ROTEIRO DA SEMANA

Exposições

Nosso crítico percorreu as melhores exposições para indicar o que você não pode perder

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

ESTREIAS

ATERRO NO FLAMENGO: O RESTO É ARTE!. Obras produzidas com lixo, ferro-velho e outros materiais descartados compõem a exposição. Artur Barrio, Vik Muniz, Edmilson Nunes, Marcos Cardoso, Jorge Fonseca, Quenum, Deneir e Leo Batistelli são os artistas reunidos. R$ 2 000,00 a R$ 180000,00. Galeria Coleção de Arte. Praia do Flamengo, 278, térreo, Flamengo, ☎ 2551-0641. 10h/18h. Grátis. Até domingo (24). A partir de segunda (18).

[ECO]: O MEIO AMBIENTE VISTO POR COLETIVOS FOTOGRÁFICOS. Entre os grupos participantes da mostra, a brasileira Cia de Foto exibe Chuva, série mostrando o impacto de 42 dias de temporal em São Paulo. Também foram convocados representantes de Espanha, Costa Rica, México, Venezuela, Peru e Argentina. Curadoria do espanhol Claudi Carreiras. Instituto Cervantes -- Sala de Exposições. Rua Visconde de Ouro Preto, 62, Botafogo, ☎ 3554-5910, ? Botafogo. → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até 21 de julho. A partir de quarta (20). www.riodejaneiro.cervantes.es.

METARA+20. Walter Carvalho, Evandro Teixeira, José Amarílio Jr., Antonio Villeroy, Flavio Mac, Pedro Jardim de Mattos, Marcos Sêmola, Xico Chaves, Pablo Lehmann, Susi Sielski Cantarino, Norma Zarazua, Rogerio Tunes, Rogerio Camacho e Ana Carolina exibem obras inéditas. Há trabalhos em vários suportes, a exemplo de fotografias e pinturas em técnica mista. A ideia é que todos evoquem a atmosfera do Rio+20. R$ 500,00 a R$ 17000,00. Galeria de Arte Metara. Rua Teixeira de Melo, 25-A, Ipanema, ☎ 2523-5225. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até 2 de julho. A partir de terça (19).

REGINA SILVEIRA. 1001 Dias é o nome da exposição e também de uma videoinstalação da artista, que exibe uma sucessão contínua de dias e noites, em uma imagem que ora se contrai, ora se expande, como no obturador de uma câmera fotográfica. Completam o acervo uma série de gravuras e um múltiplo. R$ 6000,00 a R$ 40000,00. Largo das Artes. Rua Luís de Camões, 2, Largo de São Francisco, Centro, ☎ 2224-2985, ? Uruguaiana. Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, 12h às 17h. Grátis. Até 21 de julho. A partir de terça (19). www.largodasartes.com.br.

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪ ADIR BOTELHO. Nos anos 50, o carioca foi assistente de Oswaldo Goeldi (1895-1961), um dos mais importantes gravadores brasileiros. Agora, com curadoria da sobrinha do mestre, Lani Goeldi, Botelho apresenta 59 belas xilogravuras, além de uma matriz. Feitas entre o fim dos anos 50 e a década de 90, as obras exibem figuras humanas, anjos e paisagens da cidade -- como na notável série dedicada ao bairro do Catumbi, em que as finas linhas brancas que formam os desenhos convidam a uma apreciação de perto. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até domingo (24). www.correios.com.br.

EDUARDO CLIMACHAUSKA. Apenas duas peças escultóricas compõem a exposição Felicidade de Arranha-Céu. Uma delas, Ho-ba-la-lá, é formada por duas pedras de mármore branco unidas entre si e presas à parede por finos cabos de aço. A segunda, que tem o mesmo nome da mostra, é um arranjo com chapas de zinco, cal e vidro fumê. R$ 30000,00 e R$ 40000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até sábado (23). www.lauramarsiaj.com.br.

✪✪✪✪ ELISEU VISCONTI. Nascido na Itália, Visconti (1866-1944) exerceu com talento a transição entre a escola acadêmica e o modernismo no Brasil, como revela Eliseu Visconti A Modernidade Antecipada. No acervo reunido, de 250 peças, entre óleos, desenhos, cerâmicas, fotos e objetos pessoais, também é ressaltado seu pioneirismo no design, na qualidade de criador de cartazes de propaganda e selos. Outra parte da coleção traz ainda estudos feitos para o Theatro Municipal -- o histórico prédio da Cinelândia é decorado com diversas pinturas dele. Destaque também para a tela Sonho Místico (1897), que não era exibida no Brasil há mais de um século. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até domingo (24). www.mnba.gov.br.

