ROTEIRO DA SEMANA

Exposições

Percorremos as melhores exposições para indicar o que você não pode perder

Por: Carolina Barbosa - Atualizado em

ESTREIAS

A ESCOLHA DO ARTISTA. Radicado no Rio há 35 anos, o artista norte-americano, egresso da Geração 80, marca presença em uma coletiva entre amigos selecionados por ele: vai exibir sete pinturas a óleo sobre tela, nas quais retrata o espírito carioca em cenas corriqueiras das praias da cidade. Clarisse Tarran comparece com três bordados em materiais variados, como linho, seda, lã e algodão. Adriano de Aquino participa da mostra com duas pinturas em acrílica, parte da série Divisões Internas, produzidas entre 2006 e 2007. Julia Debasse, a caçula do time, expõe três pinturas, Aquele da Mulher e do Alce, Mas e se Cair? e Sobre Aquele Dia em que Rian Matou um Dragão, todas sobre fundo chapado, para dar uma ideia de colagem às figuras. Galeria Patricia Costa. Avenida Atlântica, 4240, loja 226 (Shopping Cassino Atlântico), Copacabana, ☎ 2227-6929. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 7 de janeiro. A partir de quinta (6). www.galeriapatriciacosta.com.br.

PATRICIA GOUVÊA. Fundadora e diretora do Ateliê da Imagem, espaço de cursos, seminários e exposições dedicado ao audiovisual, a fotógrafa lança o livro Imagens Posteriores e exibe no endereço dez de seus trabalhos realizados ao longo da última década. Na seleção entraram fotos de ambientes não identificados que se assemelham, em alguns casos, a obras abstratas. Um vídeo com as cinco intervenções urbanas feitas por Patrícia em lugares do Rio, como a Praça da Bandeira e o viaduto Santa Bárbara, completa o acervo. Curadoria de Claudia Buzzetti. Galeria do Ateliê. Avenida Pasteur, 453 (Ateliê da Imagem Espaço Cultural), Urca, ☎ 2541-3314. Segunda a sexta, 10h às 21h; sábado, 10h às 17h. Grátis. Até 28 de fevereiro. A partir de sábado (8). www.ateliedaimagem.com.br.

SUSI SIELSKI CANTARINO. Na mostra SIM, a dona da galeria Metara exibe no próprio espaço obras recentes e outras já reunidas na individual ANIMA, que montou em 2007. Argentina, no Rio há 23 anos, Susi apresenta 23 trabalhos, entre malas, criações com bambu e pinturas abstratas. Curiosamente, a parte mais antiga desse acervo sobreviveu a um triste acidente: em 2007, na passagem por Lisboa, ANIMA teve algumas peças surrupiadas e nunca encontradas. R$ 398,00 a R$ 23?000,00. Galeria de Arte Metara. Rua Teixeira de Melo, 25-A, Ipanema, ☎ 2523-5225. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até dia 17. A partir de quarta (5). www.metara.com.br.

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪ JAILDO MARINHO. Nascido em 1970, o artista pernambucano vive em Paris desde a década de 90 e construiu uma sólida carreira no exterior. É pouco conhecido no Brasil, o que só aumenta a surpresa de quem visita a mostra Jaildo Marinho ? Le Vide Oblique. A versão carioca da individual homônima exibida na capital francesa no início do ano traz 41 trabalhos. Vinte esculturas de mármore branco oferecem formas de insuspeitada leveza, caso de 3 Stelas Noir (2012). Completa a lista o colorido alegre de 21 pinturas com tinta acrílica. Quadros como Lignes Obliques Nº 428 (2007) evidenciam a influência do construtivismo, mas Marinho também bebeu em outras fontes. Na Europa, conheceu o uruguaio Carmelo Arden Quin (1913-2010), um dos fundadores do movimento Madi. Da escola surgida na Argentina, nos anos 40, aprendeu que as obras não têm um limite estabelecido ? e faz bom uso desse ensinamento. Pinakotheke Cultural. Rua São Clemente, 300, Botafogo, ☎ 2537-7566. Segunda a sexta, 10h às 18h. Sábado, 10h às 16h. Grátis. Até sábado (8).

✪✪✪ LUIZ ERNESTO. Após cinco anos sem uma mostra individual, período no qual participou da coletiva Europalia, em Bruxelas, o artista apresenta Pintura Muda. As dez obras nada convencionais do professor da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, produzidas em 2012, são criadas a partir de fotografias de objetos do dia a dia, como botões e copos. À primeira vista, as imagens parecem feitas de mármore, mas, na verdade, são trabalhadas com resina e pigmentos sobre placas de fibra de vidro, que as deixam leves. Um dos destaques, Suspensos por Fios de Vento Saltavam por entre as Nuvens, retrata aviões de papel em pleno voo. R$ 17?000,00 a R$ 30?000,00. Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até sábado (8). www.silviacintra.com.br.

✪✪✪ LUIZ ZERBINI. Entre os mais de 100 participantes da mostra Como Vai Você, Geração 80?, montada no Parque Lage em 1984 e trampolim de algumas carreiras hoje consagradas, o artista paulista já transitava sem amarras do figurativo ao abstrato, além de experimentar com fotos e colagens. Essas características aparecem aprimoradas em Amor, a maior individual de sua trajetória. Foram reunidas 35 criações dos últimos dez anos. Lago Quadrado (2010), acrílica sobre tela trazida do centro de arte contemporânea de Inhotim, em Minas Gerais, é uma das obras monumentais que sobressaem ? outra, Mamanguá Recife (2011), ainda chama atenção pela explosão de cores e detalhes. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e para todos na quarta, a partir das 15h. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até domingo (9). www.mamrio.com.br.

VICTOR MATTINA. O carioca de 26 anos apresenta sua segunda individual, Delta, na qual exibe sete óleos. Uma das atrações é Ibn Al-Shaykh Al-Libi (2012), obra batizada com o nome do líbio cuja confissão levou à invasão de Bagdá pelos americanos em 2003. R$ 3?000,00 a R$ 6?000,00. Cosmocopa Arte Contemporânea. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), sobreloja 32, Copacabana, ☎ 2236-4670. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até sábado (8).

EM CARTAZ

ALAN FONTES. Na individual Sweet Lands/La Foule, o mineiro apresenta sete óleos da série A Cidade, que retrata o universo urbano. Ele também ocupa o anexo da galeria com a instalação La Foule, da série A Casa, que mistura pintura com móveis espalhados pelo ambiente e música. R$ 7?000,00 a R$ 30?000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31 C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até dia 22.

✪✪✪ ALUÍSIO CARVÃO. Nascido no Pará e radicado no Rio a partir dos anos 40, Carvão (1920-2001) teve papel importante na história da arte brasileira ? foi um militante de primeira hora do movimento construtivista e assinou o Manifesto Neoconcreto escrito por Ferreira Gullar. A mostra Aluísio Carvão ? Mestre das Cores conta parte dessa trajetória através da exibição de 74 trabalhos. Na seleção, a curadora Denise Mattar priorizou a pintura, vertente mais expressiva de sua produção durante a carreira. Nessa linha estão presentes óleos como Clarovermelho (1959) e Cornucópia (1955), da fase concretista, e sete criações da série Pipas, que remetem à sua infância, apresentada na Bienal Internacional de São Paulo em 1983. Além das telas, o acervo conta com obras do período neoconcreto, caso de Cubocor (1960), feito de cimento e tinta, e Cerne-Cor (1961), produzida com pigmento e óleo sobre madeira. Está lá também a emblemática Superfície Farfalhante II (1967), composta de placas de metal e, outra vez, a madeira. Um vídeo sobre o artista, com depoimentos da curadora e da colecionadora Anna Maria Gandra Martins (dona de muitos trabalhos ali expostos), completa a mostra. Caixa Cultural ? Galeria 3.. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 13 de janeiro. www.caixacultural.com.br.

ANANDA NAHU E IZOLAG ARMEIDAH. A dupla exibe, na mostra intitulada Firme Forte Records, trinta obras nas quais se valem de estêncil e várias camadas de tintas coloridas. Outras técnicas são associadas ao processo de criação, como litogravura, serigrafia e gravura em metal, além de diversos elementos fotográficos e outros materiais, como couro, madeira, telas, tecidos, papéis e carcaças. Figuras como o pintor Jean-Michel Basquiat e a cantora Billie Holiday aparecem nos trabalhos. R$ 4?000,00 a R$ 40?000,00. Graphos: Brasil. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), sobreloja 1, Copacabana, ☎ 2256-3268 e 2255-8283. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 18h. Grátis. Até 12 de janeiro.

ANTONIO BOKEL. Transfiguração do Rastro é o nome da individual do artista plástico que marca a abertura do projeto Espaço Experimental, nas galerias laterais do Centro de Arte Hélio Oiticica. Com curadoria de Bruno Garcia e Rodrigo Elias, a mostra reúne obras produzidas desde 2005, dispostas em dois conjuntos. Revisitando seus primeiros trabalhos, Bokel apresenta em um ambiente mais escuro, marcado pela ideia de negatividade, seis pinturas com técnica mista e dez desenhos, além de intervenções urbanas como grafite e colagens. O segundo ambiente, uma sala branca, abriga produções recentes, como duas esculturas de bronze e cimento ? uma delas é parte da instalação Sua Verdade ?, e quatro pinturas de grandes dimensões. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica ? Espaço Experimental. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até 3 de janeiro.

CHINA REVELADA. Mais de 200 peças de arte chinesa, pertencentes à coleção particular do empresário Carlos Fernando de Carvalho, dono da construtora Carvalho Hosken, foram reunidas. Há objetos de porcelana (entre eles relíquias da dinastia Ming, que reinou no país asiático de 1368 a 1644), esculturas de marfim, madeira e bronze, mobiliário e estátuas de figuras humanas e animais. Curadoria de Maurília Castello Branco. Espaço Cultural Península. Avenida Flamboyants, 500 (Península), Barra. Quinta a sábado, 14h às 21h; domingo, 10h às 21h. Grátis. Até dia 18.

✪✪✪ CLEMENTINA DUARTE. Depois de exibir joias da coleção de Bertha Krasilchik, mulher do marchand Isaac Krasilchik, o CCBB volta ao tema, desta vez apresentando criações de Clementina Duarte feitas desde os anos 60. Sob curadoria de Denise Mattar, foram selecionadas noventa peças confeccionadas em ouro e prata com diamantes, pérolas, ônix, águas-marinhas e topázios, entre outras pedras preciosas brasileiras. Algumas joias apresentam curvas inspiradas na arquitetura de Oscar Niemeyer. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 14 de abril.

COLAPSO. Alexandre Vogler exibe o vídeo de uma criação itinerante realizada neste ano: em Travessia Maré-Arpoador, ele levou uma casa flutuante de garrafas PET da Maré até a Praia do Arpoador. André Komatsu comparece com uma videoinstalação e um objeto. Marcelo Cidade (um objeto e duas esculturas) e Guga Ferraz (três desenhos e a foto de uma intervenção urbana criada por ele) também participam da coletiva. Curadoria de Felipe Scovino. Preços sob consulta. A Gentil Carioca. Rua Gonçalves Ledo, 17, Centro, ☎ 2222-1651. Terça a sexta, 12h às 19h; sábado, 12h às 17h. Grátis. Até 12 de janeiro. www.agentilcarioca.com.br.

DANIEL ACOSTA E DANIEL MURGEL. A convite de Mauro Saraiva, programador responsável pela sala A Contemporânea, do CCBB, a dupla, que até então não se conhecia, criou a única obra da mostra O Sacrifício pela Vida na Guarita [Sacredfishyousystem]. Com a intenção de abordar a questão dos sistemas de segurança, Acosta e Murgel exibem duas guaritas de isopor, suspensas em cantos opostos do ambiente, além de plantas irrigadas por um mecanismo que retira água de dois aquários com peixes, esvaziando os recipientes aos poucos. Lâmpadas piscando, como em um alarme, completam a cena. Centro Cultural Banco do Brasil ? Sala A Contemporânea. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 6 de janeiro.

O DESIGN DA FAVELA. A coletiva reúne 125 criações de quinze favelas cariocas, a exemplo de Vidigal, Chapéu Mangueira e Rocinha, além de filmes curtos, nos quais os artistas participantes falam sobre o que, na opinião deles, é o design. Centro Carioca de Design. Praça Tiradentes, 48, Centro, ☎ 2976-6611. Segunda a sábado, 11h às 20h. Grátis. Até dia 20.

ELISA CASTRO. Em Eu Quero Você, a artista plástica apresenta telas e bordados baseados em uma série de entrevistas feitas no segundo semestre de 2012 com usuários e frequentadores do Museu da República. Uma instalação sonora completa a individual, que tem curadoria de Martha Niklaus. Museu da República ? Galeria do Lago. Rua do Catete, 153, Catete, ☎ 3235- 3693. Terça a sexta, 10h às 12h e 13h às 17h; sábado, domingo e feriado, 14h às 18h. Até 26 de fevereiro.

