ROTEIRO DA SEMANA

Exposições

Percorremos as melhores exposições da semana para indicar o que você não pode perder

Por: Carolina Barbosa - Atualizado em

Estreia

À Primeira Vista Com curadoria de Brígida Baltar, Efrain Almeida e Marcelo Campos, a coletiva reúne 24 obras inéditas e recentes, entre pinturas, vídeos, gravuras e esculturas, de 24 alunos egressos do Parque Lage. Além disso, o próprio Efrain Almeida ocupa a galeria com um beija-flor esculpido em umburana (árvore da caatinga). A partir de R$?500,00.

Galeria Artur Fidalgo. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), 2º piso, Copacabana, ☎ 2549-6278, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h. Grátis. Até 13 de fevereiro. A partir de sexta (24).

ÚLTIMA SEMANA

Estela Sokol Em Gelatina, a paulistana apresenta treze trabalhos da série que dá nome à mostra, nos quais estica e sobrepõe lâminas de PVC coloridas, opacas e translúcidas, sobre chassis de madeira, criando efeitos cromáticos. Completa a seleção a escultura Meio-Fio, de placas de mármore.

R$ 21?000,00 a R$ 57?000,00.

Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873 e 2540-6446. → Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até sábado (25).

Há 250 Anos... De Salvador a Rio de Janeiro A exposição marca a comemoração dos 250 anos da transferência da sede do governo brasileiro de Salvador para o Rio, ocorrida em 1763. Estão reunidas 240 obras do acervo do próprio museu.

Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 2550-9220. → Terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriados, 14h às 18h. Grátis. Até domingo (26).

✪✪✪ Tacita Dean Integrante do grupo Young British Artists, do qual emergiram gigantes como Damien Hirst e Tracey Emin, a artista inglesa apresenta A Medida das Coisas, sua primeira individual na América Latina. Lá estão quinze obras, a maioria no suporte pelo qual se notabilizou: filmes de 16 e 35 milímetros. Geralmente produzidos com a câmera estática, diante de cenas prosaicas, de ritmo lento, quando não repetitivo, os trabalhos sugerem uma nova experiência temporal, mais contemplativa.

Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até domingo (26).

✪✪✪✪ Yayoi Kusama

A mais festejada artista contemporânea do Japão apresenta sua primeira individual no Brasil, Obsessão Infinita. O panorama reúne cerca de 100 obras produzidas desde o fim da década de 40, nos mais variados suportes - a maioria com as bolas que se tornaram a marca visual de Yayoi.

Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Quarta a segunda, 9h às 21h. Grátis. Até segunda (20).

EM CARTAZ

✪✪✪ Afonso Tostes O artista mineiro reconstrói, no salão principal da Casa França-Brasil, um enorme paiol que encontrou desmontado na Zona da Mata, em seu estado natal. Ferramentas utilizadas no espaço tiveram o cabo esculpido, em forma de osso, e também são exibidas em uma instalação. Completam o acervo uma escultura e um site-specific.

Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. → Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 9 de fevereiro.

✪✪✪ Antonio Manuel Radicado no Brasil desde a infância, o artista português reúne 21 obras de técnicas variadas em sua individual no MAM. Entre os trabalhos chamam atenção as instalações penetráveis - a exemplo de Fantasmas, um cômodo repleto de pedaços de carvão suspensos por fios, dando a impressão de que estão flutuando.

Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 3883-5600. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e, na quarta, a partir das 15h, para todos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 16 de fevereiro.

Calixto Cordeiro Quarenta obras do caricaturista integram a mostra Calixto Cordeiro: uma Trajetória - Revista D. Quixote (1917-1927), composta, em sua maioria, de trabalhos da época em que o artista trabalhou para o semanário carioca lançado em 1917. Ao mesmo tempo, entra em cartaz no MNBA J. Carlos: 130 Anos, homenagem ao também caricaturista. Nela estarão presentes, entre originais e reproduções, cerca de quarenta obras feitas para revistas como Careta, Para Todos, O Cruzeiro e Fo­n-Fon. Ambas as exposições integram a 1ª Bienal Internacional da Caricatura.

Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 3299-0600, ? Cinelândia. → Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até 9 de março.

✪✪✪ Cavalcante. Leia em Veja Rio Recomenda.

Deslize

Com cerca de 120 obras, entre fotografias, pinturas, objetos, desenhos, videoinstalações, a mostra apresenta um panorama histórico do surfe e do skate. A seleção de objetos inclui, por exemplo, parte da coleção de pranchas do surfista Rico de Souza.

Museu de Arte do Rio. Praça Mauá, s/nº, Zona Portuária, ☎ 3031-2741. → Terça, 10h às 19h; quarta a domingo, 10h às 17h. R$ 8,00. Grátis às terças. Meia-entrada para estudantes de escolas particulares e universitários. De quarta a domingo, grátis para alunos e professores da rede pública, crianças de até 5 anos e pessoas com mais de 60 anos. Até 27 de abril.

Evandro Teixeira Em Tempos de Chumbo, Tempos de Bossa: os Anos 60 pelas Lentes de Evandro Teixeira, o fotógrafo apresenta dezessete imagens da juventude daquela década, além de registros sobre a ditadura militar.

Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 27 de fevereiro.

✪✪✪ Floriano Romano Conhecido por combinar instalações, performances e sons, o artista exibe oito obras sonoras, sete delas inéditas, e uma seleção de desenhos feitos com fita isolante sobre papel, reunidas na mostra Sonar.

Galeria Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2017. Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até 9 de março.

✪✪✪✪ Julio Le Parc

Papa da arte cinética, o argentino radicado em Paris desde 1958 tem 24 trabalhos exibidos na sedutora individual Lumière. Quase todas as obras se valem de efeitos de luz - hipnoticamente belos, diga-se. Está no acervo a sua primeira investida nessa linha: Contínuo-Luz - Móbile, de 1960. Uma das mais bonitas, Luzes Alternadas, de 1993, evoca a iluminação de um hipotético espetáculo de artes cênicas.

Casa Daros. Rua General Severiano, 159, Botafogo, ☎ 2275-0246. → Quarta a sábado, 11h às 19h; domingo, 11h às 18h. R$ 12,00. Grátis para crianças de até 12 anos e às quartas. Meia-entrada para idosos e estudantes com mais de 12 anos. A bilheteria fecha meia hora antes do término do horário de visitação. Até 23 de fevereiro.

No Balanço da Rede Cinquenta modelos de rede (aquela de descanso) estão reunidos na mostra. Há desde versões mais primitivas, de origem indígena, como a hamaka, tramada em fibras de tucum, buriti ou carnaúba, até peças mais sofisticadas e contemporâneas, com varandas de crochê ou bordadas.

Caixa Cultural - Galeria 3.

Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 23 de fevereiro.

✪✪✪✪ Pernambuco Experimental Maior mostra desde a inauguração do Museu de Arte do Rio, a coletiva reúne mais de 400 obras (pinturas, desenhos, fotografias, vídeos, músicas, registros de performances e documentos) de cerca de oitenta artistas, que traçam um rico panorama da arte experimental pernambucana entre os anos de 1900 e 1980. É de Cícero Dias o trabalho mais impactante da atração, o monumental painel Eu Vi o Mundo... Ele Começava no Recife (1926-1929), de 12 metros de largura e 2 metros de altura, repleto de detalhes.

Museu de Arte do Rio. Praça Mauá, s/nº, Zona Portuária, ☎ 3031-2741. → Terça, 10h às 19h; quarta a domingo, 10h às 17h. R$ 8,00. Grátis às terças. Meia-entrada para estudantes de escolas particulares e universitários. De quarta a domingo, grátis para alunos e professores da rede pública, crianças de até 5 anos e pessoas com mais de 60 anos. Até 30 de março.

✪✪✪ Tomie Ohtake A artista japonesa radicada no Brasil desde os anos 30 criou, entre os anos 50 e 60, uma série de aproximadamente quarenta obras com os olhos vendados quase o tempo todo. Uma expressiva fatia dessa produção, 23 trabalhos, compõe a individual Pinturas Cegas. Na seleção das criações, todas sem título, predomina uma evanescente mistura de sombras e luz.

Museu de Arte do Rio. Praça Mauá, s/nº, Zona Portuária, ☎ 3031-2741. → Terça a domingo, 10h às 18h. R$ 8,00. Grátis às terças. Meia-entrada para estudantes de escolas particulares e universitários. De quarta a domingo, grátis para alunos e professores da rede pública, crianças de até 5 anos e pessoas com mais de 60 anos. Até 2 de fevereiro.

✪✪✪ Tomie Ohtake - Correspondências Estrela de uma individual no Museu de Arte do Rio, a artista também está no centro desta mostra. Agora, 28 de seus trabalhos dividem o espaço, em três salas, com 56 criações de outros artistas, promovendo um diálogo entre eles. No grupo estão nomes como Oscar Niemeyer, Carmela Gross, Cildo Meireles, Leda Catunda, Waltercio Caldas e Claudia Andujar.

Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 9 de fevereiro.

✪✪✪ Walter Firmo

Modesta no tamanho, mas não na qualidade, Brasil em Preto e Branco - Walter Firmo reúne onze belas fotografias do carioca feitas a partir de 1940, mais uma série delas projetadas em dois monitores, além de um vídeo. Entre as atrações, há uma imagem do ex-jogador Bellini entrando em campo pelo Vasco da Gama no fim da década de 50. Curadoria de Milton Montenegro.

Oi Futuro Ipanema. Rua Visconde de Pirajá, 54, Ipanema, ☎ 3131-9333, ? General Osório. → Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até 2 de março.

✪✪✪✪ Wilma Martins Cotidiano e Sonho é o nome da retrospectiva da artista mineira radicada no Rio. O acervo, de cerca de 140 obras, reúne pinturas, gravuras, desenhos, aquarelas, livros e documentos. Chamam atenção as criações da série Cotidiano, nas quais animais invadem singelos espaços domésticos e paisagens naturais amplas se insinuam em espaços como gavetas e camas. O programa no Paço conta com mais cinco individuais: de Mariana Manhães, Willys de Castro, Sergio Camargo, Vicente de Mello e Rogerio Luz.

Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 16 de fevereiro.

Fonte: VEJA RIO