ROTEIRO DA SEMANA

Exposições

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

ÚLTIMA SEMANA

ANNA BELLA GEIGER NA COLEÇÃO JOÃO SATTAMINI. Artista com mais de seis décadas de carreira, a carioca Anna Bella Geiger é um dos nomes fundamentais da produção contemporânea brasileira. Seu trabalho contribuiu para firmar o gênero abstrato no país, nos anos 50; a nova figuração, nos 60; a arte conceitual, nos 70; e novas pesquisas para a pintura, nos 80. Nesta mostra estão 25 obras de diferentes fases, pertencentes à Coleção João Sattamini, a exemplo das telas Pier & Ocean Nº 2, de 1985, e Burocracia, de 1978, além de desenhos como Florença, de 1968. Museu de Arte Contemporânea. Mirante da Boa Viagem, s/nº, Niterói, ☎ 2620-2400. → Terça a domingo, 10h às 18h. R$ 5,00. A bilheteria fecha quinze minutos antes. Crianças de até 7 anos e estudantes até o ensino médio não pagam. Grátis às quartas. Até domingo (26). Fecha na terça (21) e na quarta (22) abre às 12h.

✪✪✪ DAISY XAVIER. Com mais de três décadas de carreira, a artista carioca se dedica à investigação, em diversos suportes, da transição de estados ? sólidos e líquidos, cheio e vazio, corpos em movimento, formas mutantes. Ela traduz esse processo de trabalho em quinze esculturas que, juntas, formam a instalação Último Azul. Objetos do cotidiano, como cadeiras, garrafas, taças, pratos e azulejos, foram empilhados, formando corpos instáveis, prestes a desmoronar. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. Grátis. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até domingo (26). Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.mamrio.com.br.

ESQUEMAS PARA UMA ODA TROPICAL. Realizada há oito anos, a tradicional Exposição de Verão da galeria na Gávea ganha edição ampliada. Com título emprestado do livro do poeta mexicano Carlos Pellicer, lançado em 1933 e recheado de referências sobre países da América do Sul, a mostra tem curadoria de Pablo León de La Barra, conterrâneo do escritor. São apresentados trabalhos de dezesseis artistas de diversas nacionalidades latino-americanas. Entre os presentes estão Alejandro Cesarco (Uruguai), Felipe Mujica (Chile), Raimond Chaves (Colômbia) e Mariana Castillo Deball (México), além dos brasileiros Laércio Redondo e Rodrigo Matheus. R$ 5?000,00 a R$ 30?000,00. Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 19h. Grátis. Até sábado (25). Fecha de segunda (20) a quarta (22). www.silviacintra.com.br.

SÉRGIO RICARDO. Considerado um dos precursores da bossa nova, o cantor e compositor de personalidade forte teve a apreciação de seu talento ofuscada por um episódio inusitado: irritado com vaias, quebrou o violão durante uma apresentação no 3º Festival de Música Popular Brasileira, em 1967. Agora, é tema da mostra com fotografias e vídeos inéditos sobre sua trajetória artística. A exposição marca o lançamento do Projeto Sérgio Ricardo ? 80 Anos. Instituto Cultural Cravo Albin. Avenida São Sebastião, 2, Urca, ☎ 2542-0848. Segunda a sexta, 10h às 17h. Grátis. Visitação mediante agendamento. Até sábado (25). Fecha de segunda (20) a quarta (22).

✪✪✪✪ MANUEL ÁLVAREZ BRAVO. O mexicano Manuel Álvarez Bravo (1902-2002) é um expoente da fotografia. Na mostra estão mais de 250 imagens, com ênfase na produção das décadas de 20 a 50. Ao longo de mais de setenta anos de carreira, Bravo conviveu com artistas e intelectuais de relevo, como seu ilustre colega francês Cartier-Bresson, os pintores mexicanos Diego Rivera e Frida Kahlo e o surrealista André Breton. Em suas fotografias, re­vela cenas do cotidiano e da cultura popular de seu país, sempre com um olhar poético e sensível. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a sexta, 13h às 20h; sábado e domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas quinta e sexta, às 17h. Até domingo (26). Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.ims.com.br.

✪✪✪✪ THOMAZ FARKAS. Nascido em Budapeste, na Hungria, Thomaz Farkas (1924-2011) veio para o Brasil com a família aos 6 anos e, aqui, deu relevante contribuição à iconografia moderna nacional. Thomaz Farkas: uma Antologia Pessoal é uma retrospectiva composta de 115 trabalhos abrigados no acervo do IMS, em boa parte ainda escolhidos para exibição pelo próprio autor. Na seleção, entraram peças representativas de sua trajetória, incluindo as séries sobre a construção de Brasília, revelando a faceta documental do seu trabalho. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a sexta, 13h às 20h; sábado e domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas quinta e sexta, às 17h. Até domingo (26). Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.ims.com.br.

