PERFIL

Retratos

- Atualizado em

retratos-2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)
Gustavo Alonso,

Professor

Mora no bairro de Santa Rosa, tem 31 anos e dá aula de história (Brasil República) na UFF. Em 2011, lançou Quem Não Tem Swing Morre com a Boca Cheia de Formiga, livro sobre o cantor Wilson Simonal.

Do que gosta na cidade?

Das praias. Alguém um dia ainda vai compor Garota de Camboinhas.

Do que não gosta?

O trânsito está insuportável, e as barcas, caras.

Diga uma rua legal.

A bela Estrada Fróes, entre Icaraí e São Francisco.

O que Niterói tem e o Rio não?

Viver aqui é ser carioca, mas mantendo uma distância salutar do Rio. Isso é exclusivo de Niterói.

retratos-3.jpg
(Foto: Redação Veja rio)
Dilma Freire, Empresária da moda

Sócia de uma grife de biquínis para crianças, ela vive em Icaraí desde os 10 anos. Hoje com 28, quer expandir os negócios- seus produtos são encontrados em 200 lojas de multimarcas Brasil afora.

Do que gosta na cidade?

Da qualidade de vida.

Do que não gosta?

Do trânsito.

Diga uma rua legal.

A Moreira César (rua paralela à praia, em Icaraí, que reúne lojas como Wöllner, Animale e Cantão).

O que Niterói tem e o Rio não?

Itacoatiara, como um todo, e a tranquilidade de um passeio a pé no fim de tarde em São Francisco.

retratos-4.jpg
(Foto: Redação Veja rio)
Rafael garcia,

Músico

Gonçalense, 32 anos, Rafael é figurinha fácil na noite de Niterói, tocando MPB em casas como o bar Conversa Fiada, em São Francisco, e a adega Império do Bacalhau, no centro.

Do que gosta na cidade?

Das árvores de Itacoatiara.

Do que não gosta?

Da imundície e da confusão do centro.

Diga uma rua legal.

A Presidente Domiciano, em São Domingos, onde fica o Solar do Jambeiro.

O que Niterói tem e o Rio não?

Um disco voador pousado às margens da Baía de Guanabara, o MAC de Niemeyer.

QUANDO A CIDADE VIROU CANÇÃO

Niterói foi citada em mambo, numa música brega com pegada ufanista e inspirou até uma balada romântica do rei

Na década de 60, Gordurinha lançou o Mambo da Cantareira, sobre as barcas: "Só vendo mesmo como é que dói/ Trabalhar em Madureira/ Viajar na Cantareira/ E morar em Niterói"

retratos-5.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Roberto Carlos (foto) morou na cidade nos anos 50 e falou dela em Minha Tia: "Eu vinha lá de Niterói/ Pra ir à Rádio Nacional/ Usando um surrado blusão de couro/ Cantar minha esperança num programa de calouro"

O cantor Marcus Pitter fez sucesso com A Ponte Rio-Niterói em 1973: "Quando a ponte terminar/ E a saudade apertar/ Em meu carro de hora em hora vou ver o meu amor/ Num minuto estarei lá". Se ele soubesse...

Fonte: VEJA RIO