ALÔ, JACAREPAGUÁ!

30 espetáculos gratuitos no Festival Palco Giratório

A programação inclui teatro, dança, circo, música e oficinas variadas

Por: Thayz Guimarães - Atualizado em

A 6ª edição do Festival Palco Giratório desembarca no Espaço Cultural Escola Sesc, em Jacarepaguá, a partir de sábado (1º) até dia 30. O evento promovido pelo Sesc (Serviço Social do Comércio) apresenta trinta espetáculos gratuitos de teatro, dança, circo, música, além de oficinas variadas.

A programação do projeto conta com 18 grupos de várias regiões do país, além de grupos locais convidados. 

Para a confraternização de abertura, a partir das 19h, está prevista a apresentação da Banda Bab’lions, formada por alunos e ex-alunos da Escola Sesc. O repertório do grupo é formado por composições autorais e releituras, tendo o reggae como principal influência e inspiração.

Dentre os destaques, a montagem 72 Migrantes / Altar, da Escola Nacional de Arte Teatral, do México, tem sessão no dia 10, às 19h. A obra conta a história de homens e mulheres que ao se converterem em imigrantes documentados perdem sua identidade, seu nome, sua terra, em um país estranho e distante do seu, e acabam perdendo a vida nas mãos de assassinos.

Os cariocas marcam presença com a premiada companhia Alfândega 88, dirigida por Moacir Chaves. O grupo apresenta três espetáculos de sucesso:  Labirinto, no dia 24, Negra Felicidade, no dia 25, e O Controlador de Tráfego Aéreo, no dia 26, sempre às 19h.

+ Confira a programação completa de Teatro na cidade

Festival Palco Giratório

Data: 1º a 30 de novembro

Local: Espaço Cultural Escola Sesc

Endereço: Avenida Ayrton Senna, 5677 - Jacarepaguá

Informações: (21) 3214-7404 | espacoculturalescolasesc@gmail.com |espacocultural.escolasesc.com.br

Transportes:

Centro:  ônibus 315/169/181/303 | 361 (via Linha Amarela)

Terminal Alvorada: ônibus 692/693/701/465

Baixada: 405/410/420/425/400/415

Metrô: Nova América Del Castilho com integração para Alvorada

Estacionamento gratuito sujeito à lotação

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Oficina de Palhaçaria - Com Michelle Silveira da Silva

Data: 1º NOVEMBRO

Hora: 10h

Local: Espaço Cultural Escola Sesc

Inscrições pelo email: espacoculturalescolasesc@gmail.com

Capacidade:20 vagas

A oficina tem como objetivo realizar uma iniciação a linguagem do palhaço/clown, estabelecendo um diálogo entre teoria e prática a fim de descobrir a comicidade individual e a propensão ao riso. Através de jogos e técnicas clownescas propõe uma forma diferenciada de se relacionar com o corpo na cena e se relacionar com a máscara, o nariz.

O Segredo da Arca de Troncoso - Grupo Vilavox (BA) // Teatro de Rua

Data: 1º NOVEMBRO  |Hora: 17h

Local: Anfiteatro / Capacidade: 200 lugares

Duração: 90 minutos / Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Inspirado no universo dos contos orais brasileiros, o espetáculo utiliza técnicas de pernas de pau, máscara e músicas originais para contar a história de um menino encarregado de levar uma arca de madeira até um local muito distante. Logo ele descobre que a tal arca, espécie de baú, parece ter o poder de transformar a vida de todos os que tentam ver o que ela contém.

Confraternização de abertura - Banda Bab’lions e Projeto Bandas

Data: 1º NOVEMBRO | Hora: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 600 lugares

Duração: 120 minutos / Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

A banda Bab’lions é formada por alunos e ex-alunos da Escola Sesc. No repertório músicas autorais e releituras tendo o reggae como principal influência e inspiração. O Projeto Bandas visa desenvolver o trabalho em equipe, promover o aprimoramento musical e estimular o protagonismo juvenil, o projeto foi criado em 2010, na Escola Sesc de Ensino Médio, como extensão das Oficinas de Música, acolhendo e orientando os grupos musicais em formação.

Barrica Poráguaabaixo - Palhaça Barrica (SC) // Circo

Data: 3 NOVEMBRO | Hora: 19h

Local: Palco |Capacidade: 600 lugares

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Duração: 45 minutos | Classificação: 10 anos O espetáculo trata dos planos quase frustrados da Palhaça Barrica desejando ir para a praia. Somente o desejo de ir, já é um bom motivo para atrapalhações. Num lugar de proximidade com o público e utilizando-se de recursos concretos e imaginários, a Palhaça lança mão de toda a sua graça e sensibilidade para realizar seu sonho, vencendo os limites impostos pelos padrões a fim de alcançar o prazer e a alegria, em momentos de pura brincadeira consigo mesma e com a plateia.

Homens de solas de vento - Cia. Solas de Vento (SP) // Circo

Data: 4 NOVEMBRO | Hora: 19h

Local: Teatro | Capacidade: 600 lugares

Duração: 60 minutos | Classificação: 8 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Dois viajantes prestes a embarcar ficam retidos na aduana impossibilitados de seguir adiante. Limitados a viver em um saguão, em um limbo suspenso desconhecido, cada um tenta instalar-se tendo somente suas malas para criar um espaço pessoal. Enquanto aguardam a decisão para seguir seus destinos, esses dois estrangeiros vão aproximar-se, afrontar-se e dialogar para talvez e afinal encontrar-se.

+ Confira a programação completa de Dança na cidade

Oficina | Exercício para uma cena dialética - Com Márcio Marciano

Data: 5 NOVEMBRO | Hora: 10H

Local: Sala de dança / Capacidade: 20 vagas

Carga horária: 6 horas / Classificação: 16 anos / Público-alvo: atores e estudantes de teatro

Inscrições pelo email: espacoculturalescolasesc@gmail.com

Com exercícios de improvisação que têm como base cenas modelares da obra de Brecht e Heiner Müller, a oficina apresenta os fundamentos do método dialético para o desenvolvimento de uma prática dramatúrgica do ator em cena pautada pelo princípio da contradição.

Gaiola de moscas- Grupo Peleja (PE) // Comédia

Data: 5 NOVEMBRO |Hora: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 100 lugares

Duração: 50 minutos / Classificação: 16 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Zuzé é um curioso comerciante, vendedor de cuspes que, para salvar os negócios, torna-se vendedor de moscas. Sua mulher, cansada das ideias do marido, encanta-se por um forasteiro vendedor de “pintadas” de batons. A encenação envolve o espectador em um universo de precariedade e alegria em que os personagens sobrevivem entre destroços e sonhos. Adaptado do conto homônimo do escritor moçambicano Mia Couto, Gaiola de moscas é um espetáculo inspirado na brincadeira popular pernambucana do Cavalo Marinho.

Oficina | A construção da travestilidade - Com Silvero Pereira

Data: 6 NOVEMBRO | Hora: 10H

Local: Sala de dança / Capacidade: 15 vagas

Carga horária: 6 horas / Classificação: 16 anos

Público-alvo: atores, bailarinos, travestis, transformistas e interessados em geral, iniciantes em práticas de estudos corporais e processo criativo (estudantes e artes cênicas)

Inscrições pelo email: espacoculturalescolasesc@gmail.com

A oficina demonstra os procedimentos e treinamentos realizados nos processos criativos do Coletivo As Travestidas: a construção do “corpo trans”. Com metodologia teórica e prática, a oficina aborda a história da travestilidade na arte.

O Deus da fortuna - Coletivo de Teatro Alfenim (PB) // Comédia épica

Data: 6 NOVEMBRO |Hora: 19h

Local: Teatro / Capacidade: 100 lugares

Duração: 95 minutos / Classificação: 16 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

A peça O Deus da fortuna é uma parábola que narra a história do Senhor Wang, um proprietário de terras na China Imperial afundado em dívidas que se vê obrigado a vender a própria filha a seu credor para amortizar a dívida. Em meio aos rituais do matrimônio, o deus surge à sua frente e lhe desvenda o futuro, com a condição de que seja erguido o grande Templo da Fortuna. O proprietário deixará as formas primitivas de acumulação do capital para dedicar-se à especulação e aprenderá “como o ouro se transforma em pura aparência”.

Oficina | O jogo como técnica - Com João Carlos Artigos

Data: 7 NOVEMBRO | Hora: 10H

Local: Sala de dança / Capacidade: 20 vagas

Carga horária: 6 horas / Classificação: 16 anos

Público-alvo: estudantes de circo, artistas cênicos, bailarinos.

Inscrições pelo email: espacoculturalescolasesc@gmail.com

Tendo o jogo como o elemento primordial do trabalho do artista cênico, a oficina tem com objetivo desenvolver, sob a lógica da comicidade, um treinamento com base na brincadeira, na ampliação dos sentidos, da força sensual, na compreensão do tempo cômico, da articulação de uma lógica fantástica particular e da dramaturgia do riso. Neste módulo o trabalho está voltado para a aplicação desses conceitos no aprimoramento de números/cenas já existentes ou em processo de criação. A oficina funcionará como um laboratório criativo que terá como foco a apresentação pública desses resultados.

Uma flor de dama - Coletivo As travestidas (CE) // Drama

Data: 7 NOVEMBRO | Hora: 19H

Local: Porão Torquato Neto | Capacidade: 40 lugares

Duração: 50 minutos | Classificação: 18 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Uma noite na vida de uma travesti: momento em que entra no camarim e se prepara para fazer um show até ir às ruas prostituir-se. No fim da noite, sentada no bar tomando a última e quente cerveja, fala sobre sua vida, suas escolhas, seus amores, seus desejos, seu ódio. O público acompanha a vida dessa personagem fictícia e acrescida de fatos reais a partir de uma pesquisa de campo do ator e trazendo à cena questões como HIV, política, preconceito, e, especialmente, as escolhas que a vida nos oferece (ou das quais nos priva).

palco giratório 7
Inaptos A que se destinam, Teatro de Anônimo (RJ) (Foto: Celso Pereira)

Inaptos? ... A que se destinam - Teatro de Anônimo (RJ) // Teatro adulto

Data: 8 NOVEMBRO | Hora: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 80 lugares / Duração: 80 minutos / Classificação: 16 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

A peça Inaptos? marca os 25 anos do Teatro de Anônimo, dedicado ao universo da comicidade. O desafio dessa montagem foi a concepção de um espetáculo que não partisse da criação de números e nem de um texto dramatúrgico, pela primeira vez. A pesquisa foi iniciada com a análise do livro Vícios não são crimes (1875), de Lysander Spooner, um clássico do libertarismo e uma análise sociopolítica do vício na sociedade contemporânea. Um tema árido que, abordado pela lógica do palhaço, esse ser intenso, generoso, sem moral, que não mede esforços em busca do prazer e da felicidade de ser incompleto, apresenta-se como um desafio às concepções do que sejam os vícios no senso comum. O espetáculo apresenta um encadeamento, uma lógica fantástica, característica intrínseca do jogo dos palhaços, que não são tipos, mas os que há anos nos acompanham (Buscapé, Prego e Seu Flor) e que se aventuram em novas experiências, superando novos obstáculos.

72 Migrantes / Altar - Escola Nacional de Arte Teatral -(México) // Teatro adulto

Data: 10 NOVEMBRO | Hora: 19H

Local: Teatro | Capacidade: 60 lugares | Duração: 60 minutos | Classificação: 14 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

A obra 72 Migrantes/Altar conta a história de seres humanos que ao se converterem em imigrantes indocumentados perdem sua identidade, seu nome, sua terra, em um país estranho e distante do seu; perdem a vida por mãos de assassinos. Esta é a história da humanidade que se repete na América, África, Oriente e Oriente Médio. A proposta se baseia em converter a palavra em gesto, em ação, onde a narração transcorre a partir da linguagem corporal do ator e não só da palavra, convertendo as linhas do trem em caminho entre a vida e a morte. É, sobretudo, um memorial, um altar em honra das vítimas tão subitamente assassinadas, em um país que já não se reconhece e onde o crime segue impune.

festival palco giratório 2
Núcleo do Dirceu (PI): a companhia apresenta o espetáculo Menu de Heróis, às 19h, no dia 11 (Foto: Victor Gabriel)

Menu de heróis - Núcleo do Dirceu (PI) // Dança

Data: 11 NOVEMBRO | Hora: 19H

Local: Teatro | Capacidade: 600 lugares | Duração: 56 minutos| Classificação: 4 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Menu de heróis não é uma história pronta. Não existem vilões, mocinhos nem mesmo uma cidade. É uma brincadeira filosófica: só existe um lugar preenchido de coisas. Isopor com chuteira, garrafa com balão, balde com cadeira, realidade e ficção. Porque ser “herói” hoje em dia é (talvez) conseguir um espaço para ser o que você quiser. Por mais que isso pareça diferente! É como se existisse um superpoder… Super poder desorganizar, super poder não conseguir, super poder errar, super poder experimentar. Por isso é uma dança feita de banalidades... Preenchida da poesia e beleza das coisas que parecem não fazer sentido, que nos tiram da ordem, do controle dos horários e roteiros. Brincar quando se é pequeno é fazer aquilo que o corpo precisa de um jeito que a gente ainda nem sabe. Foto: Gabriel Galpão

festival palco giratório 5
Mediatriz, do Núcleo do Dirceu (PI) (Foto: Rogerio Ortiz)

 Mediatriz - Núcleo do Dirceu // Dança

Data: 12 NOVEMBRO | Hora: 19H

Local: Teatro | Capacidade: 100 lugares | Duração: 54 minutos | Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

O espetáculo Mediatriz é um convite para uma (outra) maneira de olhar o corpo, conduzido por três intérpretes-criadores e realizado a partir de um sistema matemático em um espaço recortado: multiplicação de pés, adição de barrigas, divisão do tronco ao meio, subtração de joelhos. A coreografia é geométrica e cria ilusionismos para brincar com as noções de corpo real. É uma dança feita de pedaços, vetores, em que as partes falam como um todo. É um olho no buraco da fechadura, uma sugestão para se ver o que não é mostrado. O espetáculo propõe sutis fissuras nos já estabelecidos códigos de dança para experimentar uma outra possibilidade do corpo em movimento.

palco giratório 6
Louça Cinderella, da Cia. Gente Falante (RS) (Foto: Vilmar Carvalho)

Louça Cinderella - Cia. Gente Falante (RS) //Teatro de objetos

Data: 13 NOVEMBRO | Horários:  19h e 20h30

Local: Teatro | Capacidade: 40 lugares | Duração: 20 minutos cada sessão |Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Inspirada em Gata Borralheira dos Irmãos Grimm, escrita no século XIX, essa adaptação sintética da Cia. Gente Falante convertida em teatro narrativo com objetos conta a história de Cinderella, uma xícara de louça comum, sem adornos ou valor histórico, porém com conteúdo especial, sempre cheia de chás aromáticos e curativos prontos para esquentar quem estivesse necessitado em noites frias do inverno. Uma divertida e poética adaptação brasileira criada para compartilhar com o pequeno público as delícias de um “chá das cinco”.

Xirê das Águas Orayeyê ôh - Cia. Gente Falante (RS)// Teatro de objetos

Data: 14 NOVEMBRO |Horários: 19H e 20h30

Local: Teatro / Capacidade: 40 lugares / Duração: 20 minutos cada sessão

Classificação: 6 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos.

Estabeleceu-se uma aldeia indígena nas margens de uma lagoa em que apenas as índias podiam se banhar e pescar. Os homens da tribo eram permanentemente proibidos de se aproximar das suas margens, pois sumiam magicamente. Em uma noite o grande Cacique Tupi Verá recebe de Tupã duas verdades, em sonho. Essa lenda indígena fala sobre o amor desse grande guerreiro e Iara, a Oxum da lagoa escura. Essa história sobreviveu mediante práticas da oralidademantidas pelas lavadeiras e populares moradores da região do Abaeté em Salvador (BA).

+ Eventos culturais animam o sábado no Centro

Romeu e Julieta: o encontro de Shakespeare e a cultura popular - Cia. Gente Falante (RS) //Teatro de rua

Data: 15 NOVEMBRO | Hora: 17H

Local: Anfiteatro / Capacidade: 200 lugares

Duração: 70 minutos / Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos.

