ROTEIRO DA SEMANA

Exposições

VEJA Rio percorreu as melhores exposições para indicar o que você não pode perder

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

Estreias

ANA VITÓRIA. Em Ferida Sábia, a bailarina e coreógrafa reúne seis fotografias em grande formato, objetos escultóricos em forma de óvulos, feitos de lã, uma grande instalação com 150 camisolas do século XIX, outras duas de calçolas e anáguas antigas com bacias esmaltadas e líquido vermelho e, por fim, uma videoinstalação com imagens de cerejeiras e sangue. Sim, o período menstrual é a inspiração para os trabalhos. Às quintas e sextas, às 18h; e aos sábados e domingos, às 17h, as bailarinas Angel Vianna, Priscila Teixeira, Soraya Bastos e Marina Magalhães, além da própria Ana Vitória, realizam performances dentro do espaço expositivo. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até 4 de novembro. A partir de sábado (13).

CÁSSIO LOREDANO. Cerca de quarenta caricaturas do desenhista compõem a seleção apresentada. Estão no acervo políticos como Tancredo Neves, Lula e Dilma Rousseff, os escritores Machado de Assis e Júlio Cortázar, o filósofo Jean-Paul Sartre e o cineasta Alfred Hicthcock, entre outros. R$ 1?000,00 a R$ 6?000,00. Galeria Paulo Fernandes. Rua do Rosário, 38, térreo, Centro, ☎ 2233-1537. Terça a sábado, 12h às 17h. Grátis. Até 13 de novembro. A partir de sábado (13).

FERNANDA FIGUEIREDO E EDUARDO MATTOS. Uma dupla desde 2002, os artistas exibem, em Gestern ("ontem", em alemão), uma série de obras produzidas durante residência artística em Berlim, em junho e julho deste ano. Entre os trabalhos estão o vídeo Devil?s Mountain, filmado em Teufelsberg, uma antiga estação de escuta americana desativada desde o fim da Guerra Fria, e o site specific Wasserturm (Torre de Água), uma colagem de desenhos e fotografias. Preços sob consulta. Galeria Amarelonegro Arte Contemporânea. Rua Visconde de Pirajá, 111, lojas 1 e 2, Ipanema, ☎ 2549-3950. Segunda a sexta, 14h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até dia 26. A partir de quarta (10). www.amarelonegro.com.

FERNANDO LINDOTE. Na Sala A Contemporânea, dedicada à arte brasileira emergente, 1971 ? A Cisão da Superfície reúne doze pinturas, quatro esculturas, cinco aquarelas e dois desenhos. A montagem da exposição do artista gaúcho empresta às obras a unidade de uma instalação. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 18 de novembro. A partir de quinta (11).

LUIZA BALDAN. Com curadoria de Guilherme Bueno, a individual São Casas reúne vinte fotografias e uma videoinstalação realizadas em projetos de residência artística entre 2009 e 2011. Para produzir as imagens, Luiza faz uma verdadeira imersão em lugares que ela escolhe para habitar por um mês, do Conjunto Habitacional Pedregulho, em Benfica, ao condomínio de luxo Península, na Barra. Centro Carioca de Design/Studio X. Praça Tiradentes, 40, ☎ 3176-0977. Segunda a sábado, 11h às 20h. Grátis. Até 13 de novembro. A partir de quarta (10).

PATRICIA THOMPSON. Em City Lights, que ocupa o 2º andar da galeria, a artista cria um ambiente escuro, iluminado através de backlights com fotografias feitas em Nova York. Preços sob consulta. Huma Art Projects. Rua Alfredo Chaves, 56, Humaitá, ☎ 2535-3395. Terça a sábado, 11h às 18h. Grátis. Até 11 de novembro. A partir de quinta (11). www.huma.art.br.

TRANSPERFORMANCE II ? INVENTÁRIO DOS GESTOS. Em sua segunda edição, o evento volta a propor uma reflexão sobre a potência do gesto. Mais de vinte artistas, entre brasileiros e estrangeiros, apresentam quarenta obras, de vídeos a instalações. Anna Gimein, Edwiges Dash, Ronald Duarte, Marssares, Oriana Duarte, Fernando Baena e Narda Alvarado são alguns dos participantes. A exposição propriamente dita é complementada por performances realizadas em espaços públicos da cidade, sempre dentro ou no entorno do próprio Oi Futuro. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 16 de dezembro. A partir de terça (9). www.oifuturo.org.br.

ÚLTIMA SEMANA

ARTE BARROCA E ROCOCÓ NO BRASIL ? FOTOGRAFIAS DE ALEX SALIM. Quarenta e dois registros feitos pelo fotógrafo buscam sintetizar o que foi a produção artística em estilos barroco e rococó no Brasil, no período entre os anos 1600 e 1800. Há imagens de monumentos, esculturas, pinturas, entalhamentos e edificações. Uma projeção com outras 300 fotografias, também de Salim, embalada por música barroca, completa a exposição. Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 2550-9220. → Terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriados, 14h às 18h. R$ 8,00. Grátis para menores de 5 anos, maiores de 65 e aos domingos. A bilheteria fecha meia hora antes. Até domingo (14). www.museuhistoriconacional.com.br.

