RESTAURANTES

Para ver e ser visto

Paris 6, recém-inaugurado na Barra, exibe vocação para reduto de famosos e cardápio ainda em fase de ajustes

Por: Fabio Codeço - Atualizado em

COMIDA ✪✪ | AMBIENTE ✪✪✪ | SERVIÇO ✪✪

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)

Badalado na capital paulista, o Paris 6 chegou ao Rio há menos de três semanas. Tem entre os sócios o diretor de TV Jayme Monjardim e o jogador de futebol Emerson Sheik. É de esperar, portanto, que o desfile de celebridades do dia da inauguração vire rotina. A decoração é bonita, inspirada nos bistrôs parisienses dos anos 20 ? o nome faz alusão ao sexto distrito da capital francesa, onde ficam endereços antológicos como Les Deux Magots e Le Procope ?, mas paira sobre o ambiente um certo ar fake, impressão reforçada pela TV de LED no barulhento salão principal. Batizados com nomes de famosos (ou nem tanto), os pratos ainda carecem de ajustes, assim como o serviço. Outro sócio, Isaac Azar sabiamente reduziu o extenso menu original enquanto a equipe não entra nos eixos. A sopa de cebola (R$ 27,00), saborosa, derrapou na textura grossa. Já o medalhão à dalton vigh (R$ 67,00), coberto por molho de vinho, foi prejudicado pelo risoto de cogumelo que o guarnecia, gostoso, mas cozido além do ponto. O prato levou quarenta minutos para chegar. Na sobremesa, agradou o petit gâteau de doce de leite com sorvete de creme (R$ 18,00). Aos notívagos: o lugar fica aberto 24 horas.

Avenida Érico Veríssimo, 725, Barra, ☎ 2494-7320 (220 lugares). 24h. Cc: todos. Cd: todos. Estac. c/manobr. (R$ 12,00). Couvert: R$ 9,00 (almoço) e R$ 12,00 (jantar). ⑤ ⑥ (R$ 50,00). → ↔ www.paris6.com.br. Aberto em 2013. $$$

Fonte: VEJA RIO