ROTEIRO DA SEMANA

Bares

Por: Rafael Sento Sé - Atualizado em

ACADEMIA DA CACHAÇA. Referência na cidade quando o assunto são branquinhas, é palco das reuniões da Academia Brasileira de Cachaça, que se encontra esporadicamente para degustar novos rótulos. As caipirinhas aparecem em receitas pouco comuns, como abacaxi com pimenta-rosa (R$ 10,80). Bolada para o Carnaval, a caipira alegoria (R$ 11,90) leva, além de purinha artesanal, tomate-cereja, limão e hortelã. Para repor as energias do folião, voltou ao cardápio o mocofava (R$ 12,50 a tigela), um caldo de mocotó com favas. O chope Brahma custa R$ 5,20 (caldeireta). Rua Conde Bernadotte 26, lojas E a G, Leblon, ☎ 2529-2680 e 2239-1542 (180 lugares). 12h/1h (sex. e sáb. até 2h). Cc: D, M e V. Cd: todos; Avenida Armando Lombardi, 800, loja 65 L (Condado de Cascais), Barra, ☎ 2492-1159 (200 lugares). 12h/1h (sex. e sáb. até 2h). Cc: D, M e V. Cd: todos. www.academiadacachaca.com.br. Aberto em 1985.

ACONCHEGO CARIOCA. Redes penduradas no teto e pôsteres de cerveja nas paredes decoram o salão do estabelecimento que colocou a Praça da Bandeira no mapa dos amantes da boa mesa. Em 2011, pela quarta vez, levou o prêmio de melhor cozinha da edição especial ?Comer & Beber?, publicada por VEJA RIO. Trata-se de um concorrente difícil de ser batido, graças ao talento da cozinheira e proprietária Kátia Barbosa. Os quitutes concebidos pela mestre-cuca são surpreendentes e deliciosos, a começar pelo bolinho de feijoada (R$ 20,00, quatro unidades), servido com batida de limão. Também merecem aplausos a costelinha de porco ao molho de goiabada (R$ 59,00), escoltada por pastel de requeijão e ervas, e a picanha de carne de sol com farofa de amendoim (R$ 72,00). A garrafa de Therezópolis Gold (R$ 11,00, 600 mililitros) é uma alternativa mais em conta na carta de cervejas. No Carnaval, fecha na segunda (20) e só reabre na quinta (23). Rua Barão de Iguatemi, 379, Praça da Bandeira, ☎ 2273-1035 (56 lugares). 12h/23h (seg. até 16h; dom. até 17h). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2002.

ADEGA PÉROLA. Fundado por portugueses da Ilha da Madeira, o tradicional ponto foi comprado por um grupo de antigos clientes, que se antecipou e evitou sua venda para uma rede de bares. Para o bem da boemia, pouca coisa mudou no salão, ocupado por mesas coletivas e extenso balcão de acepipes, reforçado pelo alho espanhol ao molho de laranja (R$ 12,00) e pelo retorno do presunto serrano espanhol (R$ 20,00). Também vendidos em porções de 100 gramas, polvo ao vinagrete (R$ 18,00) e linguiça ao vinho (R$ 8,00) são outras duas marcas registradas do menu, ao lado de roll-mops (R$ 6,00 a unidade), sardinha marinada servida enrolada. Mais fácil de escolher, a bebida pode ser vinho ? há sete novos rótulos ? ou chope Brahma (R$ 4,50 a tulipa). No Carnaval, fecha as portas na segunda (20) e na terça (21). Rua Siqueira Campos, 138, loja A, Copacabana, ☎ 2255-9425, ? Siqueira Campos (60 lugares). 10h/1h (fecha dom.). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 1957.

ANGU DO GOMES. Fica no Largo de São Francisco da Prainha, a poucos metros do imóvel onde a tradicional iguaria que o batiza era preparada e distribuída pela cidade em carrocinhas ? cuja circulação foi interrompida em 1986. Tem como atração maior a substancial mistura à base de fubá, linguiça e miúdos de boi (R$ 11,00). Outras quatro receitas figuram no menu, pelo mesmo preço: carne moída, calabresa, frango com milho e legumes com carne de soja. Também oferece pastel de angu recheado de frango e requeijão (R$ 19,00, oito unidades) e uma versão bem particular do bolinho de feijoada (R$ 17,00, seis unidades). Novidade, o bolinho de angu com batata-baroa (R$ 15,00, seis unidades) tem duas opções de recheio: rabada ou queijo gorgonzola. Completa o programa cerveja em garrafa de 600 mililitros das marcas Skol (R$ 5,00), Budweiser e Heineken (R$ 6,00 cada uma). No Carnaval, fecha de segunda (20) a quarta (22). Largo de São Francisco da Prainha, 17, Saúde, ☎ 2233-4561 (40 lugares). 11h/23h (sex. até 2h; fecha sáb. e dom.). Cc: todos. Cd: todos. www.angudogomes.com.br. Aberto em 2008.

ARMAZÉM SÃO THIAGO. Quando foi fundado, logo depois da I Guerra Mundial, pelo imigrante espanhol Jesus Pose Garcia, o lugar tinha perfil de delicatessen sofisticada. Sob o comando de Ricardo Garcia, neto do pioneiro, transformou-se num dos mais concorridos bares de Santa Teresa, com petiscos como minicroquetes de carne (R$ 18,50, dez unidades), pastéis de bacalhau (R$ 9,00, duas unidades) e empanadas de frango e palmito (R$ 3,00 cada uma). Para beber, há chope da Brahma (R$ 4,50, 350 mililitros) e cerveja gelada em garrafa das marcas Antarctica Original (R$ 6,00), Bohemia (R$ 5,50) e Skol (R$ 5,00). De dois barris sobre a geladeira antiga sai a cachaça da casa (R$ 4,00 a dose), produzida em Bocaina de Minas (MG). Rua Áurea, 26, Santa Teresa, ☎ 2232-0822 (36 lugares). 12h/0h (dom. até 22h). Cc: todos. Cd: todos. www.armazemsaothiago.com.br. Aberto em 1919.

AZTEKA. Um belo painel de madeira clara, sofá embutido e o balcão com cinco bancos nos fundos compõem o ambiente moderninho. Trilha sonora e iluminação arrojada completam o convite para a happy hour. Para começar, na seção de tira-gostos, escolha entre a bem temperada receita de frijoles (R$ 11,00), que mistura feijão, chouriço e queijo, e o refrescante guacamole (R$ 7,00). Ambos são servidos em tigelas, na companhia de chips de milho. No pão ciabatta, o sanduíche el gordo (R$ 21,00) é recheado de costela de boi marinada, picles jalapeño e queijo. Desfiada, a paleta suína entra no burrito yucatán (R$ 21,00). A cerveja também vem do México: é uma cara long neck Corona (R$ 14,00). Rua Visconde de Pirajá, 156, loja A, Ipanema, ☎ 3489-8900, ? General Osório (21 lugares). 11h/0h. Cc: todos. Cd: todos. ? ↔ www.azteka-rio.com. Aberto em 2012.

BACARO DO LIDO. Dos mesmos donos da Osteria dell?Angolo, é inspirado nos bacari, os botecos de Veneza. Postas de peixe cru ficam expostas numa vitrine, o que, à primeira vista, remete a um restaurante japonês. Da cozinha, no entanto, saem pratos de muitos outros sotaques, como o saborosíssimo guacamole (R$ 16,00 a porção, acompanhada de pães). A mais curiosa das criações é o hot bacaro (R$ 18,00, oito unidades), uma releitura do hot filadélfia. Sem arroz nem alga, os rolinhos recheados de camarão empanado são envoltos em mussarela de búfala. Para beber, o mais apropriado é o espumante nacional Panizzon Brut (R$ 12,00 a taça). Também há cerveja Budweiser (R$ 7,00 a long neck) e caipirinha de limão (R$ 10,00). Rua Ronald de Carvalho, 21, loja A, Copacabana, ☎ 2295-9887. 11h/0h (sex. e sáb. até 1h). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2011.