150 ANOS DO GÊNIO ITALIANO ? INVENÇÕES QUE MUDARAM O MUNDO. Organizada pelo Consulado da Itália, a mostra exalta a inventividade do povo daquele país, apresentando objetos que impactaram a vida do homem no trabalho, no lazer e no cotidiano. O motor a combustão e o sinal telegráfico sem fio são algumas das invenções mostradas. Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 2550-9220. → Terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriados, 14h às 18h. R$ 8,00. Grátis para menores de 5 anos, maiores de 65 e aos domingos. A bilheteria fecha meia hora antes. Até domingo (14). www.museuhistoriconacional.com.br.

ELIFAS ANDREATO. Criador da arte do álbum Vinicius e Toquinho, de 1975, Andreato homenageia uma das estrelas daquele disco: o poeta Vinicius de Moraes (1913-1980). Toquinho, Chico Buarque, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Dominguinhos, Zeca Baleiro, Carlinhos Vergueiro, Renato Teixeira e Chico César são alguns dos quinze músicos convidados por ele para participar de O Haver ? Pinturas e Músicas para Vinicius de Moraes. Eles criaram composições inéditas inspiradas no poema O Haver, do homenageado, e fizeram, junto com o artista, pinturas que são exibidas na mostra. Vídeos que mostram encontros entre Andreato e os convidados também são exibidos. Galeria BNDES. Avenida República do Chile, 100, Centro, ☎ 2172-7119. Segunda a sexta, 10h às 20h. Grátis. Até quinta (11).

LUIZ BADIA. Intitulada Pinturas, a mostra conta com nove telas em acrílica, nas quais o artista mistura elementos clássicos, como a estátua de Davi, de Michelangelo, e contemporâneos, a exemplo de bolas de futebol e aviões. Pequena Galeria (Centro Cultural Candido Mendes). Rua da Assembleia, 10, subsolo, Centro, ☎ 3543-6436. Segunda a sexta, 10h às 19h. Grátis. Até quarta (10).

MUSEU HISTÓRICO NACIONAL ? 90 ANOS DE HISTÓRIAS. O museu celebra nove décadas com uma exposição de peças de seu acervo. Foram reunidos do primeiro item incorporado à coleção, uma farda do século XIX, ao mais recente, um uniforme de gari da companhia de limpeza urbana, de 2012. Entre os objetos mais curiosos figura um baralho com imagens de vários pontos do Rio, criado como suvenir para o centenário da Independência do Brasil. Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 2550-9220. → Terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriados, 14h às 18h. R$ 8,00. Grátis para menores de 5 anos, maiores de 65 e aos domingos. A bilheteria fecha meia hora antes. Até domingo (14). www.museuhistoriconacional.com.br.

VIAGENS DE EVA. Na casa onde viveu, a colecionadora e mecenas Eva Klabin (1903-1991) ganha exposição dedicada às viagens que fez ao longo da vida. Fotos e registros dos percursos (bilhetes, cartas, programas, folders, cartões-postais e plantas de navios), além de malas de grife, fazem parte do acervo. Curadoria de Marcio Doctors. Fundação Eva Klabin. Avenida Epitácio Pessoa, 2480, Lagoa, ☎ 3202-8550. Terça a domingo, 14h às 18h. R$ 10,00. Grátis aos domingos e para crianças de até 10 anos. Até domingo (14). www.evaklabin.org.br.

Em cartaz

✪✪✪✪ ADIR BOTELHO. Em Barbárie e Espanto em Canudos, o artista apresenta 142 expressivas obras criadas ao longo de duas décadas, de 1978 a 2001. Inspirado na Guerra de Canudos, o conjunto nunca havia sido exibido completo ao público. São duas séries. Em Canudos, de 120 xilogravuras, sobressaem as evocações de violência e desespero, mas também alusões a religiosidade e a cenas do cotidiano sertanejo. Chama a atenção a técnica apurada, com linhas grossas coexistindo com traços finos que lembram manchas de aquarelas. Em Agonia e Morte de Antônio Conselheiro, de 22 desenhos feitos com carvão, impressiona o senso de densidade, que proporciona um efeito quase tridimensional às obras. Caixa Cultural ? Galeria 3. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 11 de novembro. www.caixacultural.com.br.

ALEXANDRE SANT?ANNA. Fotógrafo premiado, com quarenta anos de carreira, Sant?Anna faz sua primeira individual. Negro reúne dezoito fotografias em grandes ampliações, feitas no Arquipélago das Anavilhanas, às margens do Rio Negro. R$ 5?000,00 a R$ 7?000,00. Galeria da Gávea. Rua Marquês de São Vicente, 431, loja A, Gávea, ☎ 2274-5200. Segunda a sexta, somente com agendamento por telefone; sábado, 11h às 18h. Grátis. Até 17 de novembro. www.galeriadagavea.com.br.

✪✪✪ ANNA LETYCIA. Discípula de Iberê Camargo (1914-1994), com quem iniciou seu aprendizado de gravura em metal na década de 50, a artista, nascida em Teresópolis, é considerada hoje uma das mais importantes gravadoras brasileiras. Aos 82 anos, ela tem sua premiada trajetória celebrada nesta retrospectiva. Os 77 trabalhos reunidos perpassam toda a carreira de Anna ? o que dá ao visitante a oportunidade de acompanhar diferentes rumos tomados ao longo do tempo. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. → Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até dia 28. www.mnba.gov.br.

✪✪✪ ANTONIO DIAS. Há oito anos sem fazer uma individual em galerias cariocas, o artista apresenta uma série de dez dípticos fotográficos produzidos no fim da década de 80. Para chegar ao resultado, Dias interveio sobre a superfície da foto durante o processo de revelação. Some-se a isso o fato de que as imagens foram, posteriormente, digitalizadas e impressas sobre tela, e o resultado é um interessante efeito visual. Aos espíritos mais sensíveis, um aviso: a maioria das imagens evoca o órgão sexual masculino. Curadoria de Vanda Klabin. R$ 30?000,00 a R$ 50?000,00. Athena Contemporânea. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), lojas 210 e 211, ☎ 2513-0239. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até dia 19.

AOLEO E CLAIRE DE SANTA COLOMA. Com curadoria de Antonia Gaeta, a coletiva A Ordem Complexa reúne fotografias do carioca AoLeo e uma instalação de Claire, argentina radicada atualmente em Lisboa. Preços sob consulta. Progetti. Travessa do Comércio, 22, Centro, ☎ 2221-9893. Terça a sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 10 de novembro. www.progettirio.com.

✪✪✪ ARTISTAS BRASILEIROS NA ITÁLIA. Fundada por dom João VI em 1826, a Academia Imperial de Belas-Artes travou, desde o seu surgimento, um profícuo diálogo com a produção artística da Itália. Herdeiro do acervo da instituição, o Museu Nacional de Belas Artes joga luz sobre essa parceria abrigando a mostra com 95 obras, entre pinturas, esculturas, desenhos e gravuras, de 38 criadores. Sobressaem no acervo alguns dos artistas da Academia Imperial que estiveram na Itália na segunda metade do século XIX, como os irmãos Félix (1866-1905), Rodolfo (1852-1931) e Henrique Bernardelli (1857-1936) ? é desse último o belo óleo Maternidade ?, além de Victor Meirelles (1832-1903). Entre as criações desse grupo, no entanto, a atração mais importante é o imponente óleo Turbínio, de Antônio Parreiras (1860-1937). Restaurada, a tela volta a ser exibida após mais de cinquenta anos. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. → Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até 4 de novembro. www.mnba.gov.br.

BERNARD PRAS. O artista francês trabalha de maneira curiosa: usando todo tipo de cacarecos, ele faz uma grande instalação, construindo nela uma imagem que só pode ser compreendida quando observada de um ponto de vista específico. Em geral suas mostras apresentam apenas fotografias dessas criações. Aqui, porém, ele ocupa o 1º andar da galeria com uma instalação que reproduz a tela Samba, de Di Cavalcanti, perdida no recente incêndio do apartamento do colecionador Jean Boghici. No 2º piso estão seis fotos. R$ 42 000,00. Sérgio Gonçalves Galeria. Rua do Rosário, 38, Centro, ☎ 2263-7353 e 2253-0923. Terça a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 18h. Grátis. Até 30 de novembro.

✪✪✪ BRÍGIDA BALTAR. Foi a partir de um verso de Habanera, ária da ópera Carmen, de Bizet, que a artista batizou a exposição O Amor do Pássaro Rebelde. A cantora lírica Gabriella Besanzoni (1888-1962), que interpretou Carmen e viveu no casarão do Parque Lage, onde acontece a mostra, inspira um vídeo no qual Brígida recria de maneira onírica os famosos saraus promovidos por ela em sua residência. Outros três vídeos, inseridos em caixas de madeira que se assemelham a bocas de cena, apresentam Habanera, cantada pela meio-soprano Carla Odorizzi. Em imagens quase surrealistas, filmadas nas dependências do Parque Lage, Odorizzi se mistura a personagens híbridos, alguns fundindo seres humanos e bichos. Completam o acervo duas esculturas ? um lustre pendurado a uma distância mínima do chão, como se estivesse caindo, e uma maquete do casarão do parque. Escola de Artes Visuais do Parque Lage ? Cavalariças. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. 10h às 17h. Grátis. Até dia 28. www.eavparquelage.rj.gov.br.