A história de amor juvenil mais encenada no planeta é transposta para um terreiro de reisado, festa típica do regionalismo nordestino. A expressão corporal tem como base lutas de espadas, danças e brincadeiras como pau de fita e roda de coco. Uma escada de madeira para pintor é convertida em principal suporte cenográfico e possibilita ver, por exemplo, a cena dos enamorados na sacada de uma janela. Os artistas jogam com todos esses elementos na gangorra entre o bardo inglês e o folguedo brasileiro.

Feirão de Trocas Literárias // Dramaturgia

Data: 17 NOVEMBRO | Hora:  15H

Local: Anfiteatro | Capacidade: 200 lugares | Duração: 180 minutos | Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos.

No feirão teremos leituras encenadas dos cinco textos ganhadores do Concurso Jovens Dramaturgos 2014, dirigidas por Felipe Vidal: “Intervalo” de Andressa Moreira Hazboun – Rio de Janeiro (RJ), “Sistema offline” de Rafael Lorran Alves – Uberlândia (MG), “Peça para dias de chuva” de Rogeane de Oliveira Moreira – Pacatuba (CE), “No ponto cego” de Sheyla Cristina Smanioto – Campinas (SP), “Um sonho pintado por três” de Vanessa Silva da Cruz – Salvador (BH). Além disso teremos um momento de autógráfos ao som de DJ e muita conversa sobre dramaturgia.

Ato - Grupo Magiluth (PE) // Rua

Data: 17 NOVEMBRO | Hora: 19H

Local: Anfiteatro |Capacidade: 200 lugares |Duração: 45 minutos |Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos.

Inundados pela obra do autor irlandês Samuel Beckett, o Grupo Magiluth monta em 2008, o espetáculo ATO, segundo trabalho de seu repertório. Lançando mão de linguagem gestual e de técnica clownesca, o espetáculo mostra o encontro de quatro personagens num universo inóspito onde as boas condições de vida e a esperança de dias melhores estão escassas. A busca por sobrevivência impulsiona a luta pelo poder destes homens tomados pela falta de fé, por novos e antigos opressores.

festival palco giratório 3
Aquilo que meu olhar guardou para você, da companhia Magiluth (PE) (Foto: Maurício Cuca)

Aquilo que meu olhar guardou para você - Grupo Magiluth (PE) // Teatro contemporâneo

Data: 18 NOVEMBRO | Local: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 100 lugares /Duração: 60 minutos / Classificação: 16 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos.

Um olhar de fora para as cidades que muitas vezes ficam soterradas pelo banal. A peça se desenvolve a partir das pequenas coisas, aquelas que volatizam  em um piscar de olhos deixando marcas mais profundas do que o mais grandioso gesto. O espetáculo representa o homem contemporâneo, as contradições de seus sentimentos, as formas como vive medindo o quanto se envolve com as coisas, o quanto se protege delas.

festival palco giratório 4
Viúva, porém honesta, da companhia Magiluth (PE) (Foto: Renata Pires)

Viúva, porém honesta - Grupo Magiluth (PE) // Farsa

Data:19 NOVEMBRO | Hora:  19H

Local: Teatro / Capacidade: 600 lugares / Duração: 80 minutos / Classificação: 16 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos.

Depois da morte do marido, Ivonete resolve virar uma mulher “honesta”, mantendo-se fiel ao finado. Uma das estranhas decisões de sua nova conduta é nunca mais sentar. O pai da jovem, diretor de um dos mais influentes jornais do país, resolve então convocar conceituados especialistas para solucionar o problema da filha, nessa farsa irresponsável e cheia de reviravoltas.

O Mistério da Bomba H _____ -Ortundo de Teatro (MG) // Musical

Data: 20 NOVEMBRO | Horário: 15H

Local: Teatro / Capacidade: 600 lugares / Duração: 55 minutos / Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Em meio à visita de um famoso ator de televisão e a uma ameaça de atentado terrorista, no qual seria utilizada a terrível “bomba H__”, entram em cena fãs histéricas, super-heróis, autoridades e malandros que representam, entre disfarces, amores impossíveis e perseguições, o embate entre frangos e perus que movimenta Galinópolis e seus habitantes. Com a trilha sonora original totalmente executada ao vivo pelo elenco, O Mistério da Bomba H__, é uma fábula que não aposta nas tradicionais “mensagens” e “lições de moral” muitas vezes veiculadas pelo teatro normalmente classificado como infantil, mas que, por outro lado, não abre mão da reflexão gerada pela relação entre o texto e o contexto social, independentemente da idade do espectador.

Sargento Getúlio - Teatro NU (BA) // Drama

Data: 21 NOVEMBRO | Horário: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 600 lugares / Duração: 50 minutos / Classificação: 14 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

O espetáculo, adaptação do romance homônimo de João Ubaldo Ribeiro, conta a história de Getúlio, um rude militar que tem a missão de transportar um prisioneiro e inimigo político de seu chefe. No meio da jornada, em virtude da mudança no panorama político, o sargento recebe a ordem para soltar o prisioneiro, mas, devido ao seu temperamento avesso, ele decide, com destemor, terminar a missão que lhe foi confiada.

João e Maria - Lab. de Prática e Montagem do Projeto Uzina // Teatro Infantil

Data: 22 NOVEMBRO | Horário: 15h

Local: Teatro / Capacidade: 100 lugares / Duração: 45 minutos / Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

João e Maria, texto do mineiro Raysner de Paula Silva, ganhador do III Concurso Jovens Dramaturgos, foi montado por alunos do Laboratório de Prática de Montagem do projeto Uzina, realizado pelo Espaço Cultural Escola Sesc. A história, repleta de lirismo, mostra dois irmãos que vivem sozinhos numa espécie de mundo poético, na casa em que cresceram. Através das histórias que contam para si e das lembranças que possuem dos pais ausentes, indagam se deverão partir em busca de outros horizontes e atravessar o rio que cruza o lugar onde moram.

+ Feira literária ocupa os jardins do Museu da República

Do Repente - Lamira Artes Cênicas (TO) // Dança

Data:22 NOVEMBRO | Horário: 17H

Local: Anfiteatro / Capacidade: 200 lugares /Duração: 35 minutos / Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Do repente é um espetáculo destinado à rua e que engloba as linguagens da dança e do teatro, cuja poética foi elaborada em torno do universo do romanceiro popular do Nordeste brasileiro — nas figuras do poeta cantador, do coquista, do aboiador, do glosador, do cordelista, do calungueiro — e da influência e presença dessa cultura na formação das “diversas culturas” brasileiras. A proposta consiste em uma releitura que relaciona o universo do romanceiro popular nordestino com o universo urbano e globalizado da atualidade no intuito de produzir uma experiência estética diferenciada para o público. Seu processo de criação inclui pesquisas sobre commedia dell’arte, uso das máscaras na construção de personagens e movimentação articular, existente na manipulação de títeres.

festival palco giratório 1
Labirinto: o espetáculo da companhia carioca Alfândega 88 terá sessão no dia 24, às 19h (Foto: Guga Melgar)

Labirinto - Alfândega 88 (RJ) // Comédia

Data: 24 NOVEMBRO |Horário: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 600 lugares /Duração: 90 minutos / Classificação: 14 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Labirinto, espetáculo teatral idealizado e dirigido por Moacir Chaves, é o primeiro realizado com sua companhia de teatro — Alfândega 88 —, com textos do consagrado autor gaúcho José Joaquim de Campos Leão — Qorpo-Santo: Hoje sou um, e amanhã outro, As relações naturais e A separação de dois esposos. Gênio visionário, o autor antevê em décadas questões formais que só encontrariam sua expressão máxima na dramaturgia que veio a ser conhecida, em meados do século XX, como o Teatro do Absurdo. Sua obra antecipa questões de forte cunho humano e social, como liberdade sexual, direito ao prazer, emancipação feminina, dentre várias outras que, assustadoramente, permanecem contundentes e atualíssimas.

Negra Felicidade - Alfândega 88 (RJ) // Drama

Data: 25 NOVEMBRO | Horário: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 600 lugares /Duração: 75 minutos / Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Negra Felicidade leva à cena o caso verídico da escrava Felicidade, que, em 1870, recorreu à Justiça para que fosse reconhecido seu direito à liberdade. A peça é construída a partir de dois pilares de composição; o primeiro é um documento histórico: os autos do processo judicial da ação movida pela escrava contra seu senhor, o comerciante português Antonio Vietas da Costa, pleiteando sua condição de pessoa livre. O segundo é o Sermão de Santo Antonio aos peixes, do padre Antonio Vieira, grande defensor da igualdade entre os seres humanos. No contraponto entre a coisificação máxima do ser humano – a escravidão – e o profundo respeito à vida humana pregado e defendido por Vieira é calcado o espetáculo.

O controlador de tráfego aéreo - Alfândega 88 (RJ) // Drama

Data: 26 NOVEMBRO | Horário: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 40 lugares / Duração: 70 minutos / Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

O controlador de tráfego aéreo parte da trajetória de vida do personagem Silvano Monteiro, que trabalhou na Força Aérea e, após sofrer alguns revezes, tornou-se morador de rua. Composta por textos com reflexões sobre a tênue linha que divide as fronteiras entre os homens, suas regras e valores sociais e, por fim, entre vida e morte, a peça é uma reflexão sobre a corrida que cada um de nós empreende em busca da felicidade. O espetáculo se desenrola com os sete atores e 30 espectadores juntos no palco, como uma espécie de versão teatral de uma roda de samba, ou roda de choro, em que os participantes são, ao mesmo tempo, espectadores e criadores artísticos do ato.

=
Espetáculo Solamente Frida, da Companhia Garotas Marotas (AC) (Foto: Talita Oliveira)

Solamente Frida - Cia. Garotas Marotas (AC) // Adulto

Data: 27 NOVEMBRO | Horário: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 600 lugares /Duração: 70 minutos / Classificação: 14 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

A proposta da peça é concentrar-se nos aspectos humanos dessa personagem real para construir um espetáculo que faça emergir o que pode ultrapassar a condição de mito. O texto destaca aquilo em que o público pode se reconhecer: os limites do corpo, a luta pela vida, a entrega às paixões e a mente criadora que enfrenta as adversidades do mundo em direção à transcendência pela arte. O espetáculo recorta alguns aspectos da vida de Frida, seja em imagens seja em textos narrativos.

Plagium? - Cia. Dançurbana (MS) // Dança de rua

Data: 28 NOVEMBRO | Hora: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 600 lugares / Duração: 40 minutos /Classificação: Livre

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

Segundo o dicionário Houaiss, “plágio” é a simulação de autoria sobre algo produzido por outrem. Plagium?, da Cia. Dançurbana, apropria-se de recortes de obras de companhias de dança reconhecidas para criar um espetáculo particular. Toma como referências Ginga Cia. de Dança (MS), Membros (RJ), Quasar (GO), Cena 11 (SC) e a companhia belga Rosas, e lança a pergunta: como é possível ser singular em contato com o que há em comum com outras obras?

Cidade dos outros - Cia. Pessoal de Teatro (MT) // Teatro Contemporâneo

Data: 29 NOVEMBRO | Horário: 19H

Local: Teatro / Capacidade: 60 lugares /Duração: 50 minutos /Classificação: 12 anos

Ingressos:  A bilheteria do Espaço Cultural Escola Sesc abre 1h antes de todos os espetáculos

A peça Cidade dos outros, inspirada em Beckett, fala da circularidade da vida, da inapetência para a ação e da eterna espera pelo maná divino. Em cena, dois personagens famintos, amarrados um ao outro, passam seu tempo fazendo planos sobre como gastarão os “milhões” quando ganharem na loteria. A vida dos dois se resume à espera e ao sonho. Enquanto aguardam o resultado, conversam sobre banalidades e observações do dia a dia de um lugar-cidade. A vida é cíclica, sem propósito, vazia, entediante, e tende a se deteriorar cada vez mais. É um jogo que deve ser vencido a qualquer custo, mas o que se pretende ganhar?

Fonte: VEJA RIO