ENTARDECER CARIOCA. Fotografias de Bruno Veiga, Murilo Meireles, Ana Stewart, Joaquim Nabuco, Alexandre Sant?Anna e Isabel Becker marcam a inauguração do Espaço Alexandrina, no Rio Comprido. Além das imagens, cinco gravuras e cinco pinturas da série Traços, do artista Thomaz Velho, fundador do local ao lado de Luciana Pinto, integram a mostra. R$ 1?500,00 a R$ 4?000,00. Espaço Alexandrina. Rua Alexandrina, 972, Rio Comprido, ☎ 2274-9281. Segunda a sexta, só com agendamento; sábado e domingo, 16h às 20h. Grátis. Até 6 de janeiro.

FLÁVIO DAMM. Gaúcho de Porto Alegre, Flávio Damm começou a se interessar por fotografia ainda menino, acompanhando no jornal notícias da II Guerra Mundial. Aos 19 anos, em 1947, ele se notabilizou ao retratar Getúlio Vargas em sua fazenda, na cidade de São Borja. Entre muitos outros cliques históricos, o fotógrafo, que trabalhou por mais de dez anos na revista O Cruzeiro, costumava passar o tempo... fotografando. Esse rico material das horas vagas está reunido na mostra Flávio Damm Passageiro do Preto & Branco Fotografias 1946-2012. Montada sob curadoria do designer Felipe Taborda, a individual reúne 85 obras. Sempre em preto e branco, ele fixou em negativos de 35 milímetros o que o francês Henri Cartier-Bresson (1908-2004), seu ídolo assumido, chamava de "momento decisivo", aquele que não se repetirá. Sob luz ambiente, em andanças pelo Brasil e 74 viagens ao exterior, foram feitas imagens como a de um casal apaixonado na entrada do metrô parisiense, em 1989, ou a da pesca do xaréu, na Bahia, flagrante de 1954 levado à exposição em uma ampliação de 7 metros de comprimento, a maior do acervo. Pessoas e cenas do cotidiano dominam a seleção, pinçada de uma coleção de mais de 60?000 negativos. Caixa Cultural ? Galeria 2. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 27 de janeiro. www.caixacultural.com.br.

FERNANDA GOMES. Com obras em importantes coleções ? como as do Centro Pompidou, da Tate Modern e do Miami Art Museum ?, a carioca exibe seu trabalho, em geral criado a partir do espaço que vai ocupar, na Laura Alvim. Sem dar pistas sobre o que estará exposto, o curador Fernando Cocchiarale limita-se a caracterizar vagamente a produção da artista, quase sempre com o uso de objetos de descarte. Galeria Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2017. Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até 17 de fevereiro.

GETÚLIO DAMADO. Conhecido em Santa Teresa por trabalhar no bairro, dentro de seu bondinho-ateliê, o artista naïf exibe, na individual SucArte, sessenta obras feitas com materiais diversos. Celulares e teclados descartados no lixo, embalagens plásticas, sobras de madeira, alumínio e papelão dão forma a bonecos, carros, caminhões, móveis e outros objetos únicos. Curadoria de Cristina Figueiredo. Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2215-0621. Terça a domingo, 10h às 18h. Grátis. Até dia 31.

HENRIQUE OLIVEIRA. Com curadoria de Vanda Klabin, o paulista de 39 anos, há pouco mais de uma década em atividade, apresenta a maior individual de sua carreira. Entre os trabalhos, criados a partir de 2008, serão exibidas oito pinturas que se assemelham a colagens, além de cinco esculturas produzidas com lascas de compensado flexível descartado de tapumes de obras urbanas, fixadas com parafusos e pintadas com tinta acrílica. Uma dessas obras em grande escala foi montada recentemente no Parque de Madureira, como parte do projeto OiR. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até 3 de fevereiro.

✪✪✪✪✪ IMPRESSIONISMO - PARIS E A MODERNIDADE. Qualquer uma das 320?000 pessoas que visitaram a mostra em São Paulo, onde ela ficou entre julho e setembro, terá uma nova impressão no CCBB do Rio. Estão lá as mesmas 85 pinturas do acervo do Museu d?Orsay, incluindo obras-primas como O Lago das Ninfeias e Harmonia Verde (1899), de Claude Monet, além de outros expoentes do movimento, como Edouard Manet, Edgar Degas, Renoir, Vincent Van Gogh, Paul Gauguin e Paul Cézanne. Mas as dimensões do espaço expositivo, mais amplo que o da capital paulista, dão à coletiva um ar mais arejado. A disposição das telas em salas contíguas, em vez de separadas, também favorece o fluxo. Obrigatório. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 13 de janeiro.