✪✪✪ CARLA GUAGLIARDI. O Lugar do Ar é o nome da grande instalação com a qual a artista carioca ocupa o salão principal do térreo da galeria, na mostra Os Cantos do Canto. Trata-se de uma versão do trabalho que ela expôs na Alemanha em 2000. Com barras de ferro suspensas por elásticos, a obra vai se expandindo lentamente ao longo da mostra. O aparentemente frágil equilíbrio da criação instaura certa tensão no observador. A mesma sensação se tem diante das esculturas do acervo ? algumas delas feitas de vidro e balões de látex perto de estourar a qualquer momento, outras de madeira e bolas de espuma que dão a impressão de estar em queda iminente. Uma fotografia completa o acervo. A partir de R$ 3?000,00. Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até dia 20. www.anitaschwartz.com.br.

UMA CASA REAL MODERNA ? A MODERN ROYAL HOUSEHOLD. O Palácio Frederik VIII, considerado uma joia do barroco dinamarquês, fica em Copenhague. Convidados a realizar intervenções em seus ambientes, dez artistas tiveram suas criações registradas em fotos por Torben Eskerod e Roberto Fortuna ? uma série destas imagens está na exposição. Os visitantes também podem conhecer um pouco do artesanato, arquitetura, arte e decoração da Dinamarca. Caixa Cultural ? Espaço Livraria. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-7666, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até dia 21. www.caixacultural.com.br.

CHINA REVELADA. Mais de 200 peças de arte chinesa, pertencentes à coleção da Carvalho Hosken, são exibidas. Há objetos em porcelana, esculturas em marfim, madeira e bronze, mobiliário e estátuas de figuras humanas e animais, entre outros itens. Curadoria de Maurília Castello Branco. Espaço Cultural Península. Avenida Flamboyants, 500 (Península), Barra. Quinta e sexta, 14h às 21h; sábado, 10h às 21h; domingo, 10h às 19h. Grátis. Até 18 de dezembro.

✪✪ CRISTINA SALGADO. Ver para Olhar é o nome da mostra e também da única obra presente: uma instalação composta de 28 cadeiras, poltronas e bancos. Sobre cada uma delas repousam caixas com orifícios através dos quais passa uma imagem emitida por um projetor ? imagem esta que incide no encosto de uma cadeira, revelando a silhueta de uma mãe e de sua filha pequena. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 25 de novembro. www.pacoimperial.com.br.

✪✪✪ ELISA BRACHER. Quatro desenhos e seis gravuras de grandes dimensões, feitas sobre papel de arroz entre 2008 e 2010, integram a maior e mais interessante parte do acervo. Nos desenhos, a artista se vale de uma série de materiais, como tinta, bastão a óleo, giz litográfico, verniz e carvão, para criar imagens de beleza abstrata. Na mesma linha são as gravuras em metal. O delicado papel utilizado nas obras valoriza as imagens. Uma escultura de madeira e chumbo completa a seleção. A partir de R$ 12?000,00. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rua João Borges, 86, Gávea, ☎ 2294-4305. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até dia 20. www.mercedesviegas.com.br.

ERNESTO NETO. Originalmente criada para o Faena Art Center, em Buenos Aires, a instalação ObichoSusPensoNaPaisaGen ocupa a Estação Leopoldina. Trata-se de uma espécie de jardim suspenso, que convida o público a subir nele, promovendo uma experiência que evoca a imersão em uma pintura tridimensional. Estação Leopoldina. Rua Francisco Bicalho, s/nº, Centro. Informações, ☎ 7932-2332. Quarta a sexta, 13h às 21h; sábado, 11h às 21h; domingo, 10h às 17h. Grátis. Até dia 16.

✪✪✪ ESPELHO DA ARTE ? A ATRIZ E SEU TEMPO. Com curadoria do ator e artista plástico Ivan Izzo, a mostra homenageia Regina Duarte e seus cinquenta anos de carreira. A rica exposição é dividida em sete ambientes. Cinco são dedicados a cada uma das décadas da atriz na televisão e arrumados como cômodos de uma casa, com características específicas de época ? referência ao lar típico dos brasileiros, "invadido" pela estrela através da TV. A ideia é curiosa: os porta-retratos do quarto, por exemplo, têm fotos de Regina e sua família, ao lado da vitrola repousam discos de trilhas sonoras de novelas em que ela atuou e os aparelhos de TV exibem capítulos com ela. Trabalhos antológicos, como sua encarnação da Viúva Porcina em Roque Santeiro (1985), estão lá. Há ainda espaços voltados para desempenhos da atriz no teatro e no cinema. Os visitantes encontram cerca de 2?000 fotos, mais de oito horas de vídeo, entre entrevistas e cenas de suas atuações, figurinos e objetos de acervo pessoal. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até dia 28. www.correios.com.br.

