ROTEIRO DA SEMANA

Bares

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

BAR-RESTAURANTE

BACARO DO LIDO. No térreo de um dos prédios art déco da Praça do Lido, o diminuto salão se destaca pela decoração luminosa. Ladrilhos hidráulicos no chão e nas paredes compõem o ambiente. Para começar, experimente a berinjela à parmigiana ao forno (R$ 29,00). A especialidade por ali, no entanto, são os pratos que levam peixe, sempre frescos e temperados com esmero. Na vitrine do balcão são exibidos os exemplares crus que chegam à mesa em forma de carpaccio -- o trimare (R$ 34,00) traz salmão, peixe branco e atum marinados, com leve toque de mostarda. Na pequena seção de pratos japoneses, valem a pedida a dupla de sushi (R$ 10,00) ou um dos temakis (R$ 17,00). O cone de atum é preparado com cebolinha e gergelim torrado. Destoante do resto do cardápio, o saborosíssimo guacamole (R$ 16,00) traz pedaços de abacate com um mix de temperos. A boa oferta de vinhos também é convidativa. Entre as opções oferecidas em taça estão o espumante italiano Rivalta Extra Dry (R$ 14,00) e o nacional Panizzon Brut (R$ 17,00). Rua Ronald de Carvalho, 21, loja A, Copacabana, ☎ 2295-9887, ? Cardeal Arcoverde (38 lugares). 12h/0h (sex. e sáb. até 1h). Cc: todos. Cd: todos. ? ↔ Aberto em 2011.

BOTEQUIM

BAR DO BONDE. Num acanhado imóvel na Rua Almirante Alexandrino, distante do burburinho (e da concorrência de casas como o Bar do Mineiro e a Adega do Pimenta), funciona este bar familiar, administrado pelo casal Marcus de Oliveira e Ana Luiza Garcez, com ajuda dos filhos. Da experiência de Marcus como fundador da Associação dos Cervejeiros Artesanais Cariocas resultou a carta de cervejas atraente. Aparecem por lá, além das tradicionais Antarctica e Brahma (R$ 5,50, 600 mililitros), a Therezópolis Gold (R$ 12,00, 600 mililitros) e a alemã Paulaner (R$ 20,00, 500 mililitros). Na interessante lista de tira-gostos, elaborada com a ajuda de Paulo Roberto Barbosa, ex-sócio do Aconchego Carioca e hoje dono do Petit Paulette, estão o bolinho de risoto (R$ 14,00, quatro unidades), nas versões de açafrão com gorgonzola, de funghi com mussarela e de camarão com cream cheese. Entre os espetinhos (R$ 7,00 a unidade), o nordestino nos trilhos traz carne de sol na manteiga de garrafa acompanhada de pirão de queijo de coalho. Até o indefectível bolinho de feijoada, envolto em farinha de torresmo (R$ 20,00, seis unidades), marca presença. Rua Almirante Alexandrino, 1450-E, Santa Teresa, ☎ 2507-4379 (40 lugares). 18h/22h (qui. e sex. até 0h; sáb. e dom. 12h/0h). Cc: M e V. Cd: R e V. http://cargocollective.com/bardobonde. ? ↔ Aberto em 2011.

BENDITHO. Das mesas espalhadas pela varanda, em Vila Isabel, é possível acompanhar o intenso movimento da esquina. O pé-limpo prima pela caprichada de cervejas especiais, são 170 rótulos, e pela extensa lista de petiscos. Figuram entre as geladas as belgas Floris Fraise (R$ 34,00), Rochefort (R$ 29,80) e Waterloo (R$ 15,00), todas em garrafa de 330 mililitros. Na ala das marcas nacionais, são pedidas diferentes as gaúchas Coruja (R$ 17,50, 600 mililitros) e Província (R$ 17,50, 1 litro). Entre os tira-gostos, o bolinho de bacalhau (R$ 18,00, oito unidades) divide as atenções com a porção de croquete (R$ 24,00 a dúzia). Para dividir, o filé aperitivo ao molho madeira (R$ 39,90) é acompanhado de pão de alho, e a picanha na chapa (R$ 59,90) chega à mesa ao lado de arroz, farofa de ovo, batata frita e molho à campanha. Rua Baltazar Lisboa, 47, lojas A e B, Vila Isabel, ☎ 2208-2346 e 2268-3871 (80 lugares). 12h/1h (fecha seg.). Cc: M e V. Cd: todos. ↔ Aberto em 2010.

BOTEQUIM INFORMAL. Com onze endereços espalhados pela cidade, a rede tem petiscos corretos, grande variedade de pratos completos e o principal: chope (R$ 5,60 a caldeireta da Brahma) bem tirado. Todas as unidades seguem o padrão das duas torneiras: de uma jorra o líquido, da outra, a espuma. Em constante renovação, a lista de acepipes conta com camarão e lula crocantes (R$ 37,90 e R$ 29,90 cada porção, respectivamente), além de gurjão de peixe (R$ 24,50), todos acompanhados de molhos tártaro e rosé. Especialidade local, as carnes na chapa são boa pedida para refeições mais robustas. Uma das dicas é a fornida porção de lascas de filé-mignon à milanesa sob cobertura de molho de tomate e queijo derretido, acompanhada de batata frita (R$ 58,90, para pelo menos duas pessoas). Outra sugestão, a picanha garrafeiro (R$ 69,90, para dois), fatiada, é preparada com molho chimichurri, alho crocante e cebola. Jarras de 1,5 litro de caipirinha, nos sabores limão, morango, lima-da-pérsia ou abacaxi, podem ser preparadas com vodca (R$ 58,90) ou cachaça (R$ 48,90). Rua Barão da Torre, 348, lojas A e B, Ipanema, ☎ 2247-6711 (108 lugares). 12h/2h. Cc: todos. Cd: todos. ↔; Rua Conde Bernadotte, 26, loja O, Leblon, ☎ 2247-6711 (140 lugares). 12h/1h. Cc: todos. Cd: todos. ↔ www.botequiminformal.com.br. Mais nove endereços. Aberto em 2001.

BAR PEIXE & CIA. O simpático João Otaviano Filho assumiu o bar há cincos anos, depois de ter trabalhado como garçom em outros dois estabelecimentos. Ele cuida pessoalmente do negócio, que, como o nome diz, tem por especialidade frutos do mar e pescados. Fazem sucesso por lá o gurjão de peixe ao molho tártaro (R$ 35,00) e a porção de camarão ao alho e óleo (R$ 50,00). Ambos tabelam bem com as cervejas de garrafa das marcas Brahma, Antarctica (R$ 6,00 cada uma), Serramalte, Original e Bohemia (R$ 7,00). Outras dicas bem-vindas de petisco são o bolinho de bacalhau (R$ 18,00, dez unidades) e a patinha de caranguejo ao molho tártaro (R$ 22,00). A dose das cachaças mineiras Salinas, Meia Lua, Lua Nova e Seleta custa R$ 5,00. Rua André Cavalcante, 16, loja A, Bairro de Fátima, ☎ 3970-2480 (16 lugares). 11h/1h. Cc: todos. Cd: todos. ? Aberto em 1981.

LEME LIGHT. Sob um toldo azul, mesas são espalhadas na calçada -- no diminuto salão se destaca a típica vitrine no balcão, em que são exibidos os salgados do dia. No lugar onde funcionava o antigo Escadinha, a frequência é principalmente de moradores do bairro, como opção de programa depois da praia. O chope Brahma (R$ 4,00 a caldeireta) reina absoluto. Para acompanhá-lo, tem gurjão de peixe ou frango ao molho tártaro (R$ 29,00 e R$ 30,00 cada porção, respectivamente). O filé aperitivo (R$ 37,00 a porção inteira; R$ 21,00 a meia) também divide as atenções com o bolinho bacalhau de preço atraente (R$ 7,50, dez unidades). Para fomes maiores, os sanduíches de filé-mignon ou de frango (R$ 13,00 cada um) podem ser acrescidos de queijo e abacaxi. Há, ainda, cerveja de latinha (R$ 4,50) das marcas Antarctica, Brahma e Skol. Rua Gustavo Sampaio, 795, Leme, 2275-5498 (19 lugares). 7h/1h. Cc: todos. Cd: todos. ? ? Aberto em 2002.

PAPO DE BAR. Beto Ilha, o proprietário, trouxe do Rio Grande do Sul sua experiência com as carnes feitas na brasa. É da churrasqueira comandada por ele que saem especialidades como o galeto aperitivo (R$ 27,90), guarnecido de anéis de cebola empanados, e o robusto bife ancho (R$ 37,90). A carne chega à mesa em nacos ao ponto, ladeada por batata portuguesa, farofa de ovo, linguiça e molho à campanha. Pelo mesmo preço, a picanha papo de bar é acompanhada de arroz, feijão, batata frita, farofa brasileira e molho à campanha. Se a ideia foi beliscar diante de um chope Brahma (R$ 5,50 a caldeireta), são boa pedida o pastel de bacalhau (R$ 22,90, seis unidades) e a batata calabresa papo de bar (R$ 18,90), o carro-chefe local, misturada a linguiça calabresa defumada e cebola. Novidades na parte etílica, os shots (R$ 8,00 cada dose), que misturam vodca e absinto ou uísque com tequila e curaçao blue, têm feito sucesso. No horário do almoço, todo dia, há pratos executivos e opções à la carte. Avenida das Américas, 500, bloco 21, loja 133 (Shopping Downtown), Barra, ☎ 3982-2060 (100 lugares). 12h/2h (seg. até 16h; ter. e qua. até 1h; fecha dom.). Cc: todos. Cd: todos. Estac. (R$ 6,00 as duas primeiras horas). ↔ ? www.papodebar-rio.com.br. Aberto em 2007.

champanhes

CHAMPANHARIA OVELHA NEGRA. Conhecido reduto de paquera. O ambiente, aconchegante, é decorado com móveis rústicos e azulejos azuis e brancos. Uma banheira sobre o balcão, com as garrafas de champanhe no gelo, e a enorme mesa coletiva contribuem para a prática da azaração. Não à toa, longas filas se formam diariamente no horário da happy hour. Surgida no Rio Grande do Sul, a casa foi uma das primeiras no país a apostar na bebida borbulhante como carro-chefe do cardápio. Regam os animados bate-papos garrafas do espumante gaúcho Don Giovanni Stravaganzza (R$ 48,00) e do catarinense Santa Augusta (R$ 52,00). De marca própria, há ainda o espumante rosé Ovelha Negra (R$ 60,00), feito no método tradicional, champenoise. Na seção de importados aparecem a garrafa de 1,5 litro de Möet & Chandon Magnum (R$ 483,00) e o português Casa de Sarmento, em quatro tipos. O mais barato, vendido por R$ 88,00, é um espumante tinto; o mais caro é o Brut de Baga, a R$ 98,00 a garrafa. Para beliscar, o três mosqueteiros (R$ 28,00) traz três espetos que podem ser escolhidos entre o d?artagnan (linguiça, cebola e pimentão), o athos (carne, presunto e queijo minas padrão), o porthos (tomate-cereja, mussarela de búfala e manjericão) e o aramis (frango, bacon, cebola e pimentão amarelo). Outra pedida é o pirineus (R$ 35,00), tábua que reúne presunto de Parma, peito de peru, lombo canadense, geleia de damasco, queijo brie e torradas. Rua Bambina, 120, Botafogo, ☎ 2226-1064, ? Botafogo (90 pessoas). 17h30/23h30 (fecha sáb. e dom.). Cc: todos. Cd: todos. www.champanhariaovelhanegra.com.br. Aberto em 2005.

DRINQUES

MEKONG. O nome do negócio entrega a influência asiática -- Mekong é o rio que corta a China e mais seis países do sul do continente. Há opções de drinque servidas em jarras de 1 litro. Fazem sucesso o ping pong (R$ 39,00), preparado com vodca, licor de morango, maracujá, morango, sucos de laranja e de limão, e o inusitado summer breeze (R$ 44,00), de espumante, triple-sec, pepino, laranja, limão, hortelã e manjericão. Novidade para comer, o massaman (R$ 32,00) traz filé-mignon ao molho de curry amarelo, batata e amendoim, acompanhado de arroz de jasmim. Se a ideia foi só petiscar, há um mix (R$ 24,50) com cinco opções diferentes, entre elas samosa de curry e bolinho com massa de grão-de-bico, batata, cebola e especiarias. O cordeiro crocante com molho chinês hoisin, feito de especiarias e soja, finas fatias de pepino, cebolinha e alface (R$ 29,80), também é boa pedida. Rua General Urquiza, 188, loja A, Leblon, ☎ 2529-2124 (40 lugares). 12h/0h (sex. até 1h; sáb. 13h/1h). Cc: D, M e V. Cd: todos. www.mekong.com.br. ↔ ? Aberto em 2010.

T-LOUNGE. Poltronas confortáveis, de cores sóbrias, e mesas baixas decoradas com velas compõem o ambiente. Dentro do edifício do hotel Sheraton Barra, é lugar perfeito para um drinque no fim do dia. Das criações locais, a lila caipirosca (R$ 21,00, com vodca nacional) mistura lichia e lascas de laranja. Já o lounge cosmopolitan reúne vodca, Cointreau, suco de cranberry e suco de limão (R$ 23,00, com vodca nacional). Para petiscar, a salada fria leva lula, mexilhão, polvo e camarão ao vinagrete (R$ 34,00). A lula grelhada, temperada com sal e azeite, custa R$ 29,00. Cervejas long neck são servidas nas marcas Bohemia (R$ 9,00), Cerpa (R$ 9,90) e Heineken (R$ 12,00). Sexta é dia de música ao vivo, com pop, rock e música brasileira. No sábado, a feijoada é embalada por samba e choro (R$ 70,00 por pessoa). Avenida Lucio Costa, 3150, térreo (Sheraton Barra Hotel & Suítes), Barra, 3139-8000/8068/8019 (44 lugares), 8h/0h (sex. e sáb. até 1h). Cc: todos. Cd: todos. Couvert art.: R$ 25,00 a R$ 30,00 (sex. a partir das 21h). ? Aberto em 2003.

MÚSICA AO VIVO

BOTEQUIM ENCURRALADO. É uma das dezenas de opções em meio à movimentada região da Avenida Olegário Maciel. Vizinho da pizzaria Capricciosa, aposta na fórmula de petiscos tradicionais e música ao vivo. Sextas e sábado entram em cena apresentações de MPB, samba e clássicos internacionais. Circulam pelo salão e pelas mesas ao ar livre caldeiretas de chope Brahma (R$ 3,80), além de garrafas de Original e Bohemia (R$ 6,00 cada uma). Para beliscar, a maioria das porções é vendida a R$ 17,50, com oito unidades. Pertencem a essa lista o bolinho de bacalhau, o bolinho de aipim recheado de catupiry ou de carne-seca e o pastel de camarão. O filé aperitivo acebolado ao molho madeira (R$ 38,50) e o espetinho de frango (R$ 8,25) são outras dicas. Diariamente, a partir das 18h, entra em cena o rodízio de comida japonesa, a R$ 51,90 por pessoa. Rua Olegário Maciel, 130, loja H, Barra, ☎ 2492-1258 (60 lugares). 11h30/0h (sex. e sáb. até 1h30; fecha dom.). Cc: todos. Cd: todos. Couvert art.: R$ 5,00 (sex. a partir das 21h; sáb. a partir das 20h). ↔ ? Aberto em 2010.

CATRIN. Dono de restaurantes em seu país natal, o mexicano René Shove e a mulher, a baiana Bel Chaves, administram o negócio instalado em um dos quarteirões mais movimentados da Lapa. Totalmente voltado para a rua, o salão, decorado com janelas de demolição e paredes coloridas, abriga um palco dedicado a bandas de rock, reggae e música latina, além de um andar exclusivo para festas de música eletrônica -- Shove também é DJ. No cardápio, assinado pelo chef Lucas Borges, que já trabalhou no restaurante Térèze, no Hotel Santa Teresa, encontram-se itens clássicos da cozinha mexicana, como os nachos (R$ 28,00), tortilhas fritas salpicadas de carne moída, queijo, chilli e guacamole, e as flautas de frango (R$ 18,00, três unidades), pequenos canudos de massa de tortilha frita. Tacos de carne (R$ 18,00) e camarão (R$ 20,00) e burritos recheados de linguiça, feijão e queijo (R$ 20,00) também são boa pedida. Para beber, há cerveja mexicana, das marcas Sol e Dos Equis (R$ 8,00, long neck), além de drinques com tequila. Entre as margaritas criadas pelo bartender Walter Garin (R$ 16,00 cada uma), a exotic leva ainda polpa de maracujá, creme de coco, açúcar de baunilha e cravo. A tradicional michelada (R$ 10,00) é preparada com cerveja mexicana, suco de limão e sal na borda do copo. Rua Mem de Sá, 63, Lapa, ☎ 2222-0328 (100 lugares). 19h30/2h (fecha dom. e seg.). Cc: todos. Cd: todos.

FAVELLAS. Inaugurado no lugar onde funcionava o Lapa Na Pressão, em dois casarões do século XIX, tombados, o bar é uma das novidades de 2012 na movimentada Rua Mem de Sá. No amplo espaço interno de 500 metros e pé-direito de 5, a decoração é inspirada em paisagens de favela. Criação do cenógrafo Fábio Alexandre, o ambiente ganhou janelões de madeira, roupas em varais, pipas, grafite e telhados de zinco. Na programação musical, pensada originalmente para resgatar as antigas rodas de samba, hoje bandas de gêneros diversos se apresentam ao vivo no palco do térreo. Nomes de favelas batizam petiscos tradicionais. O dos prazeres (R$ 30,00) traz cubos macios de filé com molho saboroso, aipim frito e queijo derretido. Outra pedida acertada é o mineira (R$ 45,00), costelinha de porco à pururuca com molho agridoce, acompanhada de polenta frita com queijo, chips de jiló e geleia de pimenta. Para beber, não hesite: a caneca zero grau (R$ 5,00, 300 mililitros) de chope Devassa tem uma crosta de gelo que preserva a temperatura. Avenida Mem de Sá, 59/61, Lapa, ☎ 2507-0580 (250 lugares). 18h/3h (qua. até 23h; qui. até 2h; fecha dom. a ter.). Entrada: R$ 30,00 (qua. a sáb.). Cd: todos. Cc: todos. Aberto em 2012.

SARAU RIO. Três amplas portas abertas na parede que abriga um grafite gigante assinado pelo coletivo Flesh Beck Crew ligam o salão à área externa, onde ficam as mesas mais disputadas. Cremoso, gelado e bem tirado, o chope Brahma (R$ 4,80), escolha unânime entre as bebidas, também é servido na versão escura (R$ 6,40). Sem surpresas, o cardápio conta com uma série trivial de belisquetes. Pedida acertada, o espesso caldinho de feijão (R$ 9,00) vem com salsinha e bacon, na companhia de pão fatiado. A generosa porção de pastel de angu (R$ 24,00, doze unidades) ganha recheios de carne-seca ou queijo. Também tem seus fãs a carne de sol com feijão-de-corda, farofa e aipim noisette (R$ 29,50, para dois). Oferece uma refeição mais robusta o paillard de mignon com fettuccine ao molho de queijo (R$ 34,50). Nos fins de semana entra em cena a música ao vivo, mas não há cobrança de couvert. Rua Mem de Sá, 64, Lapa, ☎ 2508-7154 (300 lugares). 18h/4h (sex. e sáb. até 5h; fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2012.

TRADICIONAL

ADEGA D?OURO. Quem se senta no botequim do português Manoel da Silveira Gonçalves, também conhecido como Neca, não está à procura de grandes luxos. O bacalhau entra no bolinho de receita própria (R$ 3,00 a unidade) e no prato à moda da casa, oferecido em três tamanhos, por R$ 65,00, R$ 108,00 (para duas pessoas) e R$ 158,00 (para quatro). A posta chega à mesa empanada e frita, com batatas cozidas, salada de cebola, tomate, azeitona e palmito. Sexta e sábado entra em cena outra especialidade portuguesa: a sardinha frita e aberta (R$ 1,50 a unidade). Para beber, há vinhos lusitanos, como o verde Acacio (R$ 25,00 a garrafa) e o Casal Garcia (R$ 35,00 o branco; R$ 40,00 o tinto), além de cerveja em garrafa das marcas Heineken, Antarctica Original, Bohemia e Brahma Extra (R$ 6,50 cada uma). Avenida Pastor Martin Luther King Jr., 6031, loja A, Vicente de Carvalho, ☎ 2482-1571, ? Vicente de Carvalho (25 lugares). 9h/22h (sex. e sáb. até 0h; dom. até 16h). Cc: D, M e V. Cd: todos. Aberto em 1967.

BRACARENSE. Depois de passar por uma breve reforma com direito a troca de balcão, piso, cobertura e até calçada, o tradicional Braca, como é conhecido entre os habitués, perdeu o visual cansado. A lista de tira-gostos que lhe rende a fama há mais de cinco décadas foi acrescida de novidades: o bolinho de feijoada (R$ 3,40), feito nos moldes do Aconchego Carioca, disputa as atenções com o inusitado gente boa (R$ 3,40 a unidade), bolinho de jiló e linguiça calabresa. A empada aberta de carne-seca com cobertura de catupiry gratinado (R$ 3,90) e o croquete de bacalhau com grão-de-bico (R$ 3,70) também já caíram nas graças do público. Segue campeã de pedidos, no entanto, a bolota de aipim recheada de camarão e catupiry (R$ 3,40 a unidade). Para fomes maiores, aposte na porção de pernil acebolado (R$ 24,00), acompanhada de pãozinho, ou na costelinha de porco com limão (R$ 28,00). Para regar o bate-papo, a pedida certeira é o bem tirado chope Brahma (R$ 4,70 a tulipa). Rua José Linhares, 85, loja B, Leblon, ☎ 2294-3549 (60 lugares). 9h/0h (dom. 10h/22h). Cd: R e V. Aberto em 1961.

CLUBE DO TACO. Conhecido nas principais rodas do jogadores de sinuca, tem ambiente sem frescuras, com piso quadriculado em branco e preto e cerveja gelada das marcas Antarctica Original (R$ 7,00), Brahma, Skol e Antarctica (R$ 6,00 cada uma). As estrelas ali são mesmo as oito mesas de sinuca de tamanho oficial -- cada hora de jogo custa R$ 15,00. Como profissionais e amadores se misturam no salão, a medida adotada para preservar os feltros foi oferecer aulas para os iniciantes. Entre uma tacada e outra, os jogadores beliscam porções de doze unidades de pastéis de carne, queijo (R$ 12,00), camarão ou carne-seca com catupiry (R$ 15,00). Rua Barata Ribeiro, 655, loja E, Copacabana, ☎ 2255-4934 (30 lugares), ? Cantagalo. 14h/3h (dom. 16h/1h). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 1980.

Fonte: VEJA RIO