✪✪✪ ISABELA FRANCISCO. A individual Des&en­contros, que ocupa o 2º andar do Centro Cultural Justiça Federal, reúne dezenove telas de tamanho variado. A maioria delas combina pintura com impressões do corpo, feitas pela própria artista, que, coberta de tinta, deixou suas marcas nas obras ? caso do quadríptico Raio-X (2012). O objeto Hermafrodita (2012), feito de lona e tinta, e dois vídeos completam o acervo. No primeiro deles, imagens e sons do moedor que inspirou a artista a conceber uma série de 24 desenhos em caixas de acrílico, também em exposição no local; o outro mostra o processo criativo de Isabela em seu ateliê. Curadoria de Marcus Lontra. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até dia 16.

JORGE MAYET. O artista cubano apresenta seis obras na individual Sobre Todas as Coisas. Trata-se de esculturas que retratam a natureza, com árvores e plantas feitas de tecido, fios de cobre, papel-machê e linhas. R$ 43?000,00 a R$ 60?000,00. Galeria Inox. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), subsolo, Copacabana, ☎ 2521-9940. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 11h às 19h. Grátis. Até dia 15.

JOSÉ RUFINO. O artista recria em uma escultura o herói Ulisses, protagonista do clássico grego Odisseia, de Homero. A obra, a única da exposição intitulada Ulysses, é feita a partir de materiais coletados no Rio, como madeira, pedras, ferros, concreto, conchas e cerâmicas. As dimensões são monumentais: 23 metros de largura por 8 de altura. Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 17 de fevereiro.

KIKA NICOLELA. Em sua primeira individual no Rio, batizada como The Film That Is Not There, a artista visual paulistana exibe uma série de vídeos gravados entre 2010 e 2011 durante residências artísticas na Coreia do Sul, Singapura e Suíça, nas quais usou atores locais. Esses trabalhos compõem uma videoinstalação, que contém ainda imagens gravadas no Brasil, ao longo deste ano, com a participação de atores como Caco Ciocler, Carlos Meceni, Maria Manoella, Mariana Loureiro e Paula Picarelli. Palácio Gustavo Capanema ? Mezanino. Rua da Imprensa, 16, Centro, ☎ 2279-8089/8078. Segunda a sexta, 9h às 18h. Grátis. Até dia 21.

LAURA LIMA. A mineira radicada no Rio repete, na mostra Cinema Shadow/Segundo, na Fundação Eva Klabin, a ideia do trabalho apresentado no evento Rio Occupation London, na capital inglesa. A partir de um roteiro maleável, sujeito a mudanças repentinas, ela filma, durante três horas diárias, cenas em diferentes cômodos da casa. Tais imagens são transmitidas diretamente para o auditório, podendo ser vistas por oitenta espectadores ao vivo. A intenção da artista é brincar com os limites entre cinema e artes plásticas. A mostra faz parte da 16ª edição do projeto Respiração, que tem curadoria de Marcio Doctors. Fundação Eva Klabin. Avenida Epitácio Pessoa, 2480, Lagoa, ☎3202-8550. Terça a domingo, 14h às 17h. Grátis. Até dia 20.

LEONARDO TEPEDINO. Em Tempovero, o artista une suas duas especialidades, a arquitetura e a escultura, e constrói duas obras de grande porte, feitas com madeira. Os trabalhos dialogam entre si e podem sofrer intervenções ao longo da mostra. Escola de Artes Visuais do Parque Lage ? Cavalariças. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. 10h às 17h. Grátis. Até 24 de fevereiro. www.eavparquelage.rj.gov.br.

+ LUZ. A coletiva de Agostinho Moreira, Anamaria Reis, Anna Helena Cazzani, Fabio Naranno, Fátima Villarin, Gustavo Torres, Marcos Duarte, Marcos Lima e Mark Feddersen, alunos da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, reúne cerca de dez obras, entre esculturas, objetos, instalações, desenhos e filmes. Curadoria de João Carlos Goldberg. Escola de Artes Visuais do Parque Lage ? Galerias 1, 2 e EAV. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a quinta, 9h às 21h; sexta a domingo, 9h às 17h. Grátis. Até 13 de janeiro. www.eavparquelage.rj.gov.br.

