RESTAURANTES

Herói da resistência

Na última torre que restou do antigo Mercado Municipal, o Albamar celebra 80 anos reeditando clássicos do cardápio

Por: Fabio Codeço - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Inaugurado em 12 de novembro de 1933, o Albamar é uma relíquia: funciona na única torre remanescente do antigo Mercado Municipal da Praça XV, tombada pouco antes da demolição do espaço, que aconteceu em 1962. No 3o piso, o salão à beira-mar tem vista para barcos ancorados na Baía e para a Ilha Fiscal. Em um período de decadência, o restaurante resistiu menos pelo valor de sua cozinha do que pelos esforços de antigos funcionários e por seus atributos arquitetônicos. Estava perto de fe­char as portas quando o empresário Paulo Corrêa e o chef Luiz Incao assumiram o negócio, em 2009, recuperando o prestígio da casa. Corrêa deixou a sociedade recentemente. Incao, ainda a postos, celebra os oitenta anos do restaurante devolvendo ao cardápio trinta clássicos fora de cartaz há décadas, reunidos no menu comemorativo que será oferecido de terça (5) ao dia 15 de novembro. Nas entradas, a R$ 36,00 cada uma, aparece o coquetel de camarão ao molho rosé. Para a etapa principal, há dicas como mariscada baiana, guarnecida de arroz e farofa de dendê (R$ 72,00), e camarão à milanesa com arroz à grega (R$ 70,00). Na ala doce, o chef relança o emblemático mineiro de botas (R$ 18,00).

Praça Marechal Âncora, 186, Centro, ☎ 2240-8428 (120 lugares). 12h/17h. Cc: todos. Cd: todos. Estac. Couvert: R$ 15,00 (individual). ⑤ ⑥ (R$ 66,00) www.albamar.com.br. Aberto em 1933. $$$

Fonte: VEJA RIO