ROTEIRO DA SEMANA

Bares

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

ABENÇOADO. No alto da primeira estação do bondinho, no Morro da Urca, prima pela vista sem igual. Seu segundo atrativo é a caipirinha (R$ 10,00 a R$ 15,00) preparada com esmero. Outra opção para curtir a paisagem e embalar a conversa é a cerveja em lata, das marcas Bohemia (R$ 6,00) e Brahma (R$ 5,00). Na lista de petiscos, empadas de massa leve, de camarão ou de palmito (R$ 5,50), e o crocante pastel de carne (R$ 13,50, seis unidades) fazem sucesso. Também são boas pedidas o bolinho de bacalhau (R$ 18,00, doze unidades) e a bolinha de queijo (R$ 16,00, doze unidades). Importante: para chegar até lá é preciso pagar R$ 53,00 pela passagem do teleférico. Avenida Pasteur, 520, boxe 5 (Morro da Urca), Urca, ☎ 2275-8925 (90 lugares). 8h15/20h45. Cc: todos. Cd: todos. → Aberto em 2010.

ADELOS. O nome reverencia a história do endereço: na esquina da Rua do Mercado com a Travessa do Tinoco, que, até 1873, chamava-se Beco dos Adelos, como eram conhecidos os negociantes de produtos de segunda mão que ocupavam o lugar. Amplo, o casarão de 250 metros quadrados de área teve recuperadas partes originais do teto de madeira, do piso de ladrilho hidráulico e das paredes de pedra. Em cenário típico do Rio Antigo, dedique-se a geladas como Therezópolis Gold (R$ 11,00) ou Heineken (R$ 7,00), ambas em garrafas de 600 mililitros. O cardápio tem picanha fatiada com batata frita (R$ 43,00 a porção) e filé aperitivo ao molho madeira no pão italiano (R$ 38,00). Rua do Mercado, 51, Centro, ☎ 2516-1734 (200 lugares). 11h/0h (sáb. 12h/18h; fecha dom.). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2011.

AMARELINHO. Um dos poucos remanescentes da época áurea da Cinelândia, quando a praça fervilhava graças à concentração de grandes cinemas, o ponto tornou-se opção para aquele chopinho (da Brahma, a R$ 4,70) do almoço prolongado ou da happy hour, acompanhado de petiscos simples como as porções de frango à passarinho (R$ 38,00) e de carne-seca com aipim (R$ 39,00). Muito pedida, a codorna aperitivo (R$ 8,00) é preparada ao alho e óleo. Para quem busca uma refeição completa, a pedida é o churrasco misto, reunião de frango, contrafilé, carré de porco, linguiça, arroz, batata frita, molho à campanha e farofa (R$ 74,00, para até três pessoas). Praça Floriano, 55-B, Centro, ☎ 2240-8434, ? Cinelândia (200 lugares). 11h/3h (dom. até 0h). Cc: todos. Cd: todos. www.amarelinhodacinelandia.com.br. Aberto em 1921.

AZEITONA & CIA. Ponto de concentração do bloco Azeitona Sem Caroço, o botequim tem uma concorrida varanda, de onde se vê a movimentação de uma das ruas mais movimentadas do Leblon. Simples e confiável, o cardápio de tira-gostos tem salsichão ao molho curry e ketchup picante, servido ao lado de salada de batata (R$ 29,50). Na lista dos campeões de pedidos estão as empadas (R$ 3,50 a unidade de queijo, camarão ou frango) e o clássico caldinho de feijão com torresmo (R$ 7,00). O croquete de carne (R$ 4,00) é outra sugestão para acompanhar o chope Brahma (R$ 4,50 a tulipa). Rua Dias Ferreira, 647, loja A, Leblon, ☎ 2540-5166 (80 lugares). 12h/0h (sex. e sáb. até 1h). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 1996.

BAR DA PRAIA. O grafite que decora a varanda é do grupo de artistas FleshBeck Crew. Quando a noite chega, o clima de azaração se intensifica. Do caprichado cardápio, a dica é o wrap de carpaccio de picanha com rúcula, mussarela e tomate confit (R$ 28,90). O tartare de salmão (R$ 27,90) chega à mesa com beiju de tapioca e também pode acompanhar bebes como a sangria branca (R$ 52,00, a jarra de 1 litro) ou o drinque tanuri?s (14,90), que leva saquê, suco de melancia e gengibre. Para uma refeição mais consistente, o rodízio de comida japonesa sai por R$ 58,90 por pessoa durante a semana e por R$ 65,90 aos sábados e domingos. Rua João Lira, 5 (Hotel Marina Palace), Leblon, ☎ 2172-1067 (60 lugares). 15h/1h (qui. até 3h; sex. e sáb. até 4h). Cc: todos. Cd: todos. ↔ ? Aberto em 1998.

BAR DO SEU TOMÉ. Curiosidade: o nome é uma homenagem a Arnaldo Tomé, um dos fundadores do Bracarense, instituição carioca entre os botequins, e avô de um ex-sócio. Tem música ao vivo de quinta a sábado. Uma variedade respeitável de tira-gostos pode fazer companhia para o chope Brahma gelado (R$ 3,70 a caldeireta de 350 mililitros). Entre as dicas disponíveis estão os bolinhos de carne-seca com abóbora e os pastéis de angu recheados de carne moída e azeitona verde (R$ 14,00 cada porção de seis unidades). O frangalho (R$ 24,00) é um filé de frango cortado em cubos com alho dourado e molho especial. Avenida Salvador Allende, 6700, loja 101 (Shopping Bandeirantes), Recreio, ☎ 2498-9730 (250 lugares). 11h/2h (seg. 9h/17h; fecha dom.). Cc: todos. Cd: todos. Couvert art.: R$ 10,00 (qui. e sex. a partir das 21h) e R$ 15,00 (sáb. a partir das 21h). Estac. (R$ 4,00). ? ↔ www.bardoseutome.com. Aberto em 2007.

BARZIN. Inaugurado no endereço de Ipanema onde funcionou a última filial do Conversa Fiada, o empreendimento tem quatro sócios famosos: o apresentador Bruno de Luca, o piloto Cacá (filho do Galvão) Bueno, o cantor Di Ferrero, da banda NX Zero, e o rapper Tulio Dek. Um acerto evidente dos novos donos do pedaço foi a adoção, nos dois primeiros andares, de tons claros nas paredes e nos revestimentos de madeira dos balcões. Da Stella Artois, o chope (R$ 6,70, 300 mililitros) é pedida refrescante, assim como o talita (R$ 19,90), drinque que leva espumante, melancia, licor de melancia e limão-siciliano. Para beliscar, vá de picanha clássica na chapa (R$ 58,90, para duas pessoas), bolinho de bacalhau (R$ 24,90, doze unidades) ou bolinho de aipim recheado de rabada (R$ 24,90 a porção com seis). Em todas as noites há programação musical, que varia de pop a funk, comandada por bandas ou DJs. Rua Vinicius de Moraes, 75, Ipanema, ☎ 2522-1809 (180 lugares). 12h/3h (fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. Couver art.: R$ 30,00 a R$ 80,00. ↔ Aberto em 2011.

BEERJACK HIDEOUT. Com 230 rótulos nas prateleiras, o lugar tem como ponto forte as cervejas especiais. Com a reforma do salão no térreo a capacidade foi ampliada. É novidade o chope Hi-5 Black IPA (R$ 9,90, 330 mililitros), produção artesanal da cervejaria carioca Duas Cabeças, de um dos sócios do bar. Também recém-chegada, a belga Floreffe Tripel (R$ 19,50, 330 mililitros) acompanha bem o croquete de queijo provolone com molho agridoce à base de rapadura (R$ 18,90, seis unidades). Outra combinação acertada une a gelada Colorado Indica (R$ 20,90, 600 mililitros) à bruschetta de carne-seca com abóbora (R$ 20,90, cinco unidades). Rua Martins Ferreira, 71, Botafogo, ☎ 2226-0267 (70 lugares). 18h/23h (qui. a sáb. até 2h). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2010.