EM CARTAZ

✪✪✪ ÁGUA RIO DE JANEIRO. Vista por mais de 200?000 visitantes na Oca, em São Paulo, a mostra sobre o universo da água é exibida em versão reduzida no Rio, dividida em quatro módulos. No primeiro, Desaguar, são apresentadas obras do inglês William Pye e dos brasileiros Rejane Cantoni, Raquel Kogan e Leonardo Crescenti. No último módulo, Infiltração, o visitante assiste à simulação de uma enchente, acompanhada de dentro de um casebre cenográfico. Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 2550-9220. → Terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriados, 14h às 18h. R$ 20,00 (seg. a sáb.); R$ 14,00 (dom.). Grátis para menores de 5 anos, pessoas com mais de 65 e no segundo domingo do mês. A bilheteria fecha meia hora antes. Até 22 de março. Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.museuhistoriconacional.com.br.

ALEXANDRE MAZZA. Artista visual curitibano radicado no Rio, Mazza já integrou coletivas como Nova Escultura Brasileira ? Heranças e Diversidades e uma mostra que reuniu criadores ligados à marchande Luciana Caravello. Na primeira individual, Em Cada Gota Há um Arco-Íris, apresenta 25 trabalhos inéditos e em diferentes suportes. No acervo estão quatro caixas de luz da série Metamorfose 2 e seis objetos esféricos do conjunto Metamorfose ? Série Borboletas, construídos com restos do inseto desidratados, com uso autorizado pelo Ibama. A partir de R$ 6?000,00. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaribe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até 10 de março. Fecha de segunda (20) a quarta (22). www.lucianacaravello.com.br.

✪✪✪ CARLITO CARVALHOSA. Lugar Comum é a primeira mostra de Carvalhosa depois da montagem de sua instalação sonora, A Soma dos Dias, no Museum of Modern Art (MoMa) de Nova York ? entre agosto e novembro de 2011. De volta ao Rio, onde vive, o artista paulista exibe outras quatro instalações nas quais reflete sobre as paisagens e seus desdobramentos. Servem de matéria-prima pontaletes de eucalipto, espelhos, tinta, lâmpadas fluo­rescentes, alumínio e, como em A Soma dos Dias, tecidos. Quem assina a curadoria é Fernando Cocchiarale. Galeria Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2017, ? General Osório. Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até 4 de março. Fecha na terça (21).

CORDÃO DA BOLA PRETA: NOVE DÉCADAS ANIMANDO O CARNAVAL. Ao ar livre, a mostra reúne trinta grandes painéis com históricas reproduções fotográficas de cartazes que anunciavam antigos desfiles do bloco, ilustrações assinadas pelo artista Potoca, feitas em 1948, programas, ingressos e reportagens sobre a agremiação em diferentes décadas. O acervo, selecionado com curadoria de Heloisa Alves, ocupa uma galeria montada em estrutura tubular, com 70 metros quadrados e 5 metros de altura. Largo da Carioca, ? Carioca. Grátis. Até dia 29.

✪✪✪ ELISA BRACHER. A escultora paulistana ocupa o Espaço Monumental do MAM com a instalação Ponto Final sem Pausas. Sua obra consiste em uma esfera de aço com 1,10 metro de diâmetro e 8 toneladas de peso, suspensa por cabos a 2 metros do chão, além de três imensas chapas de chumbo. Com 80 metros quadrados cada uma, as chapas, batizadas por Elisa de ?lençóis?, ficam dispostas nos sentidos vertical e horizontal. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 8,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 4,00. Grátis para amigos do MAM e menores de 12 anos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 8,00 por grupo. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até dia 29. Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.mamrio.com.br.

ESCRITURAS NA LIBERDADE: POESIA EXPERIMENTAL ESPANHOLA E HISPANO-AMERICANA DO SÉCULO XX. Coletiva sobre poesia visual com 163 itens, entre livros, fotografias, serigrafias, objetos, poemas, filmes e fotografias. No acervo estão produções de criadores espanhóis como J.M. Junoy, Ernesto Giménez Caballero e Ramón Gómez de la Serna, além de nomes latino-americanos, a exemplo do mexicano José Juan Tablada e do chileno Vicente Huidobro. Instituto Cervantes ? Sala de Exposições. Rua Visconde de Ouro Preto, 62, Botafogo, ☎ 3554-5910, ? Botafogo. → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até 29 de março. Fecha de segunda (20) a quarta (22). www.riodejaneiro.cervantes.es.

