só na hora

Três casas cariocas em que o menu é uma surpresa

No Lasai, Olympe e na Roberta Sudbrack o comensal só descobre o menu após se sentar na mesa. Veja detalhes

Por: Rafael Cavalieri - Atualizado em

Olympe, eleito o melhor restaurante francês
(Foto: Thomas Rangel)
  • Cozinha contemporânea

    Lasai

    Rua Conde de Irajá, 191, Botafogo

    Tel: (21) 3449 1834 ou (21) 3449 1854

    Sem avaliação

     

    O cozinheiro carioca Rafael Costa e Silva tem no currículo cinco anos de experiência no estrelado Mugaritz, na Espanha. Há dois anos, sua casa no Rio mantém uma estrela na versão brasileira do Guia Michelin. Em 2014, ficou na 16ª posição do ranking dos cinquenta melhores restaurantes da América Latina, promovido pela revista inglesa Restaurant (hoje está na 64ª posição). O serviço impecável, no salão e na cozinha, produz duas sugestões de menu degustação (R$ 245,00, com quatro aperitivos e três etapas, entre principais e sobremesas; ou R$ 295,00, com oito aperitivos e seis pratos). Legumes, em sua maioria orgânicos e de produção própria, brilham em pratos como o inabalável ovo, de gema de ovo caipira, espuma de inhame e leite de coco. A única mudança no preparo foi no crocante de carne-seca, que agora chega à mesa em forma de farofinha. Entre as criações recentes, que se sucedem no menu, estão a costela no bafo com caldo de capim-limão e cebolinha fresca assada na brasa, a bochecha de porco com purê de abóbora 100% orgânica, minicebolinha e caldo da cabeça do porco e o peixe fresco do dia cozido em ervas, caldo de palmito tostado e cenoura defumada. Para adoçar, o hit atual é o sorvete de doce de leite feito na casa, com creme de cumaru (fava tonka), crocante de manteiga e pó de café.

    Preços checados em julho de 2016.

    Saiba mais
  • Francesa

    Olympe

    Rua Custódio Serrão, 62, Jardim Botânico

    Tel: (21) 2539 4542

    Veja Rio
    Sem avaliação

    Há algum tempo, o rótulo de “restaurante francês” já não é suficiente para definir o salão mais sofisticado do chef Claude Troisgros. Na casa de tijolinhos no Jardim Botânico, o mestre-cuca desenvolve, ao lado do filho, Thomas, uma cozinha autoral, de base francesa, mas fortemente influenciada por ingredientes brasileiros. Nesta disputa, a dupla superou o campeão do ano passado, Eleven Rio, além do Oro e do Mee. O caminho para o reconhecimento do júri passou pela extinção do sistema à la carte: o comensal encontra variadas opções de menu degustação: o criação, com quatro (R$ 330,00) ou cinco (R$ 390,00) etapas, o vegetariano (R$ 390,00) e o confiance (R$ 450,00), ambos, percursos de sete pratos. Na mudança mais recente, pedidas clássicas deram lugar a criações originais, como a vieira servida sobre sedoso purê de cará com coco, ao molho de tucupi com caviar, e o robalo de pele crocante guarnecido de salada de palmito, aipo, limão e pimenta dedo-de-moça, além de delicioso consomê de shiitake com bacon. Em outra solução arrojada, a língua bovina ganha duas texturas, ladeada por purê de inhame, repolho-roxo e mostarda de Dijon. Na ala doce, o tradicional crepe passion, receita com a família desde 1982, consiste em uma massa fofa recheada de creme de confeiteiro e molho de maracujá. Esse hit das sobremesas ganhou a concorrência da surpreendente reunião de broa embebida na cachaça envelhecida (versão da babá ao rum), sorvete de milho verde, cupuaçu e broto de agrião. No almoço de terça a sexta, o menu executivo oferece entrada e prato principal por R$ 150,00 — com a sobremesa, o valor sobe para R$ 175,00. As sugestões mudam a cada semana.

    Preços checados em julho de 2016.

    Saiba mais
  • Brasileira

    Roberta Sudbrack

    Avenida Lineu de Paula Machado, 916, Lagoa

    Tel: (21) 3874 0139

    Veja Rio
    Sem avaliação

    Quiabo, chuchu, fruta-pão e jaca já ganharam preparos surpreendentes pelas mãos da cozinheira, eleita a melhor chef mulher da América Latina pela revista britânica Restaurant, no ano passado. Nos últimos onze anos, foram muitos os prêmios recebidos na edição COMER & BEBER: melhor chef, melhor contemporâneo, melhor casa de alta gastronomia e, o mais recente, de melhor brasileiro (faz sentido). A inquieta mestre-cuca também está à frente do sudtruck, um food truck, como o nome sugere, e do Da Roberta. No casarão do Jardim Botânico, ingredientes típicos inspiram menus anuais. O produto da vez é a taioba, hortaliça comum em Minas Gerais, de aparência semelhante à couve e sabor próximo ao espinafre. Um ravióli de batata-doce, taioba e pão queimado faz parte da nova coleção, a caminho. Os menus variam de três (R$ 250,00) a nove (R$ 450,00) passos. Entre os pratos em cartaz estão o picles de jaca verde, gelatina de caqui e ovas; o vermelho na brasa com canjica e ervas queimadas; e a sobremesa leites — o plural se explica: o leite é servido em versões assado, queimado e caramelado. Na terça, um serviço mais em conta é oferecido por R$ 125,00, com entrada e prato principal. Na quarta, entra em cena o sudburger (R$ 78,00). A casa abre para almoço apenas na sexta, com menu executivo a R$ 145,00 (entrada, prato principal e sobremesa).

    Preços checados em julho de 2016.

    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO