Memória da Cidade

Viva Rio e seu fundador são tema de livro

Livro recupera a história da organização criada por Rubem César Fernandes

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Livro recupera a história da organização Viva Rio
Dois minutos de silêncio na Candelária em 1993, ato que originou o Viva Rio. (Foto: Acervo Viva Rio e Jornal do Brasil)

O Rio dos anos 90, que viu nascer dezenas de organizações não governamentais (abreviadas ONGs, pronunciadas num primeiro momento “ongues” e depois “ó-e­ne-gês”), é o personagem principal de Fora de Ordem, livro de Lucia Lippi Oliveira e Dulce Pandolfi, lançado na última quin­ta-feira (16) pela Editora FGV. Trata-se de uma obra focada na trajetória do líder de uma dessas instituições: Rubem César Fernandes, antropólogo que fundou, em 1993, o movimento Viva Rio. Antes, ele havia trabalhado no Instituto de Estudos da Religião (Iser) e fez parcerias com o sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, que estava à frente do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase). Naquele ano, dois episódios marcariam tristemente a história da cidade: a chacina da Candelária (julho) e a de Vigário Geral (agosto). Esses acontecimentos provocaram revolta na sociedade e deram impulso à criação, meses depois, do Viva Rio. A partir daí, a entidade, até hoje sediada na Glória, passou a promover diversas ações de cunho político-social (veja abaixo). O livro, espécie de biografia de Rubem César, é formatado do início ao fim com perguntas e respostas, em ordem cronológica de fatos, trazendo em seu epílogo a recente presença do grupo no Haiti.

Rubem César Fernandes
Rubem César Fernandes brincando com uma criança no Carnaval. (Foto: Acervo CPDoc)
Infográfico
(Foto: Divulgação)

 

Fonte: VEJA RIO