3 PERGUNTAS PARA

... Leandro Hassum

- Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

No Twitter, nova medida de popularidade, ele tem 200?000 seguidores. Ao lado do parceiro mais constante, Marcius Melhem, estrela Os Caras de Pau, programa dominical da TV Globo, e já ultrapassou 1 milhão de espectadores encenando o espetáculo Nós na Fita, com sete anos de carreira ? a dupla, aliás, volta ao palco para outra apresentação na quarta (25), no Vivo Rio. Sozinho, Leandro Hassum também defende há dois anos e meio as piadas no estilo stand-up comedy de Lente de Aumento, atualmente em cartaz no Teatro das Artes. A temporada foi prorrogada mais uma vez: agora vai até 31 de julho. Carioca da Ilha do Governador, 37 anos de idade e 21 de profissão, Hassum é, definitivamente, um divertido sucesso.

Como a graça de Lente de Aumento resiste a tanto tempo em cartaz? Primeiro, não é o mesmo texto desde a estreia, porque uma das características do meu trabalho é a improvisação. O show tem 80% do original e o resto é o que chamo de free style, piadas sobre notícias da semana ou situações engraçadas que aconteceram comigo. Por isso tem pessoas que voltam para ver a peça, como uma espectadora de 85 anos, com quem eu sempre brinco. Ela mora em Niterói e já foi me ver mais de dez vezes. Em segundo lugar, faço um humor popular. Falo de família, de religião, de coisas que minha filha (Pietra, de 11 anos) conta. Acho que os pais se identificam e as crianças na idade dela também.

A receita é a mesma em Nós na Fita? O espetáculo também tem como característica forte a improvisação. Atuamos de smoking, aparentemente elegantes, deixando espaço para o humor fluir. Fazemos o show junto com a plateia para que, de acordo com o público, uma sessão seja realmente diferente da outra. São mais de sete anos de experiência, também em apresentações fechadas para empresas, então desenvolvemos um feeling para reconhecer o tipo de espectador que está diante de nós e, aí, definir os caminhos pelos quais vamos conduzir a brincadeira. É um fio da navalha, separando o que é brincar junto com a plateia do que é brincar à custa dela. Também usamos o ingrediente de repercutir acontecimentos do noticiário, durante um tempo, e depois substituímos por outra coisa. Aquele padre (Adelir de Carli) que voou amarrado em balões e sumiu no mar rendeu um bocado. Outra coisa: temos um código de ética interno que nos proíbe de usar as piadas do Nós na Fita em outras peças nossas.

Os Caras de Pau é exibido no domingo, às 13h15. Não merecia um horário noturno? Foi um pedido da TV Globo fazer um programa não só para crianças, mas para a família que está ali, no domingo, reunida para almoçar. Vamos fazer dois anos de presença na grade, com uma vitória confortável na briga de audiência. É um programa que pegou naquele horário. Se a gente fosse apresentar à meia-noite, seria outro tom. Mas é a velha história: em time que está ganhando a gente não mexe.

Fonte: VEJA RIO