DIVERSÃO

Cinco programas imperdíveis para o fim de semana

Confira a seleção especial de VEJA RIO para deixar seu fim de semana ainda mais animado

Por: Radação VEJA RIO

1 - Curtir o show da banda Thirty Seconds to Mars

Thirty Seconds to Mars
Tomo, Jared e Shannon: de volta ao Rio (Foto: Divulgação)

Na última edição do Rock in Rio (in Rio mesmo), no ano passado, o trio não estava entre as atrações principais do Palco Mundo. Escalados para o segundo show do segundo dia de programação, Jared Leto (voz e guitarra), seu irmão Shannon Leto (bateria)e Tomo Milicevic (guitarra), acompanhados pelo baixista Stephen Aiello, roubaram a festa. Cativaram a plateia com uma apresentação eletrizante, coroada com as gaiatices de Jared Leto, que deslizou na tirolesa do festival enquanto o resto da banda tocava. De lá para cá, o líder do grupo ganhou um Oscar (de melhor ator coadjuvante, pelo papel de um transexual portador do vírus HIV em Clube de Compras Dallas) e a volta ao Rio, prevista para maio, foi adiada. Agora é sério: o Thirty Seconds to Mars se apresenta na Fundição Progresso no sábado (18), com ingressos já esgotados, e no domingo (19). Espere pela mesma vitalidade da última visita, exibida na interpretação dos hits The Kill (Bury Me), Hurricane e Up in the Air, este do álbum mais recente, Love Lust Faith + Dreams. 16 anos. 

Fundição Progresso (3 000 pessoas). Rua dos Arcos, 24, Lapa, ☎ 3212-0800. Sábado (18), 23h30 (esgotado). Domingo (19), 19h30. R$ 240,00 (pista, 3º lote). Bilheteria: 12h/14h e 15h/20h (seg. a sex.); a partir das 14h (dom.). www.fundicaoprogresso.com.br. www.livepass.com.br.

+ Saiba mais sobre os melhores shows no Rio

2 - Assistir ao musical Ópera do Malandro

Ópera do Malandro
Fábio Enriquez e Moyseis Marques: nos papéis de Teresinha e do malandro Max Overseas (Foto: Leo Aversa)

Para quem nunca assistiu a uma montagemdo musical escrito por Chico Buarque em 1978,não deixa de ser surpreendente encontrar canções que ganharam vida própria ao longo dos anos — caso de FolhetimO Meu AmorGeni e o Zepelim eTeresinha — inseridas na estrutura dramática para a qual foram originalmente concebidas. Já para quem conhece bem a trama, a maior surpresa na montagem de João Falcão é mesmo a opção por um elenco quase inteiramente masculino. Treze atores se desdobram entre papéis de homens e mulheres, enquanto a única atriz, Larissa Luz, encarna João Alegre, uma espécie de narrador da história. Inspirada em A Ópera do Mendigo (1728), de John Gay, e A Ópera dos Três Vinténs (1928), de Bertold Brecht e Kurt Weill, mas ambientada no Rio dos anos 40, a peça conta a história do contrabandista Max Overseas (o cantor e compositor Moyseis Marques, em sua estreia no teatro). Ao se casar com Teresinha (Fábio Enriquez), ele atrai para si a ira do paida moça, o cafetão Duran (Ricca Barros),que encomenda o assassinato do sujeitoao chefe de polícia Chaves (Alfredo Del-Penho). Como já havia feito no acertado musical Gonzagão — A Lenda (cujo elenco, aliás, está quase todo aqui), Falcão aposta em um visual estilizado, notadamente em figurinos, perucas e maquiagem. Graças à qualidade dos atores, o aproveitamentode homens em papéis femininos se vale dos aspectos cômicos inerentes à escolha do diretor, sem resvalar no grotesco. Na pele do malandro, Marques compõe uma figura cativante aos olhos do público. Há que destacar, porém, as marcantes atuaçõesde Fábio Enriquez, Adrén Alves (radiante como Vitória, mulher de Duran) e Eduardo Landim, na pele do travesti Geni (150min, com intervalo). 14 anos. Estreou em 8/8/2014.

Theatro Net Rio — Sala Tereza Rachel(622 lugares). Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), 2º piso, Copacabana, ☎ 2147-8060, ↕ Siqueira Campos. Quinta e sexta, 21h; sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 100,00 (balcão)e R$ 150,00 (plateia, mezanino e frisas). Bilheteria: a partir das 10h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IR. Estac. (no shopping. Rua Figueiredo Magalhães, 598, R$ 30,00, preço único). Até dia 26.

