COMIDA

Vale a pena subir o morro

A pedido de VEJA RIO, um júri formado por especialistas e chefs escolheu os melhores botecos das favelas pacificadas. Com paisagens de tirar o fôlego e profusão de sabores, esses lugares merecem sua visita

Por: Fabio Codeço e Rachel Sterman - Atualizado em

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)

Uma cidade dentro da cidade. Perfeitamente diversa e absolutamente autônoma. Não atingida pelos regulamentos da prefeitura e longe da vista da polícia." Tirada da crônica A Favela que Eu Vi, publicada em 1924, a definição do escritor carioca Benjamim Costallat (1897-1961) só começou a perder sua validade em 19 de dezembro de 2008. Nessa data foi inaugurada no Morro Santa Marta a primeira das atuais 34 Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), que, pelas contas do governo do estado, atingem diretamente 1,5 milhão de moradores do Rio. Ainda há muitos problemas a enfrentar ? afinal a coisa vem, pelo menos, desde os tempos de Costallat ?, mas ninguém de consciência sã, ou limpa, sente saudade do desfile de fuzis e da criminalidade sem freios. Entre os acertos do processo que chega a seu quinto aniversário figura a proliferação de negócios gastronômicos nas favelas, boa-nova para seus habitantes e, cada vez mais, para clientes de qualquer parte da cidade ou até turistas. Nos moldes do tradicional guia "Comer & Beber", publicado por VEJA RIO, surge agora o primeiro "Comer & Beber da Paz". Um júri de especialistas, formado por nossos repórteres Fabio Codeço e Rachel Sterman, além dos jornalistas Paulo Mussoi e Pedro Landim, de Kadu Tomé (dono do bar Aurora), de Guilherme Studart (autor do guia Rio Botequim) e dos pioneiros Ines Garçoni e Sérgio Bloch (autores do Guia Gastronômico das Favelas do Rio), elegeu os campeões das favelas pacificadas. Foram cinco categorias avaliadas: melhor caipirinha (Bar do David), melhor prato, melhor vista (ambas conquistadas pelo Bar do Tino), melhor petisco (Bar do Zequinha) e melhor PF (Bar Lacubaco). Depois de um gostoso tour, os chefs convidados Frédéric de Maeyer (Eça), Jan Santos (Entretapas), Kátia Barbosa (Aconchego Carioca), Pedro de Artagão (Irajá) e Ricardo Lapeyre (Laguiole) escolheram o grande campeão: mais uma vez deu o Bar do Tino. Os quatro vencedores representam muitos outros pontos nas favelas onde se prova boa comida, em geral diante de uma paisagem única e cerveja sempre gelada ? 25 deles estão listados a partir da página 41. Fique à vontade, a cidade é sua.

especial-tags-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

especial-tags-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

especial-tags-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

especial-tags-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

especial-tags-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO