ROTEIRO DA SEMANA

Bares

Percorremos os melhores bares do Rio para avaliar os comes e bebes que você deve pedir

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

BOTEQUINS

DA GEMA. O negócio é fruto do projeto de conclusão de curso de três alunos de gastronomia da Univesidade Estácio de Sá. Ao terminarem os estudos, Luiza de Souza, Carlos Brasil e Leandro Amaral decidiram tirar do papel o trabalho realizado no último período e deram forma a este botequim cujo forte é a cozinha, ao mesmo tempo simples e criativa. De lá saem delícias como a fondue da gema (R$ 27,00), cremosa massa de angu com queijo, farofa de torresmo e pimenta-biquinho, acompanhada de costela suína e linguiça caseira. O aipim é misturado a banana na delicada massa do bolinho aipana, recheado de linguiça e couve (R$ 3,80 a unidade). A excelência gastronômica rendeu ao bar o prêmio de melhor cozinha na edição 2012/2013 do especial ?Comer & Beber?, publicado por VEJA RIO. Das marcas Original ou Bohemia, a cerveja em garrafa (R$ 7,00) está sempre gelada. Rua Barão de Mesquita, 615, lojas C e D, Tijuca, ☎ 2208-9414 (60 lugares). 17h/0h (qui. até 1h; sex. até 2h; sáb. 12h/2h; dom. 12h/20h; fecha seg.). Fecha segunda (24) e terça (25). Cc: todos. Cd: todos. ↔ Aberto em 2009.

ERNESTO. Aberto originalmente na década de 30, pelo casal alemão Martha e Ernst Mehler, na Rua Teófilo Otoni, o estabelecimento, agora sob o comando do neto deles, Flávio, está fixado desde 1993 em um sobrado da Lapa. Da terra natal dos fundadores vem também parte dos 100 rótulos da bem fornida carta de cervejas especiais, caso da Erdinger Weiss (R$ 18,90, 500 mililitros) e da Paulaner Original (R$ 18,90, 500 mililitros). Entre as especialidades locais, as sugestões são os croquetes de carne (R$ 17,20 a porção com quatro) e o kassler (joelho de porco, R$ 37,50), acompanhados de uma guarnição, que pode ser repolho-roxo, salada de batata ou batata salteada. O chope Brahma custa R$ 5,70 (a tulipa). Largo da Lapa, 41, Lapa, ☎ 2509-6455 (160 lugares). 11h/0h (sex. e sáb. até 1h; fecha dom.). Fecha de domingo (23) a terça (25). Cc: A, D e M. Cd: todos. www.barernesto.com.br. Aberto em 1993.

MANOEL & JUAQUIM. Inaugurada há quase duas décadas no Engenho de Dentro, a rede foi pioneira na leva de pés-limpos que varreu a cidade. Comandada pelo autor e diretor de teatro Abílio Fernandes, homenageia, com nomes irreverentes, a tradição dos botequins cariocas. Experimente a batata juaquim (R$ 17,90), com calabresa e alho, e o frango à passaralho (R$ 24,50), misturado a bastante alho. Mais farto, o risoto de camarão (R$ 46,00) serve duas pessoas. O chope é Brahma (R$ 3,90 a tulipa). Aviso: os preços se referem à filial do Engenho de Dentro e podem variar de acordo com a unidade. Rua Pernambuco, 384, ☎ 2592-5131 (124 lugares). 17h/0h30 (sex. e sáb. até 1h30; fecha dom.). Cc: todos. Cd: todos; Rua Almirante Tamandaré, 77, Flamengo, ☎ 2556-7385, ? Largo do Machado (240 lugares). 11h/2h. Segunda (24) até 16h. Cc: todos. Cd: todos ? → Mais oito endereços. www.manoelejuaquim.com.br. Aberto em 1994.

PAPO INICIAL. À frente do negócio, o DJ Moisés Soares uniu suas duas décadas de experiência na noite à vivência como cliente e passou para o lado de dentro do balcão. Por ali, o chope Heineken geladíssimo (R$ 3,90, 300 mililitros) é pedida certa para acompanhar tira-gostos como o arancino (R$ 11,50 a dupla). Trata-se de um generoso bolinho de arroz com três opções de recheio: uma saborosa combinação de espinafre, queijo brie e damasco, a versão de bolonhesa com mussarela de búfala e a de frango com catupiry. Na seção de bebes aparecem, ainda, cervejas em garrafa das marcas Antarctica Original, Bohemia e Budweiser (R$ 7,00 cada uma), além do curioso caipilé (R$ 11,50), caipirinha com um picolé mergulhado no copo. Entre as misturas disponíveis, o drinque de kiwi molha o sorvete de maracujá e a versão de morango ganha a companhia de um gelado de limão. Rua Felipe Camarão, 196, Tijuca, ☎ 2238-2645 (70 lugares). 18h/1h (sex. e sáb. até 2h). Fecha segunda (24) e terça (25). Cc: todos. Cd: todos. ? Aberto em 2012.

CHOPE E CERVEJA

BON VIVANT. A primeira e única filial da delicatessen de Nova Friburgo se destaca em meio aos botecos do Baixo Voluntários. O iluminado salão conta com uma boa oferta de cervejas especiais ? a carta atingiu a marca dos cinquenta rótulos e está em constante mudança. Experimente a artesanal nacional Coruja, não fermentada, nas versões viva (R$ 34,90) e extraviva (R$ 36,90), ambas em garrafas de 1 litro. Da lista de importadas, as boas pedidas são a holandesa La Trappe Blond (R$ 24,90, 330 mililitros) e a belga Grisette Blanche (R$ 16,90 cada long neck). Na parte de comes, prove o filé-mignon aperitivo ao molho roquefort (R$ 32,00) ou o carpaccio de carne (R$ 21,90), acompanhado de um molho à escolha, entre as opções de alcaparra, de azeite, pimenta e limão ou de ervas finas. Rua Voluntários da Pátria, 46, loja B, Botafogo, ☎ 2537-2857, ? Botafogo (70 lugares). 17h30/1h (dom. até 0h). Fecha segunda (24) e terça (25). Cc: todos. Cd: todos. → www.bonvi­vantbistro.com.br. Aberto em 2009.

HERR BRAUER. Em português, o nome do lugar quer dizer ?senhor cervejeiro?. A carta de mais de oitenta rótulos inclui a belga Pauwel Kwak (R$ 33,00, 330 mililitros), que desembarca na mesa em copo especial, apoiado num suporte de madeira. Holandesa, a La Trappe Quadrupel (R$ 74,00, 750 mililitros) também figura entre as importadas. Todos os dias, entre 18h e 20h, a happy hour é regada a Hofbräu Original, Erdinger Weiss e Dunkel, ao preço promocional de R$ 15,00 cada uma. Na enxuta lista de petiscos há lugar para as fritas do belga (R$ 38,50), sugestão que traz filé de peixe empanado com batata frita ao chutney de tomate. Rua Barão do Flamengo, 35, loja O, Flamengo, ☎ 2225-4359, ? Largo do Machado. 11h30/1h (seg. até 16h; sex. e sáb. até 2h). Segunda (24) até as 17h. Fecha terça (25). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2006.

DRINQUES

STUZZI. À frente do preparo de pequenas porções inspiradas pela culinária italiana, Paula Prandini foi pupila de Roland Villard, chef do Le Pré Catelan. Na casa no Leblon, ela reúne no caprichado prato de antepastos (R$ 42,70) pães, peperonata, abobrinha e berinjela em conserva, tomate confitado, presunto de Parma, crostini de patê toscano, queijo de cabra, lascas de queijo grana padano e azeitonas crocantes recheadas. Entre as boas invenções da mestre-cuca figuram ainda os arancini, bolinhos de risoto recheados de camarão com queijo mascarpone ou de presunto com mussarela de búfala (R$ 8,70 a unidade; 25,70 o trio). Para beber, explore criações do barman Vitor Barros, também egresso do Le Pré Catelan, a exemplo do yamí (R$ 23,00): mistura de vodca, redução de jabuticaba com vinagre e mel, graviola e limão. No domingo, a partir das 13h, um serviço de almoço oferece quinze opções, entre pratos frios e quentes, a R$ 44,00 por pessoa. Rua Dias Ferreira, 48,

☎ 2274-4017 (60 lugares). 19h/1h (qui. a sáb. até 3h; dom. 13h/0h). Fecha segunda (24) e terça (25). Cc: todos. Cd: todos. www.stuzzibar.com.br.

Aberto em 2011.

FIM DE NOITE

BOTECOTACO. Tradicional reduto de fim de noite, praticamente não fecha as portas ? exceto em breves intervalos, para limpeza e manutenção. Na parte dos fundos, o salão refrigerado conta com cinco mesas de sinuca. O aluguel do equipamento é cobrado por hora (R$ 18,00, das 7h às 17h; R$ 21,00, das 17h às 7h). Para forrar o estômago, há porção de pastel (R$ 18,15, doze unidades) nos sabores quatro queijos, carne e carne-seca com catupiry. O chope Brahma (R$ 4,70, 300 mililitros) completa o programa. Rua Humaitá, 122, Humaitá, ☎ 2539-5109 (70 lugares). 24 horas (dom. até 0h; seg. a qua. 7h/2h; qui. a partir das 7h). Segunda (24) até 14h. Fecha terça (25). Cc: todos. Cd: todos. www.botecotacorio.com.br. Aberto em 1942.

O PLEBEU. Na varanda do 2º andar ou nas mesas de plástico na calçada ? os dois espaços mais concorridos do casarão ?, a clientela bate papo regado a Bohemia (R$ 8,00) e Antarctica Original (R$ 8,30) até altas horas da madrugada. Para beliscar, petiscos triviais, caso do frango à passarinho (R$ 25,50 a porção), da carne de sol na pedra acompanhada de farofa e aipim frito (R$ 42,50), do pastel misto de camarão, carne ou queijo (R$ 22,00 a dúzia) e dos gurjões de frango (R$ 25,50) ou peixe (R$ 26,50), ambos acompanhados de molho tártaro. Rua Capitão Salomão, 50, Botafogo, ☎ 2286-0699 (130 lugares). 12h/4h (dom. até 21h). Fecha segunda (24) e terça (25). Cc: todos. Cd: todos. ? ? www.oplebeu.com.br. Aberto em 1979.

HAPPY HOUR

AZTEKA. Chama a atenção de quem passa pela calçada a decoração moderninha, composta de um grande painel de madeira todo recortado e iluminação indireta. Com o cair da tarde, o jeito de restaurante vai dando espaço à happy hour, animada por música ambiente um pouco mais alta. Povoam as mesas a cerveja long neck mexicana Corona (R$ 14,00) e a típica margarita (R$ 14,00). Para beliscar, escolha entre o saboroso guacamole (R$ 15,00) e os frijoles (R$ 15,00) ? os dois são servidos em bowls e guarnecidos de nacho chips. Rua Visconde de Pirajá, 156, loja A, ☎ 3489-8900, ? General Osório (21 lugares). 12h/23h (sex. a dom. até 0h). Segunda (24) até 18h; terça (25) a partir de 13h. Cc: todos. Cd: todos. www.azteka-rio.com. Aberto em 2012.

CAIÇARA BAR. A partir dos fundos do shop­ping Barra Point ou da sede da Unimed, na Avenida das Américas, barquinhos atravessam o Canal de Marapendi rumo a um oásis urbano: a Ilha da Gigoia. Foi ali que Tatiana e Fernando Mendes decidiram montar seu primeiro negócio, colado à casa onde mora o casal. À beira do espelho-d?água, é possível beber uma gelada long neck (R$ 4,50 a Skol; R$ 6,00 a Stella Artois) em ambiente que remete a um bangalô praiano. Sem invencionices, as opções de tira-gostos são preparadas por Fernando e levam nomes de praias brasileiras. São sugestões apetitosas o camarão imaruí, frito no alho (R$ 45,00), e os generosos pastéis caiobá, servidos em porção de quatro unidades (R$ 18,00, de camarão; R$ 16,00, de carne; R$ 15,00, de queijo). As caipirinhas (R$ 12,50, de vodca nacional) chegam à mesa com frutas da estação ? a de jabuticaba é ótima pedida. O preço do transporte até a ilha varia de acordo com o trajeto e o horário da visita. Rua Doutor Sebastião de Aquino, 170 (frente), Ilha da Gigoia, ☎ 2484-7983 (100 lugares). 17h/1h (dom. 13h/20h; fecha seg. e ter.). Fecha segunda (24) e terça (25). Cc: todos. Cd: todos. ? Aberto em 2012.

PONTAPÉ BEACH. Cozinheira de mão-cheia, a proprietária Rose Coelho acompanha de perto o preparo das sugestões do cardápio. Além do já consagrado bacalhauzinho da derci (R$ 20,00, seis unidades), croquete recheado de arroz de brócolis e bacalhau, há curiosos petiscos servidos dentro da caldeireta de chope. É o caso da delícia do nordeste (R$ 8,00), que leva uma camada de creme de cará ou inhame, além de cobertura de camarão, e do brasileirinho, feito de cremes de batata-baroa e de espinafre e bacalhau (R$ 9,00). A atração do fim de semana é a posta de peixe do dia (R$ 54,00), acompanhada de arroz, pirão e molho de camarão. Para beber, além do chope Brahma (R$ 4,20 a tulipa), há cerveja em garrafa das marcas Skol, Antarctica, Brahma (R$ 6,00 cada uma), Original e Bohemia (R$ 7,00). A música ao vivo começa às 20h. Praia da Ribeira, 63, Ilha do Governador, ☎ 3495-2285 (280 lugares). 18h/0h (sáb. a partir. das 12h; dom. 12h/17h; fecha seg.). Fecha segunda (24) e terça (25). Cc: todos. Cd: todos. Couvert art.: R$ 3,00 (ter. a qui. e dom.) e R$ 5,00 (sex. e sáb.). → ? www.pontapebeach.com. Aberto em 2005.

MÚSICA AO VIVO

BAR DA BOA. Luzes azuladas, revestimento branco e azul, chão de pedras portuguesas e parede de tijolos aparentes compõem o cenário: a decoração parece a de um comercial da cerveja Antarctica, e é essa a ideia. Cascos da marca são oferecidos nas três versões ? Pilsen, Sub Zero e Original ? por preços entre R$ 6,60 e R$ 9,50. Na seção de comes, opte pelo samba de dois (R$ 24,00), porção de peixe empanado com batata frita, ou os minipastéis (R$ 14,00, dez unidades) de queijo, carne ou camarão. Também faz sucesso o bolinho de feijoa­da (R$ 18,00 a porção com seis). No 2º andar, a programação de música ao vivo acontece de sexta a domingo, com cobrança de couvert artístico. Avenida Mem de Sá, 69, Lapa, ☎ 2221-2542 (120 lugares). 18h/3h. Cc: todos. Cd: todos. Couvert art. (sex. a dom.): R$ 20,00 (mulheres) e R$ 25,00 (homens), a partir das 22h. Fecha segunda (24) e terça (25). Aberto em 2010.

BIP BIP. Com apenas 18 metros quadrados, o diminuto salão tem na programação musical seu maior apelo. A agenda contempla vários gêneros: choro na segunda e na terça, bossa nova na quarta e samba na quinta, na sexta e no domingo. Como o salão é muito acanhado, a clientela se esparrama mesmo pela calçada. O proprietário, Alfredo Jacinto de Melo, carinhosamente apelidado de Alfredinho, é conhecido pela generosidade e pela impaciência com o público mais falador ? não se acanha em dar uma reprimenda no pessoal que fica conversando durante as apresentações. Os próprios clientes pegam nos freezers as latas de Itaipava, Brahma, Skol e Antarctica (R$ 4,00). Para beliscar, a lista reduzida inclui bolinho de bacalhau (R$ 15,00, quinze unidades), salaminho ou queijo provolone (R$ 14,00, 100 gramas), quibe (R$ 14,00, quinze unidades) e azeitonas (R$ 8,00 a porção). Rua Almirante Gonçalves, 50, loja D, Copacabana, ☎ 2267-9696 (20 lugares). 19h/1h. Aberto em 1968.

SANTO SCENARIUM. Com mesas sob ombrelones, ao ar livre, o bar é irmão caçula e vizinho do Rio Scenarium, do empresário Plínio Fróes. Fazendo jus ao nome, a parte interna exibe oratórios e objetos de arte sacra, com destaque para um anjo de 2,5 metros de altura que é réplica de uma obra de Aleijadinho. Dedicada ao jazz, a programação musical ocorre de quinta a sábado. O cardápio oferece apurados petiscos, a exemplo dos canudinhos de brie ao molho de laranja (R$ 37,00) ou recheados de shiitake e queijo (R$ 32,00), ambos em porções de oito unidades. Para beber, chope Heineken ou o escuro Xingu (R$ 4,90 cada um). A dose de cachaça custa R$ 7,00 e há dois rótulos de marca própria. Rua do Lavradio, 36, Lapa, ☎ 3147-9007 (200 lugares). 11h30/1h (seg. até 17h; fecha dom.). Fecha segunda (24) e terça (25). Cc: todos. Cd: todos. Couvert art.: R$ 10,00 (qui. a sáb.). → ? ↔ santoscenarium.blogspot.com. Aberto em 2007.

PARA PAQUERAR

BAR VELOSO. Sem maiores firulas, a casa vive cheia ? nos fins de semana, depois da praia e à noite, são comuns aglomerações na calçada. Bebe-se chope Brahma (R$ 6,90 a caldeireta) e, principalmente, cervejas em garrafa, como a Antarctica Original (R$ 10,90). Para beliscar, há lula à dorée (R$ 46,00, para três pessoas), bolinho de camarão com catupiry (R$ 34,00, doze unidades) e croquete de picanha (R$ 31,00 a dúzia). Curiosidade: o histórico Veloso original ficava em Ipanema e era frequentado por Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Tornou-se famoso quando a dupla avistou, de uma de suas mesas, a bela Helô Pinheiro em seu doce balanço a caminho do mar. Por causa da canção que ganhou o mundo, a casa passou a se chamar Garota de Ipanema e, décadas depois, o nome anterior passou a batizar esse estabelecimento no Leblon. Rua Aristides Espínola, 44, Leblon, ☎ 2274-9966 (150 lugares). 11h/1h (qui. a sáb. até 3h). Fecha segunda (24) e terça (25). Cc: todos. Cd: todos. → ↔ Aberto em 2007.

JOTA.Ó. Batizada com as iniciais do Jardim Oceâ­nico, um pedaço da Barra dotado de esquinas e saudável movimento pelas calçadas, a casa atrai a galera em torno dos 20 anos tendo como único luxo uma TV. À simplicidade do ambiente opõe-se um cardápio elaborado. A lista inclui ceviche de peixe branco (R$ 22,90 a taça), marinado no limão-siciliano, com cebola-roxa, pimentões e coentro, e bolinho de arroz arbóreo recheado de queijo e orégano (R$ 16,90, seis unidades). Drinques frozen (R$ 14,90) encontram boa saída. Campeão de vendas, o trident star mistura vodca, morango, limão e gengibre. Entre as geladas figuram as marcas Amstel (R$ 8,90) e Sol (R$ 5,90), ambas em garrafa long neck, além de Antarctica Original, Heineken (R$ 6,90, 600 mililitros) e Stella Artois (R$ 14,90, 1 litro). Avenida Olegário Maciel, 231, loja F, Barra, ☎ 2135-3331 (240 pessoas). 11h30/3h (dom. a partir de 14h30; seg. até 17h). Cc: todos. Cd: todos. ? ↔ www.barjota.o.com.br. Aberto em 2011. Fecha segunda (24) e terça (25). Aberto em 2011.

TRADICIONAL

ADEGA PÉROLA. O ambiente é prosaico: há apenas sete mesas de madeira com banquetas fixas, prateleiras abarrotadas de garrafas, cartazes amarelos rabiscados com preços e, a grande atração local, uma vitrine repleta de acepipes. Dois anos atrás, após a morte do último sócio-fundador, o endereço despertou a cobiça de duas redes de pés-limpos. Em defesa do patrimônio imaterial carioca, dois antigos frequentadores se aliaram a um empresário do ramo para comprar o ponto. As três grandes virtudes do lugar foram mantidas: atmosfera ímpar, excelência gastronômica e chope bem tirado (R$ 4,50 a tulipa da Brahma). Seguem no cardápio o polvo ao vinagrete (R$ 18,00) e a linguiça ao vinho (R$ 20,00), servidos em porções de 100 gramas, além da sardinha portuguesa assada em azeite (R$ 6,00 a unidade). Na nova gestão, entrou para a lista de tira-gostos o delicioso alho no azeite (R$ 12,00) ? cuja receita é guardada a sete chaves ?, crocante e sem a ardência característica. Rua Siqueira Campos, 138, loja A, Copacabana, ☎ 2255-9425, ? Siqueira Campos (60 lugares). 10h/1h (fecha dom.). Segunda (24) até 16h; fecha terça (25). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 1957.

AMARELINHO. Em 1919, o empresário espanhol Francisco Serrador comprou um grande terreno no fim da Avenida Rio Branco ? pretendia transformar a área em uma cidade dos cinemas. Inaugurado na Cinelândia dois anos depois, o bar de toldo amarelo sobreviveu às muitas salas de exibição que ocuparam a região. O lugar ainda é bastante procurado no almoço e para o chope (da Brahma, R$ 4,70) da happy hour. Trivial, a ala dos petiscos traz porções de frango à passarinho (R$ 39,00) e de carne-seca com aipim (R$ 39,00), além do bolinho de bacalhau (R$ 22,00, dez unidades). Uma refeição mais robusta é proporcionada pelo churrasco misto, com frango, contrafilé, carré de porco, linguiça, arroz, batata frita, molho à campanha e farofa (R$ 74,00). O pratão pode ser dividido por até três pessoas. Praça Floriano, 55-B, Centro, ☎ 2240-8434, ? Cinelândia (200 lugares). 11h/2h (dom. até 0h). Segunda (24) até 17h. Cc: todos. Cd: todos. www.amarelinhodacinelandia.com.br. Aberto em 1921.

