avenida Paulista, 1578, ☎ 3251-5644, ? Trianon-Masp. Terça, quarta e sexta a domingo e feriados, 11h às 18h; quinta, 11h às 20h. R$ 15,00. Cc: D, M e V. Cd: todos. A bilheteria fecha uma hora antes. Grátis às terças para todos os visitantes; nos demais dias, grátis apenas para menores de 10 anos, pessoas com mais de 60 e grupos de estudantes de escolas públicas agendados.

MIS

Em uma boa fase, o Museu da Imagem e do Som ganhou uma série de novas atrações. No campo das artes visuais, a instituição abandonou o direcionamento hermético dos últimos anos, apoiado nas novas mídias. Recentes mostras de nomes como Andy Warhol e André Kertész atestam a melhora na programação. Ambas ficam em cartaz ali até o dia 24. Avenida Europa, 158, Jardim Europa, ☎ 2117-4777. Terça a sexta, 12h às 21h; domingo e feriados, 11h às 20h. R$ 4,00. Grátis aos domingos.

MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA

Em frente à Pinacoteca do Estado, o Museu da Língua Portuguesa é um dos preferidos dos paulistanos - e o primeiro do mundo dedicado a um idioma. Localizado em um pedaço histórico da centenária Estação da Luz, quase sempre com fila na porta, recebeu 2,5 milhões de visitantes até o ano passado. Tem um de seus três andares dedicado apenas às mostras temporárias. Com montagens impecáveis, passaram por lá exibições sobre Oswald de Andrade, Fernando Pessoa, Clarice Lispector e Guimarães Rosa. Até 22 de julho, fica em cartaz uma montagem sobre Jorge Amado. Outros dois pisos abrigam atrações permanentes, com forte apelo multimídia. Praça da Luz, s/nº (Estação da Luz), ☎ 3326-0775, ? Luz. Terça a domingo e feriados, 10h às 18h. R$ 6,00. A bilheteria fecha uma hora antes. Grátis aos sábados.

MUSEU DO FUTEBOL

Inaugurado em 2008 no Estádio do Pacaembu, este museu faz qualquer um voltar à infância, fã ou não do esporte. Lá é possível calcular a velocidade de um chute, praticar pebolim (os bonequinhos são dispostos conforme as formações de campo mais clássicas) e jogar com bola virtual, além de espiar o gramado e a arquibancada sem o agito da torcida e escutar a narração de gols históricos. Para os mais aficionados, não faltam fotos e história. Ao todo, há quinze salas temáticas, 1 400 imagens e seis horas de material audiovisual - é impossível ver tudo em apenas uma visita. Praça Charles Miller, s/nº (Estádio do Pacaembu), ☎ 3664-3848. Terça a domingo e feriados, 9h às 18h. R$ 6,00. A bilheteria fecha uma hora antes. Grátis às quintas para todos os visitantes; nos demais dias, apenas para menores de 7 anos e pessoas com mais de 60.

PINACOTECA DO ESTADO

Se estiver de olho no relógio, restrinja o passeio ao 2º andar do museu. O espaço guarda a mostra do acervo Arte no Brasil - uma História na Pinacoteca de São Paulo. Composta de cerca 500 peças da coleção de 9 000 obras, não há melhor exposição para conhecer a história da arte brasileira do século XIX e início do XX. Destaque para os artistas da virada do século passado - um território carente na maioria das instituições -, como Almeida Junior e Eliseu Visconti. Com um pouco mais tempo, não deixe de conhecer o andar de entrada, onde ficam as exibições temporárias, como a de Alberto Giacometti, realizada até o dia 17 e entre as melhores de 2012. Praça da Luz, 2, ☎ 3324-1000, ? Luz. Terça a domingo e feriados, 10h às 18h. R$ 6,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Grátis aos sábados.

Fonte: VEJA RIO