Beira Mar

Rainha de bateria Juliana Alves comenta polêmica sobre seu peso

A beldade da Unidos da Tijuca garante não ter se abalado com as críticas que a acusam de estar cheinha demais para o posto, mas está fazendo dieta

Por: Daniela Pessoa - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Divulgação)

Um pré-requisito é fundamental para todas as beldades que conduzem as baterias de escolas de samba: ter um corpo escultural, modelado em muitos casos à base de horas de musculação e vários suplementos alimentares. Com mais curvas do que músculos, a rainha da Unidos da Tijuca, no entanto, não se abate com as críticas que vem recebendo (dentro da própria escola, inclusive) por ter ganhado alguns quilinhos no último ano. “O que deve predominar é a capacidade artística, e não padrões de beleza distorcidos que nos são impostos”, afirma Juliana Alves, que tem entre suas concorrentes as supersaradas Sabrina Sato, da Vila Isabel, e Viviane Araújo, do Salgueiro. “Até comecei uma dieta para a novela, mas na avenida respeito o meu biotipo”, justifica a também musa do camarote Rio Samba e Carnaval, escalada para o próximo folhetim das 9, Babilônia.

LEIA MAIS NA COLUNA BEIRA-MAR DA SEMANA:

Danielle Ferraz, consultora de moda dos jogadores de futebol, entre eles Thiago Silva e Conca, conta como é o trabalho de refinar os atletas e suas esposas

Glória Pires investe em site com dicas de dieta, gastronomia, moda, beleza e fatura ainda com a venda de produtos

José Mariano Beltrame revela as atribulações de ser síndico do prédio da Central, que abriga a secretaria de segurança do estado. “Quando os elevadores enguiçam, meu telefone não para de tocar”

Cantora Roberta Sá estreia como madrinha de bateria em bloco de Carnaval

Fonte: VEJA RIO