✪✪✪ MARIA-CARMEN PERLINGEIRO. Depois de trinta anos sem expor no MAM, a escultora volta com a individual Luz de Pedra, que tem curadoria de Cristina Burlamaqui. Na mostra, ela apresenta oito obras, que totalizam 81 esculturas, produzidas ao longo da última década. São mais de 850 quilos de pedras, entre as quais o alabastro da Toscana, que serviu de base para grande parte dos trabalhos que exibe aqui ? caso das translúcidas A Bela e a Fera (2009) e As Horas (2011). Completa ainda o acervo um vídeo que mostra o trabalho da artista ao longo dos seus 37 anos de carreira. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e para todos na quarta, a partir das 15h. Aos domingos, há o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 13 de janeiro. www.mamrio.com.br.

✪✪✪✪ MÁRIO DE ANDRADE - CARTAS DO MODERNISMO. Leia em Veja Rio Recomenda. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 6 de janeiro.

MARTA JOURDAN. Com uma câmera fotográfica de alta velocidade, que registra até 1?000 quadros por segundo, a artista desenvolveu as obras apresentadas em Súbita Matéria. Uma delas é uma enorme projeção de uma cena protagonizada pela performer Carol Cony. Para compor o filme, Marta usou mais de 20 000 litros de água que batem contra o corpo da atriz e provocou várias explosões ? imagens velozes, mas aqui captadas em detalhes que o olho humano não é capaz de perceber normalmente. Também serão apresentadas 21 fotografias, sendo duas sequências pinçadas de cenas do filme, três esculturas e seus cadernos de estudo, nos quais ela revela um pouco de seu processo criativo, com desenhos, storyboards e projetos. R$ 1?000,00 a R$ 15?000,00. Galeria Artur Fidalgo. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), lojas 147/150, Copacabana, ☎ 2549-6278. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 13h. Grátis. Até 5 de janeiro.

MÚLTIPLOS + MÚLTIPLOS. Na segunda edição, a coletiva reúne 26 obras em papel, entre gravuras e desenhos, de artistas nacionais e estrangeiros. Integram a lista de participantes nomes consagrados como o catalão Antoni Tàpies, o búlgaro Christo e o venezuelano Cruz-Diez, além dos brasileiros Daniel Senise, Cildo Meireles, Marcos Chaves e Waltercio Caldas. R$ 2?000,00 a R$ 25?000,00. Mul.ti.plo Espaço Arte. Rua Dias Ferreira, 417, sala 206, Leblon, ☎ 2259-1952. Segunda a sexta, 10h às 18h30; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até 12 de janeiro. www.multiploespacoarte.com.br.

NELSON BRASIL RODRIGUES - 100 ANOS DO ANJO PORNOGRÁFICO. A mostra celebra o centenário de nascimento do dramaturgo Nelson Rodrigues (1912-1980). Com curadoria assinada a quatro mãos, pela neta Crica Rodrigues e por Nelson Rodrigues Filho, todo o material foi selecionado no acervo do Centro de Documentação da Funarte. Estão expostos fotografias, reportagens e textos das dezessete peças do autor pernambucano. O visitante aprecia em painéis deslizantes materiais que abordam do seu texto de estreia, A Mulher sem Pecado, ao último drama, A Serpente. Teatro Glauce Rocha ? Sala Aloísio Magalhães. Avenida Rio Branco, 179, Centro, ☎ 2220-0259. ? Carioca. Segunda a sexta, 10h às 18h. Grátis. Até dia 30.