B.G. BAR. Endereço muito frequentado por estudantes da PUC e jovens em geral, que se aglomeram na calçada em frente ao pequeno salão atraídos pelos preços razoáveis das cervejas de garrafa. Em cascos de 600 mililitros, saem do freezer Skol, Brahma, Antarctica (R$ 5,00 cada uma), Bohemia (R$ 6,50) e Antarctica Original (R$ 7,00). No tamanho long neck, Stela Artois, Heineken ou Budweiser custam R$ 4,50 cada uma. Entre os tira-gostos do cardápio trivial há frango à passarinho (R$ 18,00) e bolinho de bacalhau (R$ 16,00, doze unidades). Bolinhos de aipim com camarão ou com carne-seca custam R$ 14,00 cada porção com dez unidades. Praça Santos Dumont, 126, loja B, Gávea, ☎ 2512-0761 (28 lugares). 7h/1h (dom. a partir de 16h). ? Aberto em 1980.

BOTEQUIM ENCURRALADO. Colada na pizzaria Capricciosa, em meio à intensa concentração de bares da área, a casa promove noites de voz e violão todas as sextas e sábados, a partir das 21h. A novidade durante a semana é a promoção dose dupla, de segunda a quinta, das 17h às 20h -- nesse período, quem pede um chope Brahma (R$ 3,70 a caldeireta) ganha outro. Para beliscar, escolha entre o pastel de camarão e o bolinho de bacalhau (R$ 17,50 cada porção de oito unidades). O espetinho, de filé-mignon (R$ 9,00) ou de frango (R$ 8,25), também pode fazer companhia para as cervejas Bohemia e Antarctica Original (R$ 6,00 a garrafa de 600 mililitros). Rua Olegário Maciel, 130, loja H, Barra, ☎ 2492-1258 (60 lugares). 11h30/2h (fecha dom.). Cc: todos. Cd: todos. Couvert art.: R$ 8,00 (sex. e sáb.). Aberto em 2010.

BOTEQUIM INFORMAL. Uma das marcas da rede é o chope Brahma tirado de duas torneiras -- de uma jorra o líquido, da outra, a espuma para o colarinho --, servido por R$ 5,60 (caldeireta). Madeira e tijolos aparentes formam o ambiente de praticamente todas as casas. Jarras de 1,5 litro de caipirinha, nos sabores limão, morango, lima-da-pérsia ou abacaxi, podem ser preparadas com vodca (R$ 58,90) ou cachaça (R$ 48,90). Para beliscar, delicie-se com o caldinho de feijão com torresmo (R$ 11,20) ou o sequinho croquete de carne (R$ 14,90, seis unidades). Em março vigora o festival de chapas, com seis opções de porção fumegante. Três dicas disponíveis: lula à provençal (R$ 45,50), linguiça a metro (R$ 39,90), acompanhada de farofa, pão de alho e molho à campanha, e arrumadinho de carne-seca desfiada com couve e torresmo (R$ 42,90). Rua Barão da Torre, 348, lojas A e B, Ipanema, ☎ 2247-6711 (108 lugares). 12h/2h. Cc: todos. Cd: todos. ↔; Rua Conde Bernadotte, 26, loja O, Leblon, ☎ 2247-6711 (140 lugares). 12h/1h. Cc: todos. Cd: todos. ↔ www.botequiminformal.com.br. Mais nove endereços. Aberto em 2001.

BOTEQUIM JOAQUINA. De frente para a praia, a primeira filial da casa no Humaitá tem na decoração, além das referências bem-humoradas aos tempos do Império, piso de madeira laminada e um lustre suntuoso. Chope gelado da Brahma (R$ 4,90 a caldeireta) e qualidade de atendimento acima da média explicam o sucesso dos dois endereços. Complete o programa com os espetinhos de filé-mignon (R$ 18,00, duas unidades), acompanhados de farofa na manteiga e um molho à escolha (à campanha, laranja com mel, barbecue, teriyaki ou aïoli), ou o pastel de angu recheado de couve com torresmo (R$ 19,00, dez unidades). Rua Voluntários da Pátria, 448, lojas 3 e 4 (Cobal do Humaitá), Humaitá, ☎ 2527-1722 (200 lugares). 11h30/2h (sex. e sáb. até 4h). Cc: todos. Cd: todos. Estac. (R$ 4,00 a primeira hora) ?; Avenida Atlântica, 974, Leme, ☎ 2275-8569 (75 lugares). 11h30/2h (sex. e sáb. até 3h). Cc: todos. Cd: todos. → www.joaquinabar.com.br. Aberto em 2007.

BRACARENSE. Boteco de renome, o Braca, para os íntimos, é reduto de chope gelado e quitutes caprichados. Disputadas especialmente nos dias de praia, cadeiras e mesas espalham-se pela calçada sob um toldo. O salão interno é tomado por um balcão com vitrine onde ficam expostos alguns petiscos. Um dos mais famosos, a bolota de aipim recheada de camarão e catupiry (R$ 3,30 a unidade) ganhou a companhia da empada de carne-seca desfiada com queijo (R$ 3,90), lançada no começo do ano. Mais substancioso, o filé-mignon aperitivo com alho é ladeado por aipim frito (R$ 36,00 a porção). Também vale a pedida o sanduíche de linguicinha artesanal no pão francês (R$ 11,00). Completa a visita o bem tirado chope da Brahma (R$ 4,70, 300 mililitros). Rua José Linhares, 85, loja B, Leblon, ☎ 2294-3549 (60 lugares). 9h/0h (dom. 10h/22h). Cd: R e V. Aberto em 1961.

CACHAÇARIA DO PETISCO. Os belos tonéis de cobre não são apenas decorativos. No estabelecimento, dos mesmos donos do Petisco da Vila, funciona um alambique de verdade. A produção local e outros mais de 100 rótulos podem ser adquiridos e degustados em doses ali mesmo. Um dos quatro tipos de cachaça feitos na casa é envelhecido em barril de jequitibá (R$ 6,00). Também faz sucesso a gabriela (R$ 6,00), infusão de cravo e canela, mas a campeã de pedidos é mesmo a versão envelhecida em carvalho francês (R$ 8,50 a dose). Porções de provolone à milanesa (R$ 32,80) e de picanha grelhada com pão de alho (R$ 66,90, para três pessoas) podem acompanhar as purinhas. Para refrescar, peça o chope da Brahma (R$ 5,90 a tulipa). Avenida Pastor Martin Luther King Jr, 126, 1º piso (Shopping Nova América, Rua do Rio), Del Castilho, ☎ 2583-1500, ? Del Castilho (120 lugares). 12h/2h. Cc: V. Cd: todos. Couvert art.: R$ 3,50 (qua. e sáb. a partir das 19h). Estac. (R$ 2,00 os primeiros trinta minutos e R$ 1,00 a fração). www.petiscodavila.com.br/cachacaria.htm. Aberto em 2006.

CAFÉ DEL MAR. Na primeira filial carioca da rede nascida em Ibiza, cobra-se entrada revertida em créditos para consumação depois das 22h. Elaborada, a seção de comes traz patatas bravas (R$ 14,00), porção de batatas fritas cortadas em cubos e servidas com saborosos molhos aïoli e de tomate picante, e tapas de pescados, a exemplo do camarão grelhado (R$ 24,00) com manteiga de gengibre, pimenta dedo-de-moça e redução de leite de coco. Outro forte é a carta de drinques. Custam o mesmo preço, R$ 22,00, o preparo que leva o nome da casa (vodca Absolut de pêssego, frutas cítricas e Curaçao Blue) e o rose lichee (shochu e lichia). Na sexta e no sábado, a noite é de bebida liberada: mulheres pagam R$ 40,00 (até 1h; R$ 45,00 após esse horário) e homens, R$ 75,00 (até 1h; R$ 80,00 após esse horário). Avenida Atlântica, 1910, Copacabana, ☎ 3649-9658 (400 pessoas). 18h/2h (sex. 18h/5h; sáb. 14h/6h; dom 12h/0h; fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. Entrada: R$ 20,00 a R$ 50,00. ↔ → Aberto em 2010.

CEVADA. Com salão de pé-direito alto, o endereço passou por mudanças depois de adquirido pelo empresário cearense Antonio Rodrigues, dono do Belmonte. Ganhou bom tratamento acústico e paredes de cor salmão, que contrastam com os azulejos brancos e verdes. O pastel de carne-seca com catupiry (R$ 4,40 a unidade) ou a patinha de caranguejo ao molho tártaro (R$ 18,90 a dúzia) abrem os trabalhos e fazem bela tabelinha com o chope Brahma (R$ 4,60 a caldeireta). Praça Serzedelo Correia, 27, loja A, Copacabana, ☎ 2547-5337/7905,

? Siqueira Campos (60 lugares). 10h/1h (sáb. até 3h). Cc: todos. Cd: R e V. Aberto em 2009.