O FUTURO QUE QUEREMOS. O principal módulo da mostra, chamado Caminhos do Desenvolvimento Consequências e Soluções, tem curadoria de Claudia Buzzetti e apresenta 87 registros em preto e branco de nove fotógrafos: Alixandra Fazzina, Francesco Zizola, Jan Garup, Jon Lowenstein, Kadir Van Lohui-Zen, Nina Berman, Pep Bonet, Stanley Greene e Yuri Kozyrev. As imagens têm como tema os efeitos devastadores das mudanças climáticas sobre o planeta e algumas soluções sustentáveis para minimizar os problemas. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 19h. Grátis. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até sábado (23). www.mamrio.com.br.

IRMÃOS GUIMARÃES E ISMAEL MONTICELLI. Dois dos três diretores da peça Nada, em cartaz no Oi Futuro Flamengo, Adriano e Fernando Guimarães conceberam, junto com o cenógrafo Ismael Monticelli, a instalação Rumor, formada por 4000 objetos de vidro, além de um piano, que ocupa toda a sala do teatro. Cenário do espetáculo, a obra também está aberta à visitação fora das sessões. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça e quarta, 11h às 20h; quinta, sexta e domingo, 11h às 17h; sábado, 11h às 15h. Grátis. Até domingo (24). www.oifuturo.org.br.

✪✪✪ MOSTRA CARIOCA. Realizadas em diferentes técnicas e suportes, a exemplo de pintura, desenho, escultura, instalação, fotografia e xilogravura, 44 obras do acervo do MAM estão na exposição. Não há exatamente uma unidade temática entre os trabalhos, exceto pelo fato de que todos os artistas representados vivem ou viveram no Rio: Abraham Palatnik, Adriana Varejão, Alair Gomes, Antonio Manuel, Brigida Baltar, Cabelo, Djanira, Hélio Oiticica, Ione Saldanha, Ivan Serpa, Lygia Clark, Marcos Chaves, Oswaldo Goeldi, Paula Trope, Raul Mourão e Raymundo Colares. Na coleção sobressaem criações como dois parangolés de Oiticica (que também comparece com uma série de obras em guache sobre cartão) e três objetos cinéticos de Palatnik. Curadoria de Luiz Camillo Osorio. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 19h. Grátis. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até sábado (23). www.mamrio.com.br.

✪✪✪ NOVAS AQUISIÇÕES -- 2010-2012 -- COLEÇÃO GILBERTO CHATEAUBRIAND. Aos cuidados dos curadores Luiz Camillo Osorio e Marta Mestre, a seleção dos trabalhos levou a setenta criações de 46 artistas brasileiros que, reunidas, oferecem pistas valiosas sobre a cena contemporânea do país. No rol, misturam-se nomes de talento reconhecido, como Laercio Redondo e Leda Catunda, e em ascensão, a exemplo de Otavio Schipper, Gustavo Speridião e Daniel Lannes. Produzidas entre 1985 e 2011, as peças englobam uma grande variedade de técnicas, entre elas fotografia, serigrafia, pintura, desenho, escultura e colagem. A seleção de obras dialoga com Genealogias do Contemporâneo, exposição de longa duração também em cartaz no MAM, que reúne peças mais antigas de artistas consagrados da coleção de Chateaubriand -- trabalhos de Lasar Segall, Tunga e Hélio Oiticica, por exemplo, foram remanejados para se misturar às novas aquisições, enquanto algumas destas foram deslocadas para Genealogias. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 19h. Grátis. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até sábado (23). www.mamrio.com.br.

PAULO PAES. Em Pneumática, o artista paraense radicado no Rio exibe o resultado de uma pesquisa sobre balões de papel, feita a partir do contato com essa prática nas zonas Norte e Oeste da cidade. São expostas nove esculturas de papel de seda, a menor com quase 3 metros e a maior com mais de 4 metros de altura, infladas por ventoinhas, além de um painel feito com o mesmo material. Palácio Gustavo Capanema -- Mezanino. Rua da Imprensa, 16, Centro, ☎ 2279-8089, ? Cinelândia. Segunda a sexta, 9h às 18h. Grátis. Até sexta (22).

RAFAEL ZAVAGLI. Telas como It?s a Dog House, que mostra um cachorro e um canil num gramado verde, estão na mostra Breves Terrenos para uma Pintura, do artista mineiro. Outros quatro óleos completam o pequeno acervo. R$ 6000,00 a R$ 30000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até sábado (23). www.lauramarsiaj.com.br.

✪✪✪✪ ROBERT DOISNEAU. O mais famoso trabalho do fotógrafo francês, O Beijo do Hotel de Ville, de 1950, está entre as 152 imagens reunidas na mostra Simplesmente Doisneau. Nascido nos arredores de Paris, Robert Doisneau (1912-1994) acompanhou o crescimento da capital francesa e o impacto, na cidade, dos grandes acontecimentos do século XX. A exposição montada para celebrar seu centenário é um desfile de retratos de gente expressiva crianças, casais, famílias, mendigos, soldados, artistas, comerciantes que ajuda a contar essa história. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até domingo (24).

SIRON FRANCO. Aproveitando o ensejo da Rio+20, o artista goiano apresenta Brasil Cerrado, uma grande videoinstalação sensorial. A obra estende-se por mais de 600 metros quadrados, distribuídos ao longo de quatro salas, além de dois grandes painéis. Trata-se de uma viagem à Região Centro-Oeste do país, através da qual o visitante é posto diante de imagens, cheiros, sons e sensações táteis. Em uma das salas, uma parede é ocupada pela projeção de uma cachoeira, enquanto o espectador sente o aroma de terra molhada e escuta o barulho da água caindo. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 19h. Grátis. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até sábado (23). www.mamrio.com.br.

✪✪✪✪ TUTTO FELLINI. Alentado tributo ao diretor italiano Federico Fellini (1920-1993). Quatrocentos itens, incluindo cartazes de longas e fotografias, estão expostos. Do trabalho para a realização de um dos seus muitos clássicos, A Doce Vida (1960), há retratos do cineasta tirando um cochilo e ensaiando na praia, ao lado do ator Marcello Mastroianni (1924-1996). O visitante também pode ver caricaturas feitas pelo homenageado para jornais satíricos no fim dos anos 30. Uma das partes mais interessantes é dedicada ao Livro dos Sonhos, dois enormes cadernos nos quais Fellini desenhou seus sonhos ao longo de trinta anos. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até domingo (24). www.ims.com.br.

✪✪✪ YANN ARTHUS-BERTRAND. Fundador da primeira agência de imagens aéreas do mundo, o francês de 66 anos adotou o olhar das alturas para registrar inúmeros cantos do planeta em mais de sessenta livros e no documentário Home (2009). A abordagem é retomada em A Terra Vista do Céu, mostra que ocupa toda a Praça Floriano, na Cinelândia. Exibidas em grandes painéis, 126 fotos revelam ângulos originais de dezenas de países de todos os continentes, incluindo o Brasil. No atraente programa ao ar livre, os passantes ainda caminham sobre um enorme mapa-múndi, no qual são indicados os locais onde foram feitas as fotografias. Por fim, há uma estrutura fechada onde são realizadas atividades de reciclagem para crianças, enquanto é exibido o filme Home. Não há horário de visitação, mas o palco com o mapa e o espaço onde é apresentado o documentário só são abertos ao público de 9h às 19h. Praça Floriano. Centro, ? Cinelândia. Até domingo (24).

EM CARTAZ

. O símbolo matemático que significa ?para qualquer que seja? batiza a exposição que conta com obras de Abra, Braga Tepi, Denise Araripe, Gaia, Jose Tannuri, Nelson Felix e Tunga. Galeria H. Rocha. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), loja 333, Copacabana, ☎ 2227-1179. Terça a sábado, 10h às 19h. Grátis. Até 23 de julho.

✪✪✪ AMAZÔNIA, CICLOS DE MODERNIDADE. Criação de artesãos de Parintins, uma grande árvore com animais da floresta, além de pés de açaí e guaraná, dá as boas-vindas aos visitantes na rotunda. A instalação é uma das atrações da alentada mostra, que tem curadoria de Paulo Herkenhoff e reúne cerca de 300 peças, entre obras de arte e objetos variados. Técnicas e suportes usados são os mais diversos: há fotografias, pinturas, aquarelas, desenhos, esculturas e vídeos. Entre os 76 artistas reunidos há nomes de nacionalidades e épocas distintas. Do italiano Joseph Léon Righini (c.1820-1884) foram escolhidos os óleos Vistas do Brasil, Residência às Margens do Rio Anil, de 1862, e Belém do Pará, de 1868. O polonês Frans Krajcberg mostra uma escultura sem título. Apaixonado pela cultura brasileira, o francês Pierre Verger (1902-1996) é o autor de uma série de fotografias de Belém. Representantes da arte contemporânea nacional, como Adriana Varejão e Cildo Meireles, também estão presentes. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 22 de julho.

✪✪✪ ANA VITÓRIA MUSSI. Na exposição Bang, que tem curadoria da Marisa Flórido, Ana Vitória projeta simultaneamente, nas paredes do espaço, imagens de filmes de guerra intercaladas com registros da violência urbana nas favelas cariocas. Entre os longas cujos frames são exibidos estão Pearl Harbor (2001), de Michael Bay, e Olympia (1938), de Leni Riefenstahl. Os flagrantes foram obtidos por fotografias de imagens exibidas na televisão. Entrecortadas, elas vão se sucedendo e provocam no visitante a sensação de estar em meio a um tiroteio. A exibição é embalada pela música Bang Bang (My Baby Shot Me Down), na voz da americana Nancy Sinatra. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 15 de julho. www.oifuturo.org.br.

✪✪✪✪ BILL LUNDBERG. A respeitada revista francesa Cahiers du Cinéma definiu o artista americano como ?mago do cinema?. Geralmente aplicado a grandes diretores, o epíteto realmente serve a Lundberg, pioneiro da técnica conhecida como filme-escultura. A retrospectiva batizada com seu nome reúne onze trabalhos. Em todos, ele se vale da imagem em movimento para criar um efeito instigante. Em Stolen Kisses, de 2008, as mãos de uma mulher, mexendo-se, são projetadas sobre as costas de uma camisa masculina, evocando a ideia de um casal se beijando. Do ano seguinte, Guest atrai olhares com a repetição de uma cena simples: uma porta, aberta de tempo em tempo para receber convidados. Ainda mais curiosa, Charades, de 1977, mostra quatro pessoas fazendo mímica. Filmados em super-8, seus movimentos incidem sobre um copo d?água. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 15 de julho. www.oifuturo.org.br.

✪✪✪ CAO GUIMARÃES. Conhecido por cruzar cinema e artes plásticas em seu trabalho, o artista expõe fotografias e vídeos em Estética da Gambiarra. Quinze imagens pertencem à curiosa série Gambiarra, com flagrantes de situações improvisadas -- a exemplo da churrasqueira composta de cadeira e carrinho de mão. Outras quatro fotografias mostram paisagens enevoadas. Há ainda três vídeos curtos, um deles com música do próprio Cao Guimarães, ao piano. Curadoria de Felipe Scovino. Escola de Artes Visuais do Parque Lage -- Cavalariças. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a quinta, 12h às 20h; sexta a domingo e feriados, 10h às 17h. Grátis. Até 1º de julho. www.eavparquelage.rj.gov.br.

CARLA EINLOFT. Imagens que evocam a figura do palhaço compõem a mostra Des-Clown, primeira individual da artista. O acervo inclui pinturas e esculturas. Galeria Vertical -- Centro Cultural Solar de Botafogo. Rua General Polidoro, 180, Botafogo, ☎ 2543-5411. Terça a sexta, 18h às 22h. Grátis. Até 29 de agosto.

CHICO FORTUNATO. O artista carioca exibe onze trabalhos em acrílica sobre madeira. São obras abstratas e, em sua maioria, de cores vívidas, que evocam a arte construtivista. R$ 7000,00 a R$ 30000,00. Gustavo Rebello Arte. Avenida Atlântica, 1702, loja 8, Copacabana, ☎ 2548-6163. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 14h às 18h. Grátis. Até dia 30. www.gustavorebelloarte.com.br.

✪✪✪ CHRISTIAN BOLTANSKI. Tema recorrente na carreira do artista francês, o papel do acaso na existência humana ganha forma nas quatro instalações da individual Chance. Obra mais impressionante, A Roda da Fortuna foi apresentada em 2011 na Bienal de Veneza. Nela, fotos de recém-nascidos deslizam por roldanas, como numa gráfica. Vez por outra, toca uma sirene que interrompe a curiosa linha de montagem e um dos bebês, aleatoriamente, aparece em uma tela. Em Ser de Novo, o telão exibe uma face dividida em faixas horizontais que vão se combinando, como num caça-níqueis. O saldo de mortes e nascimentos do dia é informado nos painéis de Últimas Notícias dos Humanos. E a projeção Entre Tempo mostra os efeitos da passagem das décadas no rosto de Boltanski, da infância até seus atuais 67 anos. O impacto dos trabalhos é realçado pela arquitetura da Casa França-Brasil, onde estão montados. Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. → Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 8 de julho. www.fcfb.rj.gov.br.

CRISTINA OLDEMBURG. Quinze registros da fotógrafa compõem a exposição Solo Brasileiro Terra Brasileira. As imagens ampliam em grandes dimensões partículas mínimas de terra, como minérios, pedras e cristais. Forte de Copacabana -- Salão de Exposições Temporárias do Museu do Exército. Praça Coronel Eugênio Franco, 1, Copacabana, ☎ 2521-1032. Terça a domingo, 10h às 18h. R$ 6,00. Até 1º de julho.

✪✪✪ DO ART NOUVEAU AO ART DÉCO. Mulher do marchand Isaac Krasilchik, sócio da galeria de arte paulistana A Ponte, Bertha Krasilchik apresenta 238 peças de sua coleção, acumulada desde os anos 50. A maior parte do acervo é composta de joias -- são mais de 100. Além disso, há uma série de objetos, como cigarreiras e estojos de maquiagem, todos confeccionados com materiais preciosos. O que poderia ser uma mostra de interesse apenas de um público específico se revela grata surpresa. Os objetos expostos oferecem uma aula sobre os dois estilos. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 30 de setembro.

EDUARDO VENTURA. A questão do tempo na vida cotidiana é o tema da mostra Realidade Re-velada A Linha do Tempo. É a primeira individual montada na galeria inaugurada em abril. Doze pinturas e seis desenhos são exibidos. Completa o acervo exposto uma pintura feita pelo artista sobre uma parede grafitada por seu filho, Daniel Ventura. R$ 1800,00 a R$ 26000,00. Sérgio Gonçalves Galeria. Rua do Rosário, 38, Centro, ☎ 2263-7353 e 2253-0923. Terça a sábado, 11h às 19h. Grátis. Até 7 de julho.

ELIZABETH JOBIM. Dez obras realizadas em 2012 compõem a mostra Mineral, da artista carioca. Sobrepondo óleos em diferentes profundidades, ela cria trabalhos que parecem, ao mesmo tempo, telas e objetos geométricos. R$ 20000,00 a R$ 65000,00. Lurixs Arte Contemporânea. Rua Paulo Barreto, 77, Botafogo, ☎ 2541-4935. Segunda a sexta, 14h às 19h. Grátis. Até dia 29. www.lurixs.com.

ESPELHO REFLETIDO -- O SURREALISMO E A ARTE CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA. No acervo de cerca de 200 obras, entre pinturas, esculturas, objetos, instalações e vídeos, há apenas criações de artistas brasileiros em atividade. Todos os trabalhos revelam, de alguma forma, influências das ideias deflagradas no manifesto surrealista lançado em 1824 pelo poeta e crítico francês André Breton (1896-1966), que defendia a libertação das amarras da lógica e da razão. Há muitos nomes consagrados na seleção feita pelo curador Marcus de Lontra Costa. Adriana Varejão comparece com a foto em backlight Elegia Mineira, uma cena composta de três cadeiras. Ernesto Neto apresenta uma instalação sem título, de 2010, na qual se encontram elementos típicos de sua produção: o trabalho parece descer do teto, é feito de crochê e traz uma bola de plástico em seu interior. Nomes em ascensão, como Nino Cais, Flávia Metzler, Gabriela Mureb e Pedro Varela, também marcam presença. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até 29 de julho.

FERNANDA QUINDERÉ. Em sua terceira individual, a artista apresenta sete criações de arte digital, feitas com computador. Nas telas, imagens se sobrepõem a pequenos quadrados coloridos que parecem pixels de um monitor. R$ 7000,00 a R$ 10000,00. Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até dia 30. www.anitaschwartz.com.br.

GENTE. Reunião eclética de representações de figuras humanas tiradas da rica coleção deixada pelo industrial Raymundo Ottoni de Castro Maya (1894-1968). A lista de artistas inclui Pablo Picasso, com a gravura de uma mulher em preto e branco, e Candido Portinari, autor de um desenho da série dedicada a dom Quixote. Entre 160 criações de 100 autores estão ainda uma gravura de Modigliani, um torso grego do século V a.C. e exemplares da arte popular de Mestre Vitalino. Museu da Chácara do Céu. Rua Murtinho Nobre, 93, Santa Teresa, ☎ 3970-1126. Quarta a domingo, 12h às 17h. R$ 2,00 (grátis às quartas). Menores de 12 anos e maiores de 65, professores e grupos escolares não pagam ingresso. Até 30 de julho.

GEORGE ISO. Após quatro anos sem expor em sua cidade natal, o carioca apresenta Travessias, que celebra suas duas décadas de carreira. A seleção de obras abrange os últimos três anos de trabalho do artista, com dez pinturas. R$ 3000,00 a R$ 12000,00. Galeria Patricia Costa. Avenida Atlântica, 4240, loja 226 (Shopping Cassino Atlântico), Copacabana, ☎ 2227-6929. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até dia 30. www.galeriapatriciacosta.com.br.

LEILA DANZIGER. Em Todos os Nomes da Melancolia, a artista carioca apresenta trabalhos inéditos que versam sobre o estado de espírito do título. São duas séries fotográficas, uma instalação de mesa, um vídeo e dois objetos de parede. R$ 2000,00 a R$ 10000,00. CosmoCopa Arte Contemporânea. Rua Siqueira Campos, 143, sala 32, ☎ 2236-4670, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até 16 de julho. www.cosmocopa.com.

MANA BERNARDES. Depois de passar pela Galeria Firma Casa, em São Paulo, especializada em design art, a exposição Desembrulho Poético chega ao Rio. A artista, designer e poeta exibe joias, manuscritos e esculturas. Preços sob consulta. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaribe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até 11 de agosto. www.lucianacaravello.com.br.

MARCELO MACEDO. Criada em outubro do ano passado, a galeria Graphos: Brasil se expande e abre um espaço no Jardim Botânico dedicado à street art. Batizado como Graphos: Brasil S/A, o endereço foi inaugurado com a mostra de Marcelo Macedo, composta de esculturas e objetos feitos com materiais descartados. R$ 1800,00 a R$ 2500,00. Graphos: Brasil S/A. Rua Pacheco Leão, 758, Jardim Botânico, ☎ 2256-3268 e 3114-8789. Segunda a sexta, 14h às 21h; sábado, 11h às 21h. Grátis. Até 2 de julho.