+ Veja todas as peças em cartaz na cidade

3 - Apreciar as obras de Cruz-Diez em Ipanema

cruz-diez
Induction Chromatique: uma das quinze obras na Galeria de Arte Ipanema (Foto: Reprodução)

Realizada em Paris, em 1955, a coletiva Le Mouvement é considerada um marco da arte cinética. Carlos Cruz-Diez havia feito sua primeira individual fazia oito anos (exibiu guaches) quando visitou a mostra e deu novo rumo à própria carreira. Aos 91 anos e o maior representante vivo da corrente encabeçada por nomes como o seu conterrâneo Jesús Soto (1923-2005) — um dos participantes da histórica exposição parisiense —, o artista venezuelano tem quinze trabalhos expostos na Galeria de Arte Ipanema. No acervo, a série Physichromie parece tecer um eterno jogo de “agora você vê, agora não vê mais”. A intensa variação de cores depende da perspectiva do olhar e da luz ambiente. Desenhos geométricos com profundidade também saltam aos olhos ou se escondem conforme o visitante se desloca diante da obra. Esse jogo de ilusão, surgido como um desafio solene à condição estática da pintura, prossegue de forma lúdica na visita, em criações como Induction Chromatique, da série Fedix 3, ou a imponente Transchromie: com mais de 2 metros de altura, a estrutura sustentada por alumínio tem numerosas varetas de acrílico laranja, verdes e azuis que parecem trocar de cor a todo momento. 

Galeria de Arte Ipanema. Rua Aníbal de Mendonça, 173, Ipanema, ☎ 2512-8832. Segunda a sexta, 10h às 9h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até dia 25.

+ Veja mais sobre as mostras em cartaz na cidade

4 - Pegar um cineminha com o filme O Homem Mais Procurado

o homem mais procurado
Philip Seymour Hoffman: em seu penúltimo trabalho nas telas (Foto: Divulgação)

Também em cartaz em O Último Concerto, Philip Seymour Hoffman aparece em seu penúltimo trabalho no cinema — o ator, que ainda será visto em Jogos Vorazes: a Esperança — Parte 1, morreu em julho, aos 46 anos. O grande intérprete abraçou com garra o papel de Günther Bachmann. A serviço do departamento de espionagem alemão, ele investiga os passos de Issa Karpov (Grigoriy Dobrygin). Esse checheno muçulmano chegou clandestinamente a Hamburgo e, segundo as primeiras informações recebidas por Bachmann, pode estar envolvido com terroristas islâmicos. Como tem dúvidas sobre o caráter do estrangeiro, o protagonista é cauteloso na apuração dos fatos, mesmo pressionado por mandachuvas da CIA. Descobre, então, que Karpov, auxiliado por uma advogada especializada em imigração ilegal (Rachel McAdams), está tentando entrar em contato com um poderoso banqueiro (Willem Dafoe) a fim de reaver a fortuna deixada por seu pai. Extraído do livro homônimo de John le Carré, o thriller mantém o interesse da plateia em suas duas tensas horas. Arrasador, o desfecho faz uma crítica à prepotência dos americanos. Direção: Anton Corbijn (A Most Wanted Man, EUA/Inglaterra/Alemanha, 2014, 122min). 12 anos. Estreou em  9/10/2014.

+ Confira todos os filmes em cartaz na cidade

5 - Levar as crianças ao museu para conferir os bonecos Playmobil

playmobil
Dom Pedro e dona Leopoldina: tipos históricos integram uma das mostras (Foto: Divulgação)

Criação do alemão Hans Beck, os bonequinhos com 7,5 centímetros de altura foram uma saída da indústria de brinquedos para economizar plástico na crise do petróleo de 1973. Sucesso há mais de quatro décadas, modelos variados de Playmobil integram duas mostras no Museu Histórico Nacional. Em Com a Palavra, D. Leopoldina, Imperatriz do Brasil, que abre as portas na terça (14), eles aparecem fantasiados de personagens da história do Brasil, a exemplo de dom Pedro I e sua esposa, a imperatriz austríaca Leopoldina. A partir de sexta (17), e até o dia 23, completa-se a visita com a exposição 40 Anos Playmobil — O Sorriso Mais Famoso de Todos os Tempos, um panorama da evolução do brinquedo ao longo dos anos.

Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 3299-0360. Ter. a sex., 10h/17h30; sáb. e dom., 14h/18h. R$ 8,00 (aos domingos a entrada é gratuita). Até 1º de março de 2015.

+ Veja mais atrações infantis na cidade

Fonte: VEJA RIO