BAR DO BETO. Depois de ganhar nova direção em 2011, o tradicional botequim foi submetido a um banho de loja. O ambiente ganhou lustres de desenho arrojado, revestimento de madeira e televisão de plasma. Figuram no rol de petiscos triviais os bolinhos de bacalhau (R$ 18,90, seis unidades) e a trilogia de pastéis de queijo, carne ou camarão (R$ 16,90). Ambos tabelam bem com o chope Brahma (R$ 6,00 a caldeireta) ou com a Stella Artois (R$ 7,00 a long neck). Rua Farme de Amoedo, 51, Ipanema, ☎ 2523-1105, ? General Osório (100 lugares). 11h30/1h (sex. e sáb. até 2h). Fecha terça (25). Cc: todos. Cd: todos. ? ↔ www.bardobetorj.com.br. Aberto em 1980.

BAR DO OSWALDO. Quando Oswaldo Menezes trocou sua pequena frota de caminhões pelo investimento em um ponto na Barra, o bairro era um recanto bucólico, com poucas construções. A ideia inicial era servir refeições, mas uma pequena invenção, a mistura curtida de coco e cachaça, mudou os rumos do negócio. Depois de cair no gosto da freguesia, o ?coquinho do Oswaldo? inspirou a criação da batida de coco, seguida pelas receitas de maracujá, amendoim, caju, açaí e até bombom (R$ 6,00 a dose). Hoje, administrado por Rommel e Abigail, filhos do fundador, o endereço costuma concentrar turmas a caminho da noitada. No cardápio de tira-gostos há caldinho de feijão (R$ 8,00), carne de sol com aipim (R$ 27,90) e porção de linguiça mineira com aipim noisette (R$ 22,90). Estrada do Joá, 3896, Barra, ☎ 2493-1840 (160 lugares). 12h/1h (sex. e sáb. até 3h). Fecha segunda (24) e terça (25). Cc: todos. Cd: todos. www.bardooswaldo.com.br. Aberto em 1946.

BAR DO SERAFIM. Mesmo depois de adquirido pelos proprietários do grupo Dom, que tem outros negócios do gênero na Lapa e no Grajaú, este botequim inaugurado nos anos 40 conservou sua decoração original. Garrafas ocupam diversas prateleiras e cristaleiras, barris de madeira repousam sobre o balcão. Unanimidade entre os consumidores, o chope Brahma (R$ 4,00 a tulipa) tabela bem com os salgados vendidos por unidade, como os bolinhos de carne e de bacalhau (R$ 4,00 cada um), além do torresmo (R$ 2,00). A cesta com três pães de alho (R$ 6,00) e a porção de presunto de Parma (R$ 45,00) também têm seus adeptos. Rua Alice, 24, loja A, Laranjeiras, ☎ 2225-2843 (45 lugares). 10h/0h (sex. e sáb. até 1h). Segunda (24) até 16h; terça (25) a partir das 14h. Cc: todos. Cd: todos. ? Aberto em 1944.

BAR LUIZ. Um dos redutos de comes e bebes da cidade tombados pela prefeitura como patrimônio cultural carioca, foi o primeiro endereço do Rio a servir chope. Mudanças na marca da bebida, após o fim da centenária parceria com a Brahma, deram o que falar. Restam o charme retrô do ambiente e o sotaque alemão do cardápio. Croquetes (R$ 4,50 a unidade) são um bom começo. Se a fome for grande, a pedida é o menu especial individual (R$ 35,00), com entrada (croquete de kassler), prato principal (costeleta, sal­sichão bock, sal­sichão branco ou joelho de porco, com guarnição de salada de batata) e, de sobremesa, apfel­strudel. A linguiça branca com salada de batata também pode ser servida em porção (R$ 31,50), para acompanhar o chope, hoje das bandeiras Sol (R$ 5,60), Xingu (R$ 6,20) e Heineken (R$ 7,30). Rua da Carioca, 39, Centro, ☎ 2262-6900, ? Carioca (144 lugares). 11h/23h (seg., ter. e sáb. até 22h; fecha dom.). Segunda (24) até 16h; fecha terça (25). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 1887.

Fonte: VEJA RIO