DIVERSÃO

Retratos de uma paixão

Formado por dez histórias românticas, Rio, Eu Te Amo começa a ser filmado nos cartões-postais da cidade

Por: Louise Peres - Atualizado em

cinema-1400.jpg
(Foto: Veja Rio)

Clique na imagem acima para ampliá-la

O cineasta Carlos Saldanha, diretor de A Era do Gelo e Rio, costuma vir à cidade para descansar da vida agitadíssima que leva nos Estados Unidos. Na semana passada, no entanto, ele mal desembarcou, já se envolveu em uma empreitada frenética. Saldanha será o responsável pelo pontapé inicial nas filmagens de Rio, Eu Te Amo, versão brasileira da franquia Cities of Love. Se em seu sucesso anterior, indicado ao Oscar de melhor canção, o diretor apresentou ao mundo as araras Blu e Jade e exaltou as belezas naturais e o samba, desta vez a produção terá ares clássicos: em cena, um casal de bailarinos formado pelo astro Rodrigo Santoro e pela jovem Bruna Linzmeyer se apaixona enquanto dança um pas de deux no Theatro Municipal ao som de uma canção de Heitor Villa-Lobos. "Quis mostrar uma atração pouco óbvia, mas que ao mesmo tempo fosse uma joia tão ou mais preciosa que as demais maravilhas da cidade", explica. O cineasta é apenas o primeiro a entrar no set da produção, que até o início de outubro espalhará equipes por outros nove pontos da cidade.

Difícil é escolher, entre tantos cartões-postais inspiradores, que lugares da capital mereceriam servir de pano de fundo para os romances que vão ganhar as telas do mundo inteiro no terceiro capítulo do projeto, que já lançou Nova York, Eu Te Amo e Paris, Eu Te Amo. A decisão ficou a cargo dos próprios diretores, munidos de total liberdade criativa no desenvolvimento de seus roteiros. Além dos brasileiros Saldanha, Fernando Meirelles, José Padilha e Andrucha Waddington, há representantes de todas as partes do globo. Nadine Labaki é franco-libanesa; Guillermo Arriaga, mexicano; Im Sang-Soo, coreano. Mais dois nomes, um americano e um europeu, ainda devem se juntar à turma. "Buscamos olhares bem distintos, evitando visões estereotipadas. Todos eles conhecem muito bem a cidade, já estiveram aqui várias vezes", explica Pedro Buarque de Hollanda, da Conspiração Filmes, que divide a coprodução com a BossaNovaFilms e a Empyrean Pictures.

Há tempos os cenários cariocas saltam aos olhos de Hollywood como sets de filmagem. Rio, Eu Te Amo entra para a extensa lista de produções rodadas por aqui, como, mais recentemente, as sequências de Velozes e Furiosos e Amanhecer, da saga Crepúsculo. Em paralelo, cresce o protagonismo da metrópole no cenário internacional. Quando o Rio foi eleito o próximo destino da série, não tínhamos pela frente metade dos compromissos que hoje ocupam nosso calendário ? a decisão de rumar para a América Latina foi tomada em 2009, pouco antes do anúncio da sede da Olimpíada de 2016. "Queríamos um lugar tão cosmopolita e encantador quanto Paris e Nova York. Ainda demos essa sorte", admite o produtor Joshua Kurla, dono dos direitos da franquia ao lado de Emmanuel Benbihy, criador do Cities of Love. Como principal distinção de seus capítulos antecessores, Rio, Eu Te Amo já nasce com uma diferença notável: os personagens de um episódio e outro vão interagir entre si. O objetivo é ganhar fluidez nas passagens das histórias ? um artifício para dar um sotaque ainda mais carioca à sequência.

Fonte: VEJA RIO