✪✪✪ NUNO RAMOS. O Globo da Morte de Tudo é o nome da mostra e de uma das obras, desenvolvida por Ramos em parceria com Eduardo Climachauska. Trata-se de uma instalação de 200 metros quadrados que, como o próprio nome sugere, é composta de dois globos da morte, daqueles circenses, em que motoqueiros protagonizam arriscadas manobras. As estruturas estão conectadas a quatro estantes de 6 metros de altura, com onze prateleiras, contendo mais de 1?500 objetos (que vão de papel higiênico a bomba de posto de gasolina), divididos em quatro categorias: cerâmica (coisas arcaicas e ancestrais), porcelana (produtos ligados ao luxo), nanquim (itens relacionados à morte) e cerveja (objetos do dia a dia). A exposição terá dois momentos. Quem for logo no início vai ver as prateleiras e os globos arrumados no ambiente. Depois de algumas semanas, no entanto, dois profissionais de circo farão uma performance (não aberta ao público) e, com a trepidação das motos, os objetos vão se espatifar. De Ramos, está ainda exposta uma escultura inédita da série Lâmina, feita de vidro. No 3º andar da galeria, ele mostra também cinco desenhos inéditos da série Schreber, com traços geométricos, feitos com tinta a óleo, folhas de ouro e prata, carvão e tecido sobre papel. R$ 72?000,00 a R$ 200?000,00. Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873 e 2540-6446. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 17 de fevereiro.

✪✪✪ PARECE MAS NÃO É. Depois de organizar uma mostra com cadeiras dos prestigiados irmãos Campana e outra com joias de Mana Bernardes, a marchande Luciana Caravello volta a investir na aproximação entre design e arte nesta divertida reunião de objetos ora decorativos, ora funcionais, por vezes ambos. A seleção, apresentada no 3º piso da galeria que leva o seu nome, inclui trabalhos de oito artistas de seis países, que brincam com a ideia de duplicidade e ilusão. Peças como o espelho do israelense Ron Gilad chamam especial atenção: um homenzinho no chão parece tentar levantá-lo. Outras conquistam o visitante pela matéria-prima, caso das cadeiras da alemã Veronika Wildgruber, em que assentos e encostos à primeira vista parecem capitonê, um tipo de revestimento de couro em gomos, mas, na verdade, são feitos de madeira torneada. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaripe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até dia 22. www.lucianacaravello.com.br.

✪✪✪ PEDRO MEYER. A individual A Menina e as Faces reúne doze obras, entre pinturas e desenhos feitos pelo artista nos últimos dois anos. Na série Amigos da Face ele retrata curadores, críticos de arte, colegas de profissão e amigos a partir de imagens de perfis nas redes sociais, caso do óleo Patrizia D?Angello (2012). Esse conjunto inclui ainda uma instalação com mais de 100 pequenos desenhos e gravuras. A curadoria é do diretor do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, Guilherme Bueno. R$ 1?500,00 a R$ 8?300,00. Portas Vilaseca Galeria. Avenida Ataulfo de Paiva, 1079, loja 109, Leblon, ☎ 2274-5965. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até 12 de janeiro. www.portasvilaseca.com.br.

✪✪✪✪ ROBERTO BURLE MARX - A FIGURA HUMANA NA OBRA EM DESENHO. Leia em Veja Rio Recomenda. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 6 de janeiro.

SE LIGA. Em cartaz no estacionamento do Shopping Nova América, a exposição interativa recorre, em oito salas temáticas, a história, biologia, ciência, astronomia, ecologia e cultura para apresentar o longo processo de mudanças do planeta e as ações humanas. Cenografia e design, poemas, filmes, trilha sonora, videoinstalações, documentários, animações e instalações são usados na mostra que se propõe a tratar de sustentabilidade. Shopping Nova América. Avenida Pastor Martin Luther King Jr., 126, Del Castilho, ☎ 2583-1563. Segunda a sexta, 14h às 21h; sábado, domingo e feriados, 11h às 21h. R$ 14,00 (seg. a sex.) e R$ 20,00 (sáb., dom. e feriados). Meia-entrada para quem levar 1 quilo de alimento não perecível. Bilheteria no local. Até dia 16. www.exposeliga.com.br.

TRANSPERFORMANCE II - INVENTÁRIO DOS GESTOS. Na segunda edição, o evento volta a propor uma reflexão sobre a potência do gesto. Mais de vinte artistas, entre brasileiros e estrangeiros, apresentam quarenta obras, de vídeos a instalações. Anna Gimein, Edwiges Dash, Ronald Duarte, Marssares, Oriana Duarte, Fernando Baena e Narda Alvarado são alguns dos participantes. A exposição propriamente dita é complementada por performances realizadas em espaços públicos da cidade. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060. ? Largo do Machado. Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até dia 16. www.oifuturo.org.br.

✪✪✪✪ WILLIAM KENTRIDGE. Não se deixe enganar: apesar do nome pouco conhecido pelo grande público, o sul-africano é um dos mais consagrados artistas em atividade, com individuais em museus como o Louvre, em Paris, e o MoMA, em Nova York. Sua notoriedade se deve em grande parte a um conjunto de vídeos ? dez até o momento, produzidos desde 1989 ? batizado de Drawing for Projection, que é exibido pela primeira vez completo na alentada mostra William Kentridge: Fortuna. A técnica é meticulosa: quadro por quadro, ele vai filmando sutis alterações feitas em um desenho. Vinte e três deles estão no acervo, que inclui outros dezessete vídeos, além de esculturas e gravuras. Entre essas últimas, chamam atenção três da série Manual de Geometria, que o visitante pode observar por meio de um visor especial que empresta um efeito tridimensional às imagens. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 17 de fevereiro. www.ims.com.br.

ZEMOG. Conhecido pelo colorido de seus trabalhos com tampinhas de garrafa e fitas do Senhor do Bonfim, o artista mineiro apresenta doze obras inéditas na individual Fácil é Dormir Depois do Almoço. Fazem parte da seleção cinco cavalos produzidos com retalhos de tecidos. Zemog exibe ainda duas telas feitas de tampinhas de garrafa, marteladas e costuradas, intituladas Blue Moon e O Beijo, além de uma instalação e uma foto-pintura. R$ 4?500,00 a R$ 57?000,00. Marcia Barrozo do Amaral Galeria de Arte. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), subsolo, loja 129, Copacabana, ☎ 2267-3747. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 14h às 17h. Até dia 22. www.marciabarrozodoamaral.com.br.

FOTOGRAFIA

AUGUSTO MALTA - SUBVERSÕES POÉTICAS. Os fotógrafos Ana Dalloz, Camila Marchon, Guillermo Giansanti, Juliana Borzino, Leo Lima, Marcelo Carrera, Marrytsa Mello e Paula Monte foram convidados pelo curador Edu Monteiro a reinterpretar imagens de Copacabana clicadas por Augusto Malta (1864-1957) no início do século XX. São 35 obras expostas na galeria do Espaço Sesc. Paula Monte, por exemplo, exibe fotografias acompanhadas de um áudio com depoimentos de moradores do bairro e sons ouvidos nas ruas. Espaço Sesc ? Galeria. Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2547-0156. Terça a domingo, 14h às 18h. Grátis. Até 3 de fevereiro.

✪✪✪ BRUNO PELLERIN. Fotógrafo de eventos como o Festival de Cannes e queridinho de grifes, a exemplo de Yves Saint Laurent, Dior, Chanel e Paco Rabanne, Pellerin apresenta Os Bastidores da Moda, com 39 fotografias em preto e branco sobre o universo da alta-costura francesa. Carla Bruni, ex-modelo, cantora e mulher do ex-presidente francês Nicolas Sarkozy, aparece retratada segurando um cachorrinho no camarim. Curadoria de Bruno Stefani. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 6 de janeiro.

HUGO DENIZART. Fotógrafo, psicanalista, documentarista e escritor, Denizart apresenta 38 painéis em Estado de Concentração ? A Violência Muda. Os trabalhos exibem fotos de composições feitas com bonecos usados em alegorias de escolas de samba guardados na área do Cais do Porto. Abstratas, as imagens têm algo de soturno, como se as figuras retratadas fossem corpos humanos. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e para todos na quarta, a partir das 15h. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até dia 20 de janeiro. www.mamrio.com.br.

✪✪✪ PHOTO WEB 2011. Quarenta e sete registros dos três vencedores da segunda edição do prêmio Photo Web 2011, que teve como tema Viver na França, Viver no Brasil, estão na mostra. O mineiro Vinícius Leandro Terror apresenta Portão: uma Janela Resplandecente Aberta sobre o Litoral do Nordeste, série de doze imagens clicadas a partir do mesmo ângulo, ou seja, uma janela com um varal, na qual muda apenas a imagem ao fundo. Olivia Gay Larrayadieu, francesa, expõe O Corpo do Outro, retratando, em onze fotografias, o uso do véu por motivos religiosos ou culturais. Os Vaqueiros, de Luis Tadeu Vilani, reúne doze imagens em preto e branco sobre o universo dos criadores de gado do Rio Grande do Sul. Além deles, é exibido o trabalho coletivo dos fotógrafos do programa Imagens do Povo, ligado ao Observatório de Favelas. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí , 20, Centro, ☎ 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 6 de janeiro.

Fonte: VEJA RIO