ROTEIRO DA SEMANA

Exposições

Percorremos as melhores exposições da semana para indicar o que você não pode perder

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

ÚLTIMA SEMANA

Gustavo Acosta Espaço do Silêncio é a maior individual do pintor cubano radicado em Miami já realizada no Brasil. Com 74 obras, propõe um diálogo entre produções mais recentes e os primeiros passos do artista.

Caixa Cultural ? Galerias 2 e 3. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). Grátis. Até domingo (5).

EM CARTAZ

✪✪✪ Afonso Tostes

O artista mineiro reconstrói, no salão principal da Casa França-Brasil, um enorme paiol que encontrou desmontado na Zona da Mata, em seu estado natal. Ferramentas utilizadas no espaço tiveram o cabo esculpido, em forma de osso, e também são exibidas em uma instalação. Completam o acervo uma escultura e um site-specific.

Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. → Terça a domingo, 10h às 20h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). Grátis. Até 16 de fevereiro.

Antonio Manuel

Português radicado no Brasil desde a infância, o artista apresenta individual organizada sob a curadoria de Luiz Camillo Osorio. Dezessete obras produzidas desde a década de 80 compõem o acervo. Seis delas são instalações ? duas inéditas e quatro recriações: Fantasma (1994), em que pedaços de carvão aparentemente flutuam no ar; Frutos do Espaço (1980), reunião de esculturas em ferro; Ocupações/Descobrimentos (1998), com paredes de tijolos esburacadas; e Sucessão de Fatos (2003), produzida com telhas francesas. Onze acrílicas sobre tela completam a seleção.

Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 3883-5600. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriado, 12h às 19h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e, na quarta, a partir das 15h, para todos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 16 de fevereiro.

✪✪✪ Frida Baranek

Egressa da coletiva Como Vai Você, Geração 80?, realizada em 1984, a carioca apresenta Confrontos, sua primeira indivi­dual no MAM. A mostra reúne treze esculturas produzidas a partir de 1985. Instalada nos pilotis, uma de suas criações, Unclassified (1992), já exibida no nova-iorquino MoMA, foi construída com partes de aviões produzidos pela indústria militar americana e sucata de aço inox.

Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 3883-5600. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e, na quarta, a partir das 15h, para todos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até dia 19 de janeiro.

✪✪✪✪ Julio Le Parc

Papa da arte cinética, o argentino radicado em Paris desde 1958 tem 24 trabalhos exibidos na sedutora individual Lumière. Quase todas as obras se valem de efeitos de luz ? hipnoticamente belos, diga-se. Está no acervo a sua primeira investida nessa linha: Contínuo-Luz ? Móbile, de 1960. Uma das mais bonitas, Luzes Alternadas, de 1993, evoca a iluminação de um hipotético espetáculo de artes cênicas.

Casa Daros. Rua General Severiano, 159, Botafogo, ☎ 2275-0246. → Quarta a sábado, 11h às 19h; domingo, 11h às 18h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). R$ 12,00. Grátis para crianças de até

12 anos e às quartas. Meia-entrada para idosos e estudantes com mais de 12 anos. A bilheteria fecha meia hora antes do término do horário de visitação. Até 23 de fevereiro.

✪✪✪ Milton Guran

O fotógrafo e antropólogo apresenta cinquenta imagens em preto e branco, vinte delas inéditas, de tribos indígenas espalhadas pelo Brasil. Muitas das fotografias revelam a presença da cultura do "homem branco" ? caso de uma produzida em 1991 que enquadra um grupo de crianças ianomâmis, uma delas calçando chinelos de borracha, diante de um rádio.

Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). Grátis. Até 14 de janeiro.

Pernambuco Experimental

A coletiva traça um panorama da produção da arte experimental em Pernambuco entre as décadas de 20 e 80. Cerca de 300 itens compõem o acervo ? há pinturas, desenhos, fotografias, vídeos, músicas, registros de performances e documentos. Nomes como Vicente do Rego Monteiro, Cícero Dias e João Cabral de Melo Neto estão presentes.

Museu de Arte do Rio. Praça Mauá, s/nº, Zona Portuária, ☎ 3031-2741. → Terça a domingo, 10h às 18h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). R$ 8,00. Grátis às terças. Meia-entrada para estudantes

de escolas particulares e universitários. De quarta a domingo, grátis para alunos e professores da rede pública, crianças de até 5 anos e pessoas com mais de 60 anos. Até 30 de abril.

✪✪✪ Tacita Dean

Integrante do grupo Young British Artists, do qual emergiram gigantes como Damien Hirst e Tracey Emin, a artista inglesa apresenta A Medida das Coisas, sua primeira individual na América Latina. Lá estão quinze obras, a maioria no suporte pelo qual se notabilizou: filmes de 16 e 35 milímetros. Geralmente produzidos com a câmera estática, diante de cenas prosaicas, de ritmo lento, quando não repetitivo, os trabalhos sugerem uma nova experiência temporal, mais contemplativa.

Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. Terça a domingo, 11h às 20h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 26 de janeiro.

✪✪✪ Tomie Ohtake

A artista japonesa radicada no Brasil desde a década de 30 criou, entre os anos 50 e 60, uma série de aproximadamente quarenta obras com os olhos vendados quase o tempo todo. Uma expressiva fatia dessa produção, 23 trabalhos, compõe a individual Pinturas Cegas. Na seleção das criações, todas sem título, predomina uma evanescente mistura de sombras e luz.

Museu de Arte do Rio. Praça Mauá, s/nº, Zona Portuária, ☎ 3031-2741. → Terça a domingo, 10h às 18h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). R$ 8,00. Grátis às terças. Meia-entrada para estudantes de escolas particulares e universitários. De quarta a domingo, grátis para alunos e professores da rede pública, crianças de até 5 anos e pessoas com mais de 60 anos. Até 2 de fevereiro.

Tomie Ohtake - Correspondências

Estrela de uma individual no Museu de Arte do Rio, a artista também está no centro desta mostra. Agora, 28 de seus trabalhos dividem o espaço com 56 criações de outros artistas, promovendo um diálogo entre eles. No grupo estão nomes como Carmela Gross, Cildo Meireles, Leda Catunda, Waltercio Caldas e Claudia Andujar.

Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). Grátis. Até 9 de fevereiro.

✪✪✪ Virei Viral

O fenômeno dos virais, aqueles conteúdos que despertam a irresistível vontade de compartilhá-­los na internet, é o mote desta divertida exposição. Uma das atrações no acervo de vídeos e fotos é o trabalho de Sacha Goldberger: o fotógrafo francês ganhou fama como autor da série Mamika, composta de registros de sua avó nonagenária em situações surreais. Em vários deles a simpática senhora, vestida de heroína de gibi, vira a Super-Mamika.

Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Quarta a segunda, 9h às 21h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). Grátis. Até 6 de janeiro.

✪✪✪✪ Wilma Martins. Leia em Veja Rio Recomenda.

✪✪✪✪ Yayoi Kusama

A mais festejada artista contemporânea do Japão apresenta sua primeira individual no Brasil, Obsessão Infinita. O panorama reúne cerca de 100 obras produzidas desde o fim da década de 40, nos mais variados suportes ? a maioria com as bolas que se tornaram marca visual de Yayoi. Sobres­saem instalações como Infinity Mirror Room ? Phalli?s Field (or Floor Show), de 1965, sala com paredes de espelhos e o chão repleto de objetos fálicos.

Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, º☎ 3808-2020. → Quarta a segunda, 9h às 21h. Fecha na terça (31) e na quarta (1º). Grátis. Até 26 de janeiro.

Fonte: VEJA RIO