MEU MEIO. Fechado desde 2010, o Museu do Meio Ambiente reabre com o térreo inteiramente dedicado a atrações fixas. Entre elas, a sala com o programa educativo para crianças e computadores nos quais é possível acessar o banco de dados do Jardim Botânico, onde fica o museu. O 2º andar abriga mostras temporárias, como Meu Meio. Com curadoria de Marcello Dantas, são apresentadas instalações interativas que têm como tema a relação entre o homem e a natureza. Uma delas é a Sala Efeito Borboleta, um experimento com raios laser e projeções na parede que mostra como nossos atos interferem em problemas como a desertificação. Quatro artistas comparecem com vídeos: Carlos Nader, Angelo Venosa e a dupla formada por Leandro Lima e Gisela Motta. Museu do Meio Ambiente. Rua Jardim Botânico, 1008 (Jardim Botânico do Rio de Janeiro), Jardim Botânico, 3874-1808. Terça a domingo, 10h às 17h. Grátis. Até 12 de agosto.

✪✪✪ MILTON DACOSTA. Leia em Veja Rio Recomenda. Caixa Cultural -- Galeria 2. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 1º de julho. www.caixacultural.com.br.

MUSEU INTERNACIONAL DE ARTE NAÏF. O espaço abriga seis exposições permanentes que reúnem aproximadamente 200 obras do acervo da instituição. Há ainda duas mostras temporárias. Naïf + 20, inspirada no evento Rio+20, exibe imagens que evocam questões ligadas à sustentabilidade. Molas do Panamá apresenta quinze trabalhos feitos com uma técnica típica daquele país, caracterizada pelo uso de retalhos de tecido. Museu Internacional de Arte Naïf. Rua Cosme Velho, 561, Cosme Velho, ☎ 2205-8612. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, 12h às 18h (no sábado, apenas com agendamento prévio). R$ 16,00. Crianças de até 5 anos não pagam. Menores de 18 e maiores de 60 anos pagam meia-entrada. Até 28 de dezembro.

PANOS E TAPAS, JOIAS E ADORNOS D?ÁFRICA. Peças vindas do Museu Afro Brasil, em São Paulo, compõem o acervo exibido. Emanoel Araújo, diretor daquela instituição, é o curador da mostra, que reúne aproximadamente 250 objetos, entre tecidos e enfeites, feitos por povos da África. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até 29 de julho.

POLYANNA MORGANA. PolyTati Representações LTDA: Life in Concert, Vol. II é o nome da individual da artista. Ela apresenta uma instalação composta de alto-falantes distribuídos em três painéis, que emitem sons de três lugares diferentes do Distrito Federal: Taguatinga (onde ela mora), a Estrada Parque e Brasília. Galeria de Arte Ibeu. Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 690, 2º andar, Copacabana, ☎ 3816-9400, ? Siqueira Campos. → Segunda a sexta, 13h às 19h. Grátis. Até dia 29. www.ibeu.org.br.

✪✪ PROJETO RESPIRAÇÃO. Com curadoria de Marcio Doctors, desde 2004 o projeto traz artistas de várias gerações e linguagens para dialogar com o vasto acervo da Fundação Eva Klabin. A 15ª edição foi batizada de O que Não Tem Fim Nem Tem Começo. Artistas convidadas, Sara Ramo e Maria Nepomuceno fazem intervenções na casa. A primeira no quarto de dormir, no closet e no banheiro, que ficam quase inteiramente às escuras, forçando o visitante a apurar o olhar a partir de suaves focos de luz. Aos poucos, dá para vislumbrar formas intrigantes. No jardim e em um dos salões, Maria Nepomuceno promove uma ocupação com cordas e miçangas de vários tamanhos. Fundação Eva Klabin. Avenida Epitácio Pessoa, 2480, Lagoa, ☎ 3202-8550. Terça a domingo, 14h às 18h. R$ 10,00. Crianças de até 10 anos não pagam. Até 1º de julho. www.evaklabin.org.br.

✪✪ RABIN AJAW -- A FILHA DO REI. O rito de sagração de uma jovem como Filha do Rei (ou Rabin Ajaw), um dos mais importantes da cultura indígena da Guatemala, dá nome à exposição. Com curadoria do artista plástico Luiz Dolino, a mostra propõe uma viagem pela cultura das populações de origem maia daquele país. O acervo reunido, composto basicamente de peças de vestuário e tecidos, decepciona um tanto quem chega em busca de um painel mais amplo. São pouco mais de sessenta itens do gênero, além de uma seleção de fotografias de mulheres guatemaltecas e de objetos utilitários. Em uma videoinstalação é possível entrar em contato com aspectos da vida daquele povo, como seus rituais e sua culinária. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 22 de julho.

✪✪✪ REGINA VATER. Conhecida pelos trabalhos que fundem arte e tecnologia, a artista carioca é mulher do americano Bill Lundberg, autor de uma mostra no mesmo endereço. Em Quatro Ecologias, apresenta obras em web arte, videoarte, fotografia e escultura. Em uma delas, a web instalação Desejo, uma câmera filma uma maçã que vai apodrecendo até o fim da temporada. As imagens são transmitidas para um blog, ao qual os visitantes podem enviar poemas que, por sua vez, são exibidos em uma tela na mostra. Merece especial atenção a poética videoinstalação Conselhos para uma Lagarta (1976), composta de duas projeções de filmes em telas contrapostas -- em uma, Regina aparece em vários autorretratos; na outra, há frases extraídas do livro Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 15 de julho. www.oifuturo.org.br.

