RESTAURANTES

Vamos tomar umas tacinhas

Casas especializadas em vinho se renovam para receber consumidores mais jovens

Por: Fabio Codeço - Atualizado em

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)

As tulipas e caldeiretas de chope seguem firmes na preferência dos cariocas, mas é crescente o número daqueles que não resistem ao apelo de tintos, brancos, rosés e espumantes ? principalmente entre os mais jovens. Um levantamento feito no ano passado pela empresa inglesa Wine Intelligence revela que, por aqui, 26% dos amantes da bebida têm hoje de 25 a 34 anos, o mais alto índice entre as faixas etárias avaliadas ? o grupo de 35 a 44 anos concentra 24% e o de 45 a 54, 21%. Atentos a tal cenário, empresários começam a investir em um novo ramo de negócios: endereços para beber vinho com apelo direto a esse público. No próximo dia 17, será aberto em Ipanema o primeiro estabelecimento desse tipo, o Cavist Vinoteca & Bistrô. "A ideia foi criar um ambiente informal, onde as pessoas pudessem beber, comer alguma coisa e conversar com os amigos, sem pretensão", diz Janine Sad, 32 anos, sócia do Cavist, ao lado do irmão Alain Costa, 30 anos.

Instalado em um casarão da Rua Barão da Torre, o misto de bar e restaurante terá decoração em tons de roxo, laranja, preto e madeira. Os frequentadores poderão escolher entre 2 000 rótulos, com opções que vão do argentino Alta Cruz Malbec 2008 (22 reais a garrafa) ao mítico Romanée-Conti 2001 (a 14 300 reais!). Em breve, a casa de Ipanema ganhará a companhia de duas filiais, no Leblon e na Barra. As três unidades, que receberam investimentos de 1,5 milhão de reais, ocuparão imóveis onde funcionavam franquias da importadora Expand pertencentes aos irmãos Janine e Alain. "Em Ipanema teremos degustações embaladas por DJs e um champanhe-bar logo na entrada", promete Gabriella Vieira, 29 anos, diretora de marketing das novas casas.

Embora seja de maior vulto, a iniciativa dos jovens empreendedores do Cavist não é um caso isolado. Importadores e revendedores do setor têm se adaptado para seduzir a clientela jovem. Em Copacabana, a Safra Wine Store vende seus rótulos em meio a peças de design arrojado e obras de arte, como um autorretrato do badalado Vik Muniz. "Eu sempre imaginei uma loja voltada para as pessoas da minha idade", conta o dono, Carlos San Miguel, de 32 anos. A importadora Ruby Wines acaba de fechar uma parceria com o descolado bar de tapas asiáticas Mekong, em que, a cada garrafa consumida, manda outra, de graça, para a casa do cliente (promoção válida só às quartas). "Já é hora de acabar com essa história de que é preciso gastar muito para tomar um bom vinho", afirma Marcos Mello, sócio da importadora. Pelo visto, não faltam motivos para erguer as tacinhas.

Fonte: VEJA RIO