diversão

Confira 31 atrações gratuitas para curtir o fim de semana

Um guia com programas para se divertir sem gastar dinheiro, com teatro, shows, exposições e muito mais

Por: Redação VEJA RIO - Atualizado em

TEATRO

A Cripta de Poe

A Cripta Poe
A Cripta Poe: temporada gratuita no Centro (Foto: Carlos Irineu)

Inspirada no universo dos contos e poemas fantásticos do escritor americano Edgar Allan Poe, a dramaturgia do espetáculo recorre às obras “O Espectro”, “O Corvo”, “O Retrato Oval”, “Berenice”, “Ligéia”, “William Wilson” e o “O Coração Denunciador” para inspirar o universo obsessivo e fantasmagórico. Concebida em formato de “palco-instalação”, a peça conta com a participação em vídeo do ator Paulo César Peréio, como o “Velho Poe”. A proposta cênica mescla diferentes manifestações artísticas como teatro, canto, vídeo e música eletrônica, a fim de intensificar a atmosfera de suspense e ilusão característica das produções literárias de Poe, que propõe um mergulho no desconhecido da alma humana, através de personagens que revelam a duplicidade do homem.

Biblioteca Parque Estadual (BPE), Teatro Alcione Araújo. Av. Presidente Vargas, 1261, Centro. Sábados e domingos, 18h. Até 1º de fevereiro.

+ Confira outras peças em cartaz na cidade

CRIANÇAS

Clubinho do Downtown

Em parceria com as empresas infantis IpaBebê, Palquinho e OG Brinquedos Construtivos, o espaço promove uma série de atividades no fim de semana. Estão previstas oficinas de reciclagem e música, além de jogos de encaixe, quebra-cabeça, teatro de bonecos e contadores de histórias sobre o Sítio do Picapau Amarelo. Rec. até 8 anos. 

Shopping Downtown (90 lugares). Avenida das Américas, 500, Barra da Tijuca, ☎ 2494-7072. Sábado (10) e domingo (11), 16h/19h. Grátis.

Exposição Playmobil

playmobil
Dom Pedro e dona Leopoldina: tipos históricos integram uma das mostras (Foto: Divulgação)

Modelos variados do brinquedo integram uma concorrida mostra no Museu Histórico Nacional: Com a Palavra, D. Leopoldina, Imperatriz do Brasil. Por lá, é possível ver os bonequinhos de 7,5 centímetros vestidos como personagens da história do Brasil, como dom Pedro I e sua esposa, a imperatriz Leopoldina. Livre. 

Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 3299-0360. → Terça a sexta, 10h às 17h30; sábado e domingo, 14h às 18h. R$ 8,00 (entrada franca aos domingos). Até 1º de março de 2015.

Histórias de Bocas para Ouvidos

Histórias de Bocas para Ouvidos
Histórias de Bocas para Ouvidos: na Casa França-Brasil, até 24 de janeiro (Foto: Pedro Agilson)

O tema inspira o programa gratuito de contadores de histórias que ocupa a sala de leitura da Casa França-Brasil até 24 de janeiro. A cada sábado será apresentada uma lenda brasileira, herança de nossas origens indígena, africana e europeia, apoiada por músicas e adereços criativos (40min). Rec. a partir de 6 anos. 

Casa França-Brasil  — Sala de Leitura (40 lugares). Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. Sábado (10), 15h30. Grátis. Distribuição de senhas uma hora antes de cada apresentação. Até dia 24.

Diversão com a Galinha Pintadinha

Os pequenos podem se divertir com atrações gratuitas, como o pula-pula e os ovinhos giratórios, além de criar desenhos coloridos  no espaço para pinturinhas e, por fim, se encontrar com a própria personagem na casa da Galinha Pintadinha. 

Shopping Tijuca. Av. Maracanã, 987, Tijuca. Tel: 3094-6605. Segunda a sábado, 10h às 22h; domingos e feriados, 13h às 21h. Até 1º de fevereiro.

A Turma do Chaves

Chaves
Chaves é encenado em São Gonçalo (Foto: Divulgação)

O espetáculo cover traz para o público as divertidas aventuras da turma que está eternizada nos corações das crianças e adultos. A plateia se divertirá com Chaves, um garoto órfão de oito anos que adora sanduíche de presunto. Sardento e travesso ele vive dentro de um barril de madeira que fica no pátio de uma vila e forma um trio do barulho com Quico e Chiquinha. O cenário reproduz a vila original da série de TV.

Shopping Pátio Alcântara. Praça Carlos Gianelli, s/nº, Alcântara, São Gonçalo. Tel: 2025-6706. Sábado (10), 18h e 20h. As vagas são limitadas e a entrada será por ordem de chegada.

Enrolados – A História de Rapunzel

Esta montagem conta uma versão moderna de Rapunzel, a qual é aprisionada em uma torre por uma bruxa que a cria como sua filha. Seus cabelos são muito longos e ela os penteia com uma trança. Prestes a completar 18 anos, a jovem deseja deixar seu confinamento na torre para ver as luzes que sempre surgem no dia de seu aniversário. Um dia conhece Flynn Ryder, o bandido mais procurado e sedutor do reino, e muita coisa muda em sua vida.

Santa Cruz Shopping. Rua Felipe Cardoso, 540, Santa Cruz. Tel: 2418-9400. Domingo (11), 17h.

Hércules

Esta adaptação da tradicional história do herói da mitologia grega procura explicar a origem das Olimpíadas e conta que o robusto e belo Hércules, filho do poderoso Zeus, cria a competição, após vencer a Deusa Hera, sua maior opositora. Temendo seu poderoso pai, que com certeza não iria gostar de sua peraltice, ele cria os jogos para que todos os Gregos possam competir homenageando seu Deus maior. Nesta versão, Hércules, que está de casamento marcado com a bela Dejanira, torna-se um dos maiores atletas dos jogos antigos. 

Bangu Shopping. Rua Fonseca, 240, Bangu. Tel: 2430-5130. Domingo (11), 17h.

Mundinho Kids

O Shopping Metropolitano Barra preparou espetáculos especiais para as férias. Neste domingo (28), a atração é o teatro de bonecos Mágico Drakyni. O ilusionista apresenta Magia Divertida, uma mistura de números clássicos e contemporâneos com a participação de Flockinho, um coelho falante.

Shopping Metropolitano Barra. Avenida Abelardo Bueno, 1.300, Barra da Tijuca. Domingo (28), 17h. Até 25 de janeiro.

+ Veja mais atrações infantis na cidade

ESPECIAL

Verão no VillageMall

deck VillageMall
Deck do VillageMall recebe food trucks e apresentações de jazz (Foto: Divulgação)

O Shopping leva food trucks e apresentações musicais gratuitas ao deck até o dia 22 de fevereiro. Clique para saber mais.

+ Confira outros passeios na cidade

EXPOSIÇÕES

✪✪✪ Waldemar Cordeiro

Waldemar Cordeiro
Contra o Naturalismo Fisiológico Op. (1965): uma das mais de 250 obras apresentadas (Foto: Edouard Fraipont/Divulgação)

Figura de proa do grupo Ruptura, núcleo pioneiro do concretismo paulista (cujo manifesto ele mesmo redigiu), o artista morreu prematuramente, aos 48 anos. Foi tempo suficiente, no entanto, para esse italiano radicado no Brasil legar uma produção vasta e, em certa medida, eclética, como revela a antologia Fantasia Exata. O acervo reúne mais de 250 trabalhos, entre desenhos, pinturas, fotografias e maquetes, contemplando o período que vai da década de 50, quando o Ruptura estava ativo em São Paulo, até os últimos trabalhos de Cordeiro (1925-1973). Estão lá diversos exemplares de sua fase concreta, com ênfase nos geometrismos e nas cores formando imagens abstratas que rompiam com o figurativismo dominante até então na arte brasileira. Criação posterior, Contra o Naturalismo Fisiológico Op.(1965) é uma curiosa reunião de quatro rodas unidas a um pedal de bicicleta por uma corrente. Há ainda uma sala dedicada a projetos paisagísticos e arquitetônicos, com direito a recursos de animação interativa. Nada mais apropriado para quem foi umdos pioneiros no Brasil da chamada arte computacional. Uma série de exemplares desse seu trabalho marca presença, com destaque para A Mulher que Não É BB (1973), que reproduz em sinais gráficos o rostode uma menina vietnamita atingida por bombas de napalm durante a guerra.

Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. → Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 1º de março.     

✪✪ EAV 75.79 —Um Horizonte de Eventos

A mostra celebra a gestão inaugural da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, sob direção de Rubens Gerchman. Grande material documental divide o espaço com gravuras feitas em 1976, na EAV, por Avatar Moraes, Dionísio Del Santo, Eduardo Sued, Roberto Magalhães e pelo próprio Gerchman, entre outros.

Escola de Artes Visuais do Parque Lage — Cavalariças e Capela. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a sexta, 14h às 18h; sábado e domingo, 14h às 17h. Grátis. Até domingo (11).

Celina Portella

Em Movimento² (lê-se “movimento ao quadrado”), a artista exibe cinco videoinstalações nas quais ela mesma aparece interagindo com as bordas dos monitores.

Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213 e 2242-1012.→ Segunda a sexta, 11h às 18h; sábado e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até 12 de fevereiro de 2015.

✪✪✪ Geraldo de Barros

geraldo de barros
(Foto: Reprodução)

O interesse do artista pela fotografia abstrata prevalece na exposição, com mais de 300 obras. Destaque para a extensa seleção de imagens dedicadas à sérieFotoformas, que abasteceu uma mostra rea­lizada por Barros na primeira sede do Masp, em 1951. São trabalhos que enfatizam geometrismos, figuras borradas e fotos realizadas a partir de negativos submetidos a manipulações variadas.

Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400 e 3206-2500.→ Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas quinta e sexta,às 17h. Até 22 de fevereiro.

Athos Bulcão

Athos Bulcão
Painel da Rodoferroviária de Brasília: uma das atrações na mostra, que privilegia a azulejaria (Foto: Reprodução)

Em 1943, já dedicado às artes, após abandonar o curso de medicina, Athos Bulcão (1918-2008) conheceu Oscar Niemeyer. Do arquiteto, recebeu a encomenda de um projeto para os azulejos externos do Teatro Municipal de Belo Horizonte, mas a obra ficou inacabada e a parceria não foi adiante. Dois anos depois, como assistente de Candido Portinari, ele finalmente atuaria na produção de um grande painel, dessa vez para adornar a Igreja da Pampulha, também criação de Niemeyer na capital mineira. Adiante, na construção de Brasília, o talento de Bulcão nessa seara se projetou de maneira inaudita, com a realização de trabalhos que hoje enfeitam diversos prédios públicos do Distrito Federal, entre eles o Aeroporto Juscelino Kubitschek e o Congresso Nacional. Essa faceta da trajetória de Bulcão é privilegiada em Tradição e Modernidade, exposição que a Caixa Cultural abre no sábado (10). O acervo apresentado inclui uma série de reproduções oficiais de trabalhos do artista, entre eles os realizados para a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima e a Rodoferroviária de Brasília, ambas na capital federal, e o Sambódromo carioca.

Caixa Cultural — Galeria 2.Avenida Almirante Barroso, 25,Centro, ☎ 3980-3815, ↕ Carioca. →Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis.Até 8 de março. A partir de sábado (10).     

José Damasceno

Cirandar Todos é o nome da mostra e do trabalho que ocupa o salão central: uma reunião de 150 manequins de madeira com 30 centímetros de altura, unidos uns aos outros pelas mãos, formando um círculo de 9 metros de diâmetro. Uma das salas laterais recebe 1/4, obra formada por duas elipses de aço, uma no chão e a outra na parede, sugerindo um círculo imaginário que atravessaria o edifício. Pensada para o espaço onde é apresentada, BRmm é uma colagem de centenas de recortes no formato do mapa do Brasil. Completa a mostra Moni­tor-Crayon, um grande painel composto de 75 000 peças de giz de cera, justapostas apenas por encaixe, sem cola.

Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. → Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 22 de fevereiro.

Rembrandt

Rembrandt
Cristo Pregando, ou A Gravura dos 100 Florins: a preferida do holandês (Foto: Reprodução)

Incontestável na pintura, o holandês também se destacou nas gravuras, como revela a mostra Rembrandt e a Figura Bíblica. São exibidas 78 obras, a maioria delas relacionada a temas religiosos. Um dos destaques do acervo é Cristo Pregando(1648), uma imagem de Jesus falando a um grupo de seguidores.

Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12hàs 19h. Grátis. Até 22 de fevereiro de 2015.

Kimi Nii

Japonesa radicada em São Paulo, a artista apresenta cerca de 100 esculturas de cerâmica, material dominante em sua produção.

Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo,12h às 19h. Grátis. Até 15 de fevereiro de 2015.

Malu Fatorelli

Videoinstalações, gravuras, vídeos e desenhos compõem a individual Clepsidra — Arquitetura Líquida, na qual a artista dialoga com a paisagem do entorno da Galeria Laura Alvim: o mar de Ipanema.

Galeria Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2017. Terça a domingo, 11h às 21h. Grátis. Até 8 de março de 2015.

Cirandar Todos

Concebida como a primeira praça do comércio da cidade e convertida em centro cultural há 24 anos, a Casa França-Brasil, de certa forma, tem em sua bela arquitetura neoclássica uma concorrência às exposições ali apresentadas. Em Cirandar Todos, individual que o carioca José Damasceno abre na quarta (17), a ideia é justamente estabelecer um diálogo entre as obras exibidas e o projeto do edifício, criação de Grandjean de Montigny, membro da Missão Artística Francesa que desembarcou no Brasil no início do século XIX. No salão central estará o trabalho que dá nome à mostra, uma reunião de 150 manequins de madeira com 30 centímetros de altura, unidos uns aos outros pelas mãos, formando um círculo de 9 metros de diâmetro — segundo a curadora Ligia Canongia, “promovendo um embate com a escala monumental da Casa França-Brasil”. Da mesma forma, uma das salas laterais recebe 1/4, obra formada por duas elipses de aço, uma no chão e a outra na parede, sugerindo um círculo imaginário que atravessaria o edifício. Pensada para o espaço onde será apresentada, BRmm é uma colagem de centenas de recortes no formato do mapa do Brasil. Completa a mostra Moni­tor-Crayon, um grande painel composto de 75 000 peças de giz de cera, justapostas apenas por encaixe, sem cola. 

Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. → Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 22 de fevereiro de 2015. 

Falso Movimento

A exposição reúne obras de três artistas estrangeiros, o equatoriano Adrián Balseca, a mexicana Pia Camil e a americana Helen Mirra, e seis brasileiros: Ivan Grilo, Felipe Bertarelli, Daniel de Paula, Ricardo Villa, Pablo Pijnappel e Leticia Ramos. Como o nome da mostra sugere, as obras são perpassadas pela ideia de um movimento incessante que, contudo, não leva a lugar algum. Preços sob consulta.

Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaripe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 15h. Grátis. Até 17 de janeiro de 2015.

Thanara Schönardie – Meu Pedacinho de Chão

Thanara Schönardie – Meu Pedacinho de Chão
Thanara Schönardie – Meu Pedacinho de Chão (Foto: Divulgação)

A mostra apresenta 42 figurinos criados por Thanara Schönardie para a novela Meu Pedacinho de Chão, exibida entre abril e agosto de 2014 pela TV Globo. A exposição transportará os visitantes para a novela com as roupas usadas por personagens interpretados pelos atores Bruna Linzmeyer, Osmar Prado, Johnny Massaro e Juliana Paes, entre outros. Haverá ainda sapatos e acessórios exibidos em bandejas de guloseimas.

Biblioteca Parque Estadual. Avenida Presidente Vargas, 1.261, Centro. Tel: 2332-8647. De terça a domingo, 10h às 20h. Até 8 de março.

Desenhos – anos 80

Jorge Duarte
Desenhos dos anos 80 (Foto: Divulgação)

A mostra individual de Jorge Duarte reúne cerca de 35 desenhos do artista, que é um dos expoentes da chamada Geração 80. São desenhos inéditos, realizados durante a década de 80 do século passado e que refletem a produção do artista no período, marcado por sua produção pictórica, sendo alguns deles estudos preparatórios para pinturas de grandes formatos realizadas na época.

Sergio Gonçalves Galeria. Rua do Rosário, 38, Centro. Tel: 2263-7353. Terça a sexta, 11h às 19h; sábados, 11h às 18h. Até 9 de janeiro.

Jorge Mayet

Jorge Mayet
Jorge Mayet expõe na Galeria Inox (Foto: Divulgação)

O artista cubano expõe uma grande instalação. Há ainda outra escultura : uma casa que levita, se destrói, se reconstrói, representando a arquitetura típica de Cuba.