BAR DA BOA. Quem entra no salão revestido de parede de tijolo aparente pode ficar com a sensação de estar no cenário de um comercial de TV. Na cenografia cuidadosa, todos os pormenores foram pensados, da bandeja dos garçons, em forma de um grande pandeiro, aos copos. Estão disponíveis as três versões da Antarctica, a preços entre R$ 6,00 e R$ 9,50: a convencional, a Sub Zero e a Original. Escolha uma delas e parta para os petiscos. Duas sugestões são o bolinho de feijoada (R$ 18,00, seis unidades) e a costelinha aperitivo ao molho agridoce (R$ 42,50). De terça a sábado tem roda de samba. Avenida Mem de Sá, 69, Lapa, ☎ 2221-2542 (120 lugares). 18h/3h. Cc: todos. Cd: todos. Couvert art.: R$ 10,00 (a partir das 19h). ↔ Aberto em 2010.

BAR DA DONA MARIA. Portuguesa de Covilhã, Maria Ramos veio para o país com o intuito de trabalhar numa fábrica de tecidos na Usina, em 1957. Três anos mais tarde, comprou o Café e Bar Brotinho, que acabou se tornando conhecido pelo nome de sua proprietária. De mármore rajado, o balcão do salão é belíssimo e sobre ele desfilam deliciosos bolinhos. O de camarão com catupiry e o de bacalhau custam R$ 1,80 a unidade. Sempre gelada, a cerveja pode ser Heineken, Bohemia ou Antarctica Original (R$ 8,00 cada uma). Sábado é dia de feijoada e de risoto de camarão (R$ 34,00 cada prato), ambos em porções para duas pessoas. No Carnaval, fecha de segunda (20) a quarta (22). Rua Garibaldi, 13, Tijuca, ☎ 2238-5091 (40 lugares). 8h/20h (qui. e sex. até 21h; sáb. 9h/18h; fecha dom.). Cc: M e V. Cd: R e V. Aberto em 1960.

BAR DO DAVID. Graças à UPP do Morro Chapéu Mangueira, o endereço simples passou a ser frequentado por gente de toda a cidade, além de turistas. Comandado pelo pescador e mergulhador David Vieira Bispo, tem como chamariz a feijoada de frutos do mar (R$ 17,00 por pessoa). Preparado com feijão-branco, lula, polvo, peixe e camarão, o prato é o mais procurado nos fins de semana ? chegam a ser vendidas 200 unidades. Por causa dele, o proprietário passou a abrir aos domingos. Também fazem sucesso as porções de bolinho de camarão com catupiry (R$ 15,00, nove unidades) e de bacalhau (R$ 13,00, dez unidades). Refresque-se com garrafas de Brahma, Antarctica, Skol (R$ 4,50 cada uma), Antarctica Original e Bohemia (R$ 6,00). No Carnaval, fecha na segunda (20) e na terça (21). Ladeira Ary Barroso, 66, loja 3 (Chapéu Mangueira), Leme, ☎ 7808-2200 (80 lugares). 12h/17h (sáb. e dom. até 21h). Cd: todos. ? Aberto em 2010.

BAR DO MOMO. Legítimo pé-sujo, foi descoberto pelos frequentadores do Samba do Trabalhador, realizado às segundas no Clube Renascença, a algumas quadras dali. Por isso, é ponto de encontro de sambistas como Moacyr Luz e Gabriel Cavalcante. O balcão de alumínio com vitrine ocupa boa parte do salão, mas espaço não é problema: o proprietário Antonio Lopes dos Santos costuma colocar mesas na calçada. De fabricação própria, os salgadinhos, vendidos por unidade, são de salivar. A lista inclui o bolinho de aipim com camarão e catupiry (R$ 3,00) e o bolinho de arroz com queijo e linguiça (R$ 2,00), além de pastéis de camarão e de carne-seca (R$ 2,00 cada um). Não aceita cartões. No Carnaval, fecha na segunda (20) e na terça (21). Rua General Espírito Santo Cardoso, 50, loja A, Tijuca, ☎ 2570-9389 (18 lugares). 6h/0h (sex. até 2; dom. até 19h). Aberto em 1973.

BAR VELOSO. O original ficava em Ipanema e era frequentado por Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Ganhou fama quando a dupla avistou, de uma de suas mesas, a bela Helô Pinheiro em seu doce balanço a caminho do mar. O restante da história é conhecido. Por causa da canção que ganhou o mundo, a casa mudou de nome para Garota de Ipanema. Muitos anos depois, o nome anterior passou a batizar esse estabelecimento no Leblon. Além do chope da Brahma (R$ 5,30 a caldeireta), as cervejas em garrafa ainda são bastante solicitadas. A Antarctica Original (R$ 8,90) pode vir escoltada pela carne de sol acebolada com manteiga de garrafa e aipim frito (R$ 35,00, para três pessoas). O croquete de mortadela custa R$ 20,00 (doze unidades) e o de picanha, R$ 28,00 (doze unidades). Rua Aristides Espínola, 44, Leblon, ☎ 2274-9966. 11h/3h. Cc: todos. Cd: todos. ? ↔ Aberto em 2007.

BARTHODOMEU. Neste autêntico pé-limpo, o ambiente mais agradável fica sob teto retrátil, ao lado de uma parede que imita uma rocha. Boas pedidas, os espetinhos chegam à mesa em sabores como queijo de coalho (R$ 5,80) e filé com queijo (R$ 9,90) e tabelam com o chope Brahma (R$ 4,99). O drinque que leva o nome da casa custa R$ 15,50 ? reúne sorvete de creme, suco de laranja, vodca, leite condensado e groselha. Rua Maria Quitéria, 46, Ipanema, ☎ 2247-8609 (200 lugares). 12h/2h (sex. e sáb. até 4h). Cc: todos. Cd: todos. Couvert art.: R$ 5,00 (dom. a ter., a partir de 20h). Aberto em 2009.

CAROLINE CAFE. Parte dos objetos decorativos foi trazida de Nova York ? a inspiração inicial veio dos balcões da metrópole americana ? e o resto saiu de antiquários cariocas mesmo. Para esquentar o clima, há shots flambados como o vizoovio (R$ 17,00; uísque, tequila e Amaretto). Servida em porção de oito unidades, a empanada chega à mesa nos sabores carne (R$ 30,00), frango (R$ 26,00) ou camarão (R$ 26,00). Um clássico local, o hambúrguer batizado com o nome da casa (R$ 24,80) traz 210 gramas de carne, bacon, mussarela, alface, tomate e cebola, servido no pão de leite e acompanhado de batata frita. Rua J.J. Seabra, 10, Jardim Botânico, ☎ 2540-0705 (120 lugares). 12h/2h (qui. e sex. até 4h; dom. a partir das 10h). Cc: todos. Cd: todos. ? ↔ www.carolinecafe.com.br. Aberto em 1994.

CHICO & ALAÍDE. Eleito o melhor boteco da cidade na última edição do especial ?Comer & Beber?, publicado por VEJA RIO, o lugar é comandado pelo cearense Francisco Chagas Gomes Filho e pela mineira Alaíde Costa. Ela é a autora de preciosidades como os bolinhos de baião de dois, recheado de feijão-de-corda, arroz e queijo de coalho (R$ 5,20 a unidade), de abóbora com carne-seca e de polenta com carne moída (R$ 3,90 cada um). Essa série de clássicos locais foi iniciada pelo bolinho de camarão e catupiry (R$ 3,90). O chope, da Brahma (R$ 5,20 a tulipa), é tirado segundo as orientações de Chico, um reconhecido mestre nessa arte desde os tempos do Bracarense. Rua Dias Ferreira, 679, Leblon, ☎ 2512-0028 (80 lugares). 11h/0h (sex. e sáb. até 1h; dom. até 22h). Cc: todos. Cd: todos. www.chicoealaide.com.br. Aberto em 2009.

DOM CAVALCANTI. Original, a decoração evita a receita de nove entre dez casas do gênero. Em vez de descascarem as paredes e deixar à mostra os tijolos antigos, os novos donos, os cearenses do grupo Dom, investiram em revestimento de madeira e, no teto, couro. Luminárias e ventiladores retrôs completam o cenário. Típico dos pés-limpos atuais, o cardápio não foge muito do óbvio com sua lista de pratos fornidos e tira-gostos. Uma dica é optar pelos petiscos preparados na brasa, a exemplo das saborosas porções de costelinha aperitivo (R$ 23,90) e de coração de galinha (R$ 19,90). A linguiça de churrasco (R$ 1,80 a unidade) também vale a pena. Serve cerveja Antarctica Original (R$ 7,30), Brahma, Antarctica e Skol (R$ 6,20 cada uma). Rua do Riachuelo, 184 e 186, Centro, ☎ 2232-2565 (75 lugares). 11h/2h (sex. e sáb. até 3h). Cc: todos. Cd: todos. ? → Aberto em 2011.

FILÉ DO LIRA. No lugar onde funcionou o restaurante Le Coin, a casa mudou completamente o ambiente. Ótima providência, algumas das antigas janelas, sempre fechadas, viraram portas abertas para a rua. Para beliscar, há porções de carne de sol com aipim frito (R$ 27,50) e espeto de filé-mignon (R$ 21,50, três unidades), que pede uma farofinha de ovo (R$ 9,00 a travessa). Da Brahma, o chope custa R$ 4,80 (a caldeireta). Avenida Ataulfo de Paiva, 658, Leblon, ☎ 2294-4397 (70 lugares). 9h/2h. Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2010.

GOYA-BEIRA. Há mais de seis décadas em funcionamento, ocupa um casarão no aprazível Largo das Neves, com bela visão da igrejinha construída em 1860. Ali são servidas curiosas infusões em cachaça, com ingredientes como laranja e agrião (R$ 4,00 a dose). Geralmente geladas, Bohemia (R$ 6,50) e Antarctica Original (R$ 6,80) são oferecidas em garrafas de 600 mililitros. Da lista de belisquetes fazem sucesso a porção de aipim frito com queijo e orégano (R$ 16,50) e o antepasto de berinjela com ervas finas e torradas (R$ 14,80). Fecha na terça (21). Largo das Neves, 13, Santa Teresa, ☎ 2232-5751 (40 lugares). 17h/0h (sex. e sáb. até 2h). Cd: todos. Aberto em 1950.

JOTA.Ó. É comandado por jovens moradores do Jardim Oceânico (daí o nome). Faz da calçada uma extensão do salão e atrai o pessoal na faixa dos 20 anos. O despojamento da decoração não se estende ao cardápio, que traz opções elaboradas. Na seção de petiscos leves destaca-se o ceviche de peixe branco (R$ 21,00 a taça), marinado no limão-siciliano, com cebola-roxa, pimentões e coentro. Quem não abre mão de fritura pode se aventurar pelo bolinho de arroz arbóreo recheado de queijo e orégano (R$ 16,90, seis unidades). Os drinques de frozen (R$ 13,90) são boa dica: prove o campeão de vendas, o 7 Star (vodca, morango, limão e gengibre). Avenida Olegário Maciel, 231, loja F, Barra, ☎ 2135-3331/3332 (240 pessoas). 11h30/3h. Cc: todos. Cd: todos. ? ↔ Aberto em 2011.

LA FIORENTINA. Frequentador de outrora, o compositor Ary Barroso tem uma estátua de bronze na calçada em frente ao estabelecimento, cuja marca são os autógrafos de artistas nas paredes e nas pilastras do salão. Infelizmente, o jamegão do autor de Aquarela do Brasil se perdeu num incêndio em 1992. Reaberta tempos depois, a Fiorentina voltou a exibir a assinatura de centenas de famosos. Alguns deles batizam pratos. No formato de um jornal e com informações sobre peças em cartaz, o cardápio traz a picanha acebolada aperitivo paulo silvino (R$ 30,00 a porção) e pizzas, como a rodrigo santoro (R$ 24,00), que leva tomate seco, mussarela de búfala e rúcula, e a otávio augusto, de quatro queijos (mussarela, gorgonzola, provolone e parmesão; 27,00). O chope é Brahma (R$ 4,10, 300 mililitros) e a caipivodca de limão custa R$ 9,50. Avenida Atlântica, 458, Leme, loja A, ☎ 2543-8395 (220 lugares). 24 horas. Cc: todos. Cd: todos. → ↔ Aberto em 1957.

LAPA IRISH PUB. Paredes de tijolo aparente, mesas de madeira, poltronas de antiquário e iluminação sutil compõem o ambiente deste reduto roqueiro na Lapa. Como bom pub, serve chope Guinness, além da ale também irlandesa Murphy?s Stout (R$ 25,00 cada lata de 500 mililitros). Quem prefere o estilo pilsen encontra a deliciosa checa Pilsner Urquell (R$ 25,00, 500 mililitros). Uma especialidade local é o beef and guinness pie (R$ 29,00, para dois), torta de carne com legumes e massa folhada. Típico dos pubs, o fish and chips (R$ 25,00 a porção) é uma porção de batata e peixe fritos. Rua Evaristo da Veiga, 147, Lapa, ☎ 2221-7236 (80 pessoas). 17h/0h (qui. até 2h; sex. e sáb. até 4h; fecha dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. Entrada: R$ 10,00 (qua.), R$ 15,00 (qui.) e R$ 20,00 (sex. e sáb.). www.lapairishpub.com.br. Aberto em 2009.

LAPAMAKI. Instalada num pequeno prédio de quatro andares onde funcionou o Le Baroque, a filial da rede surgida na Lapa tem agradável terraço ao ar livre no 4º andar, com vista para o Cristo Redentor. A partir das 18 horas entra em cena o profissional das coqueteleiras, que prepara bebidas com ingredientes tipicamente japoneses, caso do wasabi (R$ 15,50), de raiz-forte, limão, calda de açúcar e vodca. Na ala dos mastigáveis, o tartare de peixe variado com cebolinha e pimenta japonesa sobre casquinha de guioza (R$ 13,00, seis unidades) sugere contraste saboroso. A versão do hot filadélfia no palito (R$ 24,00, três unidades) também vale a pedida. Rua do Riachuelo, 67, Lapa, ☎ 2221-9140/9082 (40 lugares). 11h30/0h (qui. até 3h; sex. e sáb. até 4h). Cc: D, M e V. Cd: todos; Rua Vinicius de Moraes, 124, Ipanema, ☎ 3547-5803. 12h/0h (sex. e sáb. até 1h; fecha seg.). Cc: M e V. Cd: R e V. ? www.lapamaki.com.br. Aberto em 2009.

MOVIOLA. Criado para dar uma movimentada na locadora de DVDs, o bistrô tornou-se um point em Laranjeiras. Tem ambiente aconchegante e conciso, mas boa relação de cervejas artesanais ou importadas. Uma das melhores em termos de custo e benefício é a paulista Bamberg Pilsen (R$ 16,90, 600 mililitros). Se a preferência for pelas belgas, escolha entre as long neck Delirium Tremens (R$ 28,90) ou Grisette (R$ 14,90). No menu há bruschettas de tomate seco ou de salaminho com curry (R$ 17,50, oito unidades) e escondidinho de carne-seca com batata-baroa (R$ 17,90 a tigela). Na terça (21) de Carnaval e na quarta (22) abre às 15h. Rua das Laranjeiras, 280, lojas B e C, Laranjeiras, ☎ 2285-8339 (60 lugares). 12h/23h (sex. e sáb. até 0h; dom. a partir de 15h). Cc: todos. Cd: todos. ↔ www.moviolalivraria.com.br. Aberto em 2005.

Q. Balcão de mármore de Carrara e iluminação do profissional do teatro Maneco Quinderé são alguns dos sinais de requinte encontrados no bar dos mesmos donos do restaurante Quadrucci. Assinados pela bartender Lara Jennings, revelada pelo Londra, do Hotel Fasano, os drinques surpreendem. Intenso, o rocket collins (R$ 25,00) reúne rúcula, gim, uva, limão-siciliano, maçã verde e soda limonada. Tartares são o forte na parte dos comes. Além da versão tradicional, de carne (R$ 25,00), são servidas sugestões de frutos do mar e de atum com abacate (R$ 29,00 cada uma). Rua Dias Ferreira, 617, Leblon, ☎ 2113-0564/0594 (60 lugares). 12h/1h (sáb. e dom. a partir de 13h). Cc: D, M e V. Cd: todos. → ? ↔ Aberto em 2011.

Fonte: VEJA RIO