SAÚDE

Os benefícios das flores para a alimentação

Em alta nas receitas durante a primavera, flores contém substâncias benéficas ao corpo humano

Por: Thaís Meinicke - Atualizado em

A Primavera chegou e os restaurantes já incluem em seus cardápios especialidades que tem, entre os ingredientes, flores comestíveis. A ideia parece um pouco diferente, mas, além de atuarem como um belo ornamento aos pratos, deixando-os mais coloridos e atrativos, elas também podem ser extremamente nutritivas.

Ricas em fibras, vitaminas e antocianinas – poderosos antioxidantes que combatem os radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce e diversas doenças - as flores comestíveis ainda são uma ótima opção para quem está de dieta, pois são pouco calóricas. “Em média, 100 gramas têm apenas 40 calorias”, afirma a nutricionista funcional e esportiva Luciana Harfenist. Mas atenção: elas devem ser compradas de produtores que façam o cultivo especialmente para uso culinário, sem a utilização de agrotóxicos ou tratamento químico.

+ Dez sugestões de pratos com flores em restaurantes do Rio

Confira abaixo as dicas das nutricionistas funcionais Luciana Harfenist e Daniela de Almeida, e de Cintia Azeredo, do Vita Check-Up Center, sobre as vantagens de diferentes tipos de flores:

Calêndula

Calêndula
(Foto: Divulgação)

Suas pétalas e o pólen contêm triterpenoides, substâncias com ação anti-inflamatória. Inclua no prato também as folhas e o caule, que são ricos em luteinazeaxantina, importantes na prevenção da degeneração macular dos olhos.

Lavanda

Lavanda
(Foto: Divulgação)

A maioria das pessoas acha que lavanda serve apenas para decorar ambientes ou para tratamentos de aromaterapia. Mas ela pode também ser usada em diversas receitas, como chás, biscoitos, xaropes, bolos, cheesecakes, sorvetes, geleias e tortas. É um calmante natural.

Alcachofra

Alcachofra
(Foto: Vania Renzo/Divulgação Mais)

Dá uma inflorescência comestível, que deve ser consumida ainda em broto. Depois que vira uma flor aberta, suas pétalas endurecem e, por isso, não pode mais ser ingerida. Ela atua na desintoxicação hepática e reduz o colesterol total.

Hibisco

Hibisco
(Foto: Divulgação)

Ajuda a emagrecer. No intestino, ela impede parte da absorção de gordura dos alimentos. Também tem efeito diurético, por isso, ajuda a eliminar toxinas.

+ Petiscos com flores em três bares do Rio

Capuchinha

Capuchinha
(Foto: Divulgação/Zé Gabriel)

Pode ser encontrada nas cores amarela e vermelha. As flores têm gosto apimentado, semelhante ao agrião, devido à presença de compostos sulfurados, ajudando no processo detox do organismo e na prevenção do câncer. Os botões florais e os frutos são usados para fazer picles e têm gosto semelhante à alcaparra. Fontes de vitamina C e betacaroteno, são estimulantes do sistema imunológico. Também se destacam as propriedades medicinais da Capuchinha, como: antiepasmódica, antiescorbútica, antisséptica, antibiótica natural e expectorante.

Endro ou aneto

Endro
(Foto: Divulgação)

Rico em óleos essenciais como carveol e limonina, além de flavonóides derivados do kenferol,  possui propriedades antiinflamatória, anti-séptica, aperiente, aromática, carminativa, depurativa, digestiva e diurética. As folhas, os frutos e as sementes do endro podem ser aproveitadas para o consumo. Suas flores são muito usadas em picles de pepino ou de couve-flor.

Amor-perfeito

Amor-perfeito
(Foto: - Divulgação/Gabriela Pastro)

Planta da família das Violaceae, o amor-perfeito-bravo possui diversas propriedades, como adstringente, anti-seborréica, anti-inflamatória, bactericida, depurativa e diurética. Possui vitamina C, óleos essenciais, carotenoides e rutina, flavonoide com atividade antioxidante e anti-inflamatória.

Flor de abóbora

Flor de abobóra
(Foto: Divulgação)

Além da abóbora, que é rica em cálcio, potássio, fósforo,  magnésio, vitaminas A, C e E, e das fibras, podemos aproveitar também suas sementes, ricas em zinco e magnésio, e sua flor. A flor de abóbora pode ser utilizada em sopas ou guisados. Muito usada na gastronomia mexicana, possui poucas calorias. É também uma fonte importante de cálcio, que contribui na formação de ossos e dentes. Uma boa sugestão é enriquecer uma sopa de abóbora com suas sementes sem casca, que são ricas em magnésio, pingar um fio de azeite, para absorver melhor a vitamina A, e enfeitá-la com suas flores,  auxiliando, desta forma, na prevenção da osteoporose e preparando sua pele para o verão.

Cravo-da-Índia

Cravo-da-Índia
(Foto: Divulgação)

O botão da flor é usado na culinária como especiaria. Ele possui em sua composição química o Beta cariofileno, óleos essenciais, entre outras substâncias benéficas.  O Cravo-da-Índia fornece ação antitérmica, antioxidante, digestiva, antifúngica e antibacteriana. É muito utilizado na odontologia.

Camomila

Camomila
(Foto: Divulgação)

Muito utilizada na forma de chá, apresenta em sua composição flavonóis, vitaminas A e C, óleos essenciais, entre outras substâncias. É uma flor com propriedades calmante, analgésica e anti-inflamatória, que estimula o sistema imunológico contra infecções.

Borragem 

Borragem
(Foto: Divulgação)

A flor Borago officinalis é rica em mucilagem, nitrato de potássio, ômega 3 e 6, tanino, vitamina C, entre outras substâncias. Possui propriedades diuréticas, antioxidantes, laxativas, expectorantes, entre outras, e é mais encontrada na forma de óleo de borragem.

+ Dez atrações para aproveitar a primavera

Fonte: VEJA RIO