GASTRONOMIA

Com gostinho de rabanada

Herança portuguesa, a sobremesa inspira a criação de novas e saborosas receitas para as ceias natalinas

Por: Fabio Codeço - Atualizado em

gastronomia.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A receita é elementar: uma fatia de pão dormido embebida em leite, passada em ovos batidos, frita em óleo bem quente e polvilhada com açúcar e canela. Adotada no regime de franceses (sob a alcunha de pain perdu), ingleses (poor knights of Windsor) e americanos (french toast), a rabanada entrou na dieta brasileira como herança da colonização lusitana. Por aqui, ao lado de variadas opções de bacalhau, ela acabou virando um símbolo das ceias natalinas, disputando o papel de protagonista com assados, castanhas portuguesas e panetones. Hoje, além da célebre versão tradicional, ela pode ser encontrada em divertidas (e saborosas) releituras que não deixam nada a desejar comparadas ao acepipe original.

Acostumada a inspirar-se em clássicos da doçaria para criar sorvetes, Renata Saboya lançou seu gelado sabor rabanada em 2005. A mistura com doses de conhaque e pedaços de pão da Mil Frutas (9,00 reais a bola) faz tanto sucesso nas mesas de fim de ano que os clientes já garantem a encomenda com meses de antecedência. No Sorvete Brasil (8,50 a bola) o modo de preparo vem da região do Minho, em Portugal, onde se usa vinho verde tinto entre os ingredientes. A grande sensação deste fim de ano, no entanto, são os brigadeiros imitando a sobremesa (3,50 a unidade) da Brigaderia Chic. Após uma semana de testes, a fórmula à base de leite condensado, manteiga, canela, açúcar mais um componente secreto, não revelado nem sob tortura, ficou pronta. ?Se utilizasse o doce original, ficaria muito pesado?, conta Carolina Sales, proprietária da marca, que possui três lojas na cidade. ?Tentei reproduzir aquela textura crocante e os sabores mais característicos.? De fato, ela conseguiu. A sensação ao degustá-los é a de morder uma suculenta ?fatia de parida?, como é conhecida no sul de Portugal

Dar uma nova roupagem a um clássico é uma prática comum no universo da gastronomia. Chefs de todo o mundo se inspiram em pratos conhecidos para criar sua própria versão, e assim surpreender os comensais com sabores que são familiares ao seu paladar. Irene Machado, do restaurante português Mensateria, na Barra, já desenvolveu até uma receita de rabanada salgada, com anchovas. Para este ano, a novidade é a torta com camadas do quitute, entremeadas com leite condensado cozido e batido com creme de leite fresco, coberta por ganache e raspas de chocolate (78 reais). Já a MP Tortas Boutique, no Recreio, prepara uma variante um pouquinho mais light, à base de sorvete de iogurte e cobertura de frutas secas (85 reais). A partir de segunda (12), será possível provar ainda a variedade da Academia da Cachaça, com queijo de coalho e melado de cana (9,80 reais). Pelo visto, é melhor deixar para começar a dieta só em janeiro.

Fonte: VEJA RIO