Galeria Inox. Avenida Atlântica, 4240, subsolo 101, Copacabana. Segunda à sexta, 10 às 20h; sábado das 11 às 19h. Até 31 de janeiro.

Luiz Claudio Marigo - Fotógrafo e Ambientalista

Luiz Claudio Marigo
Uma das imagens de Luiz Claudio Marigo (Foto: Luiz Claudio Marigo)

A mostra reúne o trabalho desse pioneiro em fotografia de natureza no Brasil. Junto à exposição das fotografias, é apresentada uma projeção com trechos de entrevistas e imagens significativas de seu trabalho.

Centro Cultural da Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro. Tel: 3261-2550. Terça a domingo, 12h às 19h. Até 25 de janeiro.

Toda Fé

Toda Fé
Toda Fé (Foto: Fabio Caffé)

Estarão expostas 16 imagens, produzidas por dez fotógrafos, que representam a força própria do protagonismo das manifestações de fé nesses lugares, além da beleza que a convivência das diversas expressões religiosas pode propiciar. Com curadoria de Rovena Rosa, coordenadora do Programa Imagens do Povo, a mostra tem como intuito reforçar o horizonte que norteia as ações do programa: celebrar a diversidade e respeito às diferenças, seja ela de qual natureza for.

Galeria 535. Observatório de Favelas, Rua Teixeira Ribeiro, 535, Parque Maré, Maré. Diariamente, 9h às 18h. Até 27 de fevereiro.

BELA Bienal 2014

A segunda edição da Bienal Europeia e Latino Americana de Arte Contemporânea (BELA Bienal) traz uma série de telas e instalações de mais de 90 artistas, brasileiros e estrangeiros. Segundo o curador Edson Cardoso, o objetivo da mostra é promover uma discussão e um diálogo sobre o que cada expositor apresenta, dentro deste cenário da arte contemporânea, onde as culturas estão distantes geograficamente, mas próximas, do ponto de vista criativo. 

Galeria Scenarium. Rua do Lavradio, 15, Lapa. Terça a sábado, 13h às 19h. Até 15 de fevereiro.

Azul Cobalto – Azulejos e Memórias

A mostra traz a Coleção do sócio do Grupo Scenarium Nelson Torzecki, garimpada, ao longo de mais de 20 anos. A exposição é composta por cerca de 100 painéis estruturados a partir de peças utilizadas dos séculos XVI ao XX, algumas nunca expostas anteriormente. 

Galeria Scenarium. Rua do Lavradio, 15, Lapa. Terça a sábado, 13h às 19h. Até março.

Paisagem Sonora Subaquática

A instalação sonora subaquática, de Wilson Sukorski, propõe uma experiência artística rica, de caráter ao mesmo tempo experimental e sensorial. O chamado invisível pode ser entendido como algo que está fora da percepção humana. A partir desse conceito, o artista explora as ideias de instalações musicais que relacionam o invisível ao silêncio e aos seus paradoxos. Livre. 

Sesc Tijuca. Rua Barão de Mesquita, 539. Tel: (21) 3138-2139. 7h às 19h. Grátis. Até 8 de fevereiro.

Olho D'água

Composta por quatro esculturas, a instalação de Márcia Xavier propõe ver a paisagem ao ar livre. Através de imagens que se dissolvem dentro do olho d'água, assistimos ao movimento das imagens. Livre. 

Sesc Tijuca. Rua Barão de Mesquita, 539. Tel: (21) 3138-2139. . 9h às 18h. Grátis. Até 31 de março.

Segredos do Egito

Deuses do Egito
Deuses do Egito: exposição em Campo Grande (Foto: Divulgação)

A exposição apresenta mais de 100 peças entre réplicas e originais, que vão guiar o público através dos mistérios da terra dos faraós. Entre os destaques, as esculturas dos Deuses Anúbis, Hórus, Amon e Tho chegam a medir até 2,5 metros. Esculturas, joias, ferramentas, cerâmicas, pinturas sobre papiros, entre outros objetos existentes em famosos museus do mundo, como o Sarcófago Ushebti e o trono do faraó Tutankhamón vão proporcionar uma experiência cultural e encantadora para os clientes do shopping.

ParkShoppingCampoGrande. Estrada do Monteiro 1.200, Campo Grande. Até 15 de fevereiro.

+ Veja mais exposições em cartaz na cidade

Fonte: VEJA RIO