ROTEIRO DA SEMANA

Cinema

- Atualizado em

PRÉ-ESTREIAS

AMANHÃ NUNCA MAIS, de Tadeu Jungle (Brasil, 2011). Aventura. Walter (Lázaro Ramos) é um médico anestesista de classe média, que trabalha duro para manter um padrão de vida razoável para sua família e que vive uma crise no casamento. Ele tenta ganhar alguns pontos em casa ao se prontificar a pegar o bolo da festa de aniversário da filha. Porém, enfrenta uma noite repleta de percalços e coincidências que vão atrapalhar seus esforços de chegar com a encomenda a tempo do Parabéns a Você (90min). Cinépolis Lagoon 3.

✪✪ LATE BLOOMERS ? O AMOR NÃO TEM FIM, de Julie Gavras (Late Bloomers, França/Bélgica/Inglaterra, 2011). Drama. Filha do renomado diretor Costa-Gavras, Julie fez uma bela estreia na direção com o adorável A Culpa É do Fidel (2006). Esperava-se mais, portanto, deste seu novo trabalho. Tão à vontade para retratar a infância na fita anterior, Julie parece deslocada para tratar do relacionamento na meia-idade. Isabella Rossellini e William Hurt interpretam Mary e Adam, o casal de protagonistas. Juntos há mais de trinta anos e com três filhos adultos, eles começam a encarar as crises. Enquanto Adam, arquiteto renomado, precisa se modernizar para enfrentar a concorrência, Mary dá sinais de que está perdendo a memória. É a chegada da velhice. Embora o tema seja atraente, o roteiro beira a superficialidade e traz um desfecho facilmente feliz em meio a uma narrativa monótona (95min). Estação Sesc Ipanema 1, UCI New York City Center 8.

REFÉNS, de Joel Schumacher (Trespass, EUA, 2011). Suspense. A harmonia reinaria na casa de Kyle e Sarah (Nicolas Cage e Nicole Kidman) não fosse pela rebelde filha deles, interpretada por Liana Liberato (de Confiar). A situação se agrava quando um grupo de criminosos invade o local fazendo a família de refém. Com Cam Gigandet (91min). Cinemark Botafogo 1, Cinemark Dowtown 6.

ESTREIAS

A CASA DOS SONHOS, de Jim Sheridan (Dream House, EUA, 2011). O diretor inglês Jim Sheridan sempre pautou seu cinema no drama ? Meu Pé Esquerdo, Em Nome do Pai e O Lutador são exemplos do gênero. Pela primeira vez, ele investe num suspense com elenco renomado. Daniel Craig (o atual 007) e Rachel Weisz (O Jardineiro Fiel) formam um casal que muda de Manhattan com as duas filhas para um casa na Nova Inglaterra. Sem que saibam, o local foi palco de um crime: uma mãe e suas duas crianças acabaram mortas, provavelmente pelo marido dela. Enquanto depara com fantasmas, o protagonista dá início a uma investigação com a colaboração de um estranha vizinha, papel de Naomi Watts (92min). 14 anos. Estreou em 4/11/2011. Bay Market 1, Box Cinemas São Gonçalo 8, Cine 10 Sulacap 3, Cinespaço Boulevard 2, Cinemark Carioca Shopping 1, Cinemark Dowtown 4, Cinemark Plaza Shopping 1, Cinesystem Ilha Plaza 1, Cinesystem Recreio 3, Cinesystem Via Brasil 6, Iguatemi 4, Kinoplex Fashion Mall 1, Kinoplex Nova América 6, Kinoplex Tijuca 2, Leblon 2, Rio Sul 2, São Luiz 2, UCI New York City Center 8, UCI Kinoplex NorteShopping 6, Unibanco Arteplex 4, Via Parque 2.

✪✪✪ O DIA EM QUE EU NÃO NASCI, de Florian Cossen (Das Lied in Mir, Alemanha/Argentina, 2010). Rumo ao Chile, a alemã Maria (Jessica Schwarz) decide dar um tempo em Buenos Aires. Na cidade, tem seu passaporte roubado e se vê obrigada a prorrogar a estada. O pai dela (Michael Gwisdek) vem ao seu encontro e lhe revela um segredo guardado por trinta anos: Maria foi adotada, é argentina e filha de ativistas desaparecidos na década de 80, durante a ditadura militar. A moça perde o chão e, ao tentar localizar alguns parentes, acaba encontrando uma avó e dois tios. Mas novas mentiras estão para vir à tona. Há um ótimo tema debatido no drama. Seriam os verdadeiros pais da protagonista os adotivos ou os de sangue? O enredo, contudo, não simplifica a resposta e, a cada reviravolta na trama, exige um posicionamento do espectador. Além de uma narrativa enxuta e ritmada, há bons desempenhos do elenco (95min). 12 anos. Estreou em 30/9/2011. Espaço Rio Design VIP, Unibanco Arteplex 3.

✪✪✪ A PELE QUE HABITO, de Pedro Almodóvar (La Piel que Habito, Espanha, 2011). Pode ser clichê, mas um filme mais fraco de Almodóvar sempre se mostra melhor do que a média em cartaz. Em seu 18º longa-metragem, o grande e inspirado diretor espanhol tira o humor de cena e investe num drama de suspense com toques macabros. Na trama, o cirurgião plástico Robert Ledgard (Antonio Banderas) possui uma clínica particular em Toledo e, lá, vive às voltas com a revolucionária invenção de uma pele humana sintética. Motivações não lhe faltam: anos atrás, sua esposa teve o corpo queimado num acidente de carro e se suicidou tempos depois. A cobaia da experiência é uma bela jovem (papel de Elena Anaya), que fica trancada num quarto e não pode se comunicar com ninguém pessoalmente. Só o doutor tem acesso a ela. Quem seria essa moça? Qual o motivo de ela viver como uma presidiária? Por que a empregada de Ledgard (papel de Marisa Paredes) quer que o patrão a mate? As respostas, como quase sempre ocorre nos roteiros de Almodóvar, chegam recheadas de surpresas ? e aqui não é diferente (110min). 16 anos. Cinemark Botafogo 5, Cinemark Dowtown 8, Cinemark Plaza Shopping 3, Cinépolis Lagoon 1, Espaço Rio Design 1, Estação Sesc Barra Point 2, Estação Sesc Botafogo 1, Estação Sesc Ipanema 2, Estação Vivo Gávea 5, Kinoplex Fashion Mall 2, Kinoplex Tijuca 6, Leblon 1, Roxy 2, São Luiz 3, UCI New York City Center 9, Unibanco Arteplex 6.

✪✪ O PREÇO DO AMANHÃ, de Andrew Niccol (In Time, EUA, 2011). Se não tivesse duas estrelas na produção (o cantor Justin Timberlake e Amanda Seyfried, de Mamma Mia!), o thriller de ficção científica ganharia uma cara ainda mais de filme B. A ideia não é de se jogar fora e, enquanto argumento futurista, tem lá sua originalidade. Na trama, o tempo passou a ser literalmente dinheiro e as pessoas só chegam até os 25 anos. A partir daí, precisam ganhar, roubar ou herdar mais dias se quiserem sobreviver. O lugar onde elas moram se divide entre o mundo dos ricos e o dos pobres. Por sorte, o simplório operário Will Salas (Timberlake) adquiriu mais de 100 anos de um ricaço suicida. Agora, ele quer se infiltrar na alta sociedade para, como um Robin Hood, tirar dos milionários e dar aos miseráveis. Quem o acompanha na jornada é a patricinha interpretada por Amanda. Se a primeira meia hora surpreende pela estranheza da temática, o restante se perde num corre-corre envolvendo o casal numa espécie de Bonnie & Clyde. Diretor de Gattaca (1997) e O Senhor das Armas (2005), Andrew Niccol não tira proveito nem de bons atores como Cillian Murphy e deixa as atuações no nível da canastrice. Fracos também são os figurinos assinados por Colleen Atwood, premiada com o Oscar por Alice no País das Maravilhas. Com Alex Pettyfer e Olivia Wilde (109min). 12 anos. Estreou em 4/11/2011. Cinemark Botafogo 2, Cinemark Carioca Shopping 5, Cinemark Dowtown 5, Cinépolis Lagoon 3, Cinesystem Bangu 6, Iguatemi 5, Kinoplex Fashion Mall 4, Kinoplex Leblon 2, Kinoplex Nova América 1, Rio Sul 4, Roxy 1, UCI New York City Center 3, UCI Kinoplex NorteShopping 4, Via Parque 4.

TERROR NA ÁGUA, de David R. Ellis (Shark Night 3D, EUA, 2011). O ex-dublê David R. Ellis virou diretor especializado em fitas de terror, a exemplo de Serpentes a Bordo (2006) e Premonição 4 (2009). Em seu novo trabalho, aproveita-se do mote do famoso longa-metragem de Steven Spielberg da década de 70. Mas troca a praia por um lago, onde se concentra um bando de tubarões prontos para atacar os desavisados. O primeiro a perder um braço é um jogador de futebol americano (Sinqua Walls). Desesperados, seus amigos tentam levá-lo ao hospital, mas a lancha quebra no caminho. O que era para ser um fim de semana tranquilo transforma-se num pesadelo ? desta vez em terceira dimensão (91min). 14 anos. Estreou em 4/11/2011. Dublado, 3D: Bay Market 3, Box Cinemas São Gonçalo 1, Cine 10 Sulacap 1, Cinespaço Boulevard 3, Cinemark Plaza Shopping 7, Cinesystem Bangu 1, Cisystem Via Brasil 5, Iguaçu Top 1, Iguatemi 1, Kinoplex Grande Rio 5, Kinoplex Nova América 7, Kinoplex West Shopping 2, UCI Kinoplex NorteShopping 10, Via Parque 5.Legendado, 3D: Cine 10 Sulacap 1, Cinespaço Boulevard 3, Cinemark Dowtown 12, Cinemark Plaza Shopping 7, Cinesystem Bangu 1, Cinesystem Via Brasil 5, Iguatemi 1, Kinoplex Nova América 7, UCI New York City Center 14, UCI Kinoplex NorteShopping 10, Via Parque 5.

EM CARTAZ

✪✪✪ AMIZADE COLORIDA, de Will Gluck (Friends with Benefits, EUA, 2011). Dylan (papel do cantor Justin Timberlake) e Jamie (Mila Kunis, a antagonista de Cisne Negro) levam um passa-fora de seus amados no mesmo dia, embora estejam em lados opostos do país. Eles se conhecem na cena seguinte. Headhunter de Nova York, Jamie precisa convencer o talentoso Dylan a trocar Los Angeles por Manhattan e aceitar o emprego de editor numa prestigiada revista. Ele topa e, a partir daí, se tornam unha e carne. Descobrem afinidades e, atraídos, decidem fazer um pacto: transar sem vínculo afetivo. Mas até quando vão resistir ao amor? Diálogos afiados e uma direção vigorosa tornam a moderna, ágil e esperta comédia romântica um espelho de Nova York, palco principal da história, terra natal do realizador e, não à toa, formidavelmente homenageada em belas imagens do Central Park, do Chrysler Building, da Brooklyn Bridge ou de alguma locação menos cartão-postal. Outro ponto positivo está na química faiscante entre os protagonistas. (109min). 14 anos. Estreou em 30/9/2011. Dublado: Cinespaço Boulevard 5, Cinesystem Bangu 5, Cinesystem Via Brasil 2, Kinoplex Grande Rio 2. Legendado: Cinemark Plaza Shopping 5, UCI New York City Center 16, UCI Kinoplex NorteShopping 7.

✪✪✪ AMOR A TODA PROVA, de Glenn Ficarra e John Requa (Crazy, Stupid, Love, EUA, 2011). Os diretores deram um molho bastante picante à comédia romântica gay O Golpista do Ano. Embora com alguns clichês, o roteiro é redondo, tem surpresas e bons diálogos. Na trama, Cal (Steve Carell) e Emily (Julianne Moore) são casados há 25 anos, mas o passar das décadas só os deixou apáticos. Quando ela pede o divórcio, o caretinha Cal cai em depressão e passa a beber diariamente no mesmo bar. Lá, faz amizade com o playboy sarado Jacob (Ryan Gosling), que decide ajudar o novo amigo a conquistar a mulherada. Mas, enquanto Cal vira um garanhão, Jacob rende-se ao namoro com a fofa Hannah (Emma Stone). Também tem sua graça a paixão do adolescente Robbie (Jonah Bobo), filho de Cal, por uma babá quatro anos mais velha, interpretada por Analeigh Tripton. Com Kevin Bacon (118min). 12 anos. Estreou em 26/8/2011. Estação Sesc Botafogo 2, Estação Sesc Laura Alvim 1.

✪✪✪ A ÁRVORE DO AMOR, de Zhang Yimou (Shan zha Shu Zhi Lian, China, 2010). O foco recai sobre a paixão de dois jovens durante a Revolução Cultural na China de Mao Tsé-tung. Em meados dos anos 60, a estudante Jing (Zhou Dongyu) chega a um vilarejo no campo para uma "reeducação". Por ser filha de pais contrários ao comunismo, a mocinha precisa entender como funcionam as regras no país. A garota torna-se a esperança da família ? seu pai está numa cadeia para presos políticos e a mãe sustenta a casa e outros dois filhos pequenos. Entre as duras lições a aprender, como empurrar pesados carrinhos com cimento, Jing encontra tempo para viver o primeiro amor. Sun (Shawn Dou), aluno do curso de geologia, respeita cada limite da amada e, não raro, lhe dá presentes. A crítica à China do passado surge nas entrelinhas do enredo. Em impecável ambientação histórica, Yimou faz do melodrama a principal arma para criar uma metáfora da tristeza daquele pesado período. E, na busca por revelar belas e talentosas atrizes, como aconteceu com Gong Li (Sorgo Vermelho) e Zhang Ziyi (O Caminho para Casa), o cineasta traz à frente das câmeras a meiga e doce estreante Zhou Dongyu, mais uma protagonista marcante de sua rica filmografia. (115min). 10 anos. Estreou em 21/10/2011. Estação Sesc Ipanema 1, Estação Sesc Rio 1, Estação Vivo Gávea 3.

✪✪✪ A ÁRVORE DA VIDA, de Terrence Malick (The Tree of Life, EUA, 2011). Drama. É preciso, antes de mais nada, se deixar levar pela viagem do diretor bissexto Terrence Ma­lick, que, em 38 anos de carreira, fez apenas cinco longas-metragens ? entre eles Além da Linha Vermelha (1998) e O Novo Mundo (2005). Aqui, o foco está numa família texana da década de 50, composta de um pai durão (Brad Pitt), uma mãe carinhosa e omissa (Jessica Chastain) e seus três filhos. Jack, o primogênito, interpretado pelo expressivo Hunter McCracken, sofre mais nas garras paternas e, em determinado momento de desespero, chega até a desejar a morte do pai. O filme vai e volta no tempo, sobretudo a partir das lembranças do mais velho, interpretado por Sean Penn na fase adulta, quando ele se tornou um executivo cheio de angústias. Malick costura esses instantâneos de vida com poucos diálogos, trilha sonora instrumental quase onipresente e retratos deslumbrantes da natureza. Não se espante: há longos momentos em que os personagens dão lugar a imagens de dinossauros, de vulcões, do cosmo, de ca­choei­ras... Como se fosse um imenso e pretensioso painel da criação do homem. O realizador, claro, se perde um pouco pelo caminho e deixa a desejar no quesito emoção. Vencedora da Palma de Ouro no Festival de Cannes 2011, a fita, difícil e complexa, é mais para ser sentida do que compreendida. E, nesse ponto, Malick tira da frente qualquer outro concorrente americano (139min). 10 anos. Estreou em 12/8/2011. Estação Sesc Botafogo 2.

ATIVIDADE PARANORMAL 3, de Henry Joost e Ariel Schulman (Paranormal Activity 3, EUA, 2001). No terceiro capítulo da cinessérie de terror, a história retrocede no tempo para revelar como foi a infância de Katie, protagonista da fita original. Em 1988, ao lado da irmã Kristi, ela experimentava brincadeiras macabras, quase sempre na presença de uma alma penada. A fórmula é a de sempre: treme-treme de câmera na mão para dar a impressão de um documento real (84min). 14 anos. Estreou em 21/10/2011. Bay Market 4, Box Cinemas São Gonçalo 2, Cine 10 Sulacap 2, Cinespaço Boulevard 4, Cinemark Botafogo 1, Cinemark Carioca Shopping 8, Cinemark Dowtown 9, Cinemark Plaza Shopping 6, Cinesystem Bangu 3, Cinesystem Ilha Plaza 3, Cinesystem Via Brasil 1, Iguaçu Top 3, Iguatemi 7, Kinoplex Grande Rio 3, Kinoplex Leblon 3, Kinoplex Nova América 4, Kinoplex Tijuca 4, Kinoplex West Shopping 4, UCI New York City Center 13, UCI Kinoplex NorteShopping 4, UCI Kinoplex NorteShopping 5.

✪✪ BORBOLETAS NEGRAS, de Paula van der Oest (Black Butterflies, Holanda/Alemanha/África do Sul, 2011). A história da personagem verídica tem seu interesse, mas o roteiro dá conta de enfocar apenas seus "melhores e piores" momentos. Com isso, há quebras na narrativa, passagens mal explicadas e oscilação nas atuações. Dirigido pela holandesa Paula van der Oest, de Zus & Zo (2001), inédito no Brasil, o drama biográfico faz um registro frio de Ingrid Jonker (1933-1965). Poetisa sul-africana, ela conheceu o escritor Jack Cope (Liam Cunningham) no início da década de 60 e com ele teve um tumultuado relacionamento ? Cope era casado. Instável emocionalmente, Ingrid, que lutou contra a desigualdade social do apartheid, também tinha sérios atritos com seu pai (Rutger Hauer), chefe do departamento de censura da África do Sul. Tão bem em A Espiã (2006), Carice van Houten agarra o papel principal sem muito brilho (100min). 14 anos. Estreou em 23/9/2011. Estação Sesc Botafogo 2, Estação Sesc Laura Alvim 3.

CAPITÃES DA AREIA, de Cecília Amado (Brasil, 2011). Drama. É a própria neta de Jorge Amado (1912-2001), em sua estreia em longa-metragem, quem leva às telas o livro homônimo do celebrado escritor baiano ? o texto já havia sido adaptado para uma minissérie da Rede Bandeirantes, em 1989. A trama, ambientada na década de 50, mostra o cotidiano de moleques de rua de Salvador. Abandonados pelas famílias, os personagens Pedro Bala, Professor, Sem-Pernas e Dora, entre outros, vivem de pequenos delitos e, sem rumo nem futuro, vão se tornando adultos pelo peso de uma vida desregrada. A trilha sonora é assinada por Carlinhos Brown. Com Jean Luis Amorim, Ana Graciela e Roberio Lima (96min). 14 anos. Estreou em 7/10/2011. Cinemark Dowtown 1.

✪ CILADA.COM, de José Alvarenga Jr. Brasil, 2011). Comédia. Exposto pela namorada através de um vídeo na internet, Bruno (Bruno Mazzeo) tenta refazer sua reputação, mas tudo o que consegue é se meter em uma série de ciladas (99min). 14 anos. Estreou em 8/7/2011. Cinemark Carioca Shopping 2.

✪✪✪ A CONDENAÇÃO, de Tony Gold­wyn (Conviction, EUA, 2010). O drama começa com o assassinato de uma mulher, ocorrido em 1980. Sem achar o culpado, uma policial (Melissa Leo) implica com Kenny Waters (Sam Rockwell). Três anos depois, ele é indiciado pelo crime ? seu tipo sanguíneo era igual ao do assassino. Waters vai para a cadeia, e tudo faz crer que a Justiça estava certa. Embora casado e pai de uma garotinha, esse sujeito mulherengo e misógino mostra comportamento violento e exibicionista. No tribunal, a ex-mulher e uma amante comprovam tal cafajestice. Só sua irmã Betty (Hilary Swank), garçonete de uma pequena cidade do estado de Massachusetts, acredita na inocência dele. Ela abre mão da família e decide se tornar advogada apenas com o intuito de pedir a reabertura do processo dali a alguns anos para defender Kenny. Além de retratar uma lição de vida por meio de uma heroína comum, o roteiro faz bem em preservar a verdade até os minutos finais. Inspirado em fato real, é mais um acerto como produtora de sua protagonista, duas vezes premiada com o Oscar de melhor atriz, por Garotos Não Choram e Menina de Ouro (107min). 14 anos. Estreou em 28/10/2011. Cinemark Downtown 11, Cine Glória, Estação Sesc Botafogo 3, Estação Vivo Gávea 1, UCI New York City Center 1.

✪✪✪ CONTÁGIO, de Steven Soderbergh (Contagion, EUA, 2011). Premiado com o Oscar de melhor diretor por Traffic (2000), Steven Soderbergh é um cineasta tão talentoso que, mesmo num filme supostamente de ação, ele consegue deixar uma marca autoral. O que poderia ser um novo Epidemia (1995) vira um drama com suspense de arrancada densa. Nos primeiros minutos, embalados apenas por uma música eletrônica, vários personagens mundo afora apresentam sintomas semelhantes: suor excessivo, visão distorcida, febre e convulsão. A primeira a morrer é Beth Emhoff (Gwyneth Paltrow), uma americana que estava em Hong Kong. Enquanto o pequeno filho dela também mostra sinais parecidos, seu marido (Matt Damon) desespera-se para saber o que aconteceu com a mulher. A partir daí, a epidemia se espalha pelo planeta. Especialistas na área, como as doutoras interpretadas por Kate Winslet e Marion Cotillard, deslocam-se para averiguar as causas enquanto os Estados Unidos apressam-se em produzir uma vacina. Quem desconfia da eficiência do governo americano é um blogueiro inglês (papel de Jude Law), que acredita ter descoberto um remédio natural capaz de impedir os avanços da doença. Sem a pretensão de dar uma cara grandiosa à fita, Soderbergh perde um pouco do fôlego, muito por causa do roteiro, que, a partir da metade, vai se tornando esquemático. Comprovando o prestígio do realizador, há no elenco estelar três vencedoras do Oscar de melhor atriz: Gwyneth (Shakespeare Apaixonado), Marion (Piaf) e Kate (O Leitor). Com Laurence Fishburne (106min). 12 anos. Estreou em 28/10/2011. Cinemark Botafogo 4, Cinemark Downtown 6, Cinesystem Ilha Plaza 2, Estação Sesc Botafogo 3, Estação Vivo Gávea 4, Iguatemi 2, Kinoplex Fashion Mall 3, Kinoplex Grande Rio 4, Kinoplex Leblon 1, Kinoplex Nova América 4, Kinoplex Tijuca 5, Rio Sul 1, São Luiz 1, UCI New York City Center 4 e 15, UCI Kinoplex NorteShopping 3.

✪✪✪✪ UM CONTO CHINÊS, de Sebas­tián Borensztein (Un Cuento Chino, Argentina/Espanha, 2011). Comédia dramática. Praticamente com apenas dois atores, o diretor argentino Sebastián Borensztein fez um pequeno grande filme. Um ótimo roteiro, também de sua autoria, mistura drama e humor na trajetória de Roberto, interpretado pelo excelente Ricardo Darín, de O Filho da Noiva e Abutres. Esse tipo de poucas palavras e raros amigos é dono de uma loja de ferragens em Buenos Aires. Nunca se casou, não tem filhos e cultua a falecida mãe. Em seu trabalho, revela-se metódico e sem muita paciência com os fregueses, digamos, mais exigentes. Seu cotidiano, contudo, vira de pernas para o ar quando ele decide ajudar um imigrante chinês a reencontrar o tio pela cidade. Sem falar uma única palavra em espanhol e sequer saber o paradeiro do parente, Jun (Ignacio Huang) mostra-se amigável e prestativo. O cineasta não apela para o sentimentalismo. Prefere comover a plateia na base da diversão e da delicadeza (93min). 14 anos. Estreou em 2/9/2011. Cinépolis Lagoon 5, Espaço Museu da República, Unibanco Arteplex 2.

✪✪✪ COPACABANA, de Marc Fitoussi (Copacabana, França/Bélgica, 2010). Quase sempre vista em papéis densos, como em A Professora de Piano, Mulheres Diabólicas e Minha Terra, África, a versátil Isabelle Huppert interpreta com gosto uma personagem mais desmiolada nesta comédia dramática. Ela é Babou, uma mulher de meia-idade desempregada que parece viver no mundo da lua e, por isso, tem sérios atritos com sua única filha certinha. Quando a garota marca a data do casamento e não convida a mãe, Babou decide dar uma guinada na vida. Ela sai do interior da França e aceita um emprego em Ostend, uma chuvosa cidade da Bélgica. O bico consiste em distribuir panfletos de apartamentos de locação temporária, mas, aos poucos, a cinquentona consegue convencer sua chefe (Aure Atika) de que pode ir além. Divertida, melancólica e, por fim, muito alto-astral, a história ainda faz uma homenagem ao Brasil (107min). 14 anos. Estreou em 7/10/2011. Cine Joia, Estação Sesc Botafogo 2, Estação Sesc Laura Alvim 1.

DIÁRIO DE UM BANANA ? RODRICK É O CARA, de David Bowers (Diary of a Wimpy Kid: Rodrick Rules, EUA, 2011). Nesta continuação da comédia infantil Diário de um Banana, só lançada em DVD, Rodrick (Devon Bostick), irmão mais velho de Greg (Zachary Gordon), decide torturar a criançada. Mas, sem que o valentão saiba, tudo está sendo registrado num diário (99min). Livre. Estreou em 16/9/2011. Dublado: Cinemark Botafogo 1, Cinemark Carioca Shopping 8, Cinemark Downtown 7, Cinemark Plaza Shopping 5.

✪✪✪ UMA DOCE MENTIRA, de Pierre Salvadori (De Vrais Mensonges, França, 2010). Ambientada na charmosa cidade de Sète, no sul da França, a comédia flagra as confusões arquitetadas por uma cabeleireira. Sócia de um salão de beleza, Émilie (Audrey) só consegue voltar seus olhos negros para o trabalho e nem repara em Jean (Sami Bouajila), um funcionário apaixonado por ela. Por trás da timidez e da simplicidade, o discreto rapaz possui formação superior, é poliglota e escreve poemas. Confiante no seu taco, ele manda uma carta de amor anônima à patroa. Além de ignorá-la, Émilie aproveita o romântico conteúdo para enviar uma mensagem, igualmente sem assinatura, a sua mãe, Maddy (Nathalie Baye). Essa sessentona andava na fossa quatro anos depois de ser abandonada pelo marido. Após ler a declaração do suposto admirador secreto, Maddy remoça e tenta a qualquer custo descobrir a identidade dele. A protagonista vive atrapalhada com os sentimentos, porém tem o dom de buscar a felicidade alheia e muitas vezes se esquece de seu próprio bem-estar. Lembra algo de Amélie Poulain, o papel que projetou Audrey Tautou, não? Reviravoltas, simpatia e encanto completam a trama graciosa, na medida para agradar ao público feminino (105min). 10 anos. Estreou em 9/9/2011. Estação Sesc Laura Alvim 3.

✪✪✪ ENTRE SEGREDOS E MENTIRAS, de Andrew Jarecki (All Good Things, EUA, 2010). Dirigido pelo documentarista Andrew Jarecki (do sensacional Na Captura dos Friedmans), o drama cobre cerca de quarenta anos da vida de David Marks (Ryan Gosling, de Namorados para Sempre). Em 1971, o jovem playboy conhece a meiga Katie (Kirsten Dunst, de Melancolia) e se apaixona por ela. A família dele não aprova a união. Seu pai (papel de Frank Langella), ricaço do ramo imobiliário de Nova York, pretendia ter para sempre o filho ao seu lado nos negócios e uma nora mais adequada ao estilo de vida grã-fino. David dá de ombros e vai morar com a amada num sítio, onde abre uma loja de produtos naturais. O comércio não prospera e eles voltam para Manhattan. David reassume o trabalho com o pai e, dia após dia, a relação do casal vai ficando insustentável. Para desgosto dele, a moça quer liberdade e entra na faculdade de medicina. David surta e a espanca. Em 1982, Katie desaparece misteriosamente. Uma das grandes virtudes da fita: distanciar-se do gênero policial e focar, sobretudo, os desgastes dramáticos do casamento através de uma narrativa quase sempre absorvente (101min). Estação Sesc Barra Point 1, Estação Vivo Gávea 2, Kinoplex Fashion Mall 3.

✪✪ ESSES AMORES, de Claude Lelouch (Ces Amours-là, França, 2010). Em seu novo drama, o experiente diretor de Um Homem, uma Mulher (1966) pretende fazer uma homenagem ao cinema relembrando algumas passagens de sua trajetória. Embora tão ambiciosa quanto Retratos da Vida (1981), talvez seu filme mais famoso no Brasil, a fita tem cara de minissérie condensada. Há brechas na trama, muitos acontecimentos e, infelizmente, pouca emoção. A história começa no início do século XX e centra-se na II Guerra e em alguns anos adiante. Durante a ocupação nazista na França, Ilva (Audrey Dana) pede a um oficial alemão que livre seu pai (Dominique Pinon), projecionista de um cinema, do fuzilamento. Pedido aceito, ela torna-se amante dele. Tempos depois, fica dividida entre dois soldados americanos: um negro pobre e um branco rico. Dramas e tragédias vão ainda rondar a protagonista (120min). 12 anos. Estreou em 26/8/2011. Estação Sesc Laura Alvim 3.

←O FILME DOS ESPÍRITOS, de André Marouço e Michel Dubret (Brasil, 2011). Bezerra de Menezes ? O Diário de um Espírito (2008) perdeu o posto de o pior drama espírita nacional. Incomparável sob qualquer ponto de vista (técnico, emocional etc.), esta fita, patrocinada por uma fundação das Casas André Luiz, tem defeitos primários e jamais atinge o objetivo: levar uma mensagem de esperança através da doutrina espírita. Pobre de O Livro dos Espíritos, escrito por Allan Kardec em 1857, no qual o filme se diz inspirado. Há apenas raras citações do texto original numa trama repetitiva e extremamente baixo-astral. É inegável que, para falar do tema, a morte precisa estar presente. O roteiro, porém, exagera na dose. Com montagem medonha, direção tosca e cenários horrendos, narra-se a trajetória de Bruno (Reinaldo Rodrigues). Esse professor de psiquiatria perdeu a mulher e, dois anos depois, continua abalado. Para piorar, virou alcoólatra e foi demitido do emprego. À beira do suicídio, recebe de um gari o tal livro de Kardec. Ao procurar por seu antigo mestre (papel de Nelson Xavier), médico de doentes mentais que tem os dias contados, toma contato, um pouquinho mais profundo, com o espiritismo. Com exceção de Xavier e de atores tarimbados como Ana Rosa e Etty Fraser, as atuações deixam a desejar. Nada se compara, contudo, à risível participação da apresentadora Luciana Gimenez, metida numa patética maquiagem de envelhecimento (98min). 10 anos. Estreou em 7/10/2011. Box Cinemas São Gonçalo 3, Cinemark Dowtown 2.

✪✪ UM GATO EM PARIS, de Alain Gagnol e Jean-Loup Felicioli (Une Vie de Chat, França/Holanda/Suíça/Bélgica, 2010). O desenho animado francês, feito de lindas cores e belos traços a mão, tem ação, suspense e drama, além de ritmo pulsante. Só não ganha uma estrela extra porque não puniu um dos vilões ? exemplo que, para a criançada, não pega nada bem. Em Paris, uma delegada tem o marido assassinado por um famigerado criminoso e, na ânsia de encontrá-lo, ela deixa a pequena filha aos cuidados de uma babá. A menina ficou traumatizada com a perda do pai e gosta da companhia de um gato. Mas o felino tem vida dupla: na calada da noite, ele se alia a um ladrão para roubar apartamentos enquanto seus donos dormem (70min). 10 anos. Estreou em 21/10/2011. Cine Glória, Cine Santa, Estação Sesc Rio 2, Estação Sesc Ipanema 1, Estação Vivo Gávea 3 e 5.

✪✪ GIGANTES DE AÇO, de Shawn Levy (Real Steel, EUA/Índia, 2011). Ambientada no futuro próximo, a ficção científica de ação tem um público certo e restrito: meninos de 8 a 12 anos e marmanjos que curtem lutas de vale-tudo. Como Steven Spielberg está por trás da produção, há um manjado tom sentimentalista e bons efeitos especiais ? os robôs são uma mistura de bonecos eletrônicos com animação digital. Na trama, Hugh Jackman interpreta Charlie, um ex-boxeador que perdeu seu espaço para as lutas disputadas pelos grandalhões de aço. Quando seu robô é massacrado no ringue, Charlie fica ainda mais pobre. Depois, descobre que tem um filho de 10 anos. Como a mãe do garoto morreu e a tia quer a custódia, o protagonista exige uma pequena fortuna para "doar" a criança. O menino (Dakota Goyo), porém, terá de passar um tempinho com o pai. Juntos, vão formar uma dupla imbatível para treinar uma máquina encontrada num ferro-velho. 10 anos. Estreou em 21/10/2011. (127min). Dublado: Bay Market 2, Box Cinemas São Gonçalo 7, Cine 10 Sulacap 5, Cinespaço Boulevard 1, Cinemark Botafogo 3, Cinemark Carioca Shopping 4 e 7, Cinemark Dowtown 3, Cinemark Plaza Shopping 2, Cinesystem Bangu 4, Cinesystem Ilha Plaza 2, Cinesystem Recreio 2, Cinesystem Via Brasil 4, Iguaçu Top 2, Iguatemi 3, Kinoplex Grande Rio 1, Kinoplex Nova América 3, Kinoplex West Shopping 1, UCI New York City Center 5 e 12, UCI Kinoplex NorteShopping 9, Via Parque 6. Legendado: Cinemark Botafogo 3, Cinemark Dowtown 3 e 11, Cinemark Plaza Shopping 3 e 6, Cinépolis Lagoon 6, UCI New York City Center 10, UCI Kinoplex NorteShopping 8.

✪✪✪ O HOMEM DO FUTURO, de Claudio Torres (Brasil, 2011). Nesta nova comédia do diretor de A Mulher Invisível, Wagner Moura faz o mesmo personagem, porém em três momentos distintos ? e em todas as etapas consegue convencer muito bem. Nos dias atuais, Zero (Moura), brilhante e solitário cientista, virou um cara rancoroso por ter sido humilhado por Helena (Alinne Moraes), a grande paixão de sua juventude, numa festa em 1991. Às voltas com uma nova forma de energia, o protagonista acaba experimentando uma espécie de máquina do tempo e... retorna à sua época de estudante de física, vinte anos antes. Lá no passado, Zero terá a chance de saber os motivos que levaram Helena a desprezá-lo para virar modelo e, então, poderá mudar os rumos de sua história. O roteiro tem algo da cinessérie De Volta para o Futuro e, igualmente, de Redentor (2004), o genial longa-metragem de estreia de Claudio Torres. Mesmo sem um roteiro totalmente original, a fita traz efeitos visuais formidáveis, ritmo alucinante e uma proposta reflexiva bacana: o que você mudaria na sua vida se pudesse retroceder no tempo? Com Gabriel Braga Nunes, Maria Luisa Mendonça e Fernando Ceylão (103min). 10 anos. Estreou em 2/9/2011. Cinépolis Lagoon 5.

✪✪ HUBBLE 3D, de Toni Myers (Canadá, 2010). O curtinho documentário foi feito para ser exibido na formidável sala Imax e, por isso, traz aqueles efeitos em terceira dimensão de deixar o público boquiaberto. Em foco está a missão de sete astronautas que, em 2009, foram enviados ao espaço pela Nasa para consertar o telescópio Hubble. Se as imagens em 3D absolutamente fantásticas de galáxias ganham o fascínio do espectador, o trabalho da equipe torna a fita (sobretudo para a criançada) bem menos interessante (44min). Livre. Estreou em 26/8/2011. UCI New York City Center 4.

✪✪✪✪ MEDIANERAS ? BUENOS AIRES NA ERA DO AMOR VIRTUAL, de Gustavo Taretto (Medianeras, Argentina/Espanha/Alemanha, 2011). Comédia dramática. Ao longo de enxuta uma hora e meia, o roteiro vai explorar, entre a comédia e o drama, o cotidiano de duas pessoas quase iguais, quase complementares. Ambas moram na mesma Avenida Santa Fé, em Buenos Aires, e, apesar de ser vizinhas, nunca se encontraram. Martín (Javier Drolas) vive numa quitinete, especializou-se na criação de sites, toma ansiolíticos e, cheio de manias, só anda a pé. Formada em arquitetura, Mariana (papel da espanhola Pilar López de Ayala, de Lope) ganhou outra ocupação: tornou-se vitrinista de lojas. Abandonada pelo namorado, a moça não usa elevador e gosta de procurar o personagem Wally no livro infantil. Lapidada com humor afiado, a fita saiu da recente competição de Gramado com os prêmios de melhor filme estrangeiro, melhor diretor e júri popular. Seus adoráveis neuróticos anônimos têm inspiração em Woody Allen ? não à toa há uma cena de Manhattan (1979), do cineasta americano, numa referência explícita. Em resumo: trata-se de um criativo painel do mundo de hoje, movido por relações virtuais, porém com uma pontinha de esperança na sensibilidade do calor humano (95min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Cine Joia, Estação Sesc Barra Point 1.

✪✪✪ MEIA-NOITE EM PARIS, de Woody Allen (Midnight in Paris, Espanha/EUA, 2011). Comédia. Em seu atual giro pelo mundo, Woody Allen parou na França para fazer um dos seus filmes mais graciosos dos últimos anos. Em Paris, um roteirista americano (Owen Wilson) com pretensão de ser escritor se distancia de sua noiva consumista (Rachel ­McAdams), dos amigos esnobes dela e de seus sogros conservadores. Cansado do vazio da vida moderna, ele prefere caminhar sozinho para se inspirar. Depois da meia-noite, porém, descobre uma cidade diferente, atemporal, como sempre sonhou. Magicamente, ele vai parar nos anos 20 e conhece figuras ilustres como o escritor Ernest Hemingway, o compositor Cole Porter e o pintor Pablo Picasso. O cineasta apresentou inúmeras referências culturais para destacar o charme parisiense, principalmente aquele perdido no passado. De quebra, lembrou-se de quando viveu lá como um jovem comediante que queria escrever romances. Com Carla Bruni (90min). 10 anos. Estreou em 17/6/2011. Estação Sesc Laura Alvim 1.

✪✪✪✪ MELANCOLIA, de Lars von Trier (Melancholia, Dinamarca/Suécia/França/Alemanha, 2011). Lars von Trier foi banido do último Festival de Cannes por ter dado uma infeliz declaração sobre o nazismo numa entrevista coletiva. Se a figura do diretor dinamarquês é sempre polêmica, seus recentes trabalhos estão ganhando status de obra-prima. Depois do terror dramático Anticristo, o realizador retorna com um inusitado drama familiar de ficção científica. Na história, Michael (Alexander Skarsgard, de True Blood) é apaixonado por sua noiva, Justine (Kirsten Dunst, premiada como melhor atriz em Cannes). A moça parece entusiasmada com a festa de casamento, que será realizada num castelo, mas, lá no fundo, tem dúvidas sobre o relacionamento. Na segunda parte da fita, Justine, em profunda depressão, ganha a ajuda de sua irmã (Charlotte Gainsbourg) e do cunhado (Kiefer Sutherland) para se reerguer. Todos estão em grande expectativa: o planeta fictício Melancolia pode se chocar com a Terra dentro de dias e, assim, determinar o fim do mundo. Embalada apenas pelo soberbo Prelúdio e Morte do Amor, da ópera Tristão e Isolda, de Wagner, a trama ganha imagens para reter na memória. Assim como no filme anterior, Von Trier já conquista a plateia com mais um maravilhoso prólogo. O elenco internacional ainda traz Charlotte Rampling e John Hurt (130min). 14 anos. Estreou em 5/8/2011. Cinemark Carioca Shopping 1, Estação Sesc Laura Alvim 3.

✪✪✪ MEU PAÍS, de André Ristum (Brasil, 2011). Ristum escalou um elenco de primeira para seu primeiro longa-metragem, que faturou cinco troféus no recente Festival de Brasília: direção, ator (Rodrigo Santoro), trilha sonora e montagem, além do prêmio do público. O drama familiar enfoca os problemas enfrentados por Marcos (Santoro) após a morte de seu pai (Paulo José). Advogado em Roma, ele volta a São Paulo para o funeral e para resolver pendências da herança. Vem acompanhado da mulher italiana (Anita Caprioli) e encontra aqui o irmão playboy metido em jogatina (papel de Cauã Reymond). Descobre ainda ter uma meia-irmã internada num sanatório. Insensível, Marcos tenta dar uma solução prática ao caso de Manuela (Débora Falabella), mas acaba se afeiçoando a essa jovem de comportamento infantil. Embora com alguns tropeços no roteiro, o filme conta com uma caprichada produção de Caio e Fabiano Gullane, a mesma dupla de irmãos por trás de O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias e Bicho de Sete Cabeças (90min). 12 anos. Estreou em 7/10/2011. Cinemark Plaza Shopping 1, Unibanco Arteplex 5.

✪✪✪ PALAVRA CANTADA 3D ? SHOW BRINCADEIRAS MUSICAIS, de Marcelo Siqueira e Carlos Garcia (Brasil, 2011). Quem nunca teve a oportunidade de ver ao vivo uma apresentação de Paulo Tatit e Sandra Peres vai sair satisfeito da sessão. Trata-se de um show da dupla infantil realizado com recursos em 3D, bem utilizados pelos diretores. Exemplos: os copos coloridos e as bolhas de sabão que "saltam" para fora da tela nas músicas Fome Come e Bolinha de Sabão, respectivamente. Outras dezoito composições alegram a criançada, entre elas Peixe Vivo, Duelo de Mágicos e Criança Não Trabalha. Vem Dançar com a Gente, uma divertida animação de caveirinhas, também não deixa o ritmo cair. Acompanham Tatit e Sandra as irmãs cantoras Julia e Marina Pittier e os músicos Daniel Ayres, Estevão Marques e Wem, além de crianças (60min). Livre. Estreou em 30/9/2011. Legendado, 3D: Cinemark Botafogo 6, Cinemark Dowtown 10, Cinemark Plaza Shopping 4.

