ROTEIRO DA SEMANA

Dança

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

DESENQUADRANDO EUCLIDES, de Adriana Banana. Trabalho mais recente da coreó­grafa mineira e do coletivo Ur=H0R, o espetáculo levanta reflexões sobre como funcionam as relações do corpo com o ambiente e com a dança, tomando por base o espaço euclidiano, ou seja, não curvo. O trabalho é amparado em teorias do matemático grego Euclides de Alexandria (360 a.C-295 a.C.) , considerado o ?Pai da Geometria?. No palco, Adriana se junta a Tuca Pinheiro, Karina Collaço, Lívia Rangel e Raul Corrêa (50min). Livre. Teatro Cacilda Becker (160 lugares). Rua do Catete, 388, Catete, ☎ 2265-9933, ? Largo do Machado. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (2). Estreia prometida para sexta (30).

MARGUERITE E ARMAND, de Frederick Ashton. Ana Botafogo celebra 35 anos de carreira ? trinta deles como primeira-bailarina do Theatro Municipal ? com espetáculo inédito em seu repertório. Ao lado do argentino Federico Fernandez, principal bailarino do Teatro Colón, ela protagoniza a coreografia inspirada no romance A Dama das Camélias, de Alexandre Dumas. A peça foi criada em 1963 por Ashton, para a bailarina inglesa Margot Fonteyn, uma das maiores de todos os tempos. Iván Rutskauskas, pianista do Colón, embala a apresentação executada ainda por outros treze bailarinos, entre eles Marcelo Misailidis e Joseny Coutinho (70min). 10 anos. Theatro Municipal do Rio de Janeiro (2?361 lugares). Praça Floriano, s/nº, Centro, ☎ 2332-9191/9005, ? Cinelândia. Sábado (1º), 16h; domingo (2), 17h. R$ 30,00 a R$ 90,00. Bilheteria: 10h/18h (seg. a sex.); a partir das 15h (sáb. e dom). IC. Estac. c/manobr.

✪✪✪ MOMIX ? BOTANICA. Fundada pelo americano Moses Pendleton há mais três décadas, a companhia de dança volta à cidade com sua coreografia de pegada ecológica, interpretada por dez bailarinos-acrobatas. Eles levam ao palco uma galeria de bichos e plantas que adquirem forma graças a movimentos sincronizados, além de adereços, truques de iluminação e projeções de imagens. Em um dado momento, uma artista simula um pas de deux com o esqueleto de um dinossauro (120min, com intervalo). 12 anos. Theatro Municipal do Rio de Janeiro (2?361 lugares). Praça Floriano, s/nº, Centro, ☎ 2332-9191/9005, ? Cinelândia. Segunda (26), 20h. R$ 80,00 a R$ 220,00. Bilheteria: a partir das 10h (seg.). IC. Ma­nobr.

O QUE IMAGINO SOBRE A MORTE, de Esther Weitzman, Paulo Marques e Toni Rodrigues. A consciência da finitude, da morte e do envelhecimento é a base para a elaboração da coreografia que celebra os dez anos de fundação da Esther Weitzman Companhia de Dança. A bailarina e coreógrafa sobe ao palco acompanhada por Marques e Rodrigues para executar movimentos que evocam sentimentos de ausência e, ao mesmo tempo, da necessidade de persistir e continuar a vida (60min). Livre. Teatro Dulcina (429 lugares). Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro, ☎ 2240-4879. ? Cinelândia. → Terça, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 14h (ter.). Até 4 de outubro. Estreia prometida para terça (27).

Fonte: VEJA RIO