CARIOCAS DO ANO

Fred

Campeão estadual, nacional e pela seleção, o atacante do Fluminense vive a melhor fase da carreira. Seu sonho agora é estar na lista da Copa de 2014

- Atualizado em

fred-fluminense-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Há duas semanas, o atacante Fred, 29 anos, voltou a vestir a camisa da seleção brasileira, após uma ausência de um ano e meio. Foi um retorno irrepreensível. Ele teve participação fundamental no Superclássico das Américas, ao marcar o gol do escrete no tempo regulamentar e converter sua cobrança na disputa de pênaltis que selou a conquista ante a arquirrival Argentina. O título internacional foi a cereja do bolo de uma temporada especial para Fred. Pouco antes, ele havia conduzido o Fluminense ao tetracampeonato brasileiro, sacramentado a quatro rodadas do fim da competição. De quebra, ainda lidera com folga a tábua de artilheiros do torneio: ele chega à última rodada, neste domingo (2), com vinte gols marcados, três à frente do segundo colocado. Para coroar a fase gloriosa, que começou no primeiro semestre com a conquista do Estadual, o jogador foi eleito pela CBF o craque do Campeonato Brasileiro. "Sem dúvida, 2012 é o melhor ano da minha carreira", resume. "Tudo deu certo."

Frederico Chaves Guedes, mineiro de Teófilo Otoni, começou sua trajetória em 2003, no América-MG. Seu momento marcante nesse primórdio foi o gol que fez contra o Vila Nova (GO), com apenas 3 segundos e 17 centésimos de jogo ? àquela altura, o mais rápido do futebol mundial. Como continuou se destacando, na temporada seguinte foi contratado pelo Cruzeiro e, em 2005, transferiu-se para o futebol francês. Após quatro anos no Olympique Lyon, time pelo qual se sagrou tricampeão nacional, ele desembarcou nas Laranjeiras, onde já fez história. Símbolo de uma das melhores fases do Fluminense de todos os tempos, Fred lidera dentro e fora de campo o chamado "time de guerreiros", que faturou dois títulos nacionais nos últimos três anos e está novamente classificado para a Copa Libertadores, a principal competição do continente. Livre das graves contusões musculares que vinham prejudicando sua passagem pelo clube, assinalou, desde janeiro, 31 gols em 46 partidas. Solteiro, pai de Geovanna, 6 anos, o capitão tricolor exibe gosto refinado à mesa: frequenta alguns dos mais badalados restaurantes da cidade, onde costuma pedir vinho branco. Como bom mineiro, adora praia e pode ser visto nos dias de folga andando de patinete elétrica pela ciclovia de Ipanema. Ainda em lua de mel com o Rio, o craque deseja agora trocar seu apartamento na Avenida Vieira Souto por um imóvel na orla do Leblon. Outro sonho, ou obsessão, é disputar a Copa de 2014. Ninguém tem dúvida de que, se mantiver o desempenho atual, ele será convocado.

Fonte: VEJA RIO