FERNANDA GOMES. De volta ao Rio, após expor no México, a artista celebra vinte anos de carreira com sua maior individual no país. Integram a ocupação prosaicos objetos de madeira, vidro, papelão e utensílios domésticos, além de móveis comuns como um sofá, uma mesa de cozinha e um banco de ferro. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 8,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 4,00. Grátis para amigos do MAM e menores de 12 anos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 8,00 por grupo. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até 22 de abril. Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.mamrio.com.br.

✪✪✪ HIGH TECH/LOW TECH - FORMAS DE PRODUÇÃO. Diretor do Instituto Goethe, Alfons Hug assina a curadoria da mostra com trabalhos de vinte artistas e coletivos do Brasil e de outros doze países ? Alemanha, Canadá, China, Colômbia, Curaçao, Estados Unidos, Índia, Nigéria, Suíça, Taiwan, Turquia e Vietnã. No acervo estão representações de objetos primitivos e sofisticadas invenções que, contrastadas, sugerem reflexões sobre avanços e retrocessos proporcionados pela tecnologia. Ilustra bem esse conceito o vídeo In Comparison, em que o alemão Harun Farocki estabelece paralelos entre a fabricação de tijolos na África e na Índia, por nativos, e o mesmo trabalho feito por robôs em indústrias da Suíça, da Áustria e da França. Entre os seis brasileiros selecionados, Mariana Manhães é autora da instalação Dentre (Lâmpadas). Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 1º de abril. Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.oifuturo.org.br.

(IN) POSSÍVEIS. Professores do Programa Aprofundamento, da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Anna Bella Geiger, Fernando Cocchiarale e João Modé dividem a curadoria da coletiva com trabalhos de dezessete artistas integrantes do curso. No acervo entram gravuras, fotografias, vídeos, pinturas, desenhos e objetos híbridos produzidos por nomes em ascensão como Alex Topini, Glaucia Mayer, Ícaro Lira, João Penoni, Juana Amorim, Louise D.D. e Rubens Pileggi. Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a quinta, 9h às 22h; sexta a domingo e feriados, 9h às 17h. Grátis. Até 1º de abril. De segunda (20) a quarta (22), 10h às 17h. www.eavparquelage.rj.gov.br.

JOÃO MODÉ. O artista fluminense ocupa com novos trabalhos o interior e os arredores das Cavalariças do Parque Lage. Batizada de Para o Silêncio das Plantas, a mostra conta com intervenções na mata, passadiços por onde o visitante caminha e ouve, por meio de alto-falantes, músicas e sons variados, intercalados com momentos de silêncio. No repertório entram composições clássicas e populares, gravações de rituais dos índios caiapós, pontos de umbanda (para o orixá Oxóssi, protetor das matas), música eletrônica e sons de animais. No interior do espaço expositivo estão desenhos, fotografias e uma relação das obras executadas na trilha sonora. Escola de Artes Visuais do Parque Lage ? Cavalariças. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a quinta, 12h às 20h; sexta a domingo e feriados, 9h às 17h. Grátis. Até 11 de março. De segunda (20) a quarta (22), 10h às 17h. www.eavparquelage.rj.gov.br.

MARCELO JÁCOME - MARTIN HOLZMEISTER & PEDRO PAGY - O MEU RIO FOTOGRÁFICO. As três mostras com trabalhos de jovens artistas abrem a temporada 2012 do Largo das Artes. Em sua primeira individual, 001, o carioca Marcelo Jácome exibe colagens de papel sobre madeira, objetos e uma instalação com 150 pipas coloridas. Também do Rio, Martin Holzmeister e Pedro Pagy apresentam a instalação audiovisual Hypernova, inaugurando uma nova frente de atuação para a galeria ? a partir de agora aberta a criações que mesclam arte e tecnologia. Por fim, a coletiva O Meu Rio Fotográfico reúne 34 imagens produzidas por alunos da Brazil Foundation que frequentaram cursos de fotografia promovidos pela instituição nas localidades da Providência, Prazeres, Fogueteiro, Chapéu Mangueira e Babilônia. Largo das Artes. Rua Luís de Camões, 2, Largo de São Francisco, Centro, ☎ 2224-2985, ? Uruguaiana. Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, 12h às 17h. Grátis. Até 3 de março. Fecha na terça (21) e na quarta (22).

✪✪✪ MODIGLIANI: IMAGENS DE UMA VIDA. Mostra sobre o mais importante artista italiano do início do século XX: Amedeo Modigliani (1884-1920). Em sua curta carreira, ele produziu 320 pinturas e 27 esculturas. Com curadoria de Christian Parisot, presidente do Instituto Modigliani, responsável pela catalogação e certificação das obras, o acervo de 230 itens reúne dez pinturas de diferentes fases, além de cinco esculturas e sessenta desenhos originais. Três das telas que ficaram programadas para vir, a exemplo de Retrato de Marevna, não foram incorporadas ao conjunto por problemas de produção e divergências sobre o seguro das obras. Também são exibidos 24 trabalhos assinados por amigos com quem Modigliani conviveu em Paris, a exemplo de uma gravura de Pablo Picasso e uma pintura do japonês Léonard Foujita, além de fotografias e correspondências trocadas com outros mestres. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. R$ 8,00. Grátis aos domingos. Até 15 de abril. Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.mnba.gov.br.

✪✪✪ NAN GOLDIN. Leia em Veja Rio Recomenda. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 8,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 4,00. Grátis para amigos do MAM e menores de 12 anos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 8,00 por grupo. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até 8 de abril. Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.mamrio.com.br.

NELSON BRASIL RODRIGUES - 100 ANOS DO ANJO PORNOGRÁFICO. A mostra abre a temporada de celebrações do centenário de nascimento do dramaturgo Nelson Rodrigues (1912-1980). Com curadoria assinada a quatro mãos, pela neta Crica Rodrigues e por Nelson Rodrigues Filho, todo o material foi selecionado no acervo do Centro de Documentação da Funarte. Estão expostos fotografias, reportagens e textos das dezessete peças do autor pernambucano que fez carreira no Rio. O visitante poderá apreciar em painéis deslizantes materiais referentes ao seu texto de estreia, A Mulher sem Pecado, passando pelos espetáculos psicológicos, as obras míticas, as tragédias cariocas e chegando ao último drama, A Serpente. Teatro Glauce Rocha ? Sala Aloísio Magalhães. Avenida Rio Branco, 179, Centro, ☎ 2220-0259. ? Carioca. Segunda a sexta, 10h às 18h. Grátis. Até 30 de dezembro. Fecha na segunda (20) e na terça (21). Na quarta (22) abre às 14h.

PEDRO VARELA. Fluminense de Niterói, 30 anos, Varela desenvolve desde 2005 a série Paisagens Flutuantes. Empregando materiais diversos, como canetas esferográficas, adesivos de vinil e papel, ele constrói imagens de cidades com formas lúdicas e coloridas. Desta vez, na mostra Tropical, apresenta três óleos sobre tela em grandes formatos, pintados com variadas tonalidades de tinta azul, abrindo a segunda edição do Projeto Foyer. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. Grátis. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até 22 de abril. Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.mamrio.com.br.

A PRIMEIRA DO ANO. Abraham Palatnik, Carlos Zilio, Claudia Bakker, Daisy Xavier, Nuno Ramos, Suzana Queiroga e Waltercio Caldas estão entre os 21 nomes que integram a coletiva com trabalhos em diferentes suportes. Ana Holck exibe uma escultura com bloco de concreto e lâminas de acrílico sextavadas. Desdobramento de pesquisas da artista, a peça ? um múltiplo com tiragem de dez exemplares ? foi inspirada na criação apresentada na exposição Lost in Lace, realizada na Inglaterra, em outubro de 2011. R$ 3?400,00 a R$ 23?000,00. Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 10 de março. Fecha de segunda (20) a quarta (22). www.anitaschwartz.com.br.

TARSILA DO AMARAL - PERCURSO AFETIVO. Relíquia de família, um diário de viagens inspira a mostra, a primeira dedicada à artista paulista realizada no Rio desde 1969. No caderno, Tarsila do Amaral (1886-1973) guardou ingressos, cartões, fotos e outros registros das muitas andanças que fez nos anos 20, quase sempre ao lado do modernista Oswald de Andrade (1890-1954), com quem foi casada. Impressões colhidas mundo afora (França, Grécia, Egito e Síria foram alguns dos seus destinos) refletem-se no acervo. Foram reunidas 82 obras, além de objetos pessoais, o diário entre eles. Na lista das telas, a nata da coleção, estão Chapéu Azul (1922), criação do início de carreira, e Antropofagia (1929), marco de sua fase mais importante, além das pouco conhecidas O Lago (1928) e Crianças (Orfanato), de 1935. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 29 de abril.