RENÉ MACHADO. Em sua primeira individual, Captura, o artista investe no tema do meio ambiente em obras permeadas de humor. Nas catorze telas apresentadas, personagens de quadrinhos e desenhos animados são vistos em situações de perigo ou violência -- o tigre Haroldo, criado pelo cartunista Bill Waterson, por exemplo, aparece sendo alvejado. Há ainda uma sala com uma instalação cheia de animais de borracha e pelúcia enjaulados, presos em armadilhas ou estraçalhados. Um vídeo completa o acervo. Curadoria de Marco Antonio Teobaldo. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 22 de julho.

RIO CIDADE-PAISAGEM. O acervo iconográfico da Biblioteca Nacional serve de fonte para esta exposição sobre o Rio de Janeiro. Dividida em módulos que contemplam diversos pontos da cidade, como a Baía de Guanabara, a Floresta da Tijuca e Copacabana, a mostra reúne 120 itens, entre mapas, gravuras, desenhos, manuscritos, revistas, jornais e partituras. Biblioteca Nacional -- Espaço Cultural Eliseu Visconti. Rua México, s/nº, Centro, ☎ 3095-3879, ? Cinelândia. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até 5 de agosto.

RODRIGO TORRES. Questões ligadas à memória coletiva permeiam a exposição Sensor, na qual o artista apresenta nove pinturas sobre suportes variados, como tela, fotografia e papel, e uma instalação. Nesta última, batizada com o nome da mostra, Torres se vale de uma foto fragmentada. R$ 2000,00 a R$ 20000,00. A Gentil Carioca. Rua Gonçalves Ledo, 17, Centro, ☎ 2222-1651. Terça a sexta, 12h às 19h; sábado, 12h às 17h. Grátis. Até 14 de julho. www.agentilcarioca.com.br.

SÉCULOS INDÍGENAS NO BRASIL. O público passeia por dentro de uma estrutura cenográfica de mais de 450 metros quadrados, feita de palhas, troncos, junco e argila. Ali, os visitantes recebem informações sobre os povos indígenas, com exibição de imagens rupestres, mapas e gravuras. É possível manusear objetos de artesanato indígena de várias etnias. Imagens do fotógrafo Piotr Jaxa também são exibidas, bem como trechos de documentários. Caixa Cultural Galeria 3 e foyer do térreo. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até dia 30. www.caixacultural.com.br.

TEIMOSIA DA IMAGINAÇÃO. Dez artistas populares de diversas partes do Brasil integram a mostra. São eles o alagoano Antonio de Dedé, os baianos Nilson Pimenta e Aurelino, o cearense Francisco Graciano, os mineiros Getúlio Damado, Izabel Mendes e Jadir João Egídio, os pernambucanos José Bezerra e Manoel Galdino e o sergipano Véio. Curadoria de Germana Monte-Mór. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 5 de agosto. www.pacoimperial.com.br.

WAGNER MORALES. Em Dual Overdrive, o artista paulistano busca evocar o clima das rodovias em três obras que se interligam. A primeira é uma instalação formada por dois grandes outdoors iluminados, de 9 metros por 6 metros. Há também duas séries de fotografias: uma com flagrantes de lugares e objetos nas margens de estradas, e outra, chamada Estudo de Balística, que exibe cuspes no chão -- isso mesmo --, exposta no piso. Como parte da ambientação, é possível ouvir, por uma caixa acústica, o zumbido do motor do ar-condicionado da galeria, distorcido por meio de um sintetizador. Em outra sala há uma terceira série, Joker, de temática diferente da dos trabalhos anteriores, com interferências sobre cartazes das últimas eleições presidenciais na França. A partir de R$ 1500,00. Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até dia 30. www.anitaschwartz.com.br.

WALTERCIO CALDAS. Criado em 1974, A Origem do Futuro, o primeiro múltiplo do artista, é composto de uma embalagem de papel com um disco de vinil sobre o qual repousam duas miniaturas de canhões. Esta e outras 29 peças, todas desenvolvidas para reprodução em série, compõem o acervo de Múltiplos. São catorze objetos e dezesseis gravuras, dos quais oito são trabalhos inéditos. Embora não seja exatamente uma retrospectiva, a mostra abrange várias épocas. R$ 1200,00 a R$ 40000,00. Mul.ti.plo Espaço Arte. Rua Dias Ferreira, 417, sala 206, Leblon, ☎ 2259-1952. Segunda a sexta, 10h às 18h30; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até 21 de julho. www.multiploespacoarte.com.br.

FOTOGRAFIA

BINA FONYAT. Registros de 1972 a 1978 tirados do acervo de Fonyat (1945-1985) estão reunidos em Outros Carnavais. São cinquenta fotografias da folia carioca escolhidas pela curadora Helena Uchôa Cavalcanti. Espaço Cultural Eletrobras Furnas. Rua Real Grandeza, 219, Botafogo, ☎ 2528-3112. Terça a sexta, 14h às 18h; sábado, domingo e feriados, 14h às 19h. Grátis. Até 8 de julho.

✪✪✪ COLEÇÃO ITAÚ DE FOTOGRAFIA BRASILEIRA. Montada no início do ano na Maison Européenne de la Photographie, em Paris, a mostra apresenta 115 trabalhos de 56 artistas. No alentado painel, que abrange dos anos 40 até os dias de hoje, a opção do curador Eder Chiodetto foi pelas imagens de caráter mais experimental. Em Homenagem a Mondrian (1960), do paulistano German Lorca, uma janela evoca as linhas da obra do pintor holandês. Há ainda uma sequência de belíssimas imagens de Claudia Andujar, da série Sonhos Yanomami, que remete aos rituais dos xamãs por meio da sobreposição de fotografias de índios a registros de elementos da natureza. Nomes como Geraldo de Barros, José Oiticica Filho, Thomaz Farkas, José Yalenti, Rosângela Rennó, Miguel Rio Branco, Vik Muniz e Rodrigo Braga integram a seleção. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 5 de agosto. www.pacoimperial.com.br.

MAURO FAINGUELERNT. O Morro Dois Irmãos e a Baía de Guanabara são alguns dos cenários cariocas exibidos pelo fotógrafo. As quinze imagens que compõem o acervo são impressas em placas de ferro, cujo processo de oxidação sugere um novo olhar sobre paisagens tão conhecidas. Casa do Saber. Avenida Epitácio Pessoa, 1164, Lagoa, ☎ 2227-2237. Segunda a sexta, 11h às 20h. Grátis. Até 10 de agosto. www.casadosaber.com.br.

MIGUEL RIO BRANCO. Um dos mais celebrados fotógrafos do país, agraciado em 2010 com um pavilhão dedicado à sua obra no centro de arte contemporânea Inhotim, em Minas Gerais, Rio Branco apresenta a sua poética visão da mulher em La Mécanique des Femmes. A mostra reúne quinze obras pinçadas de vários momentos de sua carreira, nas quais são sugeridos temas como submissão, mistério e sensualidade caso de Diálogo Romano, de 2008, que põe lado a lado duas fotos em que aparecem apenas as pernas de mulheres de botas. A obra que dá nome à exposição, um enorme painel com nove imagens, ocupa, sozinha, uma parede inteira da galeria. A partir de R$ 16000,00. Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 30 de junho. www.silviacintra.com.br.

✪✪✪ OCEANOS. Trinta e cinco fotos inéditas, captadas pela equipe de realização do documentário francês Océans (2009), de Jacques Perrin e Jacques Cluzaud, integram a mostra. Nos registros, baleias da espécie jubarte e elefantes-marinhos, entre outros animais, convivem com bichos exóticos, como um peixe shrek, que tem o crânio inchado, e uma espécie de ancestral da iguana. As imagens foram feitas com três câmeras especialmente desenvolvidas pela equipe. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 1º de julho. www.correios.com.br.

OTTO WEISSER. Manipuladas digitalmente, figuras de mulheres ganham cores fortes e contrastantes no trabalho que o fotógrafo suíço exibe em Amazonças. As 35 imagens evocam a Floresta Amazônica e animais selvagens. R$ 4 200,00 a R$ 9 500,00. Galeria M. Leite Barbosa Arte Latina. Rua do Mercado, 35, Centro, ☎ 2221-3366. Segunda a sexta, 11h30 às 18h30; sábado, 11h às 15h. Grátis. Até dia 30. www.mleitebarbosa.com.

✪✪✪ SÉRGIO GUERRA. Antigo grupo étnico seminômade da África, os hereros são o objeto dos registros do fotógrafo e publicitário na exposição Hereros -- Angola, reunidos no livro homônimo, lançado em 2010. Vista por cerca de 185000 pessoas em São Paulo e Brasília, a mostra reúne 119 fotografias desse povo. O tom artístico da exposição, garantido pela beleza das imagens, convive com uma abordagem antropológica: além das fotos, há uma série de objetos de uso dos hereros, a exemplo de vestimentas, adereços, vasos, cachimbos e armas. Não deixe de ler os depoimentos dos hereros sobre sua cultura, que se espalham pela mostra em frases escritas embaixo de algumas das imagens. Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 2550-9220. → Terça, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriados, 14h às 18h. Excepcionalmente, de quarta (20) a sexta (22), 14h às 18h. R$ 8,00. Grátis aos domingos e para menores de 5 anos e maiores de 65. A bilheteria fecha meia hora antes. Até 8 de julho. www.museuhistoriconacional.com.br.

Fonte: VEJA RIO