RESTAURANTES

Ludmilla e Zuka, um caso de amor

Oito meses depois de deixar à casa para tocar projetos pessoais, chef volta, agora também como sócia, ao restaurante do Leblon

Por: Fabio Codeço

Daryan Dornelles
(Foto: Redação Veja rio)

Em outubro do ano passado, a chef Ludmilla Soeiro deixou a cozinha do Zuka - após doze anos de trabalho que consagraram a matriz do restaurante contemporâneo, no Leblon (Rua Dias Ferreira, 233, loja B, ☎ 3205-7154). Convidada por Nicola Sultanum, proprietário do badalado Mingus, no Recife, a abrir um novo negócio com ele, ela se mudou com filho, babá, mala e cuia para a capital pernambucana. Em junho, abatida por um tremendo banzo, voltou para o Rio e ao posto que a notabilizou. Ludmilla retorna como sócia da casa e cheia de ideias. A primeira foi a criação de um menu de sugestões renovado todo mês, em que as receitas mais pedidas poderão ganhar lugar fixo no cardápio. A seleção inaugural, em cartaz até o fim de agosto, traz delícias testadas e aprovadas, como o atum semicru, servido ao lado de molho ponzu com uma gema trufada (R$ 42,00), dica de entrada, e o bife de chorizo grelhado no ponto correto, como sempre, guarnecido de original tagliatelle com limão, hortelã, pinhole, shiitake, abobrinha e grana padano (a salgados R$ 93,00). No delicado naked cake em miniatura (R$ 22,00), a doçura do creme de confeiteiro cria delicioso contraste com a acidez das frutas vermelhas.

Fonte: VEJA RIO