ROTEIRO DA SEMANA

Histórias Cariocas

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

A luta de Israel nas areias de Copacabana

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

A cena parece inusitada, mas a atividade tem objetivos claros: estimular a superação pessoal e diminuir o stress mental e físico. Levantando os pés para cima na areia, como na foto, e finalizando com exercícios dentro da água: assim costumam se dar os treinamentos de krav magá na beira do mar. No sábado que vem (19), em Copacabana, acontece mais um aulão dessa técnica de combate, popular em Israel. Com um detalhe: o evento começa à noite e deve varar a madrugada. Coisas do mestre Kobi Lichtenstein, introdutor da luta no Brasil, que estará presente. O night training, co­mo vem sendo chamado, é restrito para alunos maiores de 16 anos, mas aberto para quem quiser assistir.

O mundo das artes em 1755 verbetes

Coleção Ricardo Joppert
(Foto: Redação Veja rio)

Arcobotante, capitel e fasquia, palavras que não fazem parte do dia a dia do cidadão comum, estão agora reunidas, ao lado de outros 1?752 verbetes, no Dicionário de Artes Decorativas, lançado há duas semanas pela Lexikon. Com 716 ilustrações, o livro, assinado por Stella Moutinho, Rúbia Bueno do Prado e Ruth Londres, revela objetos e peças variados, que fazem parte de acervos de museus ou de colecionadores particulares cariocas, como o sino Bo Zhong, de uma dinastia chinesa, hoje em poder do especialista em porcelana Ricardo Joppert. Agora vamos aprender um pouquinho? Arcobotante é um pilar terminado em meio arco, chama-se capitel a parte superior de uma coluna e fasquia é uma ripa estreita e longa.

Belezas de um bairro complicado

Rafael Quintella
(Foto: Redação Veja rio)

Os carros não foram fabricados pela Matchbox, não há nenhum bonsai na foto, tampouco os prédios são casinhas de boneca. É Botafogo de verdade que aparece na imagem - no caso, a esquina de Real Grandeza com Visconde de Caravelas. O registro naïf é um dos oitenta trabalhos expostos no Espaço Cultural Eletrobras Furnas, dentro de uma mostra aberta na sexta (11), chamada Parada Obrigatória, título perfeito quando se sabe que o tema é um bairro cujo trânsito está sempre empacado. Em foco, arquitetura, paisagem e os contrastes da região, com flagrantes do PhotoConversa, grupo formado por funcionários de Furnas.

Memória da cidade

Custódio Coimbra / Ag. O Globo
(Foto: Redação Veja rio)

Começou em outubro e vai até o mês que vem uma série de visitas guiadas ao Morro da Conceição, na Zona Portuá­ria, berço de nossa ocupação urba­na, no século XVI. O muro da fortaleza, a Rua do Jogo da Bola (tão estreita que os automóveis manobram para entrar) e os tabuleiros de aliado, típicos de seus bares, são os destaques do tour. A iniciativa faz parte do projeto Palácios do Rio, da ­Coppe, e os grupos têm número restrito de participantes, 25 por vez, para não afetar a sustentabilidade da região, salpicada de casas antigas e simpáticos velhinhos. Criativa, a visitação emprega brincadeiras como jogo da memória e caça ao tesouro. Para marcar, disque 2562-8295.

Brilha uma estrela

historias-cariocas2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O uniforme do Flamengo vai, literalmente, acender na quinta (17 de novembro, dia da fundação do clube), no jogo contra o Figueirense, no Engenhão, pelo Brasileiro. Como parte de uma jogada de marketing da marca de pilhas que patrocina o time, os atletas entrarão em campo com um dispositivo no braço, e um minicircuito fará piscar a estrela em cima do distintivo oficial. Trata-se de uma homenagem aos trinta anos da conquista do Mundial, 3 a 0 contra o Liverpool, em Tóquio. Mas o manto elétrico só será usado durante uma cerimônia. No jogo em si, Ronaldinho, Thiago Neves e companhia vestirão a camisa de sempre ? que, aliás, pode brilhar ainda mais.

Fonte: VEJA RIO