FINALISTAS PIPA 2012 ? MARCIUS GALAN, MATHEUS ROCHA PITTA, RODRIGO BRAGA E THIAGO ROCHA PITA. Os quatro artistas listados no nome da exposição são os finalistas da atual edição do Prêmio Investidor Profissional de Arte (Pipa). Galan apresenta uma instalação, Matheus comparece com esculturas, Braga mostra fotografias e Thiago (irmão gêmeo de Matheus) exibe um vídeo e uma escultura de chão. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e para todos na quarta, a partir das 15h. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 2 de dezembro. www.mamrio.com.br.

✪✪✪✪ FIO CONDUTOR. Estava tudo encaminhado para uma nova coletiva na Graphos: Brasil quando Ricardo Duarte, dono da galeria no Shopping dos Antiquários, foi apresentado à obra da portuguesa Susana Anágua. Encantado, resolveu incluí-la na mostra ? e com destaque. Para tanto, parou a reforma em um imóvel no mesmo centro comercial, para onde a galeria deve se mudar até o fim do ano. Ali, entre canos expostos, azulejos quebrados e penumbra, instalou dois vídeos, uma instalação, desenhos, três criações em backlight e uma magnífica videoinstalação: em (Ir)Reversible Systems ? Double Side Version, a projeção dupla emite uma luz que parece correr sobre fios de algodão, causando efeito hipnótico. Para conhecer essa parte da exposição, porém, é preciso antes ir à atual Graphos, onde se encontram os outros dezesseis artistas de Fio Condutor (além da própria Susana, com mais um trabalho), e pedir uma visita guiada. A ideia de linha contínua perpassa todas as obras, às vezes temperada por humor, como em Weaver, da argentina Liliana Porter, em que uma senhorinha tricota a lã de um novelo gigante. Em meio a trabalhos em diversas técnicas, destacam-se nomes como Carlos Vergara, Waltercio Caldas, Vik Muniz e Anna Bella Geiger. Atenção: a parte da mostra dedicada a Susana só fica em cartaz até sábado (13). R$ 4?000,00 a R$ 40?000,00. Graphos: Brasil. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), 2º piso, Copacabana, ☎ 2256-3268, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 18h. Grátis. Até dia 26.

✪✪✪ GIL70. Gilberto Gil é homenageado pela passagem de seus 70 anos. Vinte e cinco artistas plásticos, poetas, videomakers, músicos, cineastas, programadores visuais e designers apresentam 21 trabalhos, entre pintura, grafite, vídeo, fotografia, escultura, poesia visual e instalação, inspirados em canções do compositor ou dedicados a ele. Comparecem nomes como Arnaldo Antunes, Antonio Dias, Lula Buarque de Hollanda, Raul Mourão, Omar Salomão, Caetano Veloso, Andrucha Waddington e Luiz Zerbini. Como era de esperar de um artista cujo apreço pela eletrônica é notório, há uma série de instalações tecnológicas, muitas delas interativas ? caso de Corações a Mil (2012), de Adriana Calcanhotto, em que um coração numa tela vai se estilhaçando a cada passo que o visitante dá em sua direção. A exposição conta ainda com displays nos quais o visitante pode escutar setenta de suas mais conhecidas canções. Vídeos, áudios e uma linha do tempo contam a história do artista baiano. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até dia 28. www.correios.com.br.

GUILLAINE QUERRIEN. Paisagens marinhas e montanhas são as imagens trabalhadas pela artista francesa em Fluxos e Relevos. O acervo reúne catorze óleos sobre tela e nove pastéis sobre papel. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até dia 28. www.correios.com.br.

ISAQUE PINHEIRO. Em Corre por Gosto e Não Cansa, o artista português ocupa a galeria e o anexo com sete esculturas feitas de diversos materiais: mármore, couro, aço e madeira. R$ 4?000,00 a R$ 35?000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até 3 de novembro. www.lauramarsiaj.com.br.

JOSÉ BENTO. Depois de montar uma instalação em conjunto com Cao Guimarães na Gentil Carioca, o artista baiano ocupa a galeria pela primeira vez com uma individual. Em uma das salas, intervém na arquitetura do imóvel com uma rampa que se projeta para a rua. Em outra, uma grande escultura inédita divide o espaço, ocupado ainda por dois vídeos e outras quatro esculturas. Preços sob consulta. A Gentil Carioca. Rua Gonçalves Ledo, 17, Centro, ☎ 2222-1651. Terça a sexta, 12h às 19h; sábado, 12h às 17h. Grátis. Até 3 de novembro. www.agentilcarioca.com.br.

✪✪✪ LASAR SEGALL. Lituano radicado no Brasil em 1923, o artista tornou-se um dos nomes mais importantes do modernismo no país. Criador completo, ele ganhou notoriedade como pintor, mas, ao longo da carreira, dedicou-se a técnicas variadas, presentes em Lasar Segall ? Obras sobre Papel: Pinturas, Desenhos e Gravuras. Max Perlingeiro, o curador, selecionou 72 trabalhos de Segall (1891-1957) que têm em comum o papel como suporte (a única exceção é Vigília Fúnebre, um óleo que dialoga com uma xilogravura homônima, também presente na mostra). Boa parte das criações, pertencentes ao acervo da família do artista, nunca foi exibida. Os temas são diversos, com predominância de figuras humanas, autorretratos inclusive. Há ainda naturezas-mortas e paisagens. Muitas obras são acompanhadas de um bônus precioso: códigos de barras (QR Code) franqueiam, através de celulares com câmera, mais informações sobre a exposição. Pinakotheke Cultural. Rua São Clemente, 300, Botafogo, ☎ 2537-7566. Segunda a sexta, 10h às 18h; sábado, 10h às 16h. Grátis. Até dia 20.

LAURO ROBERTO. Suite Voláctea é o nome da série de quarenta trabalhos que o artista apresenta na individual. Trata-se de desenhos criados na superfície interna prateada de caixas de leite longa vida. A técnica é curiosa: primeiro, o suporte é coberto de tinta preta, que depois será raspada, dando origem aos traços da ilustração. R$ 2?000,00. Livre Galeria. Rua Jardim Botânico, 719, loja 29, Jardim Botânico, ☎ 3256-7720. Terça a sábado, 14h às 19h. Grátis. Até 3 de novembro.

LEILA DANZIGER. A situação política do Oriente Médio inspira a individual Felicidade-em-Abismo. Duas cristaleiras projetadas para abrigar vídeos realizados durante a estadia da artista em Israel, em 2011, uma série de cinco fotografias, feitas a partir de um suvenir de Jerusalém, e dois poemas, que fazem parte do livro Três Ensaios de Fala, a ser lançado por Leila em novembro, integram o acervo exibido. Escola de Artes Visuais do Parque Lage ? Capela. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. 10h às 17h. Grátis. Até 2 de dezembro. www.eavparquelage.rj.gov.br.

✪✪✪ LUIZ AQUILA. Na mostra Quase Tudo, a Never Ending Tour, o artista assina cerca de 200 criações produzidas nos últimos cinquenta anos. Coube ao curador Lauro Cavalcanti, diretor do Paço Imperial, apresentar a obra de um artista difícil de rotular. O acervo reúne gravuras, desenhos, colagens e pinturas ? algumas abstratas e de colorido abundante, a exemplo da acrílica Pintura com Alguns Riscos (2009). A imponente Canteiro de Obras (2002), uma das muitas telas de grandes dimensões presentes, assemelha-se a um gigantesco papiro desenrolado, de 1,5 metro de altura por 36 metros de comprimento. Chama atenção a maneira como os trabalhos foram distribuídos: não agrupados por época, como seria de esperar em uma retrospectiva, mas por afinidade estética. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 25 de novembro. www.pacoimperial.com.br.

MARIA LEONTINA. Morta em 1984, aos 66 anos, a artista, que foi casada com o pintor Milton Dacosta (1915-1988), tem 46 obras apresentadas na individual. São quarenta óleos e seis guaches nunca antes exibidos, criados entre as décadas de 40 e 80. R$ 39?000,00 a R$ 390?000,00. Galeria de Arte Ipanema. Rua Aníbal de Mendonça, 27, Ipanema, ☎ 2512-8832. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até dia 31.

✪✪✪ NELSON LEIRNER. Aos 80 anos, completados em janeiro, o artista apresenta uma única instalação em Quadro a Quadro: Cem Monas. São 100 imagens estilizadas da Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, exibidas dentro de caixas de acrílico ? a retratada aparece de brincos, de batom, com bigode, ostentando arranjos na cabeça ou máscaras etc. A ideia é promover uma reflexão sobre a banalização desta que é uma das obras mais famosas de todos os tempos. R$ 25?000,00 cada imagem. Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até dia 20. www.silviacintra.com.br.

OIR ? OUTRAS IDEIAS PARA O RIO. Conhecidas paisagens cariocas são transformadas pela presença de criações monumentais dos artistas reunidos no projeto OiR, abreviação de "Outras Ideias para o Rio", com curadoria de Marcello Dantas. Jaume Plensa, espanhol, desenvolveu uma enorme cabeça, de 12 metros de altura, que flutua na Enseada de Botafogo. O americano Robert Morris, veterano de 82 anos, idealizou um labirinto triangular de vidro, aberto à visitação, instalado na Cinelândia. Outro penetrável, o domo de argila concebido pelo inglês Andy Goldsworthy fica perto do Centro Cultural da Ação da Cidadania, no Cais do Porto. Único brasileiro convocado, Henrique Oliveira desenvolveu para o Parque de Madureira a escultura de madeira pela qual o espectador também pode passear. Confira os endereços em www.oir.art.br. Robert Morris: 8h às 22h. Andy Goldsworthy: terça a domingo, 9h às 18h. Henrique Oliveira: terça a domingo, 5h às 22h. Grátis. Até 2 de novembro.

✪✪✪ OSWALDO GOELDI. Entre 1944 e 1953, Goeldi (1895-1961) dedicou-se a ilustrar quatro livros do russo Fiódor Dostoiévski (1821-1881): Humilhados e Ofendidos, Memórias do Subsolo, O Idiota e Recordações da Casa dos Mortos. Um conjunto de 94 destes trabalhos integra a exposição. De tão expressivas, essas peças foram incorporadas à iconografia do escritor, tendo aparecido, inclusive, em livros publicados na Rússia. A maioria das obras é de xilogravuras, predominantemente escuras, com finos traços brancos compondo desenhos econômicos, mas ainda assim carregados de melancolia. Os desenhos feitos para O Idiota, por outro lado, foram produzidos com bico de pena. Curadoria de Lani Goeldi. Caixa Cultural ? Galeria 2. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 18 de novembro. www.caixacultural.com.br.

PATRIZIA D?ANGELLO. Em No Embalo das Minhas Paixões, a artista exibe oito pinturas a óleo e aquarela, três desenhos de pastel seco e caneta hidrocor, sete fotografias e quatro projeções. Curadoria de Ivair Reinaldim. Galeria de Arte Ibeu. Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 690, 2º andar, Copacabana, ☎ 3816-9400, ? Siqueira Campos. → Segunda a sexta, 13h às 19h. Grátis. Até dia 19. www.ibeu.org.br.

RAUL MOURÃO. Em Homenagem ao Cubo, são exibidas nove esculturas cinéticas, tipo de obra que tem atraído a atenção do artista nos últimos anos. Produzidas em 2012, as peças apresentam cubos que se movem. O título da exposição remete à célebre série do artista alemão Josef Albers, Homenagem ao Quadrado. R$ 25?000,00 a R$ 75?000,00. Lurixs: Arte Contemporânea. Rua Paulo Barreto, 77, Botafogo, ☎ 2541-4935. Segunda a sexta, 14h às 19h; sábado, apenas com agendamento por telefone. Grátis. Até 23 de novembro. www.lurixs.com.

✪✪✪ ROBERTO MAGALHÃES. Em 1962, aos 22 anos, o jovem da Ilha do Governador muniu-se de coragem e decidiu submeter algumas ilustrações a uma avaliação na Escola Nacional de Belas Artes. Saiu de lá com o convite para exibi-las naquela que seria sua primeira individual. No último meio século, Magalhães construiu a carreira privilegiando o desenho. Essa trajetória consagrada é celebrada na retrospectiva Quem Sou, de Onde Vim, para Onde Vou, reunião de 168 trabalhos. O nome da mostra é o mesmo de um pastel criado em 1992, retrato de um homem com duas cabeças. Um tom surrealista aparece nessa e na maioria das obras expostas. O visitante é surpreendido a todo momento por pessoas fundidas a animais, rostos desconstruídos, torções corporais impossíveis e imagens abstratas com textos às vezes ininteligíveis, como em Mandala Enigmática (2012). Curadoria de Lauro Cavalcanti. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 25 de novembro. www.pacoimperial.com.br.

✪✪✪ ROSANA RICALDE. Coletânea de 122 histórias de rara concisão, algumas com menos de uma página, o livro Contos da Palma da Mão, do japonês Yasunari Kawabata (1899-1972), inspirou a artista a criar as obras reunidas em ...Histórias que Cabem na Palma da Mão... ou Poe­mas Pendurados. A maior parte do acervo é constituída de onze ilustrações, pertencentes à série Histórias que Cabem na Palma da Mão. Seus traços finos feitos com nanquim evocam os mehndis, intrincados desenhos usados para enfeitar as mãos de mulheres em países asiáticos. As imagens são construídas por meio da superposição de desenhos sobre folhas de papel vegetal, causando um curioso efeito de tridimensionalidade. Uma joia, uma instalação, um backlight, um desenho sobre vidro e fotografia, uma pintura em papel e uma colagem completam o acervo. R$ 10?000,00 a R$ 120?000,00. CosmoCopa Arte Contemporânea. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping Cidade Copacabana), sala 32, ☎ 2236-4670, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até dia 20. www.cosmocopa.com.

6B ? DESENHO CONTEMPORÂNEO BRASILEIRO. Quarenta e sete artistas, entre eles Manfredo de Souzanetto, Hilton Berredo, Gianguido Bonfanti, Milton Machado, André Dahmer, Roberto Magalhães, Daniel Senise, Fausto Fawcett e Julia Debasse, estão reunidos nesta coletiva. Como sugere o nome, são exibidos apenas desenhos, feitos em papel, madeira, tela e outros suportes. A técnica é abordada em uma acepção ampla: há obras que incorporam elementos de fotografia, vídeo e instalação. Curadoria de Mauro Trindade. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, Cinelândia, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até dia 28.

TABLADO EM CARTAZ. Criado por Maria Clara Machado (1921-2001), o teatro-escola O Tablado ganha uma exposição com vasto acervo iconográfico. Cartazes, vídeos e fotografias integram a mostra. Curadoria de Julieta Sobral e João de Souza Leite. Caixa Cultural ? Grande Galeria. Avenida República do Chile, 230, Centro, ☎ 2262-8152, ? Carioca. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 14h às 18h. Grátis. Até 11 de novembro.

