sujou pra eles

Sete restaurantes sofisticados do Rio são autuados pelo Procon

Operação Ratatouille encontrou variadas irregularidades em restaurantes estrelados da cidade

Por: Redação VEJA RIO - Atualizado em

ORO
Caso mais grave foi no restaurante Oro, na Lagoa (Foto: Redação Veja rio)

O Procon Estadual retomou na noite da última terça (14), a Operação Ratatouille, que fiscaliza restaurantes requintados do Rio. Dos dez restaurantes vistoriados, sete foram autuados por diversas irregularidades. Entre eles, estão o Lasai, em Botafogo, e o Oro, na Lagoa, que acabam de receber uma cobiçada estrela no recém-lançado Guia Michelin.

Durante a operação, os fiscais descartaram mais de 53kg de alimentos impróprios ao consumo. O caso mais grave foi do restaurante Oro, em que foram encontrados cerca de 30kg de produtos vencidos, sendo 27kg de hambúrgueres.

Já no restaurante Garden, de Ipanema, havia 14,2kg de produtos impróprios ao consumo entre massas e recheios sem identificação do prazo de validade e 2kg de picles vencidos. O certificado de dedetização da casa também estava vencido e, de acordo com os fiscais, as condições de higiene da cozinha eram péssimas, com lixeiras sem pedal. As geladeiras da cozinha e do bar estavam sem funcionar e sem o sistema de vedação.

procon restaurante
Operação do Procon autua restaurantes do Rio (Foto: Divulgação)

Os restaurantes Artigiano e Anna Ristoranti, localizados em Ipanema, foram autuados por não apresentar o certificado de Corpo de Bombeiros. Os fiscais deram prazo de 48 horas para apresentação do documento na autarquia. Já o restaurante Lasai, em Botafogo, quatro extintores e o alvará de funcionamento estavam vencidos. Os fiscais determinaram um prazo de cinco dias para apresentar um novo certificado a autarquia, caso contrário ele será interditado.

No Margutta, em Ipanema, havia um extintor vencido e outro sem especificação de seu prazo de validade. O estabelecimento não apresentou os certificados do corpo de bombeiros e dededetização. O certificado de potabilidade da água estava vencido desde setembro do ano passado. Foi determinado o prazo de 48 horas para apresentação desses documentos na sede da autarquia ou o estabelecimento será interditado.

No Entretapas, em Botafogo, o piso da cozinha estava quebrado, para o qual foi dado um prazo de 20 dias para reparo. Havia ainda uma lixeira sem acionamento por pedal.

Não foram encontradas irregularidades nos seguintes restaurantes Otto, na Tijuca; Mee, do hotel Copacabana Palace, e Le Pré Catelan, do Hotel Sofitel.

A última ação da operação havia sido realizada em 30 de março. Naquela oportunidade, dez dos 15 restaurantes visitados foram autuados e foram descartados cerba de 241,5kg de alimentos e 144 litros de bebidas impróprios ao consumo.

Fonte: VEJA RIO