CHARLESTON BUBBLE LOUNGE. Porta de madeira e um vitral transportam o cliente para os anos 20, quando o ritmo que batiza a casa despontou e o Copacabana Palace, bem do outro lado da rua, foi inaugurado. A carta é composta de quarenta rótulos de champanhe legítimo e setenta de espumantes. Entre as indicações há opções como o Baron de Marck Brut (R$ 225,00) ou o Taittinger Brut (R$ 369,00). As garrafas de espumante Art Brut Casa Valduga (R$ 62,00), nacional, e Louis Perdrier (R$ 74,00), francês, são pedidas mais em conta. Da cozinha sai o magret de pato (R$ 37,90), especialidade local. A tábua de queijos, com brie, gruyère, roquefort, camembert, grana padano, picles e azeitonas, custa R$ 46,90 e serve cinco pessoas. Em porção para três, o camarão charleston, ao molho de tomate, limão, azeitona e queijo feta, sai por R$ 34,90. Há programação musical de quinta a sábado. Rua Rodolfo Dantas, 26, loja B, Copacabana, ☎ 3795-3158 (150 pessoas). 18h/1h (sex. e sáb. até 2h). Cc: todos. Cd: todos. Entrada: R$ 12,00 (qui. a sáb. a partir das 21h). www.bubblelounge.com.br.

DEVASSA. Com quase dez anos de vida, a rede carioca hoje se espalha por outros seis estados. Entre os drinques, são dicas recentes os caipilés, caipivodca com picolé (R$ 19,90), nos sabores uva, coco e abacaxi. Outra novidade é o mojito de maracujá (R$ 17,90; rum nacional, hortelã, sucos de limão e maracujá). Grelhados, lula, camarão, peixe branco e salmão entram no chapoletada (R$ 69,90). A picanha arretada traz carne de sol acebolada com aipim frito, farofa de banana, queijo de coalho e manteiga de garrafa (R$ 47,50, na chapa, para três pessoas). Batizado de loura, o chope custa R$ 5,40. Rua Prudente de Morais, 416, Ipanema, ☎ 2522-0627, ? General Osório (170 lugares). 12h/2h (sex. e sáb. até 3h). Cc: todos. Cd: todos. ? ↔; Rua Olegário Maciel, 130, loja C, Barra, ☎ 2493-3028 (100 lugares). 12h/0h (qui. até 1h; sex. e sáb. até 3h). Cc: todos. Cd: todos. www.devassa.com.br. Mais oito endereços. Aberto em 2002.

ESPELUNCA CHIC. Piso de tábua corrida e balcão de pedras portuguesas conferem aparência rústica ao endereço. Em pleno burburinho do Baixo Copa, atrai muitos turistas com tira-gostos de boteco em versões elaboradas, a exemplo do bolinho de arroz com gorgonzola (R$ 20,50) e do croquete de carne-seca com aipim (R$ 20,80), ambos em porções de dez unidades. Outra boa pedida é o gratinado de mignon (R$ 19,90) com catupiry e uma casquinha de parmesão. Os espetinhos chegam à mesa nas versões de filé-mignon com cebola e pimentão (R$ 13,50 a unidade) e frango com alho-poró e gergelim (R$ 9,80). Para beber, vá de chope Brahma (R$ 4,50 a tulipa). Rua Bolívar, 17, Copacabana, ☎ 2236-4090, ? Cantagalo (80 lugares). 17h/2h. Cc: D, M e V. Cd: todos. www.espeluncachic.com.br. Aberto em 2007.

LA ESQUINA. No movimentado cruzamento da Rua do Lavradio com a Avenida Mem de Sá, a casa aposta na carta de drinques caprichada, assinada pelo uruguaio Fabian Martinez e executada pelo chileno Jorge Zambrano, e nos tira-gostos que fogem da mesmice, aos cuidados do chef uruguaio Hernan Olguin. O amante latino (R$ 16,90) leva Absolut Vanilla, abacaxi, hortelã, gengibre e água tônica. Com o mesmo preço, o drinque batizado com o nome do bar é preparado com Absolut Mango, xarope de tangerina, tangerina fresca, abacaxi, mel e gengibre. Cogumelos-de-paris chegam à mesa recheados de mussarela de búfala temperada e molho de shiitake com manjericão (R$ 25,00, oito unidades). Outra dica, o chivito, espécie de bauru tipicamente uruguaio, é montado com filé-mignon, peito de peru, mussarela, bacon, pimentão, cebola, salada e ovo, e acompanhado de batata frita (R$ 18,90). A programação artística tem música ao vivo e DJs residentes. Em dias de show são cobrados R$ 20,00 de entrada. Avenida Mem de Sá, 82, sobrado, Lapa, ☎ 2507-3435 (110 lugares). 18h/2h (qui. a sáb. até 4h; fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. ↔ www.laesquina.com.br. Aberto em 2012.

MEXICO 70. Ladrilhos hidráulicos de cores e formas diversas enfeitam o piso, mas é nas paredes que a decoração dá o recado: o bar celebra o tricampeonato mundial da seleção brasileira, como atestam fotos antigas, camisas, pôsteres e recortes de jornal emoldurados. Entre as cervejas disponíveis se encontram a Antarctica Original estupidamente gelada (R$ 6,90, 600 mililitros) e a uruguaia Norteña (R$ 13,90, 960 mililitros). As sugestões de drinque limitam-se à caipirinha de limão (R$ 6,00) e à caipivodca servida na jarra (R$ 55,00, para cinco pessoas). No cardápio, a influência mexicana é sutil. Aparece em alguns petiscos, como as fajitas, tiras de carne temperadas suavemente com tequila e limão (R$ 34,90). Secos e vendidos a preço justo, os bolinhos de bacalhau (R$ 10,00, seis unidades) também são uma pedida atraente. Na boa lista de sanduíches, o inglês (R$ 16,90) leva rosbife, tomate, rúcula, suco de limão, pimenta-do-reino e molho barbecue. De quarta a sábado, a happy hour é embalada por voz e violão ao vivo. Rua Djalma Ulrich, 23, Copacabana, ☎ 2146-4420 (70 lugares). 15h/3h. Cd: todos. Cc: todos. Aberto em 2012.

NORDESTINO CARIOCA. Um casal, os paraibanos Roberto Araújo e Iracema Gonçalves vendiam churrasquinho na rua antes de abrir este reduto dedicado a especialidades de sua terra natal. Fartura para dois, a picanha de carne de sol (R$ 60,00) é guarnecida de feijão-tropeiro ou feijão-de-corda com legumes, além de aipim cozido ou frito. Os mesmos acompanhamentos podem vir com o cabrito ensopado (R$ 58,00). Se a ideia for apenas bebericar e petiscar, peça um dos deliciosos pastéis de produção própria, como o recheado de queijo de coalho e cebola-roxa (R$ 3,50 a unidade), e cerveja Antarctica Original ou Bohemia (R$ 6,00 a garrafa de 600 mililitros). Avenida Sargento Carlos Argemiro Camargo, 49, Jacarepaguá, ☎ 3412-3353 (80 lugares). 11h/22h (sex. e sáb. até 0h; dom. até 18h; fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2005.

PAXECO BAR. Em um amplo terraço sobre o restaurante Couve-Flor, o lugar conta com uma linda vista para o Cristo Redentor. Dezenas de luminárias sobre o balcão colorem a parte coberta. Nesse ambiente despojado, dedique-se a drinques caprichados, como o mojito cidreira (R$ 17,00), de rum, suco de limão, hortelã e chá de capim-cidreira, ou o conexão (R$ 21,00), com uísque, morango e maple syrup. Da cozinha chegam o bolinho de arroz com chutney tailandês (R$ 24,00, sete unidades), o ceviche de bacalhau (R$ 29,00 a taça) ou a porção de pastéis de caranguejo (R$ 26,00, seis unidades). Rua Pacheco Leão, 724, loja D, Jardim Botânico, ☎ 3114-8710 (80 lugares). 18h/1h. Cc: V e M. Cd: V e R. ↔ www.paxecobar.com.br. Aberto em 2011.

Fonte: VEJA RIO