TERESA BERLINCK. Na individual Livro Aberto, a paulistana exibe quatro séries de trabalhos que têm como tema comum o livro. Livro Aberto Noite Americana e Eldorado, por exemplo, são páginas de livros com desenhos elaborados a partir de obras de Goya e de Hokusai, que se relacionam com cenas do filme Iracema, uma Transa Amazônica, de Jorge Bodanzky. R$ 2?800,00 a R$ 15?000,00. Galeria Coleção de Arte. Praia do Flamengo, 278, térreo, Flamengo, ☎ 2551-0641. → Segunda a sábado, 10h às 18h. Grátis. Até dia 27. www.colecaodearte.com.br.

✪✪✪ WALTERCIO CALDAS. É difícil definir a obra do artista carioca, nome da cena contemporânea brasileira presente em três edições da Bienal de São Paulo, além de sua prestigiada correspondente de Veneza, em 1997. Ele também não facilita: chamou de "situações" os cinco trabalhos atualmente expostos na Casa França-Brasil ? em delicioso contraste com a construção histórica erguida na primeira metade do século XIX. Três das criações reunidas na mostra Cromática estão interligadas e ocupam o salão central. São enormes ambientes, cada um de uma cor, que fazem o visitante se sentir mergulhando no amarelo, no vermelho e no azul. Nas salas laterais, nas quais o espectador pode efetivamente entrar, prossegue a experiência sensorial: Filme Rápido, com livros, espelhos e taças quebradas, evoca o negro em um local de penumbra, enquanto Superfície Internacional remete à claridade suave de um quarto de bebê. Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. → Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até dia 21. www.fcfb.rj.gov.br.

Fotografia

LUIZ GARRIDO. Conhecido por seu trabalho em moda e publicidade, o fotógrafo apresenta dez obras, entre fotografias individuais, dípticos e trípticos, na individual Nudes. Como o nome sugere, as imagens são de nus femininos. Preços sob consulta. Galeria Tempo. Avenida Atlântica, 1782, loja E, Copacabana, ☎ 2255-4586. Terça a sábado, 11h às 19h. Grátis. Até dia 27.

MARIO DONATO. Com curadoria de Flavio Damm, um dos fotógrafos mais renomados do país, a exposição apresenta trinta registros em preto e branco de a cidade de Londres. Persoangens, edifícios e cenas urbanas clicadas ao longo de quarenta anos compõem o acervo. Centro Cultural da Light. Rua Marechal Floriano, 168, Centro, ☎ 2211-4515. Segunda a sexta, 11h às 17h. Grátis. Até dia 19.

✪✪✪ OLHAR TÁTIL ? NOVOS SENTIDOS DA FOTOGRAFIA CONTEMPORÂNEA. Doze artistas participam da mostra, que reúne 21 ampliações em grandes formatos, sem unidade temática aparente. Paisagens, retratos e instantâneos têm em comum a proposta de desafiar a percepção visual. Os autores são André Sheik, Bruno Veiga, Henrique Koifmann, Ivani Pedrosa, Leonardo Aversa, Marcos Bonisson, Nadam Guerra, Paulo Sérgio Nascimento, Renato Velasco, Ricardo Fasanello, Teresa Salgado e Zeka Araújo. Curadoria de Mauro Trindade. Centro Cultural Justiça Federal ? Gabinete de Fotografia. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, Cinelândia, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até dia 28.

ROGER BALLEN. Radicado a partir de 1982 na África do Sul e ainda em atividade (sempre munido de uma Rolleiflex analógica, diga-se), o americano é objeto da mostra Roger Ballen Transfigurações, Fotografias ? 1968-2012. Com curadoria de Daniella Géo, a exposição é a primeira retrospectiva do artista na América Latina. São apresentadas oito séries fotográficas com, no total, mais de uma centena de imagens. Sempre em preto e branco, estão lá os seus primeiros registros, onde aparecem americanos gritando palavras de ordem em manifestações pelos direitos civis e cenas cotidianas flagradas na rua. De Boyhood, título do seu livro de estreia, lançado em 1979, foram pinçados retratos de crianças de várias culturas. Os seis conjuntos restantes contemplam a produção realizada na África do Sul ? ora enquadrando a arquitetura de pequenas cidades, como em Dorps, realizada na primeira metade dos anos 80, ora seus habitantes, alvo da câmera em Platterland e Outland, que abrangem de 1986 até 2000. Shadow Chamber e Boarding House, ambas desenvolvidas em edifícios de empresas mineradoras, e Asylum, sua mais recente série, ainda inacabada, completam a seleção. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM e menores de 12 anos. Entrada franca na quarta, a partir das 15h. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 2 de dezembro. A partir de terça (4). www.mamrio.com.br

Fonte: VEJA RIO