UNIVERSO FEMININO. A condição da mulher é abordada não como tema, mas nas formas da produção estética presentes na coletiva com vinte trabalhos construídos pela artista plástica Nelly Gutmacher e suas ex-alunas Ana Sarabanda e Marilene Tapias. Cada integrante do trio explora um suporte diferente. Nelly apresenta fotomontagens digitalizadas, a exemplo de Espelho I, em que faz colagens com tecidos e papéis, recorta, remonta, fotografa e manipula a imagem final no computador, com resultado semelhante ao de pinturas abstratas. Marilene exibe mandalas feitas em técnica mista, em que utiliza colagem, tinta acrílica, pigmentos e materiais variados como casca de ovo. Ana mostra monotipias sobre antigos tecidos, provenientes de vestidos que pertenceram às matriarcas de sua família e receberam bordados após a aplicação das camadas de tinta. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 19 de março. Fecha na terça (21); na quarta, abertura às 12h. www.correios.com.br.

✪✪✪ VIVENDO NO VERMELHO. Inaugurada em outubro do ano passado, a galeria Graphos: Brasil, em Copacabana, está apenas na terceira exposição. Depois de abrigar individuais de Ivan Cardoso e Jorge Fonseca, o espaço no segundo andar do centro comercial conhecido como shopping dos antiquários surpreende com uma coleção unida pela presença do vermelho. São sessenta trabalhos produzidos por dezenove criadores de nove países. De Anish Kapoor é exibida uma rara litografia ? até hoje, o artista indiano, naturalizado inglês, famoso pelas esculturas de grandes dimensões, só incursionou pelas artes gráficas em duas séries. Vik Muniz comparece com a cativante foto Lengiz! After Ródtchenko ? Gordian Puzzle, uma composição com peças de quebra-cabeça que homenageia o fotógrafo e artista gráfico russo Aleksandr Ródtchenko (1891-1956). Surpreendem ainda as obras de autores anônimos concentradas na Sala Chinesa, dominada por uma instalação de dezesseis esculturas de louça e estilo kitsch. Walter Goldfarb, outro dos brasileiros escalados, provoca impacto com a imensa pintura Do Flagelo e de Eros XII, inspirada na Pietà do italiano Giovanni Bellini (1430-1516). A partir de R$ 2?500,00. Graphos: Brasil. Rua Siqueira Campos, 143, 2º piso, Copacabana, ☎ 2256-3268, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 18h. Grátis. Até 17 de março. Fecha de segunda (20) a quarta (22).

FOTOGRAFIA

EDUARDO DIAS DA ROCHA. Fotógrafo carioca que possui quinze trabalhos na coleção do Museu Rodin, em Paris, e já expôs no Festival de Fotografia de Montecchio Emilia, na Itália, Eduardo passou as últimas duas décadas fazendo registros de foliões durante o Carnaval no Rio, no Recife e em Veneza. Na individual Retratos e Carnavais, com curadoria da também fotógrafa Cristina Veneu, o artista exibe 37 ampliações em médios e grandes formatos, com flagrantes em preto e branco e em cores. No acervo, é possível notar semelhanças e contrastes entre mascarados e gaiatos fantasiados nas ruas cariocas, caboclinhos e brincantes do maracatu pernambucano e nobres renascentistas e figuras demoníacas representados na festa veneziana. Espaço Cultural Banco Central. Avenida Presidente Vargas, 730, subsolo, Centro, ☎ 2189-5327, ? Presidente Vargas. Segunda a sexta, 9h às 16h30. Grátis. Até 2 de março. Fecha na segunda (20) e na terça (21). Na quarta (22) abre às 12h.

SEBASTIÃO BARBOSA. Premiado no exterior e autor de trabalhos que integram a prestigiada Coleção Pirelli-Masp de Fotografia, Barbosa tem se dedicado a captar imagens de variados estilos e maneiras em mais de meio século de carreira. Na individual que leva seu nome, exibe fotografias de paisagens do Rio e de Paris, realizadas por meio de experimentações e de câmeras por ele construídas com madeira. Também está exposto o conjunto de doze desses aparelhos artesanais, com o qual obteve imagens panorâmicas em 360 graus de cartões-postais cariocas e parisienses. Oi Futuro Ipanema. Rua Visconde de Pirajá, 54, Ipanema, ☎ 3201-3000, ? General Osório. Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até 25 de março. Fecha na terça (21) e na quarta (22). www.oifuturo.org.br.

Fonte: VEJA RIO