✪✪✪✪ O PALHAÇO, de Selton Mello (Brasil, 2011). Comédia dramática. Grande ator do cinema e da TV, Selton Mello estreou como diretor em 2008 com o denso Feliz Natal. Para seu segundo trabalho, aparou arestas, maneirismos e as tentações típicas dos principiantes. Conseguiu, assim, um feito: realizar um dos mais belos filmes do ano, tanto por seu visual arrebatador quanto pelo roteiro emotivo, uma mistura de drama melancólico e humor singular, raramente presente no cinema nacional. Trata-se aqui da transformação do conformista Benjamin (papel de Selton). Filho do dono de um circo, seu trabalho consiste em dividir o picadeiro com o pai (Paulo José) em andanças pelo interior do Brasil, provavelmente na década 70 (não há uma data específica na história). A dupla de palhaços Pangaré e Puro Sangue é a sensação de crianças e adultos. Mas, embora divirta as plateias, Benjamim, lá no fundo, não se sente confortável nem feliz. Triste e solitário, quer mudar de profissão, ter uma namorada, ser outra pessoa. Para isso, precisa cortar os laços. Referências aos diretores Jacques Tati e Fellini são evidentes e a direção de arte de Claudio Amaral Peixoto é de arrepiar, assim como a trilha sonora de Plínio Profeta. No elenco afiado, composto de novatos (como Larissa Manoela) e experientes (Teuda Bara e Jorge Loredo), Moacyr Franco rouba a cena numa aparição curtíssima que lhe valeu um surpreendente prêmio de melhor ator coadjuvante no Festival de Paulínia. Selton também saiu de lá com os troféus de melhor diretor e melhor roteiro (90min). 10 anos. Estreou em 28/10/2011. Box Cinemas São Gonçalo 5, Cine 10 Sulacap 4, Cinespaço Boulevard 6, Cinemark Botafogo 6, Cinemark Carioca Shopping 3, Cinemark Dowtown 10, Cinemark Plaza Shopping 4, Cinépolis Lagoon 2 e 4, Cine Santa, Cinesystem Bangu 2, Cinesystem Ilha Plaza 4, Cinesystem Recreio 1, Cinesystem Via Brasil 3, Espaço Rio Design 2, Estação Sesc Barra Point 1, Estação Sesc Laura Alvim 2, Estação Sesc Rio 3, Estação Vivo Gávea 1, 2 e 4, Iguatemi 6, Kinoplex Grande Rio 6, Kinoplex Leblon 3, Kinoplex Nova América 2, Kinoplex Tijuca 3, Kinoplex West Shopping 5, Roxy 3, São Luiz 4, UCI New York City Center 6, UCI Kinoplex NorteShopping 2, Unibanco Arteplex 1, Via Parque 1.

✪✪✪ UMA PROFESSORA MUITO MALUQUINHA, de André Alves Pinto e Cesar Rodrigues (Brasil, 2011). Aventura infantil. O livro homônimo de Ziraldo, que, lançado em 1995, já vendeu mais de 380?000 exemplares, ganhou uma versão bacana para o cinema, codirigida pelo sobrinho do escritor, André Alves Pinto. Programa ágil para crianças e nostálgico para adultos, mostra a façanha de uma espevitada professora, interpretada pela sempre graciosa Paola Oliveira. Com boa recriação da década de 40, a trama se passa na pacata cidade mineira de São João del Rey. Depois de estudar na capital, Cate (Paola) vai lecionar num colégio de sua cidade natal e, lá, usa métodos de ensino nada ortodoxos. Por exemplo: dar gibis à criançada para incentivar a leitura e levar os estudantes, pela primeira vez, ao cinema ? o filme é Cleópatra (1934), com o qual eles devem aprender algo mais sobre história. Linda, simpática e inteligente, Cate vira alvo da paquera de vários moços, mas seu coração parece ter ficado preso no passado, quando brincava com Beto (Joaquim Lopes), o afilhado de seu tio (Chico Anysio) que virou padre. Talentoso, o garoto Caio Manhente faz o protagonista mirim e narra a história. Com Max Fercondini e Ricardo Pereira (88min). Livre. Estreou em 7/10/2011. Cinemark Carioca Shopping 7, Cinemark Dowtown 11, Cine Santa, Iguatemi 7, UCI New York City Center 10.

✪✪ O RETORNO DE JOHNNY ENGLISH, de Oliver Parker (Johnny English Reborn, EUA/França/Inglaterra, 2011). Sem apelar para baixarias, a comédia de espionagem faz uma sátira a James Bond com gosto de piada requentada. Eterno intérprete de Mr. Bean, o inglês Rowan Atkinson investe pela segunda vez no personagem extraído do original de 2003. A fita tem uma boa arrancada com passagens divertidas, sobretudo quando o protagonista, em momento politicamente incorreto, dá bordoadas numa velhinha. Mas o humor vai cedendo espaço para a ação a partir da metade. Na trama, o agente secreto Johnny English caiu em desgraça após fracassar num trabalho em Moçambique. Cinco anos depois, vivendo em exílio no Tibete, é novamente recrutado para uma missão em Hong Kong. Com Gillian Anderson e Rosamund Pike (101min). 10 anos. Estreou em 28/10/2011. Dublado: Bay Market 4, Box Cinemas São Gonçalo 6, Cine 10 Sulacap 6, Cinemark Dowtown 7, Cinemark Plaza Shopping 5, Cinespaço Boulevard 5, Cinemark Carioca Shopping 6, Cinesystem Recreio 4, Cinesystem Via Brasil 2, Iguaçu Top 3, Iguatemi 2, Kinoplex Grande Rio 4, Kinoplex Nova América 5, Kinoplex West Shopping 3, UCI New York City Center 18, UCI Kinoplex NorteShopping 1, Via Parque 3. Legendado: Kinoplex Leblon 4, Kinoplex Tijuca 1, Rio Sul 3, UCI New York City Center 17.

✪✪✪ RISCADO, de Gustavo Pizzi (Brasil, 2010). Uma jovem atriz tenta conquistar seu espaço; enquanto não encontra se dedica a um grupo teatral e trabalha em uma empresa de divulgações de eventos, mal conseguindo se sustentar. A vida da jovem muda quando um diretor francês se encanta por sua história de vida. (85min). 10 anos. Estreou em 9/9/2011. Cine Glória, Estação Sesc Botafogo 3.

✪✪✪ ROCK BRASÍLIA ? ERA DE OURO, de Vladimir Carvalho (Brasil, 2011). Cineasta paraibano mais voltado ao cinema-verdade político e social (como em Barra 68), Vladimir Carvalho, de 76 anos, surpreende em sua primeira incursão no documentário musical, sobretudo por enfocar o rock de Brasília na década de 80. Há um motivo para isso: Carvalho, então professor da Universidade de Brasília na época, foi um dos primeiros a registrar os shows dos grupos. O realizador escolheu Legião Urbana, Plebe Rude e Capital Inicial para relembrar a efervescência do movimento, trazendo à tona, além de imagens de arquivo inéditas, depoimentos atuais de vários integrantes das bandas. Entre eles, Dinho Ouro Preto, os irmãos Fê e Flávio Lemos (Capital), Dado Villa-Lobos, Marcelo Bonfá (Legião) e Philippe Seabra (Plebe). Não à toa, Renato Russo (1960-1996) aparece em primeiro plano no pôster e vira o centro das atenções. Corpo e alma do filme, o líder da Legião Urbana nunca mediu suas declarações polêmicas. Um dos pontos altos da fita é justamente o show da Legião em 1988, no Estádio Mané Garrincha, que terminou em pancadaria e um saldo de centenas de feridos. Premiado como melhor documentário no Festival de Paulínia, trata-se de um testamento em celuloide para cair no agrado dos fãs e, historicamente importante, tem ingredientes para informar às novas gerações (111min). 12 anos. Estreou em 21/10/2011. Box Cinemas São Gonçalo 4, Cinemark Dowtown 1, Cine Santa, Estação Sesc Laura Alvim 2, UCI New York City Center 1, Unibanco Arteplex 5.

✪✪✪ UM SONHO DE AMOR, de Luca Guadagnino (Io Sono l?Amore, Itália, 2009). Indicado ao Oscar 2011 de melhor figurino, trata-se de um melodrama de ritmo operístico, influenciado pelo cinema de Luchino Visconti e com ecos de O Amante de Lady Chatterley, de D.H. Lawrence. A mistura pode ser pretensiosa, mas dá certo. Sobretudo pela condução muito elegante do realizador e pelo brilho contido de sua protagonista. Na trama, Emma (Tilda Swinton), uma russa que abandonou o seu país ao aceitar o pedido de casamento de Tancredi Recchi (Pippo Delbono), um rico empresário italiano do ramo da indústria têxtil, se vê encantada por Antonio (Edoar­do Gabbriellini), simplório chef de cozinha, amigo e futuro sócio de seu primogênito (papel de Flavio Parenti). A arquitetura de Milão, o charme das ruazinhas de San Remo e o bucólico interior da Ligúria são atrações à parte e ganham peso de testemunhas da arrebatadora paixão (120min). 12 anos. Estreou em 20/8/2011. Cinemark Dowtown 6, Estação Sesc Botafogo 2.

✪✪✪ TANCREDO, A TRAVESSIA, de Silvio Tendler (Brasil, 2011). Depois de enfocar os ex-presidentes Juscelino Kubitschek e João Goulart, Tendler põe em evidência outra figura emblemática da política brasileira. O documentário começa e termina com a morte de Tancredo Neves (1910-1985), o primeiro presidente civil depois de vinte anos de regime militar. Volta-se, então, no tempo para mostrar como esse mineiro de São João del Rey chegou até lá. Ministro da Justiça de Getúlio Vargas, Tancredo foi vereador, deputado federal e governador de Minas Gerais. Entre as imagens do passado, há relíquias, como uma propaganda política de TV de 1960. Mas é nas décadas de 70 e 80 que o filme ganha mais emoção e conteúdo. Não há coração que resista ao rever os brasileiros clamando pelas Diretas Já, a decepção com o Congresso Nacional (que rejeitou a emenda para permitir a eleição para presidente) e os momentos de agonia quando, um dia antes da posse, Tancredo foi internado e morreu depois de uma semana, cedendo a Presidência ao vice José Sarney. Entre os 28 entrevistados estão o neto de Tancredo, Aécio Neves, os jornalistas Carlos Chagas e Alberto Dines e artistas como Fafá de Belém e Maitê Proença (102min). Livre. Estreou em 28/10/2011. Cine Joia, Unibanco Arteplex 5.

✪✪✪ OS TRÊS MOSQUETEIROS, de Paul W.S. Anderson (The Three Musketeers, Inglaterra/França/EUA/Alemanha, 2011). O livro de Alexandre Dumas (1802-1870) inspira um novo longa-metragem, desta vez disponível também em cópias em 3D. Na França do século XVII, o rei Luís XIII (Freddie Fox) sente uma inveja latente do inglês duque de Buckingham (Orlando Bloom). Aproveitando a fragilidade do monarca, o cardeal Richelieu (Christoph Waltz) planeja tomar o poder armando uma intriga entre eles. O alvo será o roubo de um colar de diamantes e, para pôr a ideia em prática, Richelieu aciona a sexy duas caras Milady (Milla Jovovich). Mas os valentes mosqueteiros do rei, Athos (Matthew Macfadyen), Porthos (Ray Stevenson) e Aramis (Luke Evans), entram em ação. A eles se junta o destemido jovem camponês D?Artagnan (Logan Lerman). Se há falhas nas atuações de Milla (mais à vontade em fitas de ação como a cinessérie Resident Evil) e de Waltz (repetindo novamente os cacoetes de seu vilão de Bastardos Inglórios), a aventura prima por uma produção de época de tirar o chapéu ? será injusto se não concorrer ao Oscar de melhor figurino e direção de arte. Os efeitos visuais também são arrebatadores por mostrar a Paris do passado recriada digitalmente. Também fazem bonito as locações, porém, não se deixe enganar: um castelo do rei Ludwig II, na Alemanha, virou o Palácio de Versalhes, na França (110min). 10 anos. Estreou em 14/10/2011. Dublado: Box Cinemas São Gonçalo 3, Cinemark Carioca Shopping 6, Cinesystem Recreio 4, UCI New York City Center 7, UCI Kinoplex NorteShopping 1. Legendado: Cinemark Dowtown 2, UCI New York City Center 7. Dublado, 3D: Kinoplex Grande Rio 2, Kinoplex Nova América 5, Kinoplex West Shopping 5, UCI New York City Center 2. Legendado, 3D: Cinemark Botafogo 3, Cinemark Plaza Shopping 2, Kinoplex Tijuca 1, UCI New York City Center 2.

WINTER, O GOLFINHO, de Charles Martin Smith (Dolphin Tale, EUA, 2011). A aventura, inspirada em história real, narra o drama de um golfinho fêmea que, após perder a cauda numa armadilha, vai parar em um aquário na Flórida. Lá, Winter tenta ser salva por uma equipe de especialistas (113min). Livre. Estreou em 14/10/2011. Dublado: Cinesystem Recreio 4, UCI New York City Center 16. Dublado, 3D: Cinépolis Lagoon 5, UCI New York City Center 2.

✪✪ O ZELADOR ANIMAL, de Frank Coraci (Zookeeper, EUA, 2011). Se para os adultos pode ser uma trama previsível e insossa, para a meninada acima dos 4 anos há um atrativo extra: uma simpática bicharada que fala. O filme foi produzido pela companhia de Adam Sandler (Gente Grande e Esposa de Mentirinha) e, não à toa, tem-se aqui a sensação de estar-se diante de uma comédia desse ator. No enredo, o gorducho Griffin Keyes (Kevin James) leva um fora da namorada por causa de sua profissão ? ele é zelador de um zoológico. Para reconquistar a jovem, Griffin tenta mudar de emprego, mas os animais, que tanto gostam dele, vão se reunir para ensiná-lo a mudar seu frouxo comportamento. Entre os bichos estão um gorila, um leão, um macaco, um elefante e um urso de língua presa, todos muito bem dublados pelo humorista Marcelo Adnet (102min). Livre. Estreou em 7/10/2011. Dublado: Bay Market 2, Box Cinemas São Gonçalo 4, Cinemark Carioca Shopping 2, Cinesystem Bangu 5, Cinesystem Via Brasil 2, Iguatemi 3, Kinoplex Grande Rio 1, Kinoplex West Shopping 3, Rio Sul 1, UCI New York City Center 11, UCI Kinoplex NorteShopping 8, Via Parque 6.

Fonte: VEJA RIO