diversão

Cinco programas imperdíveis para o fim de semana

Confira a seleção especial de VEJA RIO para deixar seu fim de semana ainda mais animado

Por: Redação VEJA RIO

O Homem Primitivo
Graziella Moretto e Pedro Cardoso: os dois escreveram, dirigem e protagonizam a comédia (Foto: Tom Rodrigues/Divulgação)
  • Questões ligadas à secular opressão masculina sobre a mulher norteiam esta inteligente comédia, escrita, dirigida e estrelada pelo casal formado por Graziella Moretto e Pedro Cardoso. Em cena, eles se multiplicam em diversos personagens, costurando histórias derivadas de duas tramas principais que se entrelaçam. Na primeira, uma atriz dá queixa na delegacia de um crime bizarro: ela teria sido de fato violentada durante a filmagem de uma cena de estupro. Em outro momento, no caminho para o cinema, um casal se defronta com a informação de que perderá a empregada doméstica. Usando roupas neutras, sem apelo a nenhum figurino ou acessório cênico (exceto na primeira cena), Graziella e Cardoso desfiam episódios de abuso sexista — desde os quase imperceptíveis, mas nem por isso menos reais, a exemplo do marido que acorda a mulher de madrugada para que ela prepare comida, até os mais escancarados, como os de violência física. Vídeos com pegada um tanto mais didática, explicando a evolução do machismo, pontuam a encenação. A hábil cosedura do texto, o ritmo ágil da montagem e, não menos importante, a enorme desenvoltura da entrosada dupla na construção de tipos impõem aquele humor algo desconcertante, em que o público (mesmo que eventualmente não se dê conta) ri de si mesmo representado em cena.
    Saiba mais
  • O sétimo longa-metragem de Federico Fellini (1920-1993) volta aos cinemas com esta cópia restaurada de ótima qualidade. Trata-se de um dos melhores e mais elogiados trabalhos do diretor italiano, que faz aqui uma apurada radiografia da Roma de 1960, ano em que o filme foi lançado — os figurinos, inclusive, ganharam o Oscar. Marcello Mastroianni serve como um personagem-narrador e interpreta um jornalista, também chamado Marcello, envolvido com furos de reportagem. Também um dos roteiristas, Fellini monta um mosaico plural da capital italiana por meio de tipos comuns ou excêntricos. Marcello segue seu dia a dia enquanto “passeia” pelas várias histórias. Namorado de uma mulher ciumenta e possessiva, o repórter vara as noites trabalhando e, ao mesmo tempo, curtindo a vida adoidado. Entre cenas icônicas, há a da sueca Anita Ekberg, no papel de uma estrela do cinema, entrando na Fontana di Trevi durante a madrugada. Seja no drama, seja no humor, o realizador mostra-se afiado ao focar a decadência da alta sociedade em quase três delirantes horas de duração. Reestreou em 20/8/2015. Paparazzo: o termo italiano para o fotógrafo de celebridades foi popularizado neste filme
    Saiba mais
  • Braço infantil do Festival Internacional de Teatro da Língua Portuguesa, o FESTLIPinho, criado em 2014, oferece nesta edição uma oficina de capulana, tecido colorido e rico em detalhes tradicionalmente usado por mulheres em Moçambique para cobrir a cabeça, o tronco e fazer as vezes de saia ou calça. Voltada para crianças de 5 a 13 anos, a aula na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, marcada para domingo (30), às 15 horas, tem por objetivo familiarizar os pequenos com culturas em língua portuguesa por meio da arte. Durante o encontro, com duração prevista de duas horas, a atriz da companhia Mutambela Gogo e criadora de tendência Graça Silva (na foto), natural do vilarejo Xinavane, vai ensinar aos presentes diversas criações com o pano, além de maquiagem para combinar com a vestimenta. A farra se encerra com um desfile envolvendo os próprios participantes.
    Saiba mais
  • Trata-se de um aquecimento para a celebração de 15 anos do Universo Paralello, festa que acontece em uma praia da Bahia. O clima litorâneo dá lugar à ampla estrutura da estação de trem desativada, que será dividida em duas pistas: uma dedicada ao eletrônico, com direito a set do alemão Sharam Jey, e a outra à black music.
    Saiba mais
  • Munido de cinco violões — um com cordas de náilon, outro com cordas de aço e um barítono, além de um híbrido entre violão e guitarra e um uquelele —, o músico defende sucessos da carreira no espetáculo Violovoz. Integram o repertório hits como A Seta e o Alvo e O Último Dia, além de releituras, a exemplo de Terra, de Caetano Veloso, e Enrosca, de Guilherme Lamounier. Hermanos, do disco gravado com o argentino Fito Páez em 2015, também está na lista.
    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO