De braços abertos

“O Rio é meu ‘muso’ inspirador”

Embaixadora do projeto Com o Rio, de Braços Abertos, Thalita Rebouças sempre ambienta seus livros na cidade e costuma fazer da praia seu escritório

Por:

No Rio, "a inspiração surge a cada esquina", conta Thalita Rebouças.
(Foto: Divulgação/Alle Vidal)

Desde criança ela já sabia que queria escrever, mas foi em 2001 que resolveu largar a carreira de jornalista para investir no sonho de ser escritora. De lá para cá, Thalita Rebouças já vendeu mais de 1,5 milhão de exemplares dos livros voltados para o público adolescente e viu seus textos se transformarem em peças de teatro, jogos de tabuleiro e roteiro de filmes, além de atravessarem fronteiras geográficas. Apaixonada pela cidade, que é cenário e motivo de inspiração em todas as suas obras, ela também é Embaixadora do movimento Com o Rio de Braços Abertos.

Sua marca registrada é a jovialidade, seja na forma de tratar seus leitores e fãs, seja no discurso utilizado nos livros. O que você faz para manter o espírito jovem e conectado com seu público?

Quando escrevo me sinto uma adolescente de 14 anos e escrevo o que eu gostaria de ler se tivesse essa idade. Mas, além disso, estou sempre em contato com meu público pelas redes sociais. Conta também o fato de eu ser uma pessoa extremamente feliz e empolgada (às vezes até demais!), isso ajuda a manter o espírito jovem.

Você tem mais de um milhão e meio de livros vendidos, a maioria para meninas. Mas também já se aventurou na conversa com os pais, com os meninos e com as crianças pequenas – e até mesmo com leitores de outros países. Já tem história sua invadindo os palcos e em vias de virar filme – e volta e meia você participa também de programas de TV. Como é administrar tantas frentes de trabalho diferentes?

Gosto de fazer tudo ao mesmo tempo agora. Sou ligada em 220 volts! Pra mim, é tranquilo administrar tudo isso e ainda estar sempre pensando em novos projetos.

Para a escritora Thalita Rebouças, estar Com o Rio de Braços Abertos é defender a cidade com unhas e dentes e cuidar dela como se fosse a própria casa.
(Foto: Divulgação/Alle Vidal)

De que forma o Rio te inspira no quesito trabalho?

O Rio é meu “muso” inspirador. Todos os meus livros se passam na cidade, muitas vezes escrevo na praia, que é praticamente meu segundo escritório, e a inspiração surge a cada esquina. Amo essa cidade!

Que novidades podemos esperar dos seus próximos projetos?

Agora está saindo do forno Fala Sério – O Jogo, lançado pela Estrela, com direito a sessões de autógrafo no Rio, em SP e Brasília. Acabei de lançar Bia não quer Dormir, meu segundo infantil, e em novembro sai 360 Dias de Sucesso, um livro que vai contar os bastidores da formação de uma banda adolescente, o estouro e a volta ao anonimato. Pela primeira vez é um menino narrando o livro inteiro, saí da minha zona de conforto e adorei. Espero que meus leitores adorem também!

Na sua opinião, o que é estar “Com o Rio, de Braços Abertos”? 

É sempre defender a cidade com unhas e dentes, é falar dela com carinho para os gringos amigos, é cuidar dela como se fosse a minha casa.

Seu lugar preferido no Rio: 

A mureta da Urca

Um achado imperdível na cidade: 

Encher a cara de biscoito Globo na praia. O doce, claro. :-)

Um carioca (de nascimento ou de coração) que te inspira (e o motivo): 

O já saudoso João Ubaldo Ribeiro, o baiano mais carioca do mundo. Adorava sua maneira de aproveitar a cidade e de se inspirar nela na hora de escrever suas crônicas geniais.

Fonte: VEJA RIO